[Legacy] MBA - Parte 2
Por (Mais Artigos)
17/03/2010 21:39 - 7,129 visualizações - 23 comentários
Esta é a continuação do artigo [Legacy]: MBA - Parte 1 e iremos basicamente falar sobre a criação de um MBA desde as cartas disponiveis no formato até a provável evolução deste tipo de deck.

Seção 5: MBA Suicide, Poll de cartas



a) Criaturas:
- Sarcomancy: é o Isamaru, Hound of Konda do preto. Uma criatura 2/2, praticamente sem drawback. Se sua idéia for algo mais weenie você usará 4.
- Carnophage: leia o paragrafo acima.
- Flesh Reaver: um custo beneficio muito bom, mas hoje em dia temos coisas bem melhores para usar.
- Tombstalker: esse é o cara. Um 5/5 fly por duas manas se você joga-lo a partir do quarto turno. Poder puro. Em geral você vai usar de 2 a 3 deles, mas deve prestar muita atenção na construção de seu deck, já que tem uma péssima sinergia com Dark Confidant.
- Dark Confidant: você também irá querer usar esse cara, e se o fizer coloque logo 4. Mas como dito acima, possui uma horrivel interação com cartas como Tombstalker e Snuff Out. Tudo depende do quanto Suicide você quer deixar o deck. O ideal é que você mate o oponente antes de morrer, sacou?
- Ashenmoor Gouger: um quebra galho interessante se você tiver alguma dificuldade para deixar sua curva de mana certinha ou se não houver cash para algumas cartas. Na duvida é melhor ter 4 disso na sua poll de cartas ao menos.
- Undead Gladiator: uma criatura interessante. Supre um pouco sua necessidade de draw, apesar do alto custo por isso a partir do primeiro. É um bicho virtualmente imortal, em top deck mode a pressão que você pode fazer com ele caso você compre cartas indesejáveis é bem útil. O único porem é que é um bicho extremamente lento, e o espirito da coisa não é esse.
- Perversidade Furtiva: alguns malucos usam isso ai. Não faça o mesmo, essa carta transforma seu MBA Suicide em MBA Morte Certa. Só por comparação pense em Tombstalker. Um pouco melhor não é?
- Phyrexian Negator: o boi preto. Esse bicho é um ogro, avassalador. Enfia 5 na lata por tres manas. É uma maquina grotesca, mas seu tempo já passou. Pense comigo, que deck não vai ter uma das seguintes cartas: Fire/ice, Lightning Bolt, Pyroclasm e/ou criaturas (qualquer criatura). Não consigo me lembrar de nenhum deck nessas condições, então você terá que pensar duas vezes antes de descer o BOI. Mas... oras, uma criatura 5/5 trample por três manas que você tem que PENSAR antes de jogar? Não, não é legal. E pior, você deverá pensar antes de atacar tambem! Você mete uma 5/5 trample no jogo no primeiro/segundo turno e tem que parar pra pensar no que vai fazer senão irá virar um Y contra 1 a favor do oponente, sendo Y1. Isso não está certo. Você está transformando seu deck em um deck reativo, esperando as coisas acontecerem para agir. Não é esse o objetivo. Se você ama o Negator. Se sua avó deu um set de Negator em seu leito de morte e você não admite fazer um deck sem ele, coloque-o no side, não estrague seu main deck. Eventualmente você até poderá usa-lo.



- Dauthi Slayer: esse bicho é legal, mas em geral você atacará com duas ou até três criaturas. O cara simplesmente vai bloquear a outra, e que via de regra é mais forte que o Dauthi.
- Faceless Butcher: interessante, muito interessante. Uma mini remoção circunstancial que ainda te deixa um 2/3 na mesa. Mas existem remoções mais baratas (até 4free) e criaturas mais agressivas que isso ai.
- Sengir Vampire: só coloquei para constar. Hoje em dia isso ai não serve nem para limpar a bunda.
- Braids, Cabal Minion: adoro essa carta, mas não se encaixa com os objetivos do MBA por ser um pouco lenta e prejudicar seu ritmo de jogo. Ela é muito interessante para versões controls e decks como o tupiniquim Sem Amigos, no caso um WB.
- Nantuko Shade: um dos melhores custos benefícios do mercado. É um pouco mais dificil de tirar que uma criatura normal (dificil na porrada e algumas remoções mais leves não o afetam) e faz uma pressão danada.
- Faerie Macabre: em um deck que pode perder muito espaço no side para acertar suas deficiencias, essa carta pode ser interessante já que lida com decks e cartas especificos e ainda tem um corpo.
- Stromgald Crusader: eu gosto dele, contra alguns decks ele simplesmente não sai do jogo. Você pode até sidear umas cartas um pouco mais control e dar clock com ele.
- Hand of Cruelty e Order of the Ebon hand: muito menos versateis que o Crusader, a principio fuja deles, a não ser que seu deck realmente precise das habilidades difenciadas dessa carta (iniciativa é capaz que ocorra, um belo blocker. Bushido eu duvido).
- Stilmoon Cavalier: seria o anti-swords perfeito. É sensivelmente mais forte que o crusader, já que tem pro-black tambem, e tem uma habilidade extra que pode transforma-lo no blocker definitivo. Mas convenhamos, o pro-black não é tão útil quanto parece, ao menos na maioria dos casos ( Cruel Edit, Snuff Out ) e o 1 mana a mais pode fazer toda diferença.
- Whitered Wretch: acho ele muito frágil e lento para lidar com mecânicas que usam o cemitério, não compensa muito.
- Yixlid Jailer: não é tão lento como o Wretch, mas não consegue lidar com tudo.
- Hypnotic Specter: ame-o ou deixe-o, não tem outro jeito. Alguns não conseguem imaginar um MBA sem ele, outros o imaginam na privada. Eu uso no meu, mas porque tenho um deck mais classico. Se você puder encarar o investimento em outras criaturas aconselho a deixar o Hypnotic de lado.
- Skittering Skirge: sério, essa criatura fede.
- Bitterblossom: essa carta é fantástica. Ela te dará os blockers que você precisa para atacar sem medo. Se o oponente zicar, você o matará só com as blossoms. Mas temos dois complicadores: o que deixar de fora para encaixa-la e o preço dela. Se você tiver cash para bancar 4 blossom, aconselho-o a tentar um outro tipo de deck.

b) Terrenos:
- Wasteland: aqui você tomará uma decisão importante. Seu deck poderá ser puramente agressivo ou ter alguns elementos de controle mais pesados. Como em geral suas mágicas custam B ou BB o mana gerado pela wasteland nem sempre ajuda, então tome essa decisão baseado principalmente nos tipos de decks predominantes em seu ambiente. Alguns decks sofrem mais com remoção de terreno, e outros menos. Pense bem.
- Mishras Factory: se usar wasteland já restringe bastante sua produção de mana preto, usar a factory pode piorar essa situação ainda mais. O ideal é usar um ou outro. Factory aparecem mais em versões controls, e aqui simplesmente ferra toda sua mecanica agressiva, já que terá um custo de manutenção de duas manas para poder atacar ou bloquear com ela. Pule fora!
- Fetch Lands: neste tipo de deck elas não se encaixam tão bem quanto na grande maioria dos outros. Não, elas não são ruim, mas não são tão boas quanto em decks de duas ou mais cores ou com Tampo de Adivinhação do Sensei, Brainstorm etc. Você irá perder tanta vida por recursos próprios que 1 ponto a mais ou a menos pode fazer toda a diferença. Se for usar pense em algo entre 4, 6 no máximo, para ajudar o tio Tombstalker.
- Lake of the Dead: as duas únicas coisas que abusam de seu mana são o Nantuko Shade e Tombstalker. Realmente, não há a menor necessidade disso. Em um deck control até seria interessante com Crisol, mas não é o caso.
- Volraths Stromghold: o terreno da moda. É sempre bom voltar uma criatura do mundo dos mortos para sua mão, e existem ótimas criaturas no deck que merecem retornar. Um no deck não seria nada mal.
- Urborg, Tumba de Yawgmoth: havia esquecido desta carta na primeira versão do artigo, mas vamos lá. Com ela você transforma seus 3 ou 4 terrenos não básicos (ou não fetchs) em swamp, o que é muito bom. Mas seu oponente tambem terá acesso a mana preto, e você poderá ajudar a corrigi-lo a curva de mana ou mesmo pumpar aquele Explosivos Fabricados, que só precisava de mais um marcador para poder entrar em jogo. Aquilo que você ganha com Urborg é pouco em comparação com o que você perde, procure não usa-lo.

c) Remoções:
- Sinkhole: talvez a melhor remoção de terreno depois de wasteland. Uma carta excelente, mas não se encaixa totalmente na proposta aggro. Esta carta será uma das cartas chaves em outras modalidades de MB.
- Snuff Out: essa carta é um achado, de repente começou a pipocar Snuff Out em todos os decks. É uma carta excelente, uma remoção tecnicamente gratis e em emergencia pode ser usada pelo seu custo alternativo (no caso, 3B), assim como a Force of Will. Mas é uma carta delicada de se encaixar no deck, já que não se dá bem com Dark Confidant e não destroi criaturas pretas (isto é, não dá conta do Tombstalker adversário).
- Diabolic Edit: uma carta simbolica, muito usada em todos os formatos pela qual passou. É excelente contra Threshold, por exemplo, você poderá tirar aquele Nimble Mangoose chato ou até mesmo o Mystic Enforcer. O maior problema é que nem sempre você poderá escolher a criatura a ser destruida. Não é tão ruim contra um Threshold, em que qualquer criatura é uma ameaça em potencial, mas você não quer ver o cara sacrificando um Mogg Fanatic para depois te atacar com uma horda de Goblin Piledriver.
- Innocent Blood: uma boa carta para a versão control do deck, que não é afetada pelo drawback da carta, mas no MBA não tem como usar.
- Smother: outra carta muito interessante, você poderá lidar com quase todas as ameaças existentes no ambiente com ela (em especial Tarmogoyf, Phyrexian Dreadnought e Goblins), porem faz seu deck ficar muito vulnerável contra criaturas mais pesadas.
- Unmake: seria a remoção definitiva de criaturas para o preto se custasse BB, mas infelizmente não é o caso (ainda bem). Não aconselho o uso desta carta pois drenará seus recursos em turnos fundamentais.
- Bocarra Ululante: está na parte de remoções porque o ideal é você ter o jogo perto do fechamento quando tiver 5 manas livres, e dificilmente ela verá jogo. É melhor colocar uma remoção mais certa e de preferência instantânea.
- Spinning Darkness: é pior que snuff out pois não mata de verdade (ou você acha que vai tirar um Tarmogoyf com isso?) e a vida que te dá não é realmente relevante, pois se estiver precisando de vida você já vai estar proximo de perder o jogo.
- Considerações sobre as remoções de criaturas: o ideal é que seu deck seja capaz de lidar com todos os tipos de criaturas, sejam pretas, de custo alto ou mesmo contra uma horda de criaturas adversárias. Snuff Out + Smother te deixará completamente indefesos contra criaturas pretas pesadas (Tombstalker é um finisher muito comum nos dias de hoje). Aqui Diabolic Edit + Snuff Out ou Diabolic Edit + Smother parecem ser as melhores opções.

d) Descarte:
- Hymn to Tourach: a carta que te da um gás no jogo, trocando 2 por 1 e o melhor de tudo, de forma aleatória e por um custo de mana baixo.
- Duress e Thougtseize: as duas cartas são fantasticas, sendo o Thougtsize ligeiramente melhor. Infelizmente não há espaço na maioria das listas de MBA para 4 de cada main deck, então provavelmente você terá que optar por um único set, e se este for o caso a escolha dependerá da estrutura do seu deck. Alguns não usam muitas remoções de criaturas, e nesse caso aconselho o Thougtseize. Já outros preferem garantir e usam em torno de 6-8 remoções, ai você pode se sentir um pouco mais seguro e usar Duress e ter uma velhice mais saudável, nesse caso diria que vai de gosto. De qualquer forma, você terá que usar ao menos um set completo de uma destas cartas. Eventualmente você pode até colocar o set restante em seu sideboard.
- Cabal Therapy: excelente carta, pode te salvar de um Dark Confidant que está te matando ou dar uma utilidade para aquele Carnophage que você nunca mais irá desvirar. Procure usar depois de Duress ou Thoughtseize para saber o que tem na mão adversária.

e) Demais cartas:
- Dark Ritual: não deixe de usar isso aqui. É provavelmente a melhor aceleração de mana em todo o Legacy, e só perde para aberrações do vintage.
- Demais rituais: as outras acelerações de mana preto são tão ridiculas perto do Dark Ritual que você não precisará usa-las. Deixe-as para os decks combo.
- Umezawas Jitte: uma carta excelente, via de regra deixa o oponente em mals lençois e pode ganhar um jogo contra decks aggros sozinha. Aconselho você a usar 2, pois é lendária e você não irá querer ter mais do que 1 na mão. Ok, ela pode ser anulada, mas é provavel que o oponente gaste as anulações e remoções antes com Dark Ritual, Hymn to Tourach e as suas criaturas mais pesadas, você só tem que saber o momento certo de usa-la.
- Funeral Charm: Ok, é uma carta extremamente versátil. Pode servir de pump, soft removal, descarte ou para se aproveitar daquele Urbog alheio. Mas a questão é: ela faz tudo, mas pela metade. O pump não é nada que você possa dizer omg, ele basicamente só remove Dark Confidant e Goblin Lacaio e você não precisa ter travessia porque o objetivo é sufocar seu oponente com N criaturas, sendo que se isso der errado o Tombstalker já passa por cima. A unica parte que realmente é boa é o descarte instantâneo, uma habilidade rara em Magic. Porem, apesar de ter inumeros descartes, seu objetivo não é zerar a mão do oponente como em algumas outras versões de monoblack, então simplesmente não use esta carta.
- Hatred: o tempo de glória desta carta já passou, não a use a não ser que queira tomar um 2 por 1 ou perder o jogo mais rápido.
- Extirpate: 3 no sideboard parece um número perfeito. É um meio eficaz de parar combos, remover aquele bixo chato que você não quer ver denovo ou até mesmo acabar com os recursos do deck adversário quando o seu alvo é uma Tropical Island se seu deck for voltado para destruição de terrenos. Maravilha! Era isso que eu pensava, mas depois de alguns comentários realmente vi a armadilha que é isso aqui. Ela é uma carta que pode fazer tudo, mas não faz nada direito. Você terá uma chance ridiculamente pequena de quebrar a base de mana do adversario com isso, nunca conseguirá acabar com as criaturas adversárias e teoricamente você já deveria parar combos no descarte - e alias você deverá descartar as cartas do adversário antes de Extirpar. Sei que será dificil entender, então teste com e sem. Veja se o Extirpate faz tudo isso que ele promete fazer.
- Planar Void ou Leyline of the Void: uma escolha interessante para seu sideboard, mas briga com Tormods Crypt e as criaturas com graveyard hate embutido. No caso do monoblack, acho que essas duas estão pau a pau pelas vagas em seu side porque não atrapalha só Dredge Ichorid, mas também Aggro Loam, um deck para o qual não existem muitas alternativas.
- Pithing Needle: o canivete suiço, use nos slots restantes do side, de preferencia de 2 a 3.
- Street Wraith: outra carta que não aconselho, pois você tomará dano desnecessário. Quando você usar essa carta você estará atras de criaturas, na enorme maioria das vezes, ou remoções, e é simplesmente mais facil colocar essas criaturas e/ou remoções no lugar da Street. Ok, o carinha ai até afina um pouco seu deck, mas você não comba, e quase todas as cartas do seu deck tem as mesmas funções - causar dano, destruir e descartar. Não o use neste deck, deixe-o para combos.
- Engineered Plague: muito circunstancial, analise bem seu ambiente. Se estiver recheado de Goblins, use-o, você não terá muitas outras formas de lidar com os verdinhos.
- Contagion: eu ADORO essa carta pelo seu efeito surpresa. As vezes é o mesmo que dois Snuff Out em um, e no processo aproveita e dá uma utilidade para aquela carta parada na sua mão. Você tambem pode usar para matar aquele Goyf no block e ainda matar/inutilizar uma outra criatura. Eu tenho 2-3 no side do meu MBA, mas ai vai de gosto realmente. O preto é cheio de remoções e você pode troca-lo por outra.
- Powder Keg: nem todo mundo usa. Na verdade quase ninguem usa, mas eu não saio de casa sem pelo menos 2. Pense comigo, você quer um deck em que o cara desce qualquer artefato e você já pode recolher as cartas? Olhe esta carta com atenção, é sua única alternativa relativamente eficiente. Muitas vezes o fato de você ter 2 delas no side pode parecer que você tem um side só de 13 cartas, mas no Brasil, terra dos decks genéricos, é bom se preparar contra tudo. Como não pode usar Engineered Explosives vai de Powder Keg mesmo.

Seção 6: MBA, montando o deck

Com toda a poll principal listada, vamos ao deck. A principio vamos trabalhar com um deck de 40 cartas, sendo as outras 20 swamps. Eventualmente alteramos estes números.

Cartas que você precisa ter (total de 20):
4 Hymn to Tourach
4 Dark Ritual
4 Thoutsize ou Duress
4 Smother / 4 Snuff Out + 2 Diabolic Edit (ou algo equivalente)
2 Umewazas Jitte

Você precisará escolher em torno de 16 cartas de criatura. Aqui vem a primeira grande decisão do deck: Confidant, Tombstalker ou ambos? Eu não vejo muitos problemas em usar 4 Confidant e 2 Tombstalker, as chances são relativamente baixas de algo mais grave acontecer, mas nesse caso NÃO use Snuff Out e procure usar ou Carnophage ou Sarcomancy, e não os 2 juntos. Tenho preferência pela Sarcomancy, já que não sai causando dano direto e eventualmente você pode ter outros zumbis para lidar com o encantamento, se usar Stromgald Crusader por exemplo, e tambem é alimento contra stax (ok, isso não conta tanto assim). Então temos:
4 Dark Confidant
4 Sarcomancy / Carnophage
2 Tombstalker

É uma base interessante para as criaturas, em geral a maioria dos deck
seguem algo nesta linha, mas precisamos de mais poder de fogo. Aconselho começar por 3 Bitterblossom. Esta é uma carta que te deixará sossegado para atacar. Blossom é tão iconica que não acho justo deixa-la de fora do deck. Não optei por 4 Blossom pois o deck já te dará dano bastante, fora que tendo apenas duas é uma ótima forma de blefar, o oponente sabendo que você tem blossom pensará duas vezes ao counterar outras mágicas.

Por último, temos os Nantuko Shade e o Hypnotic Specter. Qual usar? Usa-los ou não? Ambos são excelentes naquilo que fazem mas, infelizmente, não há espaço para usar os dois juntos com as cartas que já temos. Respeitando o espirito do deck opto pelo Nantuko. Já que é para tomar StP prefiro faze-lo pagando uma mana a menos. Nantuko é mais agressivo e não é tão reativo quanto o Espectro (com o Hyppie você deixará o oponente comprar e ele poderá utilizar a carta. O nantuko é porrada pura).

Finalmente:
4 Dark Confidant
4 Sarcomancy
2 Tombstalker
4 Nantuko Shade
2 Bitterblossom

Sobre os lands: não estou usando sinkhole para fazer uma pressão grande com wasteland, e esta última carta acaba atrasando o deck um pouco. Mas, após testar vi que nesta versão mais porradeira no deck Mishras Factory não ajuda tanto. Vou então optar por 1 Volraths Stromghold, 3 Wasteland e manter a base de 15 ou 16 Swamps. Você pode tambem ir só de swamp/stronghold, não altera em muito o resultado final.

Chegamos ao final da lista principal do deck com 4 slots sobrando (5 se você usar apenas 15 swamps/fetchs). Para esses slots podemos usar alguns Cabal Therapy para auxiliar contra situações diversas ou colocar aquele set de Thoughtseize (ou Duress) que ficou faltando.

Sideboard: use-o para lidar com situações para as quais você não está preparado. O sideboard depende muito do ambiente, então estude-o! A escolha entre Planar Void e Leyline of the Void, por exemplo, depende muito do que você tem mais medo: Dredge Ichorid, Aggro Loam, combos?

Finalmente, a titulo de exemplo:

4 Nantuko Shade
4 Sarcomancy
2 Tombstalker
3 Bitterblossom
4 Hymn to Tourach
4 Dark Ritual
4 Duress
3 Thoughtseize
4 Smother
2 Diabolic Edict
12 Swamp
4 Polluted Delta
3 Wasteland
1 Volraths Stronghold
2 Umezawas Jitte
4 Dark Confidant

SB: 1 Diabolic Edict
SB: 2 Powder Keg
SB: 2 Contagion
SB: 4 Engineered Plague
SB: 3 Planar Void
SB: 3 Pithing Needle




Seção 7: MBA, Hints

Não vejo muito sentido na análise de jogos deck por deck. Em geral seria mais ou menos assim para qualquer adversário: "seu oponente tem vantagem nesse jogo. Comece descartando as maiores ameaças, principalmente aquelas com as quais você não consegue lidar – counters, remoções, encantamentos e artefatos. Jogue em torno do daze dele, use suas remoções com sabedoria etc etc". Vou optar por dar uma série de toques básicos.

a) Jogue em torno do Daze: se o oponente começou, tente descobrir o deck e as chances dele ter um daze e/ou Force of Will na mão. Se você não tiver nenhuma jogada bombastica do tipo ritual + qualquer coisa, lance uma isca. Sua vantagem é que quase todas as suas cartas são iscas com potencial de causar muito dano.

b) Ritual sempre: se na sua mão sair a jogada ritual + qualquer coisa legal, sua jogada inicial será exatamente essa. Ritual não é isca, você não quer perder ele em um counter, mas se não fizer essa jogada de primeiro turno você perderá todo o potencial do Ritual. Mesmo se tomar um Force of Will, as cartas que você iria usar ainda estão na sua mão, e você poderá se aproveitar delas no próximo turno, sendo que seu oponente tem um counter a menos.

c) Saiba usar o Tombstalker: esta é uma carta extremamente simples, mas você tem que ter um mínimo de noção ao usa-la. Tente deixar sempre um mana aberto, e para isso basta remover uma carta a mais do seu cemitério. Ritual em Tombstalker significam 4 manas, 3 produzidos e 1 pela remoção do proprio ritual, está é uma forma de agilizar a entrada no jogo deste tanque.

d) Use suas remoções com eficiencia: saiba as cartas que seu oponente usa e tente otimizar suas remoções. Não use Diabolic Edit para tirar o goyf da frente se você sabe que o cara tem Impositor Místico no deck, procure usar snuff out ou smother nesse caso. Isso é básico.

e) Não se esqueça que suas Cabal Therapy podem te ajudar a sobreviver. Use o flashback para destruir aquele Dark Confidant que irá faze-lo perder e ainda ganhe um descarte.

f) Faça pressão: jogue mágicas de invocação, ataque sempre que possivel, limpe as defesas do cara ou passe por cima voando. Seu objetivo é matar RÁPIDO.

g) Combos: contra decks combos você tem duas alternativas, impedir o combo ou tentar ganhar na corrida. Tentar superar a velocidade de um combo é quase impossivel, então a principio use todos seus descartes e remoções para atrasar o combo enquanto vai limando a vida do oponente com as criaturas mais leves. Se encontrar uma brecha em que você sabe que o cara não vai combar ainda ou você não tiver nada que possa impedir o combo, desça suas bombas e ai sim parta para o vai ou racha. Use tudo do seu side que possa minimamente impedir o combo, você vai precisar de todo o reforço aqui. Se você optou por usar 8 duress/seize entre main deck e side, agora é hora delas brilharem.

Seção 8: MBA acessível

Sei que a primeira coisa que vão perguntar é se existe uma versão ainda mais acessível. Muitos optam pelo MBA pelo seu baixo custo, e algumas das cartas mencionadas não se enquadram no peguei de troco com o carinha ali. Tentarei fazer uma lista semelhante com alternativas mais em conta, vamos lá:

20 Swamp
4 Hypnotic Specter
4 Carnophage
4 Sarcomancy
3 Tombstalker
2 Stromgald Crusader
4 Hymn to Tourach
4 Dark Ritual
4 Duress
3 Cabal Ritual
3 Snuff Out
3 Diabolic Edict
2 Umezawas Jitte

SB: 1 Stromgald Crusader
SB: 2 Powder Keg
SB: 2 Pithing Needle
SB: 3 Contagion
SB: 4 Engineered Plague
SB: 3 Planar Void





As alterações são bem simples. Sai Nantuko, entra Espectro. Sai Dark Confidant e Bitterblossom, entra Carnophage e um Tombstalker adicional, já que não terá tantos problemas com dano. Troque Smother por Snuff Out por conta disso tambem. Crusader é o irmão gêmeo do Cavalier. No sideboard os Extirpates sairam e deram lugar a cartas adicionais nos demais slots. A Needle é muito dificil de substituir, não aconselho você a tentar faze-lo, mas em ultimo caso acrescente um Keg e alguma outra remoção.

Seção 9: A evolução do MB

O Monoblack pode não ser um deck top, mas está deixando filhotes. O mais obvio é o Eva Green, uma especie de MBA com splash verde. Ele contorna as deficiências do preto com a adição de Krosan Grip e Pernicious Deed, alem do aparecimento da maior maquina de matar jamais criada: Tarmogoyf. Seu sideboard fica muito mais consistente e o deck roda com a mesma naturalidade, parece ser a evolução natural do MBA. A ideia é você pode começar construindo um MBA visando a evolução futura para o Eva Green. Ai vai um exemplo de lista genérica (não estou analisando este deck, então não reclamem da lista blz?):

4 Hypnotic Specter
4 Nantuko Shade
1 Quirion Dryad
4 Tarmogoyf
4 Tombstalker
4 Dark Ritual
4 Snuff Out
4 Duress
4 Hymn to Tourach
2 Nights Whisper
2 Thoughtseize
1 Pernicious Deed
1 Umezawas Jitte
3 Bayou
4 Bloodstained Mire
4 Polluted Delta
5 Swamp
1 Tomb of Urami
4 Wasteland

O deck não teve um boom, pelo fato de ainda ser razoavelmente novo e ter sido ofuscado por outros decks que surgiram no mesmo momento, mas acho que pode ter seu lugar entre os Tier 2 por ser muito mais consistente e agressivo que seu parente monocolor.

Logo depois veio o Team America, um BUG agressivo, que cobre todos os aspectos relevantes em uma partida (draw, card advantage, ataque, defesa, custo-beneficio, remoção etc) e atualmente é um dos decks do momento. Mas ele fica para um próximo artigo, já que já é um primo bem distante do MB.

Seção 10: Considerações Finais



Não tenho muito mais o que dizer sobre o assunto, mas ai vão alguns toques:

a) Ao jogar de monoblack você estará assumindo um estereotipo. Pode não ser a verdade, mas muitos o olharão como "mais um carinha de monoblack". Não fique nervoso, afinal é natural. Em um ambiente tão restrito e relativamente caro esses decks são vistos com certo desgosto, ainda mais devido a falta de resultados. Mas se você quiser mesmo usar um monoblack, seja por que gosta ou pelo fato de ser acessível, vai em frente e seja macho. Não fique nervoso, procure entender as criticas, aceite opiniões, e discuta sobre como melhorar o deck, assim que se cresce.

b) Não use Phyrexian Negator, já é um passo.

c) Não use The Rack ou mesmo MBC, é um grande salto.

Chegamos ao final da caminhada. Espero que entenda que as listas e cartas citadas não são as únicas, e há espaço para elaboração e testes. Estude seu ambiente, treine contra os principais decks, procure cartas novas e analise bem as edições que surgirem. Em Conflux, por exemplo, aparecerá um novo Innocent Blood que não faz com que você necessariamente sacrifique uma criatura sua, o que pode ser interessante para um MBC diferenciado.

Boa sorte!

LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

JPBImada (17/03/2010 21:39)

verdade... tampo + confidente eh gg

confidente rules

VIP STAFF Kami (17/03/2010 20:39)

Os acentos e cedilhas nao estao funcionando, entao vai sem mesmo:

Vamos aos dois principais pontos, custo e tipo de permanente.

- Custo: Custar B a menos faz a carta ficar 200% melhor. Trata-se de um MBAggro que precisa por que precisa gerar tempo. Um mana a menos normalmente significa um turno a menos o que resulta em +1 de card advantage e economia de tempo e recursos. Voce ganha um turno mais rapido e volta para casa um turno antes e feliz da vida.

- Tipo de permanente (criatura X encantamento): como dito, estamos diante de um MBA. Se o oponente nao tiver resposta para o confidente, ja temos +1 de card advantage automatico, pois alem de uma pseudo-arena em jogo voce tem uma criatura 2/1 que causa pressao (e novamente ganha tempo no processo ao passo que desce "duas" cartas pelo preco de uma). Ja se o oponente tiver respostas ao seu confidente, certamente, MUITO certamente, ele vai usar assim que possivel, pois dois turnos que ele fica na mesa um card disvantage de dois para ele. Para isso ele ir desviar uma remocao que iria ser usada em uma criatura maior e mais perigosa mais para frente, abrindo espaco para ataques mais pesados de forma mais garantida de sua parte (voce gastou sua StP no confidente no terceiro turno? Blz, ento agora invoco um espectro/tombstalker/nantuko/whatever). A chance do cara ter mais de uma remocao eh relativamente pequena, ja que decks que as usam costumam colocar de 4 a 6 e, mesmo se tenha, de qualquer forma ele ja vai ter queimado uma, e voce tem criaturas de sobra no deck. Nesse caso ser um alvo eh ate uma vantagem em algumas ocasioes. Fora que no turno que o cara passaria fumando o confidente, ele estar atrasando o jogo dele, abrindo espaco para voce trabalhar.

- Dano: nao fiz os calculos agora, mas estipo que em um MBA normal o custo medio de suas cartas de 1,5 a 2,0 manas (incluindo ai os terrenos, pq confidant compra terreno tbm ne?). Imaginando um jogo que se encerra por volta do sexto turno, com voce colocando um confidante no segundo, e comparando com um jogo similar mas colocando arena no terceiro turno (desconsidero aqui efeitos de dark ritual), aquele que joga com dark confidant tomaria ~7-8 de dano e o da arena ~3-4 de dano. Uma troca justa, uns 4 de dano por duas cartas a mais (uma criatura 2/1 e uma outra carta extra que voce irah comprar) e o terceiro turno livre (uma mana a mais para jogar no inicio do jogo, fator extremamente importante).

Confidente te da tempo e card advantage se comparado com a arena, e isso pela singela quantia de 3-4 de dano, se ficar na mesa, ou livrar espaco para suas criaturas atacarem livremente, se removido (e mesmo assim ele costuma dar C.A. tbm ao gerar uma primeira compra de carta). Justo, muito justo.

Outros efeitos legais:

- possibilidade de ritual+seize+confidante, tirando a remoo ou counter do cara (se usassse s a arena, voc queimaria o ritual s para coloca-la em jogo.

- tampo + confidante = 0 de dano. E usar tampo no acarreta em card disvantage (a qualquer momento voc pode vira-lo para comprar a carta do topo, ao custo de 1 mana de tempo, coisa que voc j pagaria invocando a arena mesmo), fora que tempo + fetch = wtf

- confidant + jitte, porque voc no pode equipar a faquinha no vcuo. sempre bom aumentar o numero de criaturas no deck (fora o caso de servir de alvo, j comentado)

- confidant + stromghold (se voc usar): tenta fazer isso no enchant

- confidant + reanimate (se voc usar): ...

- confidant + remocao: ta pra morrer pelo confidant? smother yourself. cabal therapy aqui monstro


Resumo: em geral DC AP. Existem decks e situacoes em que arena eh melhor, mas nao eh a regra.


Editada em: 17/03/10 19:44:52 por Kami.

JPBImada (17/03/2010 15:19)

eu naum entendo pq o confidente eh taum melhor que arena... veja:

vantagens do confidente sobre a arena:
- custa uma mana a menos
- naum causa dano para comprar cards com custo de mana convertido igual a zero (terrenos, mox, etc)

vantagens da arena sobre o condifente:
- naum precisa revelar o card a comprar
- naum eh uma criatura: naum eh afetado por magias que afetam criaturas
- em geral, causa menos dano que o confidente. com arena no lugar, vc naum precisa se preocupar em comprar cards mais caros


as vantagens do confidente saum to superiores assim???

Editada em: 17/03/10 14:22:07 por JPBImada.

pstjkyo (15/03/2010 19:09)

kokushento (28/01/2010 02:46)

Li ambos os artigos. Ficaram muito bons! Está de parabéns, pela sua dedicação e paciência em escrever um artigo como esse.

katacumba (18/02/2009 15:24)

concordo em muitas coisas descordo de pouquissimas mais o melhor de tudo que me fez rir bastante kkkkkkkkkkk,faltou muita carta boa que poderia ser citada, mais e dai temos q realmente falar o ambiente que estamos hj, quem nao se atualiza fika para tras ate mesmo em t1 e t1.5.
belo artigo.

MORGANTH (17/02/2009 10:33)


Blz? Kami...não obstante entendimentos em contrário, há de ser levado em consideração, como você mesmo disse, o ambiente do player.

Pois bem.

Lua Maligna é extremamente útil contra MonoRed ou R/U Control, pois evita que cartas como piroclasma, terremoto, etc, tenham efeitos devastadores. Além disso, transforma carnófago e sarcomancia (criaturas sem habilidades) em verdadeiros "elefantes" por um custo muito menor, tornando-os verdadeiramente ameaçadores. Além disso, torna bitterblossom mortal.

Cursed Scroll tem uma sinergia muito boa com dark ritual e contágio. Ademais, joga muito contra white weenie (que sempre aparece em algum lugar) e aquele monte de proteção contra o preto. Um paladino en-vec (e similares) na mesa, que muitas vezes o édito pode não tirar, pode significar uma ameaça significativa, pois neutraliza os carnófagos e as sarcomancias. Sem os curseds eu jogaria com 4 fábrica de mishra.

É isso. Achei que valia analisar essas cartas porque podem ser utilizadas como variações em determinados ambientes e são úteis, respectivamente, contra MonoRed e White Weenie, que são 2 decks clássicos.

Até...

Morganth

VIP STAFF Kami (16/02/2009 18:09)

Só para constar, no MBA acessivel está "Cabal ritual" mas obviamente é "cabal therapy".

Vamos ao restante:


Cursed scroll - não se usa em MBA, simples assim (o artigo não é sobre a versão control).
Bad moon - a carta não ajuda em nada, acredite. Achei que depois de falar sobre 60 cartas eu não precisa chegar a esse nivel de comentario mas blz =P
Black knight - cai no mesmo caso das outras 3 criaturas pro-white, essa realmente esqueci, mas grosso modo equivale a um Mão da Crueldade.

Gruger:
- Negator de side é até uma possibilidade. Comentei brevemente porque o principal objetivo é fazer com que não usem no MD que já tá de bom tamanho =P
- Mishra, apesar de saber que não ia ficar bom, eu testei bastante há um tempo atras. Realmente não rola, ela é quase um time walk a cada dois turnos pro oponente.
- Vial eu realmente não cheguei a testar, mas como todas as criaturas tem custo/beneficio semelhante e fazem basicamente a mesma coisa (exceto o Negator que é um estupro ao bom senso) seria mais simples colocar mais criaturas no lugar do Vial, ao menos a longo prazo você teria mais probabilidade de causar um dano maior.
- Bocarra é uma alternativa viavel, mas o fato de não ser instant pega no calcanhar. O pouco que testei com ele tbm nunca cheguei a coloca-lo como bicho na mesa, então acho que um edito/smother fica melhor.
- Planar void só é pessimo se o cara combar de dredge no primeiro turno ou algo similar, de resto acho que neste deck (e somente neste deck) planar ou leyline são equivalentes, mas cabe discussão facil ai.
- Boa parte das vezes o cara vai dar daze no seu ritual, e não no que vc vai jogar depois de resolver um ritual (bom, isso depende do oponente...), mas o comentário toca em uma parte importante.
Os comentarios foram muito bons, varios pontos relevantes. Vlw gruger ^^

Editada em: 08/06/09 22:33:38 por Kami.

MORGANTH (16/02/2009 17:25)

Blz?? Artigo realmente muito bom.

Entretanto, não achei considerações sobre black knight, bad moon e cursed scroll.

Até...

Morganth

joaodecampogrande (08/02/2009 20:52)

Rapaz, artigo arretado assim deveria ser pago!
Parabéns e continue escrevendo!

constantino (07/02/2009 00:45)

Bom artigo

Phyrexian-Z (07/02/2009 00:40)

Muito bom o artigo, excelente! Muita coisa a pensar e a fazer a respeito do deck :)

Valeu!

Gruger (06/02/2009 21:00)

Partindo do princípio de ser um MBA - Suicide, vou fazer algumas considerações..
Se fosse um MBC eu escreveria um livro neste post ehhehe.


Bom, eu gostei da lista proposta, mas consideraria algumas coisas:
1) Negator de Side.
Contra control (U/W principalmente) não tem por que não usá-lo.
Contra a maioria dos combos também.. Então não precisa falar mal do Negator, deixa ele no canto dele, de side, que quando entra ele faz MUITO bem seu papel.
Só pra deixar claro hehehe, concordo que ele seja apenas side. É que do jeito que você falou parecia o Potira falando do Browbeat... que nem pra se limpar serve.

2) Eu consideraria, nem que fosse para testar MUITO antes de falar, usar uma versão com 4 Wasteland e, talvez, 2 Mishra. Sei que causa problemas de curva de mana, mas não seria o caso de apenas discutir o uso de Aether Vial?
No que eu li, eu não me convenci de que isso não seja bom ou, ao menos, possível.

3) Eu usaria, sem pensar, Smother + Edict.. Criaturas legacy não custam mais do que 3 em sua maioria. Não precisa gastar 4 de vida pra remover mais de 80% dos bixos do ambiente.. Para todos os outros 20% existe edict. Se ainda não se convenceu, Bocarra Ululante não é tão bom quanto? Pode vir a ser um bixo, numa emergência, ou se o oponente não tiver bixos-alvo na mesa e estiver te segurando de alguma outra forma... (Um Fear pode resolver o jogo).

4) Leyline of the Void Planar Void, em qualquer caso.
Independentemente do "medo" que você tem, acho que essa foi uma péssima escolha. Leyline entra na mesa e pronto. E não te faz deixar de descer um Carnophage/Ritual + X/Sarcomancy para isso.
Leyline resolve todos os medos que você citou.

5) Você fala:
"Não se esqueça que suas Cabal Therapy podem te ajudar a sobreviver." Mas na lista full do deck não há Cabal Therapy nem de side.


Acho que Sensei, etc, devem vir numa versão MBC.. uma versão MBA que não tem tempo a perder deve usar suas manas para matar o oponente e não para adivinhar o que vai comprar.

Sei que ficou grande o comentário, mas SEI que você vai ler hehehe, os outros não importa muito^^

Achei estranho o Hint do Daze..
Exceto Ritual + X, todas as suas cartas de 1 mana fazem apenas 2 coisas: a) É bixo; b) É descarte.
Então, sua "isca" vai ser sempre uma carta chave do deck.. Acho que tem que ignorar Daze de turno 1, a menos que você pretenda fazer uma jogada que te custe cartas muito boas..
Uma coisa é tomar Daze (1 carta) num Ritual + Hyppie.. Outra é tomar um FoW (2 cartas e 1 de dano).



VIP STAFF Kami (06/02/2009 19:48)

Quero agradecer a todos os que leram o texto e a todos os elogios e criticas, vlw mesmo ^^

Bandera: realmente, esqueci de colocar o nome dele ao lado do ebon hand e do Hand of Cruelty.

Bruno: vlw! é bom receber um elogio de um top legacy =)

Yann: pox, small pox, nether spirit e tumba entram em MBC que não é exatamente o tema central. Arena é muito inferior ao confidant, mas realmente poderia colocar um comentario sobre ela.

yannskt (06/02/2009 18:23)

esqueceu de citar algumas cartas tb mto boas pra esse tipo de deck:
- tampo
- espirito enfero
- arena phyrexiana
- pox
- smallpox
- tmba de urami

Forgotens (06/02/2009 16:30)

Maravilhoso o Tópico! Artigo sensacional!
Parabéns!
Congratulations!
Vc brilhou!
xD
*-*
Vai até ganhar estrelinha!
hehehhe...!
Mas sério!
Ficou show! Gradei d+!
Me ajudou mto com meu MonoB!

VLWs...
FLWs...

jotabug (06/02/2009 15:47)

Muito boa as suas dicas...mas descordo quanto ao edito diabolico....acho ele umas da melhores remoçoes do black...mas de qualquer forma ficou nota 10 o seu artigo.

Parabens.

phcasarotti (06/02/2009 14:36)

kra mto bom artigo!!! joguei mto com monoB... trocarei minhas 4 arena phyrexiana por 4 dark confident logo logo e vo reanimar esse deck XD

nao axei nada a respeito de:
arena phyrexiana
desenterar (soh criatua custo pequeno)
sussuros da noite (uma boa opcao de draw)

Takuma (06/02/2009 13:14)

Onde eu do 5 estrelas? :D texto muito grande... quanto mais melhor!!!

bandera (06/02/2009 12:49)

Bem legal. Só não achei considerações sobre o Black Knight :/


Potira (06/02/2009 12:40)

Ficou bacana. Acho que discorde de alguns pontos (como jogar ao redor de Daze) mas em geral gostei muito.

arcronos (06/02/2009 11:49)

Interessante e mto util. Belo artigo!

Paraiba_mal (03/02/2009 15:53)

Muito úteis as dicas, mas como vc mostrou uma versão mais barata de deck vc poderia incluir o preço médio deles apenas para completar. De resto o artigo foi sensasional.