Desculpe se eu Combei
28/08/2017 10:00 / 6,262 visualizações / 29 comentários

Legacy é um formato muito complexo e cheio de particularidades(muitas delas devido ao grande número de decks que utilizam Brainstorm, que é a melhor carta do formato), no entanto, nem todos têm a oportunidade de testar o Legacy devido ao alto custo para engressar no formato, e por isso acabam tendo opiniões que na prática não são exatamente o que acontece. Pela falta de experiência a maioria das pessoas acreditam que o formato seja “rápido demais”. Com alguns decks tendo o potencial para ganhar no primeiro e segundo turno de jogo, com proteção, muitos acreditam que isso é uma regra.
 
Estariam essas pessoas completamente erradas, ou tem um fundo de verdade nisso tudo?
 
De um lado do espectrum temos os “Good Guys”, segundo Patrick Chapin, os decks com potencial de finalizar o jogo muito rápido.

Tomando como parâmetro a lista de Storm utilizada pelo brasileiro Eduardo Shimizu, a.k.a. Shimi, onde conseguiu seu top 16 no Bazaar of Moxen Paris 2017:
 
ANT - Legacy
2017-08-27

Jogador

Ruda

Visitas

6282

Código Fórum

[deck=667055]
 
Denominado de Ad Nauseam Tendrils (ANT), este deck consegue combar turno 1 com apenas 5 cartas na mão (Land, 2x Dark Ritual, Ad Nauseam e Lion's Eye Diamond). O ANT vem ganhado popularidade nos últimos 6 anos devido ao lançamento de Past in Flames, que possibilitava novas maneiras de ganhar a partida, além de fazer um combo de turno 1~3 ter um late game muito bom, devido á recursão de cemitério.

Apesar de ser conhecido pela sua velocidade, o ANT tem a capacidade de grindar e ganhar partidas no hyper late game, a maior prova disso foi a final do GP Prague 2016 (que você pode ver AQUI) onde o Rodrigo Togores, de Storm, levou um jogo de mais de uma hora contra Miracles (a finada lista com Countertop) e mesmo assim conseguiu sair vitorioso.

Outro baralho que consegue finalizar o jogo muito rápido e com bastante proteção é o Omnitell:
 
Omnitell - Legacy
2017-08-28

Jogador

Ruda

Visitas

6321

Código Fórum

[deck=667288]
 
Outro deck com a possibilidade de kill turno 1 com apenas 5 cartas (Ancient Tomb, Lotus Petal, Show and Tell, Omniscience e Cunning Wish), o Omnitell carrega diferentes kill conditions maindeck para diferentes arquétipos. Com o package de 3 Force of Will e 2 Misdirection, como os Hard Counters, e 1 Flusterstorm e 2 Spell Pierce, como os Soft Counters. O deck consegue proteger muito bem qualquer coisa que for fazer. As maneiras de finalizar o jogo no G1 são:

- Show and Tell colocando Emrakul, the Aeons Torn em jogo, se você conseguir atacar com ela o jogo acaba;
 
- Show and Tell colocando Omniscience e conjurando a Emrakul, the Aeons Torn (ganhando o turno extra) e já atacando com ela;
 
- Show and Tell colocando Omniscience , conjurar Cunning Wish, buscar Firemind's Foresight do side, conjurar o Foresight e pegar Cunning Wish, Impulse e Brainstorm, dessa maneira você pode usar o segundo Wish para buscar o Release the Ants e ganhar ou pegar o Eladamri's Call pra buscar direto a Emrakul, the Aeons Torn, conjurá-la e ganhar o jogo.
 
G2 e G3:
 
- Nos games sideados, é possível boardear os Pyromancer’s e ganhar batendo com as tokens contra um oponente que tirou todos os removals.
 
Uma das grandes vantagens do Omnitell é ter essa grande resiliência. Apesar da necessidade de resolver um Show and Tell para ganha r(pelo menos no game 1) o deck conta com milhares de cantrips e muita proteção para garantir que isso vá acontecer, além de contar com uma kill bem rápida protegida por FoW ou Misdirection.

E falando sobre Good Guys, Belcher é provavelmente The Nicest of them all!
 
Belcher! - Legacy
2017-08-28

Jogador

Ruda

Visitas

6335

Código Fórum

[deck=667293]
 
Com uma estratégia Glass Cannon, ou seja, facilmente disruptada e com uma certa inconsistência, Belcher é o deck mais rápido do Legacy. Com infinitas maneiras de combar no turno 1, o deck finaliza o jogo com ativações de Goblin Charbelcher e/ou tokens de goblin geradas por Empty the Warrens.

Deck perfeito para quem reclama de flood excessivo, com o Belcher você JAMAIS irá floodar pelo fato do deck contar com apenas UMA Land!!!
 
Você sabe contar até 7? Então já é um perito de Belcher! O plano do baralho é utilizar Land Grant, Simian Spirit Guide, Elvish Spirit Guide, Lotus Petal e Chrome Mox para gerar a mana inicial.
 
- Com 3 manas no Pool e 1 Lion's Eye Diamond (LED) você pode fazer um Burning Wish com 1 na Pool, segurar a prioridade e estourar a LED totalizando 4 manas e pegando Empty the Warrens do Side.
 
- Gerar 4 manas e fazer um Empty the Warrens da mão mesmo para finalizar em 2 ou 3 turnos batendo. DICA IMPORTANTE: No play é possível fazer 8 Tokens no primeiro turno e ainda ganhar contra stoneblades e decks com Sweepers maindeck, no draw não é aconselhável fazer menos de 10 tokens turno 1 pois uma Stoneforge e Batterskull é o suficiente para ficar vivo em cima de 8 tokens.
 
- Gerar 7 manas (geralmente utilizando 1 LED) e fazer um Belcher + Ativação do mesmo e finalizar naquele turno ou fazer um Belcher sem mana para ativação, passar o turno (devido ao baixo número de respostas que poderiam removê-lo de jogo) e torcer para conseguir gerar 3 manas e finalizar o jogo antes de morrer.
 
No entanto, diferentemente do que muitos pensam, a grande maioria dos decks do Legacy não são tão rápidos, mesmo muitos estando na categoria “tempo”, os jogos se estendem devido à preparação para grindar long games que muitos baralhos têm.

Atualmente o Tempo deck mais eficiente do Legacy é o Grixis Delver.
 
Grixis Delver - Legacy
2017-08-28

Jogador

Ruda

Visitas

6293

Código Fórum

[deck=667295]
 
Abrindo com um Delver of Secrets no turno 1 ,um forte mana denial package, e finalizações de Lightning Bolt, garantem um jogo bem curto, e justamente, o que faz o Grixis Delver ser o deck mais jogado no Legacy é só sua consistência em finalizar jogos rapidamente, mas também sua capacidade de grindar jogos longos com a ajuda de Young Pyromancer, True-Name Nemesis (TNN) e Deathrite Shaman.
 

Contendo armas que podem garantir free wins no G1 (Delver e Múltiplos counters, Young Pyromancer com Gitaxian Probe e Cabal Therapy, ou TNN com Deathrite Shaman), o baralho garante grande parte das vitórias de G1 a seu favor, e com um side de 3 cores e meia (Verde para Flashback de Ancient Grudge, e algumas vezes, até Abrupt Decay), o deck tem muitas opções eficientes na board. Uma vertente de Delver que consegue operar com apenas duas lands e ainda sim resolver Mini-Progenitus de 3 manas, ter 5 fichas de Pyromancers ou Peixes-Zumbi 5/5 é algo bem ameaçador, esteja preparado para muitos Grixis Delver quando for batalhar no Legacy!
 
Outro “Bad Guy”(já que os Good são os decks rápidos) é o novo Portent Miracles. Sobrevivente de uma grande guerra entre jogadores lentos, deck mais jogado do Legacy e o comitê de Bans da Wizards, o Miracles perdeu o Tampo mas não perdeu o rebolado!

Portent Miracles - Legacy
2017-08-28

Jogador

Ruda

Visitas

6284

Código Fórum

[deck=667299]
 
Após perder seu “safe button”, se esconder atrás de um Countertop Softlock, o novo Miracles se baseia em maximizar suas cantrips. Quad Brainstorm, Ponder e Predict fazem o deck ser extremamente consistente e muito bom mesmo mulligado. Por não ter mais como se proteger com Counterbalance após um Terminus, o deck foi obrigado a aumentar o número de Kill conditions (contando agora com Mentors, Snapcasters e Jaces, onde antes, muitas vezes, eram apenas Jaces e Snapcasters). O número de counters também aumentou, com 2 e as vezes 3 Counterspell no maindeck e até Flusterstorm, para ter mais segurança contra combo decks e para resolver/proteger um Mentor.
 

O side também teve de ser reconfigurado. Sem o softlock o deck sofre bem mais para Burn, Lands e 1 casting Cost decks (Delvers, e Storms, em geral). As Blood Moon adicionam um Panick Button contra Lands (antes um Counterbalance com 2 no topo gerava muitas vitórias) e as Canonistas e Containment Priest são garantia, e beaters, contra Storms e Reanimators que eram ótimas matchups para o Jace control e agora são partidas muito mais equilibradas.
 
Indo para o próximo deck:

Você gosta de rodadas que duram 45 minutos? 
Odeia ter amigos? 
Então o Landstill é o deck perfeito pra você!
 
Um dos arquétipos mais antigos do Legacy, Landstill tem como objetivo limpar a mesa inteira com diversos spot removals e éditos e segurar o jogo com muitos counters para então resolver um Standstill com uma Mishra's Factory na mesa e obrigar o oponente a agir primeiro(assim quebrando o Standstill e te dando 3 draws).
 
Por ser muito velho no formato o deck já passou por inúmeras variações:

 - Puro UW, usando Crisol dos Mundos e Wasteland/Factory para limar as lands adversárias ou nunca ficar sem kill condition, Humildade para tirar todas as habilidades das criaturas adversárias e Moat para impedi-las de atacarem. A maioria dessas listas utilizava Elspeth, Knight-Errant, pois o +1 da Elspeth garante Flying para a criatura alvo, e devido ao funcionamento das Layers, mesmo com Humility na mesa sua Mishra's Factory seria 2/2 (Layer 7B) e teria +3/+3 e voar podendo atacar com Moat na mesa.
 

 - As listas BUG jogavam em torno de Life from the Loam para recorrer as Wastes e Factories e ainda usarem utility lands tal qual Cephalid Coliseum e Cabal Pit (que eram potencializados pelo Dredge do Loam e os extra-dredges que o Loam dava graças aos 3 draws do Standstill).
 
 
 - Durante algum tempo as versões UR e UWR foram popularizadas (principalmente depois do top 8 no GP New Jersey em 2014), eram versões sem Crucible mas com bastante burn na forma de Lightning Bolt, Grim Lavamancer e até Sudden Shock. Grande parte das listas UWR também usavam Stoneforge como Kill Condition (a habilidade da Stoneforge de colocar o equipamento em jogo não conta como cast, portanto não faz o oponente dar 3 draws com um Standstill na mesa).
 

 
 - No entanto, atualmente as versões UB do Landstill são as mais comuns (inclusive algumas com uma land verde apenas para ativações de Deathrite Shaman). Toxic Deluge se provou um Sweeper muito barato e eficiente, Fatal Push é um catch-all e um novo staple para o Legacy, Innocent Blood, apesar de ser uma carta simétrica (valer tanto pra você quanto pro oponente), é muito bom pelo baixo números de criaturas utilizadas (3 Snapcaster Mage e 1~2 Tombstalker). O side do deck conta com mais proteção contra combos já que o maindeck é bem focado em remover toda e qualquer ameaça em forma de permanente que possa cair na mesa e mais counters contra os tempo decks pra garantir que os removals resolvam.
 
UB Standstill - Legacy
2017-08-28

Jogador

Ruda

Visitas

6279

Código Fórum

[deck=667309]
 
Alguns jogos são sim definidos nos primeiros 4 turnos do jogo, mas o Legacy é repleto de decks desenhados para aguentar uma partida lenta. São detalhes como esse que tornam o formato tão especial para quem o joga. A beleza do formato é poder utilizar algumas das cartas mais icônicas e poderosas do jogo e trabalhar a habilidade de ganhar um jogo, não importa se é resolvendo uma Stoneforge no 2, dar 7 Lava Spike ou resolver um Jace, the Mind Sculptor no turno 8 e finalizar o jogo 5 turnos depois. 
 
#MakeLegacygreatagain!  
 
TAGS:  Legacy

Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

Wastelands e Vials

Primer Death & Taxes Legacy.


Decks da Semana #7 do CLM9: BUG Delver

Legacy: BUG Delver, por Diogo Vieira Da Silva.


Decks da Semana #5 do CLM9: High Tide

Legacy: High Tide, por Thiago Bocato Sabino.


Semana #14 do CLM8: Mono Red Sneak Attack

Legacy: Mono Red Sneak Attack, por Kim Modolo.


Going Rogue – O inicio.

A surpresa à seu favor.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

_ZERO_ (02/09/2017 17:47:08)

A versão BR de tendrils é conhecida como Faithless Reanimator. Tem um francês que otimizou ela...

_ZERO_ (02/09/2017 17:02:07)

A versão BR de tendrils é conhecida como Faithless Reanimator. Tem um francês que otimizou ela...

paradaxarada (01/09/2017 14:54:53)

Existem versões do Tin Fins que combam pra Emrakul, e existem versões do Tin Fins que combam pra Tendrills

_ZERO_ (01/09/2017 11:01:07)

Tin Fins Comba de outra maneira, usando Emrakul, sem falar que é UB.

_ZERO_ (01/09/2017 10:48:20)

Tin Fins Comba de outra maneira, usando Emrakul, sem falar que é UB.

Bruno_Orelha (31/08/2017 15:23:01)

O nome do deck é tin fins, ele é mais um storm que um reanimator.

_ZERO_ (31/08/2017 08:10:13)

Tenho um Storm reanimator que comba no t1. Reanimar Griselbrand, comprar varias cartas, jogar Children of Korlis no cemitério, ficar revivendo e sacrificando CoK até dar 10 mágicas ou mais e usar Tendrils of Agony.

aziszoo (30/08/2017 23:32:43)

Bruno tenho que discordar de vc. Meu deck reanimator finaliza no turno 1 com um pouco de sorte. Eu reanimo griselbrand e emrakul o fim prometido e ponho anger no grave. Isso já aconteceu mais de uma vez, inclusive com chanceler do anexo na mão inicial pra barrar a fow.

vibarizon (30/08/2017 22:32:02)

#voltatampo

krrapato (30/08/2017 17:06:55)

Acho q Faltou o All Spells e o Tin Fins (geralmente n estão no meta) mas joguei um bom tempo de TF e já obtive vitórias rápidas sobre alguns decks Tier 1
...e Parabéns pelo post amigo

Braddock_AP (29/08/2017 09:01:18)

kkkk foi foda essa =/

MtgSempre (28/08/2017 19:05:18)

E noís ainda é roubado e perde o único deck legacy(Belcher)...

Braddock_AP (28/08/2017 15:48:07)

legacy é massa, mas infelizmente vai sempre ser barrado pelo fator "preço". Galera já reclama quando deck t2 passa de 500 conto, é uma minúscula parcela dos jogadores de magic que tem como investir 5mil~8mil reais em um baralho (além do fato de que legacy tem menos torneios e tals, dependendo da região que o jogador vive, é inviável investir tudo isso pra jogar 1 torneio de 8 pessoas no mês).

Bruno_Orelha (28/08/2017 14:57:28)

Pra carta valer a pena no legacy ela teria que ser praticamente uma cópia da original, cada vez que algo ruim é colocado menor seria a chance de isso realmente ver jogo(tipo um aether hub dual, muito espeífico, poder utilizar poucas vezes e ir pro saco já existe gemstone mine)

Bruno_Orelha (28/08/2017 14:47:59)

Pra carta valer a pena no legacy ela teria que ser praticamente uma cópia da original, cada vez que algo ruim é colocado menor seria a chance de isso realmente ver jogo(tipo um aether hub dual, muito espeífico, poder utilizar poucas vezes e ir pro saco já existe gemstone mine)

Bruno_Orelha (28/08/2017 14:31:46)

Pra carta valer a pena no legacy ela teria que ser praticamente uma cópia da original, cada vez que algo ruim é colocado menor seria a chance de isso realmente ver jogo(tipo um aether hub dual, muito espeífico, poder utilizar poucas vezes e ir pro saco já existe gemstone mine)

Bruno_Orelha (28/08/2017 14:29:39)

O lance da reserved é que não podem haver reprints funcionais também, então dual lendária cai por água.

geddon (28/08/2017 14:11:00)

Tb acho que dual lendaria não seria considerado reprint funcional. Tem muita diferença em usar, igual o colega disse, 4 under-sea ou 4 under- sea lendaria.

E já que a wizard diz descaradamente que so faz carta pensando em T2, ela poderia fazer tb uma new dual que para o t2 seria melhor e diferente de uma old dual, e que para o legacy pouco impactasse. Por exemplo:

Energy Under- Sea: Vira add U/B. Quando entra em jogo vc ganha 1 marcador de energia. Toda vez que vc pagar 2 marcador de energia, ganhe 1 de vida.
Algo assim tb seria reprint funcional? Isso no t2 é bem diferente de uma old dual ( bem melhor diga-se de passagem) e no legacy nao muda nd. (No modern deveria ser banido kkk)

paradaxarada (28/08/2017 13:59:49)

Se fosse um moat lendário, um nether void, the abyss lendários, eu até entenderia que isso afetaria o espirito da reserved list por se tratar de um reprint funcional, mas dual lendário faz toda diferença, visto que que é quase insustentável uma base de mana com 4 "underground sea" lendária, ou coisa do gênero.

Dual nevada afeta o espirito da reserved, dual lendária é a solução mais saudável pro legacy (e a galera do commander aprovaria em peso)

Bruno_Orelha (28/08/2017 13:50:21)

O lance da reserved é que não podem haver reprints funcionais também, então dual lendária cai por água.

Bruno_Orelha (28/08/2017 13:48:53)

O lance da reserved é que não podem haver reprints funcionais também, então dual lendária cai por água.

Bruno_Orelha (28/08/2017 13:48:17)

Infelizmente não é tão simples acabar com a reserved list.

Bruno_Orelha (28/08/2017 13:47:07)

Só quem já jogou Legacy sabe a real velocidade do formato. <3

Bruno_Orelha (28/08/2017 13:46:31)

Que bom que gostou do artigo!
Eu não quis incluir o BR Reanimator porque ele não tem como finalizar o jogo no turno 1. Claro que fazer um griselbrand no turno 1 é bom, mas não é 100% de end game.

paradaxarada (28/08/2017 13:40:24)

Dual lendária, muitos decks que precisam de 6 duais hoje, só preciariam de 2-3 true duals, exemplo, grixis delver, 3 volc, 2 usea e 1 tropical, bastaria 2 volc e 1 usea, o resto poderia ser lendária, decks comos storm só precisariam de 1 true dual.

Sem contar que essa solução respeita a reserved list e todo mundo fica feliz.

Bortoletto (28/08/2017 12:46:31)

Cara... é o que eu sempre digo... o único problema do legacy é que dual é muito cara, do resto com certeza é o melhor formato!

aziszoo (28/08/2017 11:54:00)

Legacy é vida. Quer resolver o problema do legacy? Tira as duals da reserved list. Simples assim!

MeuSadruga (28/08/2017 11:30:07)

Ótimo, como sempre !

Infelizmente o legacy vem perdendo muito espaço por causa de $$ e com isto, a galera que nao tem grana pra comprar decks legado vem inventando preconceitos acerca do formato, como por exemplo ele ser muito rápido.

Comparando hoje com o modern as partidas acabam muito mais rapidamente no modern.

paradaxarada (28/08/2017 10:44:19)

Os melhores conteúdos sempre são do formato legacy! Muito bom artigo, continue mandando bem assim ((:

Devia falar do BR Reanimator, que atualmente é o "Belcher" deck mais eficiente do formato, consegue combar em uma média de turno 1,5, e a maioria das vezes protegido.

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina