Conheça seu Inimigo
06/09/2017 10:00 / 3,909 visualizações / 10 comentários
 
Com uma card pool tão limitada como a do Standard, é mais fácil conhecer tudo o que joga no formato: Midranges de 3 cores, UW/UB/UR Control, Mono Red e  Zombies. Graças aos céus, o meta está bem delineado, o que torna os os treinos para um grande evento e/ou um estudo para criação de novos decks, bem mais prático para esse formato.
 
Só que  isso muda bastante quanto mais coleções são adicionadas, por isso o Modern é muito mais complexo de ser solucionado e o Legacy mais ainda. Enquanto o Standatd pode ter uma ou duis interações já manjadas pelos jogadores do formatos, o Legacy contêm 40 vezes mais interações
, só que por ser um formato eterno, o T1.5 tem a grande vantagem de ficar estagnado por um tempo e, por alguns decks jamais deixarem o metagame, algumas jogadas específicas podem ser aprendidas contra esses arquétipos e reutilizadas com grande sucesso. E é sobre essas jogadas que falaremos hoje.
 
Combo
 
Devido ao power level unitário das cartas, Combo é um arquétipo muito utilizado por jogadores no Legacy , com jogadas unfair, muita consistência e velocidade, descobrir os elos fracos das correntes aqui é crucial para obter vitórias!
 
- Show and Tell é uma das cartas base para o deck, que carrega seu nome, por apenas 3 manas você coloca um Griselbrand, Emrakul, the Aeons Torn, Sneak Attack ou Omniscience em jogo, sem custos adicionais, o que torna a carta interessante é que é um efeito simétrico: os dois jogadores colocam em jogo um Terreno, Criatura, Artefato ou Encantamento.
 
 
Devido ao fator simétrico, algumas permanentes sejam “melhores respostas” do que mágicas, no caso do Show and Tell: Oblivion Ring, Spine of Ish Sah  e até mesmo Reclamation Sage​, se tornam melhores do que simplesmente  tentar anular a mágica.
 

Vendilion Clique é outra resposta interessante ao Show and Tell​, sendo a interação não-counter mais importante contra o deck, com diversas maneiras de ser utilizada. Geralmente, a Vendilion é jogada com o SnT na pilha para remover o Bixão da mão do oponente antes que a mágica resolva, no entanto, pode ser perigoso, já que ele pode ter 2 da mesma carta e seus planos irem por água a baixo. Contra Omnitell muitas vezes é correto deixar o SnT resolver e colocar a Clique através do Show and Tell, desta forma a habilidade dela vai disparar quando entrar em jogo e você vai poder tirar a Emrakul, ou big spell, da mão do adversário antes que ela tenha prioridade para conjurá-la, ou até mesmo te gerar prioridade para destruir a Omniscience com o trigger da Vendilion na pilha, jogada que não daria pra fazer caso o adversário tivesse Omni+Emrakull, pois ele receberia de volta a prioridade para fazer alguma coisa antes que você possa fazer algo.
 
- Dredge, uma ameaça não muito presente no field, mas que sempre aparece e acaba pegando algumas pessoas de surpresa. Além do óbvio grave hate, para vencer um Dredge é necessário saber algumas interações que só acontecem nessa matchup:

A maneira mais fácil de ganhar com o Dredge é com o valor que Bridge from Below gera ao longo dos turnos, remover as bridges, principalmente game 1, pode ser meio caminho andado para a vitória. A draw step é a etapa mais importante contra o Dredge, pois após dar um Dredge X, o jogador deve passar para a main phase caso quiser sacrificar criaturas para Cabal Therapy ou Dread Return, então é no final da Draw Step que se deve dar Swords to Plowshares na Narcoameba, Ichorid ou qualquer otura criatura que estejam daquele lado para que novas tokens não sejam geradas pela Bridge. Também é neste momento em que um Lightning Bolt/ Abrupt Decay em sua própria criatura pode remover todas as bridges de uma vez. Dica importante: Caso você tenha tempo para isso, sempre busque Batterskull contra Dredge caso você esteja de Stoneblade, uma vez que o equipamento estiver em jogo, a habilidade de pagar 3 e volta-lo para mão fará com que o germe 0/0 morra e remova todas as Bridges do cemitério, se acha que o Batterskull pode sofrer um descarte via Cabal Therapy, então busque Umezawa's Jitte, pois os marcadores podem ser removidos para matar a própria Stoneforge Mystic e remover as Bridges..
 
 
Quando seu hate não é muito dedicado (caso de Rest in Peace e Leyline of the Void) saber dosá-lo é muito importante, já que a maioria dos decks do Legacy utilizam apenas Surgical Extraction como hate. Como citado acima, sem as Bridges o Dredge opera de maneira muito menos unfair. Essa jogada de remover com Surgical Extraction também vale para os Ichorid, já que são criaturas que entram em jogo de graça e morrem no final do turno, eles alimentam o plano de grindar através das tokens geradas.
 

Caso seu hate seja ativações de Deathrite Shaman, você pode remover a Narcoameba enquanto ela ainda estiver no cemitério com o trigger na pilha, isso impediria os Prized Amalgam de trigarem e ainda tiraria corpos que poderiam ser sacrificados pra Cabal Therapy.

Alguns dredges utilizam apenas o plano de Bridge from Below com Narcoameba e Ichorid, e um plano B de usar Dread Return em alguma fattie monstruosa que ganha na hora (Elesh Norn, Grand Cenobite, Flame-Kin Zealot ou Flayer of the Hatebound), portanto, caso houver apenas um Return no grave, removê-lo no final da draw step (antes da mainphase, senão o jogador terá prioridade de jogá-lo sem você poder remover o return em reposta) te ganha aqueles turnos necessários para fechar o jogo.
 
- Storm, um deck tão rápido  que você pode morrer antes mesmo de jogar sua segunda spell no g1, só que no g2 o jogo muda, o deck sideia para uma versão mais lenta e com mais respostas para counters ou troublesome permanents que possam aparecer, e é baseado nisso que você deve projetar seu gameplan contra o Storm. Por se basear em mana rocks, Null Rod pode destruir a chance do cara de ganhar o jogo, pois LED não apenas gera 3 manas, mas te deixa Hellbent para o Infernal Tutor poder buscar qualquer carta no deck, e com Null Rod essa possibilidade se extingue.
 
 
Pelo deck ser baseado na card selection das poderosas cantrips do Legacy, impedir o piloto de storm de manipular o topo também é um bom gameplan. Obriga-lo a ter que topdeckar as peças necessárias o torna bem vulnerável, sempre que tiver Pyroblast e efeitos que impeçam as cantrips (Spirit of the Labyrinth, Chains of Mephistopheles, Leovold, Emissary of Trest) suba, pois com certeza irão atrapalhar.
 

 
Apesar do começo explosivo, o Storm utiliza Past in Flames para grindar long games onde os descartes tiram as respostas no começo e o PiF possibilidade gerar muita mana com múltiplos rituais ou até combar múltiplas vezes no mesmo jogo, então Nihil Spellbomb, Grafdigger's Cage, Surgical Extraction, e até ativações de Deathrite Shaman, podem impedi-lo de combar. Uma jogada bem interesse é segurar as fetchlands na mesa caso você tenha uma Surgical Extraction e um counter para o Past in Flames, quando o PiF for para a pilha, você sacrifica uma fetchland, segura a prioridade, dá o counter e com a habilidade da fetch ainda na pilha, responde dando a Surgical no PIF, dessa maneira o oponente não tem como fazer o PIF pós counter por ter prioridade e tentar combar novamente, deixando sua extração inútil.
 
Midrange
 
- Stoneblade ,quem não ama um bom e velho UWx? Com a dupla dinâmica que foi banida de praticamente todos os formatos (Jace, the Mind Sculptor e Stoneforge Mystic), o arquétipo Stoneblade se solidificou  como tier 1 no Legacy e nunca deixou de ser desde então! Por existirem diversas listas com diferentes combinações de cores( UWR, Esper, 4 Color, e até Death and Taxes e Maverick podem ser considerados Stoneblade, até um certo ponto) diferentes cartas serão boas nos jogos sideados, mas algumas jogadas valem para todas as versões.

A ameaça de uma Stoneforge Mystic resolvida pode parecer grande coisa (e de fato é, em 90% dos casos,) mas não se deixe desesperar, sem o equipamento a Gaga é apenas um Squire que fala muito, por isso descartes e Disenchant são as melhores armas aqui. Tendo uma Vendilion Clique (melhor carta g2 contra tudo!!!!!) você pode deixar a SFM resolver, desenjoar, e quando ela virar para colocar o equipamento em jogo, é só fazer a Clique e tirar o equip da mão do adversário, NICE 1/2, BRO!
 

Apesar de ser um 2 pra 1 para seu oponente, também é possível dar um Disenchant effect (Disenchant, Wear (Wear/Tear) ou Kolaghan's Command) no Batterskull, esperar o oponente pagar 3 para voltar para mão e depois dar um descarte para removê-lo de vez do jogo.
 
Assim como o Storm, o Stoneblade perde bastante força se tiver suas cantrips colocadas em cheque, e aqui os Pyroblast effects são potencializados por anularem True-Name Nemesis e Jace, the Mind Sculptor.

- Delver, o arquétipo mais presente no field, seja ele Napolitano, Menta com chocolate ou até passas ao Rum (é, tem gosto pra tudo), todos os sabores de Delver são bons e consistentes e devido ao poder explosivo que ainda podem garantir várias free wins.
 
As primeiras versões de Delver (RUG Delver, UR Delver, e as primeiras listas de BUG) todas tinham Stifle, só que hoje em dia isso não é mandatório, mas estar preparado para um Stifle pode ser a diferença entre perder e ganhar. Desenvolver a base de mana de maneira eficiente é um dos segredos para ganhar (ou pelo menos ter uma boa chance) dos Delver decks, não tenha medo de sacrificar sua Fetch e buscar direto uma dual que precise, é mais fácil ele buscar Stifle nos primeiros turnos do que Wasteland. Lembrando também que a melhor maneira de ganhar de uma Wasteland é sempre buscar dual lands, buscar apenas básicas, se seu deck tiver alguma, pode implicar em um tempo advantage muito grande para o adversário, e uma vez que o Delver.deck assume o driver’s seat é bem difícil de voltar par ao jogo.
 

 
Sempre tire as Force of Will contra os tempo decks, dar um 2 pra 1 pode quebrar sua linha de jogo e te deixar atrás por ter cartas a menos, mesmo no draw. Como os decks de Delver não têm uma threat que se você não anular o jogo acaba naquele momento, é melhor sidear cartas com efeitos mais amplos do que deixar Forces (que ainda tomam Pyroblast e, em muitos casos, Daze).
 
É isso aí galera, essas são as interações da semana! Se gostarem, posso falar sobre mais coisas que só rolam no Legacy, até semana que vem!
 
Lembrando que as etapas Legacy do CLM já começaram, classificando para a Grande Final!
 
#Makelegacygreatagain
TAGS:  LegacyTeoria

Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

O Legado de Ixalan

A nova edição e o Legacy.


Wastelands e Vials

Primer Death & Taxes Legacy.


Decks da Semana #14 do CLM9: Merfolks

Legacy: Merfolks, por Rafael Navarro.


As “Não-Partidas” de Magic

Uma reflexão sobre Concessões, IDs e Splits.


Decks da Semana #5 do CLM9: High Tide

Legacy: High Tide, por Thiago Bocato Sabino.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Bruno_Orelha (07/09/2017 17:12:44)

Muito obrigado pelo feedback! Já tenho planos pra falar sobre decks sem azul no futuro.

Bruno_Orelha (07/09/2017 17:12:21)

Eu montei uma lista de UR Twin pro Polar jogar o nacional de 2016 e ele quase fez top 8 perdendo win and in na última rodada.

Abbudao (06/09/2017 20:46:05)

Outro artigo maravilhoso, Bruno! Muito informativo e de leitura bem fluída. Parabéns :)
Uma sugestão de artigo é falar dos decks underdogs do Legacy, que ao contrário do modern, fazem mais resultados e podem ser metacalls letais.

Noob_Saibot (06/09/2017 20:41:59)

Abram os olhos, ex-jogadores de Twin do Modern; no Legacy, dá para montar um Twin Blade muito interessante e forte. É um deck na medida do midrange, mescla espadas e Batterskull, Stonforge, Snapcaster, Exarch e Pestermite, ao lado de FOW, anulas, STP, cantrips e, claro, Twin. Vale o teste!

Bruno_Orelha (06/09/2017 16:44:03)

O mol barateou bastante na maioria das staples(claro que algumas coisas ainda são bem caras, como portos) só que é um belo lugar para começar no formato, principalmente para criação de decks, boa sorte!

Bruno_Orelha (06/09/2017 15:20:49)

Muito obrigado pelo feedeback, Diogão!

Bruno_Orelha (06/09/2017 15:19:00)

Muito obrigado pelo Feedback! Farei artigos sobre Legacy com grande frequência, pode aguardar que muitos outros virão!

DiOgO_777 (06/09/2017 13:31:26)

Alguem dê um premio para esse homem!

Parabens pelo Artigo Bruno!!!

Denfaceupp (06/09/2017 12:12:19)

A escolha de Leovold como capa não poderia ter sido melhor! Ótimo artigo! Estou iniciando no Legacy no mol, pelo valor menor de algumas staples e seu artigo será de mui grande valia!!!

davidbaron (06/09/2017 12:06:32)

Man, tenho que agradecer por trazer estes artigos sobre Legacy aqui pra LM. Sempre leio quase todos os artigos, mas realmente estava faltando falar sobre Legacy.

Parabéns pelos artigos escritos e espero que continue a trazer mais ótimos artigos, como este, aqui pra Liga.

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina