Porque eu amo a Tempestade!
11/09/2017 10:00 / 3,446 visualizações / 12 comentários
 
Quando questiono uma pessoa sobre o porquê Legacy é o formato preferido dela, 95% das vezes a resposta é a mesma:
 
Porque eu amo jogar com Aether Vial Brainstorm!
 
Comprar cartas é uma das ações mais divertidas do jogo, encher a mão de cartas e ficar sonhando com as infinitas possibilidades de jogadas quando você desvirar. Parece até brincadeira de criança.
 
SÓ QUE LEGACY NÃO É BRINCADEIRA DE CRIANÇA!!!!
 
Além de ser uma carta bem divertida de se conjurar, Brainstorm, ou BS para os íntimos, é uma carta que definiu o Legacy como formato. Assim como o Vintage é conhecido por ser o formato das Power 9 e o Modern o formato dos reclamões, o Legacy é o formato do Brainstorm.

Apesar das Staples Legacy serem bem similares às do Modern, os dois formatos são bem distintos. O que faz com que o Legacy seja tão diferente do modern?
 
“A principal diferença do Modern pro Legacy é que, no Modern você precisa transformar cada carta comprada em recurso, mesmo que sejam pouco relevantes, no Legacy você pode trocar recursos que não são bons na situação atual por outros do topo do seu deck, assim tornando o formato mais “tight”, punindo severamente zicas de mana, flood e utilização incorreta de recursos, principalmente cantrips.” Diego Ganev

O que faz essa carta ser o pilar do Legacy?
 
Turbo Xerox Rule

A Turbo Xerox Rule foi desenvolvida em 1997 por um jogador chamado Alam Comer. Comer havia criado um Monoblue Control que utilizava apenas 17 ilhas como mana sources, algo completamente irreal para os decks de controle da época que utilizavam 23 ou mais terrenos.
 

A Xerox Rule consiste em: Para cada 4 Cantrips de até duas manas, um terreno pode ser removido do deck, portanto, um deck com 12 cantrips de 1~2 manas e 17 terrenos se equivale a um deck de 20 terrenos sem nenhuma cantrip. Fazendo a comparação direta para o Legacy, um deck com 4 Brainstorm joga com 1 terreno a menos que um deck com 0 Brainstorm, então, além de adicionar uma ótima seleção de cards, o BS ainda te abre mais slots ao “custo” de diminuir um terreno, diminuindo floods de mid e late game. Além do fato de incentivar o aumento de cantrips, se 4 BS removem 1 land do deck, adicionar 4 Ponder te remove mais um terreno e te adiciona mais um Shuffle Effect para o Brainstorm, não te deixando Brainstorm Locked (que é quando você não consegue embaralhar o topo depois de jogar um BS e é obrigado a passar seus próximos dois turnos comprando duas cartas que não gostaria naquele momento).
 
Tempo
 
Com a severa relevância adicionada no deckbuilding, utilizar Tempestade Cerebral pode te gerar um dos recursos mais importantes e difíceis de se conseguir no jogo: Tempo. À primeira instância, trocar suas duas piores cartas da mão e um Brainstorm pelas 3 do topo sem saber quais são já é algo que te ajudaria a sequenciar melhor os turnos.

Não perder land drop, esconder cartas de descarte (ou Gitaxian Probe, para que o oponente tenha menos informação dos seus turnos subsequentes), ou até colocar cartas específicas no topo para se beneficiar de efeitos, como a habilidade do Goblin Guide, ou mesmo para transformar um Delver of Secrets, são todas funcionalidades de BS, mas a melhor ainda é comprar as três e devolver duas, e se mandá-las embora usando um Shuffle Effect, se livrando de vez de algum recurso desnecessário naquele momento e não se preocupando em compra-lo nos turnos seguintes. Lembrando que fazendo esse tipo de efeito com base nos terrenos, como as fetch lands, embaralhar o topo vem ao custo de apenas 1 de vida, ao invés de ter que sempre utilizar outra carta da mão como Ponder ou Stoneforge Mystic, que gastaria mana.
 
Segunda Melhor Carta
 
O que torna uma carta boa é, além de seu custo e efeito serem relevantes, ela tem que interagir bem com o resto do deck, e a melhor carta do legacy interage muito bem com a segunda melhor carta do Legacy: Force of Will.
 
 
Nesse caso o BS pode te ajudar a encontrar FoWs, quando são relevantes, pode trocar sua mão à procura de pitches de menos impacto (convenhamos, ninguém gosta de remover um Jace, the Mind Sculptor numa FoW) e, seguindo a Turbo Xerox Rule, você vai querer usar 4 BS e 4 Ponder em quase todos os decks, e um dos poucos drawbacks da Force é te obrigar a ter um Blue card count relativamente alto no deck (acima de 15 cartas Azuis para conseguir jogar uma FoW pelo custo alternativo com frequência) e a regra de aumentar as cantrips ao custo de lands só faz seu Blue count ser maior. FoW <3 BS Best Friends Forever!!!
 
São por esses e alguns outros motivos que a Tempestade Cerebral é a melhor carta do nosso querido formato T 1.5, adicionar consistência para todo e qualquer deck azul com fetchlands é algo que induz 90% do field a ser azul. Até agora falamos só maravilhas da carta, teria ela algum problema? Bom, por muitos e muitos anos alguns jogadores clamaram (e ainda clamam) pelo banimento da melhor carta do Legacy!
 
Tutor ao Contrário

Uma das inúmeras armas do Legacy é a quantidade de tutores que o formato fornece, apesar de Vampiric Tutor e Mystical Tutor serem banidos há anos, o T1.5 ainda conta com diversos tutores de qualidade. A utilização da BS aqui não é para tutorar nada, e sim como enabler de tutores, durante a resolução do Brainstorm você pode colocar cartas tutoráveis no topo para habilitar futuros tutores como Green Sun's Zenith, Entomb e até mesmo transformar futuras Stoneforges “inúteis”(quando você já tem todos os equipamentos na mão) em Card Advantage.
Honorable Mention:  Colocar cartas no topo do deck com um Counterbalance na mesa para anular a magica do adversário. RIP Countertop.

O que leva uma carta a ser banida?
 
“Nos últimos meses, os decks de Survival of the Fittest decks foram superando outras no Legacy. Isso fez com que o formato competitivo se tornasse significativamente menos diversificado. Isso chegou a um ponto em que o DCI concluiu que é apropriado proibir um cartão.” - Wizards sobre o banimento de Survival of the Fittest em 20/12/2010
 
“Blue-Red Delver estavam sendo tão bem-sucedidas em torneios que estão prejudicando a diversidade do formato. Enquanto outros decks podem ter algum sucesso, a diversidade do formato é significativamente menor do que tinha sido. Treasure Cruise está banido." - Wizards sobre o banimento de Treasure Cruise​ em 19/01/2015
 
Deu pra ver que a diversidade de qualquer formato é algo bem relevante pra Wizards, partindo desse pressuposto, uma carta utilizada por mais de 60% do formato seria passível de ban, não é mesmo?
 
Acredito que não!
 
 - Brainstorm é uma carta extremamente difícil de se utilizar no seu máximo potencial, por não ter uma regra de aproveitamento de “Sempre conjure na mainphase” ou “Apenas no passe”, o BS é o verdadeiro skill-tester do formato.
 
  - Com tantas coleções válidas no formato, a velha história de “um formato diverso é um formato saudável” é balela! Utilizar as melhores cartas na maioria dos decks faz mais sentido no Legacy e no Vintage do que no Modern e Standard (que são formatos onde não há a melhor carta nem a Melhor estratégia absoluta). Um formato não concentrado em suas melhores cartas pode significar bagunça, que é justamente o contrário de um formato saudável.

 
 - Mesmo com tantos decks a utilizando, a tempestade possibilita uma diversidade, mesmo existindo decks de Brainstorm e decks Anti-Brainstorm (MUD, Eldrazi, Aggro Loam, Death and Taxes). BS ainda te garante muitas opções, é bem saudável vê-la sendo utilizada para habilitar novos decks e estratégias.
 
 - Bani-lo provavelmente transformaria o formato num formato de Belcher.decks. Onde, sem a card selection do BS, decks Glass Canon pulariam igual pipoca e de certa forma tornariam o Legacy um formato de “mãos iniciais”, que é o que alguns leigos acreditam que o Legacy seja
 
 - O Banimento de Brainstorm faria com que muita gente parasse de jogar Legacy. Como qualquer banimento, uma carta sair do formato geralmente influencia muita gente a desistir de jogar aquele formato, seja ele T2, Modern ou Legacy, e por ser uma carta principal em muitos decks, se o nosso querido BS se fosse, muita gente abandonaria o formato on the spot.
 
  - Além de ser instant, BS ainda conta com a vantagem de ser apenas uma mana, tornando qualquer soft counter (Daze, Spell Pierce, Flusterstorm) menos eficaz na hora de combater a ameaça de filtrar a mão que a carta possibilita, então já que é difícil de anulá-la, é importante saber como diminuir sua eficácia:
 
 
 
- Não mire no Brainstorm, e sim na maneira de torná-lo bom, se o BS foi conjurado com uma fetchland na mesa, sacrifique sua Wasteland dando alvo na  Fetch para negar o efeito de shuffle pós-bs. Isso também é válido para Ponder, caso o Ponder seja conjurado logo após o BS, gaste seu Daze​ (se ele não tiver mana pra pagar) ou Spell Pierce para, pelo menos por um turno, obrigar sue oponente a comprar uma das cartas que voltou.
 
- Não tenha medo de gastar seu Pyroblast! Todos sabemos que True-Name Nemesis e Jace, the Mind Sculptor são cartas que precisam ser respondidas e são boas até demais, mas caso você perceba que seu oponente está procurando algo específico ou que o tempo advantage de negar um Brainstorm pode ser maior que correr o risco do adversário topdeckar uma das cartas citadas no turno seguinte, gaste seu Pyroblast/ Red Elemental Blast!
 
- Como disse Sun Tzu em seu livro A Arte da Guerra: a melhor defesa é o ataque:

Melhor do que ter que contornar um Brainstorm com counters ou tricks para diminuir seu efeito, impossibilitar o adversário de conjurá-lo é muito melhor. Leovold, Emissary of Trest faz QUALQUER card draw ficar ruim, e como o BS te obriga a devolver duas da mão, seria um card disadvantage, por esse motivo diversos decks adaptaram a terceira (ou quarta cor) para usar Leovold e a popularidade dessa nova adição ao formato fez com que alguns Brainstorm.deck adaptassem mais respostas para ele (Karakas, Pyroblast e Toxic Deluge). Thalia, Guardian of Thraben e Spirit of the Labyrinth, além de jogarem no mesmo deck, colocam os decks de Tempestade Cerebral em cheque, similar ao Leovold, o Spirit impossibilita um bom proveito de BS enquanto a Thalia dificulta tanto o próprio BS quanto as cartas que virão depois dele. E por último, mas não menos importante, Chalice of the Void e Trinisphere(A.K.A. 3SPHERE), ambos pertencentes aos decks que gosto de chamar de: Você joga de azul? Vai ter que pagar por isso!  Chalice of the Void vendo jogo no Eldrazi, MUD e Aggro Loam, são decks baseados nesse softlock de Chalice, utilizando o poder de impedir o oponente de jogar e filtrar as cartas inúteis da mão, esses decks finalizam com grandes monstros que são desde Eldrazis 5/5, Colossus 11/1 com Infect e Trample até a Avatares 20/20.
 
Podemos ver que Brainstorm não é só a queridinha do formato, é também a cola que gruda tudo e faz o Legacy tão incrível e único. Você amando ou odiando, BS sempre estará presente de um dos lados da mesa. Escolha seu lado da mesa e venha batalhar no T1.5!
 
TAGS:  LegacyTeoria

Bruno Ramalho ( Bruno_Orelha)
Aficionado por Legacy, sempre que pode joga com decks que matam com terrenos e não dispensa uma ativação de Vial no passe.
Redes Sociais: Facebook

ARTIGOS RELACIONADOS

Conheça seu Inimigo

Interações do Legacy.


Decks da Semana #18 do CLM9: Jund

Legacy: Jund, por Jorge Polar.


Decks da Semana #18 do CLM9: Red Sneak

Legacy: Prison Red, por Kim Modolo.


Olhando para Vegas

Listas dos GPs Modern e Legacy.


Temos que falar sobre Mulligan

Tocando na ferida.

MTG Cards





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Braddock_AP (14/09/2017 18:01:00)

Uma vez vi que o reid duke disse que se existisse Pro Tour Legacy, brainstorm já teria sido banido faz tempo. Se um pro player que joga muito legacy, diga-se de passagem, disse isso, é pq a carta realmente é divisora de águas no formato rsrs
Mas realmente acho que pra identidade do formato, seria catastrófico o seu banimento.

Bruno_Orelha (14/09/2017 14:22:46)

É nois mano! Brigadão!

Rickbandido (13/09/2017 20:04:38)

Parabéns ótimo artigo

rafael10r (13/09/2017 12:18:14)

Ótimo artigo, gostei! Sou iniciante e me vejo longe de jogar alguns formatos, mas gosto de ir acompanhando!

Bruno_Orelha (11/09/2017 23:07:37)

A maioria dos blue decks no Legacy são montados baseados nas mesmas spells, mas o grixis delver utiliza 12 cantrips(4 Ponder, BS e Gitaxian probe) além de ter um blue count bem alto pras Fow.

b4mb4m (11/09/2017 21:26:46)

qual exemplo de deck segue melhor o artigo??

Bruno_Orelha (11/09/2017 13:41:37)

Antigamente a maioria dos non-blue decks suavam Tampo, mas agora que ele está banido não tem opções muito relevantes forea Sylvan library

Valeu! O infernal ali foi erro de digitação, era pra ser Demonic Tutor. De certa forma, tirar o countertop miracles do formato foi bom, mas o tampo diminuiu a eficiência de alguns non-blue decks como Nic Fit, Painter e BGx.

Bruno_Orelha (11/09/2017 13:38:06)

Antigamente a maioria dos non-blue decks suavam Tampo, mas agora que ele está banido não tem opções muito relevantes forea Sylvan library

Valeu! O infernal ali foi erro de digitação, era pra ser Demonic Tutor. De certa forma, tirar o countertop miracles do formato foi bom, mas o tampo diminuiu a eficiência de alguns non-blue decks como Nic Fit, Painter e BGx.

Bruno_Orelha (11/09/2017 13:35:36)

Valeu!

SaitoSan (11/09/2017 12:10:20)

Excelente artigo Bruno! Só uma correção: Infernal Tutor não é banido do Legacy.
Eu não jogo de azul, mas jamais gostaria de ver Brainstorm banido do Legacy. Ela, junto com Wasteland e FoW são essenciais que equilibram o formato e não deixam o Caos reinar.
O BAN do Tampo também fez muito bem para o formato, ampliando a diversidade e competitividade do formato.

Mestrao (11/09/2017 10:47:22)

Bruno, uma dúvida: em decks que não utilizam azul (Burn, Belcher, etc) e essa manipulação do topo não existe (tampouco anulação) existe alguma maneira de otimizar a compra de cards?

cesar_mattos (11/09/2017 10:19:42)

Excelente artigo

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina