Combatendo o Tilt
11/07/2017 10:00 / 2,865 visualizações / 12 comentários

 

Há alguns meses, falei um pouco sobre um dos aspectos psicológicos mais importantes para se manter competitivo em Magic: the Gathering. O Tilt é um estado de frustração e irritação que pode aparecer com o resultado desfavorável de algum jogo ou a falta de vitórias em campeonatos por um período de tempo prolongado. 


Nos eventos mais competitivos de Magic, muitas vezes existem margens mínimas para vitória. Ou seja, até a menor das decisões pode decidir quem termina vitorioso em uma partida. Para garantir resultados consistentes não basta apenas estar em dia com as regras e interações entre cartas. Também é importante cuidar dos aspectos psicológicos que podem nos deixar abalados e tirar de nós a capacidade de jogarmos no ápice do desempenho.


Conhecendo o Inimigo
 

O Tilt não acontece do nada. Normalmente há algum gatilho que faz com que nos sintamos abalados emocionalmente e nos tirem do sério. Esses gatilhos podem ser definidos em dois tipos: aqueles que acontecem antes do jogo e são independentes dele e os gatilhos de dentro do jogo. 


Os gatilhos de antes do jogo tem relação com a sua vida fora da mesa. Você tem se estressado no trabalho ultimamente? Brigou com seu parceiro ou discutiu com alguma amiga? Bateu o carro alguns dias antes? O cãozinho Xereta, seu companheiro de treinos no Magic Online, faleceu? 
 

Tudo isso pode acabar influenciando seu desempenho, uma vez que essas distrações vão acabar tomando uma parte da sua atenção durante o jogo. Dormir pouco ou subestimar a importância de estar hidratado e bem alimentado também podem atrapalhar um bocado. A recomendação universal de comer coisas leves e ingerir bastante líquido entre as rodadas de um evento maior ainda é bastante negligenciada pelos jogadores.


Os gatilhos de durante o jogo são coisas que acontecem e que entram em conflito com a sua crença de como o jogo deveria ser. Um exemplo comum é conhecido como “top draw”. Você acredita que vem jogando corretamente durante o jogo todo, mas ainda se encontra a alguns turnos de conseguir ganhar, quando o oponente compra a carta perfeita para a situação e vira o jogo, te derrotando.


Outro gatilho comum é o da sua percepção da habilidade do oponente. Falei sobre o assunto no artigo anterior, caso você queira ler mais a fundo. De forma resumida, nosso orgulho começa a aflorar quando perdemos para um oponente que acreditamos que seja pior do que nós. 


Por fim, podemos passar por um período de “seca” com nossas próprias cartas. Compras ruins fazem parte do jogo, mas muitas vezes não recebemos terrenos na mão inicial por vários jogos seguidos e isso faz com que até mesmo os mais pacientes se irritem
Esse tipo de situação pode desencadear uma reação emocional forte, que impede que você continue jogando seu melhor jogo. 
 

Prevenção

 

Em se tratando de Tilt, a prevenção é muito mais importante que a cura. É muito mais vantajoso identificar as situações que podem te tirar do sério e desenvolver técnicas para evitá-las do que ter que lidar com o resultado de escolhas inconsequentes depois.
 

O primeiro passo é identificar quais gatilhos podem influenciar seu jogo. Se for uma situação de fora do jogo, muitas vezes não há o que fazer. Precisamos primeiro lidar com o problema antes de voltar ao jogo com 100% de foco do que jogar “com a cabeça quente”.
Se o que mais te irrita tem relação com o jogo em si, então vale analisar nossos treinos. 


Qual sua maior fraqueza enquanto jogador? Qual sua maior qualidade? Que tipo de situação você não suporta? Existe alguma ação que você realizar durante o jogo para contorná-la? Tente jogar com decks que alavanque suas qualidades de jogador ao invés de decks que exijam habilidades que você ainda não possui e procure saber como outros jogadores contornaram a situação antes de você e tente conversar com seus amigos para que eles apontem onde você tem falhado. Pode ser um exercício bastante doloroso descobrir que você não joga tão bem quanto pensa, mas só assim podemos identificar quais aspectos de nosso jogo podemos melhorar. 
 

Seu maior aliado aqui é o conhecimento. Quanto mais você estudar a teoria por trás do jogo e colocá-la em prática, melhor você se arma contra as situações que podem desencadear o Tilt. Saiba identificar cards chave em uma partida, quais mãos manter e quais mandar embora, pense no que pode acontecer quando escolher uma linha de jogo e tenha planos para quando tudo o mais falhar, porque eventualmente vai acontecer.

 


 

Conforme o tempo passa e você adquire mais conhecimento sobre o formato e o jogo como um todo, você poderá passar a identificar padrões de jogo do seu oponente. Quando ele está segurando uma carta importante, uma remoção ou um anula, por exemplo. Quando ele olha o cemitério, ele usa cards que interagem com aquilo? Conheça as listas padrão dos decks do formato que você joga e, se você joga só com amigos, não tenha medo de perguntar o que eles usam contra seu deck e ajustar sua estratégia de acordo. Se você sabe, por exemplo, que um Rest in Peace vai acabar com sua estratégia nos jogos pós-sideboard, não valeria a pena diversificar suas ameaças para que seu oponente tenha compras mortas um maior número de vezes?
 

O inevitável acontece
 

Independente de quanto esforço colocarmos em melhorar e de quanto conhecimento adquirirmos, eventualmente o Tilt vai vencer. Como remediar a situação para que ela não acabe se tornando ainda pior, jogando fora sua vida em um campeonato ou eliminando suas chances de premiação? 
 

Meu conselho aqui é um só: pare de jogar. O primeiro impulso de alguém “tiltado” é continuar jogando para “provar que é bom”, “virar o jogo” ou jogar de qualquer jeito por que “é tudo sorte, mesmo”.
 

Conseguir parar de jogar pode ser complicado dependendo um pouco do tipo de jogo em que estamos envolvidos. Entre as partidas de uma rodada, pode ser vantajoso pedir ao juiz para ir ao banheiro para tomar um ar, desde que você não fique enrolando. 
 

Em campeonatos maiores dar uma pausa entre as rodadas é uma das coisas mais importantes. Assim que a partida acabar, saia do local de jogo. Não confronte ou discuta com seu oponente. Estenda a mão, agradeça pelo jogo e vá ao banheiro, lave o rosto, se espreguice, coma algo, se hidrate. Dê uma caminhada ou ouça uma música. Faça algo de que você goste, pelos próximos minutos. Remoer a derrota não a tornará uma vitória. Outra coisa que não vai ajudar é procurar seus amigos pra contar a história de como “o cara foi TÃO sortudo...” Ninguém suporta um perdedor chorão. Evite também a situação chata de ser rude com o seu oponente e fazer seus amigos pedirem desculpas pra ele por você. Sim, já vi isso acontecer.  

 


 

Depois de tirar a derrota da cabeça, de preferência no outro dia, reveja a partida. Você poderia jogar de forma diferente? Dadas as cartas que viu do oponente, como a jogada diferente poderia ter influenciado o jogo? Se você tivesse sido mais agressivo no turno 2, seu oponente ficaria com medo de atacar no turno 7? Se você não tivesse bloqueado no turno 3, teria uma criatura a mais para fazer um bloqueio duplo (ou triplo) e tirado valor da remoção que seu oponente comprou dois turnos antes de ganhar. É claro que, assim como remoer a derrota, revê-la não vai lhe dar a vitória naquele jogo, mas a lição pode ajudar nos jogos futuros. 
 

Se nada mais funcionar, tire um dia ou dois de folga. Muitas vezes tiltamos tão forte que 10 ou 15 minutos não são o suficiente para nos colocar no estado mental ideal para jogarmos. Nesses casos, tente tirar o dia para fazer uma atividade que você goste. Faça uma caminhada ao ar livre ou vá assistir um filme no cinema. Visite uma livraria, ou vá a um show. Pode ajudar a esquecer o que aconteceu e 

renovar suas energias para a próxima sessão.
 

Foco no processo
 

No poker existe um ditado mais ou menos assim: “é tudo uma grande sessão”. Não existem mãos individuais onde você ganha e perde, só interessa que no final das contas você jogou bem ou não. No Magic, existe algo similar. Não existe vitória ou derrota, apenas jogadas. Garanta que cada jogada que você fizer seja informada e o mais próxima possível da jogada ideal e os resultados certamente virão. 
Se seu oponente “compra muito”, coloque ele contra a parede. Pressione e não deixe que ele tenha tempo de comprar a resposta perfeita. Ou, sabendo que vão usar todas as remoções contra seu barlaho, mude de plano. Abuse de Planeswalkers e encantamentos. 


Você está comprando mal por muito tempo? Sua lista está bem amarrada, com cartas coesas e um plano de jogo claro a ser executado? Corte a gordura, tente jogar com mais terrenos. Abandone as cartas roubadas que em alguns momentos são mortas, mesmo que isso signifique usar uma carta um pouco pior, mas que funcione sempre num nível semelhante. 
 

Abandone a ideia de “hierarquia” entre jogadores. Não faz diferença o nível de habilidade relativo entre eu e você. O que percebemos é subjetivo e nos afasta das informações que precisamos para avaliar com objetividade uma partida.
 

Pode parecer estranho, mas no grande esquema das coisas ganhar ou perder não faz diferença. O que faz diferença é jogar cada turno o mais próximo possível da forma perfeita. Foco no processo, e os resultados virão.
 

Até a próxima!

 

 


Raphael Soares Bonfim ( laranja_)
Viciado em ganhar jogos que não deveria, abusando de vantagens minúsculas, Um entusiasta dos aspectos teóricos, psicológicos e financeiros de Magic: The Gathering. Vive para virar Montanhas e declarar ataques. Seus maiores sonhos são poder voltar a usar Golpe Relampejante no Standard e reencarnar como Lavamante Implacável na próxima edição.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

Decks da Semana #18 do CLM9: Jund

Legacy: Jund, por Jorge Polar.


O Duel Commander para o CLM

O estado do formato após a nova banlist.


Por Dentro do Red Eldrazi

Uma escolha agressiva para a final Standard do Circuito Ligamagic


Wastelands e Vials

Primer Death & Taxes Legacy.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Gnarr (15/07/2017 01:29:12)

Muito bom mano !!!!
Parabéns pelo texto !!!
Abração

K-duh (12/07/2017 22:04:45)

Curti, estava precisando ler algo assim =)

hygure25 (12/07/2017 16:35:49)

Sensacional, gostei muito do seu artigo, muito bem escrito, conciso e informativo, parabéns.

andrio (12/07/2017 10:24:10)

A reanálise da partida perdida é grande parte do processo para "afinar" o deck ou o plano de jogo. As vezes é mais fácil colocar a culpa na manazica ou no topdeck do oponente do que admitir os erros no jogo ou na montagem do deck. Parabéns pelo artigo!

Arcangelo (11/07/2017 20:32:50)

Parabéns pelo artigo.
Essas dicas servem para n situações, a mais mais comum e a que eu mais utilizo é no trânsito, por incrível que pareça. Essas dicas e Magic vão muito além de um simples jogo.
Obrigado pelas dicas!

HHHH (11/07/2017 19:12:33)

Muito bom artigo! Parabéns.

Greg_Boy (11/07/2017 17:34:02)

Amigo, parabéns pelo artigo. É inspirador e informativo...

evincar (11/07/2017 17:00:43)

Mto bom!

Juan_Cruz_ (11/07/2017 16:10:57)

Lição pra vida.

Rcorleone (11/07/2017 15:23:09)

Muito bom artigo, parabéns !

ravisor (11/07/2017 11:35:23)

Valeu a pena ler isso 😁

Takamtg (11/07/2017 10:19:45)

Mais um bom artigo...parabéns!

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina