O Submundo do Modern - Green Belcher
07/08/2017 10:00 / 8,245 visualizações / 21 comentários

 

E aí, meus queridos jogadores famintos por novidades no formato! Tudo bem com vocês? Hoje é dia de mais um Submundo do Modern e dia de combar na cara das inimigas com uma estratégia que há muito tempo tento encontrar uma lista interessante para apresentar a vocês, mas que até então não havia achado nenhuma com um resultado interessante como amostra e para me dar essa segurança.
 
Finalmente isso mudou.
 
No final de semana passada, em um barzinho com os camaradas de jogo, surgiu o assunto sobre o GP, que acontece nesse final de semana, e com ele caímos na polêmica escolha por decks. A discussão se manteve séria até um tempo, mas logo, obviamente, caiu na citação de decks bizarros que a galera conhecia. Não demorou muito então para alguém virar pra mim e comentar "Teddy, tenho um deck perfeito pra sua coluna Modern!". Eu já esperava um 5-Colors-Zubera que iria passar na risada e batido pela coluna, porém quando ouvi "Goblin Charbelcher" no nome do deck, minha curiosidade foi fisgada e lá fomos nós caçar a lista do deck.

 

Green Belcher - Modern
2017-08-06

Jogador

Teddy_Bear_X

Visitas

8296

Código Fórum

[deck=651164]

 

Pilotada por Felipe Lima, esse deck apareceu em um torneio recente realizado na Inside Games, uma loja em Brasília onde, num torneio com 37 jogadores, ele perdeu apenas na final, fechando com o saldo de 4 vitórias e 1 derrota. Para uma estratégia que eu não havia presenciado em torneio algum até o momento e com um número relevante de jogadores, tá mais do que qualificado para aparecer aqui no Submundo do Modern!
 
Vocês já viram a lista e devem estar se perguntando a mesma coisa que eu quando a vi também: como assim só temos florestas no deck e como assim ainda só temos 7 delas!? Para quem não sabe, Goblin Charbelcher sempre existiu no Legacy e conta com menos terrenos ainda, para ser mais exato, apenas uma Taiga e a mesma é também uma montanha, servindo para que o artefato cause o dobro de dano quando e se acharmos ela no meio de tudo. Claro que a intenção nesse outro formato é procurarmos por ela e termos a segurança de ela não aparecer logo nas primeiras cartas reveladas pelo Belcher, acabando com a chance de não matarmos o oponente quando o ativarmos, mas com 7 terrenos e todos sendo florestas, como o bagulho funciona no Modern?

 

 

A resposta é simples: do mesmo jeito que funciona no Legacy. Claro que aqui não é tão fácil assim, pois não termos acesso à várias cartas que temos no Legacy, como por exemplo alguns dos Rituais e Land Grant, que nos permite procurar pelo único terreno do deck sem precisar de mana alguma. Entã,o se no Legacy precisamos ficar sem nenhum terreno no deck, aqui no Modern fazemos a mesma coisa, porém, abusando de mais cartas que os busquem e apelando para outras fontes de mana que não depende de terrenos para conseguimos conjurar essas buscas. Diferente do Legacy também, aqui nós não tentamos encerrar o jogo da maneira mais rápida possível por não termos recursos para isso, então vamos construindo nosso plano aos poucos até ser possível a ativação de nosso Belcher.
 
Felizmente as alternativas que temos para procurar pelas Florestas são várias e a maioria custa apenas uma mana. A mais simples que temos aqui é Lay of the Land, que procura por um terreno básico e coloca na nossa mão, porém, há variações como Caravan Vigil, Search for Tomorrow e Traverse the Ulvenwald, que possuem o mesmo custo mas nos oferecem efeitos extras.
 
Pode até parecer estranho contarmos com o efeito extra de um Caravan Vigil em uma lista dessas, mas a presença de Sakura-Tribe Elder faz com que sua habilidade de mórbido seja ativada com uma frequência mais comum do que esperamos, onde basta sacrificarmos essa cobra e conjurar nosso Vigil em seguida, garantindo então dois terrenos extras diretamente no campo de batalha. A habilidade de delírio de um Traverse the Ulvenwald pode ser mais difícil de ativar do que o mórbido de nosso Vigial, mas não é impossível.

 

 

Feitiços sempre estarão marcando presença em nosso cemitério e nosso deck conta sim com outros tipos de carta para nos ajudar nisso. Temos criaturas, encantamentos, artefatos e instantâneas, então é questão de tempo até que outros 3 tipos de cartas vão para lá também. Pode acontecer de algum terreno também cair no cemitério por algum efeito do oponente, mas é altamente aconselhável evitar essa situação, pois caso não tenham percebido ainda, 7 é exatamente o número de manas que precisamos para conjurar e ativar um Goblin Charbelcher no mesmo turno. Claro que isso não é obrigatório, mas a segurança que temos nesse processo é muito maior do que dar um turno inteiro para o oponente responder o artefato ou acabar com a partida.
 
Search for Tomorrow não custa uma mana apenas, mas seu efeito extra sim e, por mais que demore um pouco para procurar por um terreno, temos a possibilidade de pagarmos 3 manas mais pra frente e buscar por um terreno para colocar direto no campo de batalha, ao contrário dessas de uma mana que sempre colocarão em nossas mãos.
 
Nessa onda de colocar direto no campo de batalha, temos ainda Rampant Growth, um clássico de duas manas para esse tipo de estratégia; Recross the Paths, que pode facilmente retornar para nossa mão em uma lista com 12 cartas que custam 4 ou mais manas; e para finalizar, Nissa's Pilgrimage, que raramente não estará com sua maestria ativada e que, com ela, permite secar os últimos terrenos de nossa lista e nos deixar livre para combar ou conjurar qualquer carta de nosso deck.
 
Para maximizar ainda mais a geração de mana e até nossa aceleração, ainda contamos com Utopia Sprawl, que também custa uma mana, mas nesse caso depende de já termos um terreno no campo de batalha para que seja eficiente. Ancient Stirrings também pode nos ajudar a encontrar uma Floresta, mas isso não é tão aconselhável na maioria das situações, já que a quantidade de terrenos que temos é muito pouca para que essa mágica seja eficiente nessa função, então é mais seguro usar ela como ferramenta para encontrar um de nossos artefatos, tanto uma Wurmcoil Engine quanto um Goblin Charbelcher​, quando estivermos prontos para combar.

 

 

Como acabei de dizer, nossas Florestas são poucas e também corremos o risco de não abrir nenhuma em nossa mão inicial. Se esse for o caso, basta verificar se contamos com um Chancellor of the Tangle. Se sim, basta revelar ele para ganharmos uma mana verde em nossa primeira fase principal e nos permitir conjurar quaisquer uma daquelas cartas que citei que custam apenas uma mana e procuram por um terreno, permitindo então darmos continuidade à essa estratégia. Se não abrirmos nenhuma Chancellor ou Floresta na mão inicial, não poderemos conjurar nenhuma mágica até comprarmos uma Floresta e como só temos 7 no deck, é algo que não pode acontecer, então é mulligan na certa. Não adianta nada também termos como única jogada inicial a revelação de um Chancellor e usarmos sua mana para um Search for Tomorrow, pois o terreno só irá entrar no campo de batalha em nosso terceiro turno, o que significa altas chances de ficarmos sem ação até lá, o que nos leva a uma grande possibilidade de perdermos a partida. Mulligan aqui também.
 
Assim que começarmos a procurar por terrenos no primeiro turno, em pouco tempo teremos acesso a 6 manas e aí já poderemos conjurar pelo menos uma Wurmcoil Engine, que já é problema para muitos decks desde que eles não contem com Path to Exile. Com uma mana a mais já podemos conjurar qualquer carta da lista, inclusive Chancellor of the Tangle​, que não terá utilidade nenhuma em nossa mão mais, porém, possuí um corpo ótimo em combate tanto para a ofensiva quanto para defensiva. Com essas manas também, já disse, podemos baixar e ativar um Belcher para encerrar a partida... Ou não.
 
Com a presença de Utopia Sprawl no deck, é muito comum conseguirmos 7 manas sem termos necessariamente 7 terrenos. Ao ativarmos um Belcher com terrenos ainda em nosso deck, corremos o risco de não revelarmos cartas o suficiente para encerrar a partida. Isso não é TÃO ruim assim, já que a única coisa que perdemos é tempo e provavelmente no próximo turno encerramos a partida com uma nova ativação. O problema é que tempo ainda é algo muito precioso, principalmente no Modern, onde há altas chances de estarmos enfrentando outros combos ou nos encontrarmos em uma situação de vida ou morte com o que o oponente já possuí. Pode acontecer também é claro, de termos a segurança de conjurarmos um Belcher assim que juntarmos 4 manas dependendo do que estamos enfrentando e, do mesmo jeito, termos a possiblidade de ativar ele no turno seguinte, mas ainda com terrenos em nosso deck.
 
Nessa situação nós devemos nos lembrar de que esse artefato não causa dano apenas em jogadores, mas em criaturas também, então ao invés de arriscarmos encerrar a partida, podemos ir controlando o campo de batalha com o artefato até termos a segurança de que nosso combo irá funcionar de uma maneira letal. Podemos, inclusive, mirar num jogador e redirecionar o dano para um planeswalker que ele controla e acabar com esse planeswalker caso o dano não seja suficiente para acabar com o jogador em si.
 
Claro que haverá situações onde teremos de arriscar a sorte e ativar um Belcher com terrenos em nosso deck quando percebemos que nossa derrota é iminente se dermos um turno a mais para nosso oponente. Nesse caso realmente não há o que fazer a não ser rezar para a sorte, então vá em frente! Apesar de tratarmos o deck como combo, essa não é a única maneira de vencermos a partida, ainda mais por contarmos com criaturas gigantes na lista. Às vezes podemos nos garantir em combate quando o combo não for viável ou mesmo se não tivermos acesso a ele. Um Traverse the Ulvenwald pode atingir o delírio nessa lista, então podemos buscar essas criaturas com ele no late game.
 
O deck e a estratégia em si não são novas no formato, pois ao procurar sobre ele para escrever, vi que há textos sobre ele desde 2015 pelo menos. A questão é que, como disse, foi a primeira vez que vi essa carta fazer um resultado interessante no formato, então por isso apareceu aqui hoje. Nesses textos, inclusive, vi que o splash para outras cores é totalmente válido, porém precisaríamos da inclusão de uma carta crucial para isso: Safewright Quest.

 

 

Com ela podemos buscar por uma Floresta qualquer em nosso deck, podendo ser ela desde uma Floresta básica a um Stomping Ground, Overgrown Tomb, Temple Garden ou Breeding Pool, possibilitando a inclusão de qualquer cor à nossa estratégia para nos ajudar principalmente no sideboard. Devo avisar que não é nem um pouco aconselhável botar mais do que UM terreno desses em nosso deck, já que temos pouquíssimas cartas que buscam por eles, o que pode nos prejudicar muito quando precisamos secar nosso deck. Além disso, o splash mais aconselhável é para o vermelho, já que Stomping Ground é uma montanha, então mesmo se ativarmos o Belcher com ele ainda em nosso deck, a chance de ainda causar dano letal em nosso oponente é muito maior.
 
Se o splash for feito, não joguem com menos do que 4 cópias de Safewright Quest.
 
Por hoje é só! Espero que tenham gostado dessa novidade tanto quanto eu, assim como o texto em si. Nós vemos logo mais em mais um Submundo do Modern e que eu consiga trazer uma estratégia tão inovadora quanto essa para o formato!

 

 

 


ARTIGOS RELACIONADOS

Analisando o GP São Paulo

O Modern brasileiro.


Teorização para o Modern

Diretrizes sobre o formato.


Veículos até Enjoar

Report CLM 9 - Top 16 Standard, Top 32 Modern.


Analisando o CLM Modern

O ambiente da Grande Final


Primer Gifts Storm para o CLM

Uma escolha de combo para o formato.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

LeoLoukinho (15/08/2017 22:52:30)

Normalmente Blood Moon

PauloPreto (10/08/2017 13:34:38)

Legal, muito bom. Mas o que usaríamos no side com o splash para o vermelho????

PauloPreto (10/08/2017 13:30:15)

Legal, muito bom. Mas o que usaríamos no side com o splash para o vermelho????

ViperFloyd (09/08/2017 18:06:13)

A data de criação do Primer do deck na mtgSalvation é de "#Jul 29, 2013", e não de 2015. Sua última atualização foi em "Feb 15, 2017".

Fonte: http://www.mtgsalvation.com/forums/the-game/modern/deck-creation-modern/511941-modern-belcher-forest-belcher-land-thinning

Reds (09/08/2017 10:58:03)

tomou um duress, perdeu o artefato e fim de jogo

Sgt_Andrew_Scott (08/08/2017 12:43:48)

Eu curto um monte os decks com ele.
LEmbro que na época de Mirrodin eu usava 1 num mono red e sempre que conseguia ativar causava uns 8 de dano kkkkkkkkkkkkk

VIP STAFF Teddy_Bear_X (08/08/2017 10:56:17)

Como Mercenario16 já comentou, essa carta tem a função também de organizar seu deck quando acabar os terrenos, então é difícil tirar ela. Outra coisa que devemos tomar cuidado é que, ao utilizarmos aceleração de mana que não seja em forma de terreno, terrenos ficarão em nosso deck quando ativarmos nosso Belcher e isso pode dar ruim.


Não é ignorante não e é uma dúvida muito recorrente :)

Foi falha minha mesmo não explicar como funciona o combo, já que não é todo mundo que conhece, ainda mais no Modern que essa carta quase nunca é usada haha. Mas o que o usuário wneto te respondeu é verdade: quando não revelar nenhum terreno, você ainda causa dano igual ao total de cartas reveladas. Por isso devemos secar o deck antes.

MrSocrates (08/08/2017 10:16:15)

Vish
Faltou conhecimento da minha parte keke

betosalum (08/08/2017 01:12:04)

Me lembro de um deck que usava Goblin Charbelcher, jogou t2 e depois o finado t4 , usava o kci os terrenos artefatos mais incubador dos myrs para retirar todos os terrenos do deck, era muito legal de pilotar.

wneto (07/08/2017 21:37:43)

Conforme extraído do magiccards.inf acontece o seguinte:
6/8/2016: If you reveal no land cards, Goblin Charbelcher deals damage equal to the number of cards revealed, and then you may order your library as you like.

gpavlopoulos7 (07/08/2017 18:15:53)

Eu montei o deck semana passada para testar. ele surpreende bastante por estar fora do meta, deck barato e legal para quem quer começar no formato.

Negociadordeouro (07/08/2017 18:14:29)

Desculpe a minha pergunta meio jumenta... Mas como encerra a habilidade do canhão uma vez que não se tem mais terreno no deck? No caso se revela cards até revelar terreno. Não vai mais ter card para revelar.

VIP OURO Mercenario16 (07/08/2017 16:50:04)

essa carta tem uma segunda função, que é quando acabam os básicos do deck vc pode organizar o baralho todo em qualquer ordem, aí vc consegue segue achar o belcher e finalizar o jogo.

ThorNeira (07/08/2017 16:43:51)

Quero saber o que o deck faz contra UW Control, Jeskai, e outros decks que anulam... anulou o Belcher já era!

Noob_Saibot (07/08/2017 16:07:59)

Ótima alternativa para jogar Modern. É um deck surpresa, divertido e funciona muito bem. O splash para o vermelho e o branco parece ser um bom caminho mesmo.

BrunoAlexandre (07/08/2017 14:42:03)

Elvish não joga modern aí tem que ser simian mesmo...

MrSocrates (07/08/2017 13:53:33)

No caso, Elvish Spirit Guide, né

ThorNeira (07/08/2017 13:43:57)

Legal a lista. Só não curti muito Atravessar as Trilhas. Não seria melhor colocar 4 Simian Spirit Guide para acelerar o combo ou a busca por terrenos?

MrSocrates (07/08/2017 13:39:51)

O autor fez a citação ao Stomping Ground no final do artigo, colega...

Bessovaldo (07/08/2017 12:00:17)

uma stomping ground não cairia bem nesse deck? vai filtrando as basic e depois com o belcher ela regaça.

abraço.

MrSocrates (07/08/2017 11:14:20)

Interessante que, contra um Death Shadow da vida, nem precisa revelar tantas cartas para deletar a vida do oponente, já que quase sempre estará em 8 para menos. keke

Muito legal a ideia do deck!

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina