O Submundo do Modern - UW Monument
18/09/2017 10:00 / 6,644 visualizações / 10 comentários

 

Olá, pessoal! Estavam com saudades? Pois bem, hoje voltei e voltei com uma estratégia pra lá de interessante e com uma premissa bem tentadora. Eu adoro quando consigo achar algo que cruze o Standard com o Modern, pois muitos jogadores jogam apenas um desses dois formatos, mas sempre gostam de se arriscar num torneio aqui ou ali em outro, então quando possuímos um deck que consegue ser base para esses dois formatos, a coisa fica bem divertida e acessível.

 

 

Para os que jogam Standard, um deck com Oketra's Monument não deve ser surpresa nenhuma, porém, no Modern é um tanto quanto bizarro imaginar que algo com esse artefato possa existir e ser eficiênte. Acredite, demorou para eu acreditar também. Felizmente, para combater essa nossa descrença, o jogador Matthew Davidson, num PPTQ em California, conseguiu entrar para o Top 8 do torneio utilizando uma variação de lista com essa carta, entre 66 jogadores. Confiram:

 

UW Monument - Modern
2017-09-17

Jogador

Teddy_Bear_X

Visitas

6719

Código Fórum

[deck=683015]

 

O estilo de jogo obviamente continua o mesmo, onde tentamos inundar a mesa com fichas e mais fichas graças a segunda habilidade desse artefato. Obviamente também, no Modern, temos ferramentas muito melhores para isso do que no Standard, o que nos deixa então apenas à mercê do formato, que aparentemente pode contribuir para que nosso deck funcione com esse monte de interações que temos dentro dele.
 
Vale lembrar que com o Monumento no campo de batalha, temos praticamente 16 criaturas com custo de mana igual a 1, nos permitindo conjurar várias delas de uma vez e assim criar um exército de fichas do nada. Essa vantagem pegará muitas vezes o oponente de surpresa, já que digamos, com 4 manas, temos acesso à 8 criaturas em um único turno, nos tornando perigosos tanto no ataque quanto na defesa, isso sem contar os efeitos extras que essas criaturas possuem.
 
Começando do começo, com Judge's Familiar, criaturazinha que consegue atrasar algumas jogadas do oponente em um turno, principalmente quando se trata de remoções, anulações ou combos, por apenas uma mana naturalmente. Nunca tenha medo de lançar ela no campo de batalha no primeiro turno, pois será responsável por nos dar uma boa segurança para as seguintes jogadas.
 
Nas criaturas de custo 2, que podem se tornar de custo 1, temos Wall of Omens, ótima para defesa e sem nos deixar perder o gás; Squadron Hawk para nos dar ainda mais criaturas para ainda mais fichas; e Whitemane Lion, com a mesma função de um Squadron Hawk, mas de uma maneira muito mais abusiva, como explicarei adiante.

 

 


Bom, sobre a barreira não há muito o que falar, mas essas outras duas merecem explicações melhores. Nosso Squadron Hawk pode procurar por mais 3 cópias dele, então sabe aquele exemplo de 4 criaturas por 4 manas se tornarem 8? Ele "sozinho" torna isso possível em qualquer momento do jogo, se não tivermos conjurado nenhuma cópia dele ainda. Levando em consideração que ele possui voar, podemos ter facilmente em um turno 4 pontos de poder aéreo para atrapalhar o oponente junto com mais 4 terrestre.
 
É claro que não precisamos também sempre conjurar todos de uma vez e, por mais estranho que pareça, nem buscar todos de uma única vez. Se estivermos suspeitando de uma remoção em massa, ou se não tivermos as manas necessárias para conjurar todos e estivermos supeitando de um "descarte em massa", pode valer a pena procurar apenas um ou outro. O fato de ele nos permitir embaralhar o grimório também se torna uma habilidade interessante no caso do oponente possuir efeitos que mandem cartas para o fundo do nosso grimório ou para o meio dele, então fiquem atentos às possibilidades.
 
Agora, Whitemane Lion é uma das criaturas mais divertidas que temos aqui e que pode nos dar vantagem. Ele pode voltar qualquer criatura para nossa mão quanto entra no campo de batalha e, como todas, menos Judge's Familiar, possuem uma habilidade que desencadeia quando entram no campo de batalha, esse leão se torna muito útil. Além disso, por possuir lâmpejo, esse bounce pode muito bem servir como proteção, retornando uma criatura para nossa mão caso sua morte seja iminente em combate ou por mágicas alheias.
 


Com a presena de Spell Queller na lista, podemos utilizar essa habilidade do Whitemane Lion em resposta à habilidade do espírito de exilar uma mágica do oponente, deixando-a para sempre no exílio, já que a habilidade de permitir que o controlador da mágica a conjure quando Spell Queller sair do campo de batalha vai resolver antes mesmo de a mágica ser exilada, não dando nada então para ele conjurar. Quatro Spell Queller, mais 4 Whitemane Lion e com ambos custando uma mana a menos, podemos repetir esse processo várias vezes por apenas 3 manas, enquanto ainda geramos fichas e mais fichas no campo de batalha com a ajuda do monumento.
 
Não contente com tudo isso, um Whitemane Lion pode voltar a si mesmo para nossa mão. O que isso significa? Que uma cópia dessa criatura em conjunto com um Oketra's Monument pode gerar uma quantidade de fichas por turno igual ao número de manas brancas que possuímos e ainda ficar em nossa mão para que o processo seja repetido no próximo turno ou para proteger/replicar efeitos de outras das criaturas citadas. Essa combinação faz com que nossas criaturas fuja de controle rapidamente e chegue a um ponto onde o oponente não consiga mais cuidar delas nem com remoções, nem com as próprias criaturas no campo de batalha.
 
Entre as duas de criaturas de custo 3 que temos, que podem se tornar criaturas de custo 2, Spell Queller já foi citado, então me resta comentar sobre Reflector Mage, que vira um absurdo quando tem seu custo reduzido. Atrasar o oponente aqui nesse deck é muito importante, justamente por nossas criaturas serem todas pequenas, já que baseamos nosso jogo em quantidade. Felizmente, decks que usam criaturas grandes geralmente não colocam tantas delas no campo de batalha, então um ou outro Reflector Mage, em conjunto com nossos Whitemane Lion, podem tranquilamente segurar o jogo ou abrir caminho para que nossa fichas finalizem a partida.

 

 

Agora a carta mais cara de nossa lista, Cloudblazer, é mais bizarro ainda de ver aqui do que o próprio monumento, pois é de certa maneira bem pesada e com uma habilidade aparenteme... Comum para esse formato. A questão é que, mesmo não tendo citado ainda, nossa lista, assim como a sua versão no Standard, utiliza também Dusk // Dawn para trazer de volta do cemitério todas as criaturas de poder 2 ou menor, incluindo essa de 5 manas que nos garante um fôlego enorme com pontos de vida e cartas extras.

 


Aproveitando então o gancho que criei com esse feitiço duplo, geralmente nosso deck teria problemas com criaturas grandes, ainda mais Eldrazis da vida com atropelar. Conhecem algum? Porém, Dusk // Dawn resolve esse problema enquanto não toca em nenhuma das nossas e podem ter certeza, que em qualquer deck agressivo no formato, a grande maioria delas tem poder igual ou maior a 3, então essa carta nos da uma vantagem muito grande e por apenas 4 manas.
 

 
Por último, e longe de ser menos importante, temos uma singela cóia de Westvale Abbey, que pode se transformar facilmente devido ao enorme número de criaturas que temos. Tome apenas muito cuidado ao ativar essa habilidade, pois Path to Exile, ou um simples bounce de um Cryptic Command, podem acabar com nosso 9/7 e tudo o que sacrificamos para ele. Ainda assim, quando conseguimos prever que não seremos alvo de remoções do tipo, ele sozinho pode facilmente terminar a partida ou nos botar muito à frente.
 

 
Apesar de essa ser a primeira lista que vi, as demais atualmente parecem estar usando muito mais Sky Hussar no lugar de Cloudblazer, pois ele consegue garantir uma compra por turno a partir do momento em que você consegue duas criaturas no campo de batalha, não precisando esperar chegar até 5 (ou 4) manas para isso e se tornando um efeito constante até que você ache melhor conjurar ele ao invés de manter na sua mão. Os pontos negativos são apenas o fato de ele não te dar vida e não interagir bem com Dusk // Dawn, mas aparentemente são irrelevantes perto da aceleração que te oferece durante toda a partida.
 
O nosso jogo realmente fica bem melhor com um Oketra's Monument no campo de batalha, porém, temos de ter em mente que no formato Modern são comuns cartas contra artefatos na lista principal de alguns decks, ainda mais na forma de Kolaghan's Command. Entretant, não morremos assim que ficamos sem o artefato ou sem a possibilidade de ter ele no campo de batalha, já que nossas criaturas possuem efeitos defensivos bons e evasão para atacar,  então cabe a nós durante a partida acharmos meios para contornar a situação, por mais difícil que ela possa ser. Ainda assim, a maioria das vezes que conseguimos desvirar com um Monument em jogo, nosso oponente estará em uma situação bem ruim.
 
Como mencionei, essa lista se posicionou entre os 8 melhores de um PPTQ, então acredito que pelo menos para um FNM ela tem grande potencial e é relativamene barata, tirando os terrenos. Caso você tenha essa base e goste de inovações, vá em frente e garanto que a diversão será certeira, já que pelo menos no Standard o deck é bem gostoso de pilotar.
 
Espero que tenham gostado da novidade, com mais um deck no Modern contando com cartas do último bloco, e espero também que daqui duas semanas, com o lançamento de Ixalan, as coisas se agitem mais um pouco no formato e de uma maneira saudável. Até mais galera, e bom Pré para todos nesse final de semana!

 

 


ARTIGOS RELACIONADOS

Decks da Semana #9 do CLM10: BR MoonRat

Modern: BR MoonRat, por Eduardo Bairrinhos.


Decks da Semana #9 do CLM10: BW Tokens

Modern: BW Tokens, por Christopher L. Silva.


Por Dentro do 5c Humans

Tudo o que você precisa saber sobre a sensação do Modern.


Decks da Semana #8 do CLM10: Abzan Midrange

Modern: Abzan Midrange, por Bruno A. Neivae.


Decks da Semana #8 do CLM10: Naya Aliados

Modern: Naya Aliados, por Jocélio R. Duarte.

MTG Cards



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

Marcio_Janio (20/09/2017 09:11:54)

Acho que vale a pena testar a Planície do Véu Nebuloso, pois no late game ele, caso você guarde um falcão, o que não é nenhum sacrifício, ele possibilita um ciclo de cemitério>grimório>mão e ainda pode ser tutorado por uma Praia Inundada ou um Urzal Ventoso.

Ivanhoe-Oliveira (19/09/2017 02:12:14)

Se falando de cartas do standard, talvez Estratagema Do Ilusionista, poderia ser uma carta interessante para este deck?

mattner (19/09/2017 00:02:42)

vlw morgoth! muito bom! obrigado pela resposta.. eu e meu amigos estávamos com uma tremenda dúvida sobre esse lance de jogar o lion em cima do Spell Queller pra ''anular'' a magica do adversário.. que resumindo é o que acontece né?

morgoth_lotr (18/09/2017 22:49:39)

Tua ordem tá certa. Aí começa a resolver de baixo pra cima: a segunda habilidade do queller resolve, e o oponente joga a mágica exilada. Que mágica? Não tem nenhuma mágica exilada ainda pq a primeira habilidade ainda não resolveu.

mattner (18/09/2017 20:00:43)

fala camarada..

tu disse:

"Quando a habilidade do Lion resolve, o Spell Queller volta para a mão, ativando sua segunda habilidade. "
até ai ok..

"Porém, quando isso acontece, a primeira habilidade do Spell Queller não resolveu ainda, porque foi interrompido pelo Lion e, portanto, não dando nada para ser conjurado para o oponente. Essa habilidade resolve, e aí sim o exílio do primeiro efeito ocorre."

oq eu nao entendi, é pq que só ativa a primeira habilidade do Spell qndo eu uso o Lion.

oponente conjura a magica dele.. vai pra pilha
eu jogo o spell.. vai pra pilha
a primeira habilidade dele vai pra pilha
eu jogo o lion.. vai pra pilha
lion manda o Spell pra mão..
spell sai de jogo, ativando a segunda habilidade dele..

não é essa a ordem da pilha? (resolvendo de baixo pra cima doq foi escrito aqui, é claro)

MrSocrates (18/09/2017 16:48:12)

Quando a habilidade do Spell Queller vai para a pilha, você conjura o Lion em resposta, dando alvo no Spell Queller.

Quando a habilidade do Lion resolve, o Spell Queller volta para a mão, ativando sua segunda habilidade.
Porém, quando isso acontece, a primeira habilidade do Spell Queller não resolveu ainda, porque foi interrompido pelo Lion e, portanto, não dando nada para ser conjurado para o oponente. Essa habilidade resolve, e aí sim o exílio do primeiro efeito ocorre.

Não sei se expliquei direito, até porque é meio complicado mesmo, mas basicamente é um "cheat" que inverte a ordem dos efeitos do Spell Queller.

mattner (18/09/2017 14:20:22)

"Com a presena de Spell Queller na lista, podemos utilizar essa habilidade do Whitemane Lion em resposta à habilidade do espírito de exilar uma mágica do oponente, deixando-a para sempre no exílio, já que a habilidade de permitir que o controlador da mágica a conjure quando Spell Queller sair do campo de batalha vai resolver antes mesmo de a mágica ser exilada, não dando nada então para ele conjurar. "

nao entendi direito, alguém poderia me explicar? hehe
obrigado

Ricardo_R_JR (18/09/2017 13:49:06)

É o "O Submundo do Modern". Um dos poucos espaços por aqui para se discutir listas competitivas desse formato.

persaud (18/09/2017 11:34:23)

Gostei da matéria, mas seria interessante saber como ficaria essa lista no Standard depois da rotação.
Aguardando ansiosamente.

Ricardo_R_JR (18/09/2017 11:00:18)

Gostei dessa lista. Uma outra que me chamou a atenção é Restore Balance jogando em cima de Nahiri, the Harbinger/Emrakul:

24 LANDS
1 Breeding Pool
1 Copperline Gorge
1 Forest
1 Gemstone Caverns
4 Gemstone Mine
1 Island
1 Mountain
1 Plains
1 Razorverge Thicket
1 Sacred Foundry
4 Scalding Tarn
1 Seachrome Coast
1 Steam Vents
1 Stomping Ground
1 Temple Garden
3 Wooded Foothills
17 CREATURES
4 Durkwood Baloth
1 Emrakul, the Aeons Torn
4 Greater Gargadon
4 Riftwing Cloudskate
4 Simian Spirit Guide
10 INSTANTS and SORC.
2 Dismember
4 Restore Balance
4 Violent Outburst
9 OTHER SPELLS
1 Ajani Vengeant
4 Ardent Plea
4 Nahiri, the Harbinger

Participe de um dos maiores eventos de Magic: The Gathering da América Latina