Load or Cast
Sideboard – Números
Pensando a lista para o side.
02/09/2016 08:00 - 3.842 visualizações - 9 comentários
Load or Cast

 

Fala galera, tudo bem? Gabriel aqui com sua dose semanal de modern, hoje focada em sideboards!

Para os que perderam o ultimo artigo sobre sideboars.

E essa semana finalmente foi ao ar meu report sobre o CLM. Quem quiser dar uma conferida aqui.

Ok, chega de enrolar e vamos nessa!

Sideboard, como vimos, é algo bem complexo de definir, pois temos aquele limite chato de 15 cartas, no modern então, onde temos uma diversidade enorme de decks que atacam por lados diferentes, fica mais difícil. Apenas complicamos mais nossa vida, o que por consequência faz com que nós devamos trabalhar ainda mais no nosso sideboard para lapidá-lo o máximo possível.

Nessa série que venho fazendo, tenho mostrado algumas linhas para seguirmos na hora de montar nossos sideboards, passando por sideboards que apelam para o ódio, sideboards que transformam os decks, e até como montar um plano para decks fora do meta.

Para hoje queremos tentar pensar todos ao mesmo tempo e de maneira o mais ampla o possível.

O fato é o seguinte: Temos apenas 15 lugares para preencher e atualmente o Modern tem pelo menos uns 15 decks tier. O que fazemos? Vamos simplesmente colocar 1 carta de sideboard contra cada e pronto? Devemos valorizar as matchs mais dificeis para tentar um jogo melhor pós side? Ou devemos focar nas nossas good matchs para garantir que ganhemos delas mesmo pós side?

Porcentagem de vitória pós-side

Vamos supor que temos um deck que gostamos, mas ele tem sérios problemas no game 1 contra um dos decks mais populares do formato. Quanto precisamos mudar o match pós side para termos uma chance boa de vitória?

Obviamente isso depende de quão ruim é o game 1 contra tal deck, quanto ligamos para vencer esse campeonato e o quanto ligamos para matemática e estatística em si (ninguém aqui vai te condenar por acreditar em sorte, eu mesmo já presenciei coisas absurdas)

O quão melhor podemos fazer o game pós side? Muitas pessoas tem a mania de pensar que deixar um jogo 50/50 pós side será o suficiente. Se você estava atrás no game 1, com 50/50 a partir do game 2, você ainda está atrás! Se você perdeu o primeiro, seu oponente precisa apenas de mais 1 jogo, enquanto você precisa vencer os 2!

Mas e se conseguíssemos mudar uma match para que pós-side seja 60/40 para nós? Isso deve ser bom o suficiente, certo? Afinal estávamos perdendo o match e agora temos uma vantagem para 2 dos 3 jogos totais.

Bem, se estávamos 40/60 antes do side e agora estamos 60/40 no total da match estamos 55/45. Se estávamos em um jogo 25/75 pré-board e pós-side fomos para 60/40, no overwall do match temos 51/49. Algumas vezes isso vai ser bom o suficiente, outras vezes não. Tudo depende de quanto aquela match vale para o field. Se Jund é 25% do field enquanto Affinity é apenas 7%, um extra de 5% contra o jund vale muito mais do que 10% contra o Affinity.

Para isso precisamos testar bem cada match que consideramos importantes para saber o quão boa/ruim ela é. Se estamos um pouco atrás no game 1, tentar fazer o jogo 70/30 não é um absurdo caso queiramos muito ter essa vitória. Algumas vezes vamos aceitar a famoso “coin flip” (jogada de moeda), ou seja, um 50/50. Mas nós não queremos “coin flips”. Nós queremos vencer.

Número de cartas para o side In/out

Um erro muito comum em sideboards, em geral, é a quantidade de cartas que queremos colocar no deck e a quantidade que queremos tirar. Já ví pessoas que com medo de certa match colocam 10 cartas contra ela, mas na hora do side out tem apenas 5 para tirar

Mas então o que fazemos nesses casos?

Bem, em primeiro lugar, se for para um campeonato grande, vá preparado para não ficar nesse tipo de situação! Porém se acabar entrando nela você vai ter que fazer um corte por otimização de cartas. Vamos supor que estamos contra um Monogreen aggro, e você de Jund, já deu side out nas cartas que queria, porém ainda quer subir mais 2x Deathmark (apenas um exemplo ilustrativo!), o que devemos tirar do deck?

 


Vamos ter que pensar em retirar outras remoções caso não estejamos mais achando lugar. Poderíamos, por exemplo, cortar 2 Abrupt Decay. Mesmo a carta sendo boa na match, Deathmark permite otimizarmos nossas manas, então podemos no turno 3 fazer Deathmark e Tarmogoyf, ou então remover uma criatura turno 2 e usar a fetch para buscar uma land desvirada que lhe preserva uns pontos de vida (importantes numa match como essa).

Novamente, não é o lugar que gostaríamos de estar, porém se precisar improvisar é uma maneira de proceder. Outro erro também comum, que é o contraponto do anterior, é ter de tirar muitas cartas em uma match e não ter o que subir no lugar, aí você se vê obrigado a manter cartas horríveis. Já discutimos anteriormente como é bom ter em nosso sidebord cartas coringas e muito flexíveis, como por exemplo, Golgari Charm ou então cartas que se repõe, como Nihil Spellbomb, pois elas podem agir nesse momento que não temos o que subir contra determinada match.

Ok, mas então como montar um bom sideboard?

Treinando muito, e de preferência treinar ainda mais. Treinando cada match que considera importante e anotando as cartas que são ruins no seu deck contra aquela match para ter uma noção de quantas cartas gostaria que saíssem. Após ter isso anotado, começar a buscar cartas para o sideboard contra essas matchs e anotar todas aquelas que poderíamos utilizar.

Depois de determinado isso, devemos buscar as intersecções, cartas que servem para mais de uma match. Elas são as melhores cartas de nosso sideboard pois são elas que permitem uma flexibilização melhor dos slots que temos! (Se quiser ver um exemplo, isso foi feito no final do artigo "ancient grudge x stony silence" para oJunk midrange).

Obviamente existe um caminho mais fácil. Podemos utilizar sideboard guides de jogadores famosos, ou então de quem ganhou GP's , ou eventos de grande porte. Caso esteja sem tempo, talvez essa seja a melhor saída. Existe um porém. Esses guias e sideboards foram feitos para o ambiente deles, com as matchs que eles esperavam encontrar e as que consideravam mais importantes.

Em torneios maiores brasileiros ainda temos uma mudança sutil de metagame em relação ao resto do mundo e do Magic Online. Por exemplo, talvez devido a questão financeira, o merfolks, que é um deck mais barato em relação aos outros do modern, vê muito jogo por aqui, onde o magic acaba sendo um hobby muito caro, logo nosso metagame acaba sendo diferente.

Metagame

Já citei antes, mas vale a pena reforçar. Metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame,  metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame, metagame.
Acho que deu pra reforçar agora.

Não adianta ter o melhor sideboard do mundo contra aquele deck rogue que seu colega usa nos FNM quando for para um campeonato grande, assim como é inútil deixar aqueles 2 Stony Silence ocupando espaço do seu sideboard se na sua loja ninguém joga de Affinity.

Fazer uma boa leitura de um metagame é talvez uma das habilidades mais difíceis de se obter. Existem muitos lugares que podemos usar de base, como sites que contabilizam torneios do Mol, ou então os torneios da StarCity Games. Infelizmente no Brasil, só temos o Circuito Ligamagic, e alguns torneios, como os WMCQs, para dizer como é o metagame e como eles distam muito um do outro, acaba não sendo tão preciso.

Keep it or mull it

Na semana passada vimos uma mão bem gananciosa de RG valakut contra Affinity.

Hoje quem responde é o Ruda, editor aqui da Ligamagic.

Resposta do Ruda:

A mão que quero nessa match tem Anger of the Gods, algum ramp e lands que me permitam rampar e fazer o Anger. Titã e Through the Breach são opcionais, já que a princípio eu quero sobreviver, então só quero atrasar o Affinity e deixar a mana pronta para quando comprar algo.

Obstinate Baloth e Courser of Kruphix não seguram o Affinity, ganhar vida pode ser interessante, mas um Chapeamento Craniano frustra nossos planos com facilidade, ou mesmo um Inkmoth Nexus. O corpo x/4 de ambasas criaturas também é inutilizado se pensarmos que boa parte das criaturas do Affinity voa, logo, o Baloth,por exemplo, é um 4/4 que ganha vida e tenta uma race, que ele nunca vai vencer.

Veredito: Mulligan até aparecer um Anger of the Gods e algum ramp.

 

Minha resposta:

Essa mão parece muito atrativa a primeira vista, pois temos criaturas robustas, e caso compremos Through the Breach, vamos conseguir jogar um emrakul na cara deles e vencer o jogo apenas com isso. Porém, isso só acontecerá no turno 4, se tivermos sort,e e ele está na play. Então considero uma jogada arriscada e bem gananciosa.

Acho que aqui a jogada correta seria mulligar para ir atrás de um dos 3 Anger of the Gods ou um dos 4 Lightning Bolt para que possamos controlar as ameaças dele nos primeiros turnos.


Como estamos com um deck muito mais play big, se chegarmos até o turno 5-6 com uma vida relativamente saudável nossas chances de vitória são imensas, não vale a pena jogar isso fora por uma mão greed.

Veredito: Mulliga champs, e torce pra vir um Anger of the Gods para arrebentar.

Para essa semana:


Estamos em evento grande então primeiramente vamos assumir como metagame o que vemos no Magic Online (você pode conferir as estatísticas aqui).
estamos utilizando esse deck:

Jeskai nahiri
3934 visualizações
01/09/2016
R$ 2.828,23
R$ 4.689,59
R$ 10.779,36
3934 visualizações
01/09/2016
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Gerar Imagem
Criaturas (6)
4  Mago da Conjuração-relâmpago  169,90
1  Facção Vendilion   32,50
1  Emrakul, o Fragmento dos Éons 122,85
Planeswalkers (4)
4  Nahiri, a Anunciadora   7,99
Mágicas (27)
2  Visão Ancestral12,90
4  Caminho para o Exílio 11,69
2  Cilada Mágica 2,44
4  Raio 7,60
4  Visões do Soro 3,00
3  Aprisionar  6,65
3  Fuga de Mana  0,17
3  Hélice de Raios  1,75
1  Comando Críptico    63,00
1  Veredito Supremo    23,22
Terrenos (23)
2  Bueiros de Vapor44,99
2  Cascata de Enxofre9,60
3  Colunata Celestial15,90
2  Fonte Santificada33,90
1  Fundição Sagrada51,30
2  Ilha0,00
4  Lago Alpino Fervente193,50
1  Montanha0,00
1  Planície0,00
4  Praia Inundada125,00
1  Quarteirão Fantasma1,58
60 cards total

Sideboard (15)
1  Explosivos Fabricados 74,99
1  Delir 0,10
2  Relíquia de Progenitus 10,56
1  Descanse em Paz  20,00
1  Desprezador de Mágica 15,22
1  Expurgo Celestial  0,09
2  Mares em Expansão  1,50
1  Negar  0,03
1  Estatimago Izzet   0,24
2  Fúria dos Deuses   3,90
1  Facção Vendilion   32,50
1  Desgastar // Rasgar   //  2,90

Estamos no play na primeira partida do dia contra um oponente desconhecido e abrimos a seguinte mão:

  
  
 

E aí ? keep it? or mull it?

Bom galera era isso que tínhamos para essa semana!
Espero que tenham curtido e como sempre se não gostaram de algo podem reclamar, que eu vou ler e tentar melhorar para a próxima semana!

Logo mais a nossa série "modern-sideboards" irá terminar! E gostaria de saber a opinião de vocês sobre o que vocês querem ler como coluna! Então comentem aqui ou mandem inbox com sugestões!

Até semana que vem pessoal!

 

Gabriel luiz martinez ( gabriell86)
..
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 05/09/2016 20:23
Boa noite meu amigo, vejo essa mão bem interessante em um match desconhecido, afinal na play terei a segunda mana antes do oponente, apesar de não ter nem um card advanced, seu controle con counters é muito bom, sendo o primeiro game, eu arriscaria o keep! E diferente do que os amigos disseram ali eu não desceria a colonade no turno 1 e sim na 3, por que? simples, se for um afinit poderá descer um chapeamento no turno 1 sem dificuldades... já estaria protegido e surpreenderia o oponente!
(Quote)
- 05/09/2016 11:56
Keep, scalding tarn turno 1, colonade só no turno 3, para poder dar spellsnare se estiver jogando contra um eventual affinity se o cara cuspir a mão e descer algo de custo 2 no primeiro turno...
(Quote)
- 04/09/2016 12:53
Keep, vc tá no play, começa com a colonata, depois controla com os counters até achar novas peças. Se o oponente tivesse na play, aí não daria.
(Quote)
- 02/09/2016 19:11
Parabéns pelo artigo! Mto bem escrito! Gostaria q vc escrevesse sobre Deckbuilding ou deck techs, como melhorar 1 deck específico. Eu sei q a coluna é Modern, mas gostaria q vc escrevesse sobre 1 deck q eu amo mto: 8 POX! Qto a mão, eu keepava. Gde abs!
(Quote)
- 02/09/2016 18:02
Keep
Últimos artigos de Gabriel luiz martinez
Report top8 no RPTQ
Counter Company para o topo!
3.330 views
Report top8 no RPTQ
Counter Company para o topo!
3.330 views
17/11/2017 10:00 — Por Gabriel luiz martinez
Esper Gifts no Nacional
Fora do radar no Standard.
4.811 views
Esper Gifts no Nacional
Fora do radar no Standard.
4.811 views
25/10/2017 10:00 — Por Gabriel luiz martinez
Primer Gifts Storm para o CLM
Uma escolha de combo para o formato.
6.191 views
Primer Gifts Storm para o CLM
Uma escolha de combo para o formato.
6.191 views
21/07/2017 10:00 — Por Gabriel luiz martinez
4.725 views
Macro Arquetipos – Parte 5
The Rock!
4.725 views
09/06/2017 10:00 — Por Gabriel luiz martinez
Modern Gotham
O Mtagame de Glass Cannons, pelo olhar do Homem-Morcego.
6.818 views
Modern Gotham
O Mtagame de Glass Cannons, pelo olhar do Homem-Morcego.
6.818 views
26/05/2017 10:00 — Por Gabriel luiz martinez