Wastelands e Vials
16/07/2017 10:00 / 5,083 visualizações / 24 comentários

 

Fala galera, o Bruno Ramalho, carinhosamente conhecido como Bruno Orelha, sou de Campinas e jogo Legacy há quase 10 anos.

 

Que a final do CLM está chegando todo mundo sabe e essa final vai dar 30 Mil reais somados para todos os formatos, mas vamos falar apenas do MELHOR formato, que é claramente o Legacy! Com 4k garantido para o top 8, é importante estar bem preparado se quiser partilhar desses (gordos) ganhos.

O lançamento de Amonketh provocou uma(se não a maior das) das maiores mudanças possíveis: O banimento de Sensei's Divining Top. E diferente do que muitos imaginavam, Miracles NÃO deixou de existir, na verdade, Miracles continua sendo Tier 1.

E este artigo é para te convencer que a melhor opção para o torneio é jogar com o arquétipo mais velho do magic: o White Weenie! Ok, ok, o nome do deck é Death and Taxes, nome dado devido à famosa frase de Benjamin Franklin: “...but in this world nothing can be said to be certain, except Death and Taxes.”(And White Weenie!!!!!).

O deck surgiu com o lançamento do Mangara of Corondor​, em 2006, no bloco de Time Spiral, com Mangara sendo printado era possível usar a habilidade  dela de exilar uma permanente alvo e utilizar uma Karakas para volta-lo para sua mão antes da habilidade resolver, já que o custo da habilidade era apenas virar a criatura. 11 anos depois estamos aqui falando sobre um deck que nasceu de uma interação de um terreno com uma Criatura 1/1 e que agora é Tier 1 do Legacy!

Mas Orelha, por que jogar de pequenas criaturas fair se no Legacy eu posso jogar com tantos decks unfair, ou simplesmente jogar de Delver of Secrets e usar meus queridos Brainstorm?

Porque o Death and Taxes pode ser montado para combater o exato field que você espera, assim garantindo boas % de G1 e ter apenas cartas de alto impacto no G2.

Então vamos lá, pro mais importante quando se vai definir números no D&T, o field.
 
Após o banimento do Tampo, o Miracles teve que se remodelar para se manter vivo. Aanurag Das era um grande nome entre os bons jogadores de Countertop Miracles, e foi um dos primeiros a aparecer com a lista de Portent Miracles no MOL. Apesar de não ter mais Counterbalance para garantir um softlock contra os 1 casting cost decks, a nova versão de Miracles conta com 15~16 Cantrips (Brainstorm, Ponder, Portent e Predict), o que continua tornando o baralho uma real ameaça, esteja preparado para enfrentar essa “nova” ameaça.
 
Ainda sobre metagame, o 4C Czech Pile é um deck que ganhou muita popularidade na época do Miracles por ter high quality threats e um gameplan que combatia diretamente as fontes de Card Advantage do Miracles. Com Leovold, Emissary of Trest, Deathrite Shaman, Lightning Bolt e Abrupt Decay, o Czech Pile pode ser uma matchup complicada pro DnT, mas tendo um side preparado a matchup pode ficar favorável post-board.

Com o Counterbalance fora do field os combos voltaram com bastante força, e com isso, o “matador de combos” também volta com muita força, o RUG Delver (popularmente conhecido como Canadian Treshold) com seus Quad Stifle e Spell Pierce​, tem uma matchup extremamente favorável contra todos os unfair do formato, mas felizmente o RUG é a vertente de Delver mais fácil para o Death and Taxes.

As outras vertentes mais jogadas de Delver são: Grixis, Bug e UR, com Grixis sendo a versão com mais removal (Raio, Fatal Push​ e Dismember), o BUG a versão com mais disrupt (Thoughtseize e, ás vezes, Hymn to Tourach) e o UR, com menos disrupt que as outras versões, mas com uma base de mana melhor e com múltiplos Burns para finalizar mais rápido. É importante lembrar que apesar de Delver.Decks serem good matchups pro Taxes, os jogos sideados devem ser operados com cuidados, porque alguns oponentes podem ter cartas muito efetivas na matchup (Sudden Demise, Dread of Night e até Blazing Volley).
 

TNN, o nosso querido True-Name Nemesis​, é outra carta que ganhou força com a mudança de field. Mudança que tornou as vertentes de Stoneblade (UWR, puro UW ou 4 color Deathblade) mais viável devido à diminuição de Terminus, com alguns disrupts na forma de counters e/ou descartes, o Stoneblade voltou a ser um arquétipo presente como tier deck.

E por último, os combos. Podemos dividir os combos do Legacy em duas categorias: Os Storm e os Big Spell. Os Dark Ritual decks são matchups muito difíceis para o D&T no game 1, Storm consegue combar antes mesmo de encaixarmos uma Thalia, Guardia de Thraben , e o Reanimator faz um Sire of Insanity no primeiro turno e nos obriga a descartar a mão inteira, assim acabando com nossas chances de ganhar. Já os Big Spells (Show and Tell, Sneak Attack, etc) são matchups mais equilibradas, e diria até favoráveis, já que geralmente são decks mais lentos (porém, com mais proteção), mas que nos dão tempo suficiente de settar hates ou pressão suficiente para que sua Big Spell seja irrelevante.
 
Agora que o field foi apresentado, vamos para o mais importante: A decklist.
 
Death & Taxes - Legacy
2017-07-16

Jogador

Ruda

Visitas

5103

Código Fórum

[deck=634126]
 
Vamos trabalhar as cartas duas categorias:

Não saia de casa sem:
 
 
Ao meu ver, esse é o core do deck, nenhuma dessas cartas podem ser reduzidas pois são as cartas que fazem o deck funcionar.
 
Slots ajustáveis: são modeláveis de acordo com o field ou gosto do piloto, eu escolhi utilizar 2 Recruiter of the Guard​, pela possibilidade de grindar long games e de encontrar bullets para situações específicas, e é por usar o Recruiter que temos 1 Sanctum Prelate e 1 Palace Jailer, para tutorar nas situações onde seriam relevantes. Os Serra Avenger não são tutoráveis, mas são tão importante para por pressão contra TNN decks e Delver decks, que merecem dois slots mesmo não sendo tutoráveis.
 
Como dito no começo do artigo, o side é a parte importante, GAME 2 É ONDE O FILHO CHORA E A MÃE NÃO VÊ!
 
1 Sanctum Prelate​ – A segunda cópia do Prelate nos ajuda muito contra Delver decks pois locka as cantrips e a maioria dos removals (Raio, Fatal Push), e contra combo garante que você não vá perder enquanto o Prelate estiver na mesa (1/2 contra Storm ou 3 contra Show and Tell).
 
2 Rest in Peace – Ultimate Graveyard hate, RIP te garante um jogo 2 muito favorável contra Reanimator e Storm (travando Treshold do Ritual e Past in Flames), jamais saia de casa sem pelo menos 3 hates de cemitério.
 
1 Gideon, Ally of Zendikar – Perfeito para grindar as matchups que os oponentes sobem sweepers ou aumentam o número/qualidade dos removals, além do fato do emblema do Gideon ser um anti -1/-1 que alguns decks sobem.
 
2 Council's Judgment – O “responde tudo”, resolve alguns problemas no g2 (True-Name Nemesis, Dread of Night), também tira Madre das Runas
desenjoada ou criaturas problemáticas.
 
2 Surgical Extraction – Com a popularidade do Storm e BR Reanimator, encontrei nas Surgicals a velocidade necessária para se manter vivo até que os taxes e hates sejam encaixados e nos carreguem para vitória.
 
1 Sword of Light and Shadow – Esse é um deck de Stoneforge Mystic e por isso o quarto equipamento no side, duh? Não é bem assim. Ao longo dos anos, muitos equipamentos foram testados no main e no side do deck, eu mesmo utilizei a Sword of Feast and Famine no side durante quase 2 anos, mas a constante mudança do field me fez retirá-la. A Light and Shadow ocupa esse slot pelo da proteção branca ser muito relevante num field onde Miracles depende mais de Swords to Plowshares do que de Terminus (utilizando 4 e 2 respectivamente), a proteção preta de fazer passar por cima de Leovold e Gurmag Angler​, além do fato de poder voltar criaturas do grave para mão servindo como uma ótima ferramenta para voltar de descartes, mass removals ou até habilitar chumpblock todos os turnos sem perder a mesa.
 
2 Containment Priest – Provavelmente o deck que mais ganhou com o ban de Tampo foi o Elfos, e rapaz, como essa match é horrível pro Taxes! Haha , o Priest dá a segurança contra Green Sun's Zenith e Natural Order​, além de assegurar a matchup contra Reanimator e Sneak and Show.
 
2 Ethersworn Canonist - "Nosso objetivo será atingido mais facilmente se as novas formas de vida forem... suprimidas" além de ser um dos flavor text mais legais na minha opinião, a Canonista tem a habilidade de impedir que o storm funcione, atrapalha as engine de draw do Elfos e de quebra ainda pode atrasar a vida de um Burn/UR Delver.
 
1 Seal of Cleansing – Com o aumento de Show and Tell e Bridge.decks online, é importante ter uma resposta que possa entrar no Show and Tell​ e que possa remover uma Ensnaring Bridge para assegurar essas partidas, acredito que o selo seja a carta mais eficiente para isso.
 
1 Path to Exile – A quinta Swords to Plowshares, que te assegura não morrer para um Delver no turno um e que, contra esse mar de decks sem terrenos básicos, acaba se tornando um Dispatch.
 
Com a lista definida, um pequeno guia de side para ajudar contra as matchups mais comuns é sempre bom.
 
Miracles
 
 

Com apenas Snapcaster Mage como criatura, não queremos as STP nem a pau, e por ser apenas um beater tiramos uma cópia do Avenger, as canonistas, além de bater e entrarem na caverna pra Humano também impossibilitam um bom uso dos Snapcasters.
 
RUG Delver
 
 
 
Os Revokers não tem bons alvos para travar e o recruiter é lento demais para a matchup, a segunda cópia do Prelate nos assegura que o plano de cantrips e cheap removal será travado, apenas cuidado para não tomar Tumble (Rough/Tumble) e perder a mesa toda.
 
BUG Delver
 
 

Apesar de ter Shamans, não gosto do Revoker, além do fato de estarmos subindo RIP para lidar com Goyfs e DRS. Os Wisps são sacados pela grande quantidade de efeitos de -1/-1 na matchup. E cuidado ao fazer um Prelate, pois nessa partida lockar o 2 geralmente é melhor que o 1.
 
UR Delver
 

Alguns UR usam Grim Lavamancer, mas com 5 STP post board é mais fácil de lidar com ela. Caso veja Null Rod​ no g2 é interessante subir o segundo Council’s e remover um Mirran Crusader
 
Czech Pile
 

Apesar de ser um spell based control, os custos das mágicas variam muito, tornando o Prelate menos efetivo; a remoção de algumas cópias de Flickerwispe Thalia são devido à quantidade de efeitos de -1/-1 , além de fato de estar subindo muitas non-creature spells. Deixo apenas um Revoker como garantia contra Jace, the Mind Sculptor e possíveis outros planeswalkers. 
 
BR Reanimator
 
 

O antigo Ub Reanimator era uma partida muito tranquila pro monowhite, todavia, o BR pode ser muito rápido devido às suas diversas acelerações (Dark Ritual, Chrome Mox, Lotus Petal e, ás vezes, até Simian Spirit Guide), o segredo aqui é keepar mãos com hates para ficar vivo até encaixar uma mesaque hardlocke o oponente.
 
Storm
 

Apesar de muitos players acharem que a matchup contra Storm é ABISMAL, eu discordo. Post board ele tem que deixar o deck bem mais lento, o que nos dá muita chance de combater a estratégia com nossa pilha de hate. Não tenha medo de dar Surgical em Brainstorm ou Ponder (principalmente se ele keepou o Ponder e não fazer fetchland, a Surgical te obrigará a embaralhar o topo fazendo com que a manipulação dele tenha sido em vão)
 
Sneak and Show
 

Provavelmente a matchup que temos mais armas, Karakas, Phyrexian Revoker, Thalia, Guardia de Thraben, Sanctum Prelate, Containment Priest, só tome cuidado no g2 pois muitos sides utilizam Piroclasma ou Kozilek's Return, evite o overcommitment na sua board para não perder totalmente a chance de ganhar pra um simples sweeper.
 
Omnitell
 
 
 
Os Revokers não tem nenhum alvo relevante aqui, mas prefiro a pressão de um 2/1 do que subir Surgical para tentar atrapalhar as Cantrips adversárias. Apesar do Omnitell ser focado em fazer Emrakul, o Fragmento dos Eons apenas com Omniscience, eu mantenho o Jailer por dar draw quando o jogo se estende.
 
Death and Taxes
 

Esse mirror é absurdamente complexo de jogar, pois o jogo todo é baseado basicamente em uma coisa: Colocar marcadores na Jitte de Umezawa. Tome muito cuidado, pois apenas uma ativação de Jitte adversária pode criar situações onde você nunca mais volte. Ter o Seal of Cleansing no mirror é um ótimo trunfo, já que é uma carta que ninguém usa e que pode ficar na mesa para liberar suas manas pra jogadas futuras, e terá que ficar mantendo mana aberta para Disenchant​ todo turno, com medo de uma Jitte surpresa.
 
Elves
 
 
 
Essa é uma das matchups mais difíceis pro DnT (acredito que seja a mais difícil de todas), e a maneira que sideio é bem diferente do convencional também. A remoção do Batterskull se deve à dificuldade de conectar com um 4/4 sem voar devido aos Quirion Ranger e Wirewood Symbiote dele, que dão fog nas criaturas terrestres. Duas Thalias saem e duas ficam pelo fato da maioria das spells do oponente serem criaturas, no entanto, ainda é bom ter um pouco de tax, e por último, 2 Vial saem, pois são lentos demais, um péssimo topdeck, e são ruins com o Containment Priest.
 
Burn
 
 
 
Tirar os 4 Vial contra Burn? ARE YOU MAD???!!!!?!!!
 
Parece absurdamente errado, uma das cartas que nos garante executar o gameplan ser removidas, só que o Burn sobe Smash to Smithereens​, que pode machucar bastante, então prefiro ter apenas artefatos de alta relevância e ter a possibilidade de deixar o oponente com cartas mortas caso não compremos uma Stoneforge ou equipamentos, o Seal serve tanto para matar Eidolon of the Great Revel, como para tirar Ensnaring Bridge​, que entra post board.
 
Lands
 
 
 
A remoção de Plowshares por Path é para não dar 20 de vida caso um Marit Lage apareça, um Serra Avenger equipado com Sword of Light and Shadow é um softlock para ataques de Marit Lage além de ser algo que te deixa além dos 20 pontos de vida, obrigando o segundo ataque te dando mais um turno.
 
UWR Stoneblade/Esper Stoneblade
 
-2 Recruiter of the Guard
-2 Flickerwisp
-1 Palace Jailer
-1 Mirran Crusader
 
 
O Prelate pra um acaba com a maioria das interações possíveis, mas vale dizer que as duas versões de Stoneblade sobem Veredito Supremo, então cuidado para não tomar um Sweeper e ir pra casa.
 
Bant/Esper Deathblade
 
 
 
Pelo fato do Deathblade jogar com 4~8 manadorks as Thalias ficam ruins, o Gideon é maravilhoso para grindar a partida, não tenha medo de subi-lo no turno que entra para poder fazer o emblema no turno seguinte e contornar Dread of Night ou Zealous Persecution. A espada do side ajuda a passar por cima de Shamans, Leovolds e contornar Plowshares.
 
Espero que esse primer tenha te ajudado(CONVENCIDO) a escolher o deck para a final do CLM. Eu gostaria do feedback de quem decidir jogar com o deck, e boa sorte para todos!
 
Bruno Orelha
 
 
TAGS:  CLMLegacy

Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

Decks da Semana #2 do CLM10: Mardu Veículos

Standard: Mardu Veículos, por Carlos R. Dos Santos.


Ixalan e o Duel

A nova edição e o Duel Commander.


Decks da Semana #1 do CLM10: UR Control

Standard: UR Control, por Hugo B. Freitas.


O Legado de Ixalan

A nova edição e o Legacy.


Decks da Semana #18 do CLM9: RG Valakut

Modern: RG Valakut, por Ralf Ricardo Da Silva.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

beramar (06/09/2017 15:06:18)

Boa Tarde,

Muito legal o artigo. Eu estou começando a jogar um pouco mais sério agora, e estou justamente montando um DAT.

Um artigo legal que você poderia fazer para quem está começando, seria falar um pouco sobre cada carta, como e quando utilizar.

BlindDefender (17/07/2017 18:50:08)

Tem um primer, do SilverGreen e do Baldin, se não me engano, bem detalhado com os principais alvos pro Revoker (apesar de já estar um pouco antigo)

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:35:57)

Sempre que tiver alguma colocação/dúvida sobre o deck pode me mandar através do Facebook.

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:34:50)

Mandem mensagem pedindo mais artigos Legacy que é bem provável que role!

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:33:42)

Valeu Thunder! Se eu fizer outro artigo pra cá sobre o DnT eu falo sobre especificações em cada matchup(como jogar com o vial, subir ou não subir os marcadores, como operar em cada matchup e o que nomear em needles e Revokers.

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:32:26)

Valeu! Que bom que chegou certinho! Manda uma qualificação pra fechar a negociação que já te qualifiquei.

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:30:48)

Valeu mano!

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:30:08)

Brigadão, marajá!
Espero poder fazer mais artigos Legacy por aqui.

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:28:23)

Valeeeu!

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:27:25)

Muito obrigado, Lands, Death and Taxes e DTT Miracles forma os decks que mais joguei e tive resultado, tenho bastante experiência com os arquétipos,

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:25:58)

Valeu!

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:25:27)

Muito obrigado, fico muito feliz que curtiu!

Bruno_Orelha (17/07/2017 14:25:06)

Valeu cara, espero poder fazer mais artigos sobre Legacy no futuro.

foavellar (17/07/2017 09:47:17)

Parabéns pelo artigo! Venho jogando com esse deck há uns 6 meses e é sempre bom aprendermos coisas novas e lermos novos pontos de vista a respeito de uma build ou outra! Obrigado!

SteelTrap (16/07/2017 19:12:36)

Excelente artigo! Uma pena não termos mais conteúdo de legacy aqui na liga...

Thunder (16/07/2017 18:16:29)

Orelha, parabéns pelo artigo !
Um dos melhores e mais completos artigos que li por aqui nos ultimos tempos.

Primeiro pela profundidade, segundo pela dificuldade que o Legacy trás em comparação ao Standard e Modern.

Gostei dos comentários e dos side in - out.

Como sugestão, acho que podia ter abordado mais as estratégias em torno das Wasteland x Portos e os principais alvos do Revoker nos matchs.

Te add no face !

Abraço !

GENERALLEE (16/07/2017 16:57:12)

muito bom tche, o garruk chegou aqui btw, muito top ! <3

sapu31 (16/07/2017 15:09:19)

Parabéns Oreia! :D

RodrigoSousa (16/07/2017 15:08:58)

Ótimo artigo Marajá!
Espero que surjam mais artigos sobre Legacy aqui na Liga. :-)

Dark_confidant_149 (16/07/2017 14:28:29)

Artigão da porra

Gruger (16/07/2017 13:58:51)

Muito bom o artigo.
Bem explicado o motivo das escolhas das cartas e do side.
Parabéns!

HHHH (16/07/2017 13:55:39)

Excelente!

enc_toledo (16/07/2017 12:33:46)

Ótimo artigo, brow! É textos assim em português que os portais de Magic brasileiros precisam!

SaitoSan (16/07/2017 10:53:58)

Ótimo artigo Bruno! É bom ler artigos de Legacy por aqui, ainda mais com muitos detalhes e dicas.
Jogo de Maverick e acho o D&T um deck muito fera. Viva os Hatebears hehehehehe.
Abraço

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina