Aprendiz de Coveiro - Parte 4
06/06/2017 14:28 / 2,488 visualizações / 1 comentários


Olá amiguinhos!
 

Voltamos mais uma vez com um texto direcionado a um dos decks mais antigos e famosos do nosso tão querido hobby, o DREDGE!
 

Para começar, vou colocar umas listas do deck que me deparei ao longo dos dias no qual me chamou a atenção.

1- HypnoticaL (1º lugar Liga Competitiva Modern no MTGO)
 

Dredge - Modern
2017-06-05

Jogador

Ruda

Visitas

3132

Código Fórum

[deck=601232]

 

A lista do HypnoticaL acaba por ser o modelo quase que “padrão” da lista. Por padrão digo a lista no qual a maioria dos decks Dredge se baseiam e estão construídos, quase que uma decklist optimizada (pelo menos por enquanto).


A primeira e mais nítida mudança que vejo em relação a lista que utilizo é um Scourge Devil de main. Apesar de ser uma carta que possui sinergia com a estratégia (pode ser conjurada do cemitério e sua habilidade trigga os Prized Amalgam) eu a considero “win more”. Digo isso pelo fato do deck já ser forte no game 1, porém, pode ser uma escolha bacana para acelerar ainda mais uma vitória (tendo em mente que o Storm está ficando cada vez mais presente no meta, assim como decks toolbox). Estou testando aos poucos o demônio, para ver se me adapto a ele, ou se tenho uma opnião melhor a respeito. 

 

Se decks que são mais rápidos que o nosso (como combos, Storm e etc...) continuarem a subir, esta carta pode nos ajudar a acelerar o clock. Acredito que a única vez no qual utilizei ela que vi que houve uma diferença no jogo (para mim) foi contra um Creature Toolbox (com o combo do Vizier e o druida), que me permitiu vencer o game no turno anterior ao que oponente iria combar. Por outro lado, contra decks toolbox, possuímos uma carta forte, Conflagrate, mas como já disse anteriormente, preciso testar mais o deck com o demônio para ter uma opnião melhor formada.

 

2- Rob Thoen (Dutch Open Series)

Dredge, por Rob Thoen - Modern
2017-06-06

Jogador

Ruda

Visitas

2516

Código Fórum

[deck=602463]


A lista de Rob de início é bem similar comparado ao tradicional, porém, possui algumas alterações bacanas. Além do já discutido Scourge Devil, podemos perceber uma “alteração” no formato de seus terrenos, possuindo um Steam Vents e um Ghost Quarter. Em relação ao Ghost Quarter, acredito que tenha sido um meta call (ou seja, Rob acreditou que haveria uma grande aparição de decks com uma base de mana “diferenciada”), para combater decks como Tron, EldraziTron, Bant Eldrazi e etc...


A adição do Steam Vents acredito que tenha sido para se ter a possibilidade de conjurar os Narcoameba e Prized Amalgam da mão (que convenhamos, é um saco comprar uma dessas cartas na mão inicial e pior ainda, durante um draw normal). O fato do terreno ser “tutorável” por qualquer uma das fetches no deck ajuda em comparação a outro terreno que temos ao dispor para mana colorida, Gemstone Mine.


Ainda no maindeck, Rob Thoen optou por utilizar um Darkblast, que assim como o Ghost Quarter, pode ter sido um meta call. Se bem que atualmente, com o crescimento de decks toolbox, ele pode ser muito útil no main contra mana dorks (como Birds of Paradise e Noble Hierarch, presentse também nos Bant Eldrazi da vida).


Partimos agora para o sideboard de Rob. Vemos um Bojuka Bog, que além de ser ótimo contra outros decks que se utilizam do cemitério (pelo fato de não poder ser “counterado” por maneiras tradicionais, e nem descartado) é uma carta forte durante o mirror match. Querendo ou não, o Dredge continua aparecendo.


Start // Finish é a última carta do deck que vi de diferenciado, e é uma ótima opção para se livrar de criaturas que estão te atrasando, como um Goyf grande ou mesmo um Eldrazi. O fato dele poder ser conjurado do cemitério torna esse removal atraente para o deck. 


Concluindo a lista de Rob, acredito que podemos perceber que o deck é extremamente voltado para o meta no qual ele está inserido, com cartas como Ghost Quarter, Darkblast e Start // Finish (que no final das contas, são cartas ótimas contra Bants Eldrazi).

 

3- Justin Hayo (MKM Series 2017 – Modern Main Event)


Dredge, por Justin Hayo - Modern
2017-06-06

Jogador

Ruda

Visitas

2527

Código Fórum

[deck=602467]

 

Justin utiliza uma City of Brass como único terreno multicolorido no deck, nesse sot prefiro Gemstone Mine, que apesar delas se auto destruírem com o tempo, podem ser retomadas com as Life from the Loam. No maindeck do Justin, podemos conferir um Gnaw to the Bone, que acredito que possa ser tanto meta call, quanto uma possível “ajuda” em relação ao dano causado pela City of Brass.
 

Em seu side, podemos observar três Inquisition of Kozilek (no lugar dos já conhecidos Thoughtseize), colocados, acredito eu, para pegar Rest in Peace e, principalmente, Surgical Extraction. Desse modo Justin não perde muita vida em conjunto com a City of Brass.
 

Por último, podemos ver um Pyroclasm em seu side, que acredito ser uma carta meta call, já que ela atinge nossas criaturas da mesma forma.

 

Sideboard com amor: versão Rest in Peace


Gostaria de falar só um pouco em relação a uma carta que atrapalha bastante o nosso jogo: Rest in Peace. Sério, algumas vezes é quase game over quando ela é conjurada. Claro que há cartas piores, como a Leyline of the Void, porém o RiP é uma carta mais comumente utilizada nos sideboards da vida.

 


Então como “contornar” seu oponente quando ele conjura o encantamento branco dos infernos? Atualmente eu vejo quatro direções quando me deparo contra um deck que possa vir a possuir a carta.


1º- Jogar na miúda e esperar o encantamento para poder destruí-lo. Esta é uma opção viável, porém não a “ideal”. Jogar na miúda seria colocar no cemitério o menor número possível de cartas para “forçar” seu oponente a colocar em prática alguma estratégia contra o seu cemitério (por exemplo estourar uma Relic of Progenitus), e então, quando o encantamento estiver em jogo, destruí-lo com algum hate (Nature's Claim, Ray of Revelation etc...).


2º- Destruí-lo com um Ray of Revelation do seu cemitério. Essa talvez seja a opção menos provável de se acontecer. Com um Ray of Revelation em seu cemitério, quando seu oponente conjurar o RiP, você conjura a carta com flashback em resposta ao primeiro trigger do encantamento. Dessa forma, seu oponente não terá mais o encantamento e você não terá mais o seu cemitério. É uma forma de se contornar o problema, porém, você recomeçaria praticamente do zero a sua estratégia. 


3º- Fazer o oponente descartar o encantamento. Talvez esta seja a forma mais próxima do ideal de se resolver o problema. Thoughtseize ou Inquisition of Kozilek no turno 1 ou 2(no play) . Afinal, é para isto que servem os descartes em seu sideboard, certo?


4º- Com o encantamento em jogo, jogar “normalmente”. Isso seria conjurar suas criaturas “ na mão” e buscar respostas ao encantamento e possíveis ameaças através do draw natural e cartas como Faithless Looting e Cathartic Reunion. Essa é das alternativas a mais... chatinha, digamos assim. E difícil de se lidar (quem tá jogando de dredge, é claro)

 

Das alternativas acima, procuro sempre utilizar a 3 em primeiro lugar (sempre busco subir descartes contra decks que desconfio que possuem o RiP), porém, nem sempre funciona. Ou o oponente não está com a carta ou eu não compro um descarte na mão inicial, ou no início do jogo. 
 

Logo, a alternativa que acabo usando com mais frequência é a primeira (não por vontade própria, claro). Dessa forma procuro ir jogando tranquilo sem nenhuma explosão, salvando as cartas de destruir encantamento e artefatos em minha mão, assim como potenciais “vira jogos” como, por exemplo, um Cathartic Reunion e uma carta com dredge, caso venha precisar reiniciar meu cemitério e minha estratégia principal.

 

Bom, esses foram meu 1% para vocês!
 

Gostaria de saber o que acharam das listas que citei aqui, quais diferenças vocês fizeram com suas listas e como vocês contornam um Rest in Peace!
 

E claro, qualquer sugestão, dúvida ou crítica, somos todos ouvidos!
 

Tenham uma ótima semana, e como já dizia Joe Moreno: #keepdredging

 

 

TAGS:  DredgeModern

ARTIGOS RELACIONADOS

Decks da Semana #4 do CLM10: UB Tezzerator

Modern: UB Tezzerator, por Pedro F. Baptista.


Decks da Semana #3 do CLM10: Lantern Control

Modern: Lantern Control, por Matheus R. Ponciano.


O Submundo do Modern - Hollow Vengevine

Como pagar pouco, ou nada, por coisas grandes!


O Submundo do Modern - UW Monument

Mais uma bela adaptação do Standard para o Modern!

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

robaldelli (19/06/2017 14:11:53)

olá! tenho acompanhado a série do dredge e estou curtindo bastante!
Gostaria de saber oque você acha do seguinte artigo:

http://www.gatheringmagic.com/benfriedman-06022017-dredge-redux/

nesse caso os neonates foram substituídos por collective brutality - entendi a razão do cara mas não sei se concordo com os argumentos

oque acha?

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina