Que horas a vitória volta?
29/11/2017 10:00 / 2,832 visualizações / 10 comentários

 

Treinos feitos.

 

Sei o que o meu deck faz.

 

Sei o que os outros decks fazem.

 

Primeira rodada, sem problemas, vitória.

 

Segunda rodada, tudo no script, vitória.

 

Terceira rodada, derrota, mas fiz o que tinha que ser feito.

 

Cabeça no lugar.

 

Da repetição vem a perfeição.

 

Quarta rodada, tudo ok, vitória.

 

Quinta rodada, Bubble Match, jogo tenso, concentração e vitória.

 

ID agora e relaxar, beber água e comer.

 

Top8, repeteco do suiço, vitória dentro do esperado.

 

Top4, jogo difícil e o adversário erra, é a janela, só subir em cima e vencer.

 

Final, caos, erro, derrota. De novo. De novo. De novo. De novo. De novo. De novo. De novo.

 

No filme "A Morte Te Dá Parabéns", a personagem vive em loop o mesmo dia, sendo que no final de cada um desses dias, ela é assassinada. Perder múltiplas finais é um sentimento parecido, o script é diferente, mas o final sempre o mesmo. 

 

Como em uma sessão de AA, eu assumo que estou em um loop de derrotas em finais desde a temporada Modern, e contando a atual, são 5 top8s em 7 PPTQs, duas finais e três top4s. Quando você começa a colecionar top8s em formatos diferentes, você pode ver a coisa de duas maneiras, ou que está jogando bem, ou que, com certeza, o problema é você

 

Esse tipo de pensamento te leva à uma espiral de desespero, achar que o único fator comum é você, e que, logo, a peça entre a as cartas e a cadeira é que te impede de vencer, leva à pensamentos autodestrutivos. Se você está treinando, se está dando tudo certo, como arrumar essa peça? Eu simplesmente não consigo vencer?

 

Primeiro é preciso pensar com calma, nessas situações nosso cérebro é horrível analisando o resultado.

 

Fazer top8 constantemente significa que você está jogando bem. Digamos que sejam sempre 5 rodadas de suiço e você sempre perca no top8, se você subir sempre com um resultado de 4-1, sua média ao final de cada torneio é de 4-2, o que não é ruim, se só perder na final, é 6-2, uma média realmente boa. Se isso fosse sua média de acertos em provas escolares, e sua média fosse sempre 6,5 ou 9, convenhamos, você seria um bom aluno. 

 

 

Um ds grandes problemas de quando você está grindando qualquer coisa é que não existe merecimento ou "ir bem", só existe "vencer" e "perder". Não existe o "eu fiz o meu melhor, ganhei três boas premiações e joguei até o último jogo do torneio", existe apenas "perdi três finais seguidas, e estou fora do RPTQ". É difícil entender que dedicamos tempo e dinheiro em algo e não conseguimos o objetivo, é frustrante, e essa sensação não te leva à bons lugares.

 

Pensar o porque das derrotas ajuda a analisar friamente, "meu oponente jogou melhor", "bad match", "mindset incorreto", "joguei errado", "plano ruim de side". São todos motivos bem comuns e quero ressaltar que não vou culpar a variância, é fácil falar que o oponente compra bem e você compra mal, um jogador que só culpa a variância é mais um jogador frustrado do que um analista. "Meu oponente jogou melhor", "plano ruim de side" e "joguei errado" significam que falta nos treinos aquele algo a mais para resolver a final, talvez treinar mais ajude, ou jogar com pessoas diferentes. "Bad match" pode nos levar a pensar se o deck escolhido era o melhor, ou entender que em alguns formatos os pairings são importantes e que é preciso entender esse fator. "Mindset incorreto" é algo importante de analisar, em um artigo sobre o último GPSP, eu falei como isso era importante e como em partidas de grande pressão, o mindse correto resolve mais do que match up ou habilidade. 

 

Em todos os casos, a proposta é analisar essa derrota como qualquer outra, entender o que aconteceu e ver cada detalhe, com calma. Claro que a final não é qualquer jogo, muita gente joga pior quando tem outros assistindo, ou sente a pressão de um jogo importante. Ter a experiência de jogar mais finais é o que vai te tornar melhor.

 

Cada derrota, principalmente as de final ou de  algum top, gera um fantasma que vai nos assombrar, eu mesmo lembro até hoje a primeira vez que perdi no top8 de algo que eu considerava importante, lembro que esqueci de uma habilidade em uma partida e que em outra mantive uma mão ruim para aquela match. Tem quem defenda que você precisa exorcizar esses fantasmas, e assim seguir em frente. No geral, eu também sou a favor de exorcizar fantasmas do passado, mas nesse caso, eu prefiro carregar eles comigo, um me lembra de sempre pensar na mão inicial e não ter medo de mulligar, outro de olhar melhor o combate, outro de treinar mais, e assim por diante, gosto de pensar que, apesar da frustração, que é forte, cada derrota dessas só me faz melhor, e desistir é a única coisa que não vai me fazer vencer, então é jogar cada partida apenas como uma partida e bola pra frente.

 

Para finalizar, cuidado para sua vontade de vencer não se tornar obsessão, é um limite bem tênue, entenda que tem uma hora que o saudável é tirar uma folga e ir ver um filme, sair com os amigos e esquecer de competir, para poder voltar e ver tudo com outro olhos. Depois de muito treino, o melhor pode ser apenas relaxar.

 

 

Vou ficando por aqui, e a gente se vê em algum top8!

 

Ruda

TAGS: 

Rudá Andrade dos Reis (VIP STAFF Ruda)
Aficionado por decks azuis agressivos, mas que não dispensa um bom Siege Rhino nas horas vagas, está no Magic desde 2003, em Flagelo. Em 2012 começou escrever sobre Magic e não parou mais, sendo que em 2015 se tornou Editor da Ligamagic.
Redes Sociais: Facebook, Twitter
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Existe Harmonia no T2 com Éter?

A dominância da mecânica de Energia pode levar a um ban?


Também erram no Olimpo

Comentando as partidas do Pro Tour.


Na Vida do Grind: Saindo da Zona de Conforto

A difícil hora de mudar.


Sideboard Series: O Todo acima da parte

Olhando as 75 do baralho.


MTG101 - Jogando ao Redor

Existe algo do outro lado da mesa.

MTG Cards



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

VIP STAFF Ruda (30/11/2017 21:46:26)

Todo mundo que o deus do textão é o #pra4grilo, somos meros aprendizes.

BUSINESS laemcasa (30/11/2017 21:21:00)

Senti a indireta =(

BUSINESS laemcasa (30/11/2017 21:20:34)

Triste forma de viver a nossa.

VIP STAFF Ruda (30/11/2017 21:17:13)

Pra vc, pra mim, pro sanduba...

BUSINESS laemcasa (29/11/2017 18:12:49)

vc escreveu esse artigo pra mim? =(

Bessovaldo (29/11/2017 15:45:44)

treinar o psicológico é essencial.
acredito que seja esse o ponto que está deficiente em voce.
crítica construtiva após ler o texto.
abraço e boa sorte nos próximos!

VIP STAFF sandoiche_13 (29/11/2017 13:17:32)

Enquanto uns choram em post no facebook, outros choram nos artigos da Ligamagic! <3

Bom, nessas últimas duas temporadas de PPTQs e na atual não consegui minha vaga no RPTQ, mais ou menos na mesma que você: múltiplos Top 8, 4 e finais, em formatos, decks e momentos diferentes. Na minha conta são um Top 4 de UR Control (época do Marvel), um Top 8 de BG Cobra (pós-ban do Marvel), um Top 8 e Top 4 de Ad Nauseam, uma Final de RG Valakut, uma final de Temur no T2 e uma final de BW Vampiros no Draft de Ixalan.

Acho que sempre temos como melhorar algum aspecto no nosso jogo, e continuar tentando que uma hora vai. Apesar de terminar sempre no Top 8 ou na final não ser exatamente o que nós, grinders, queremos, não está sempre chegando lá por acaso, então ao menos no caminho certo estamos.

edutsubaza (29/11/2017 11:04:58)

Outra coisa que desconsiderava, TIME, isso mesmo, TER UM TIME.
Isso aumenta a porcentagem de finais e vitórias em um nível ABSURDO.

As "Panelas Teams" (Guardem suas pedras)

Ajudam

1 - Aquisição dos cards para fechar os decks competitivos mais rápido pós-realease, enquanto muitos estão ainda construindo (WinRate gigante)
2 - Na estratégia - exemplo: "tirar os bad matchs do torneio construído", onde alguns decks do time são construídos para conseguir pelo menos 2 vitórias para emparelhar os bad matchs para baixo.
3 - No treino e observação do field (essencial)
4 - Na organização do material e a ter decks montados (não tem noção como se perde tempo com shield)
5 - E ajuda nos "Auto ID'S camuflados em vitórias" que não precisa explicar.
6 - Ajuda até no descanso (Mais IDs) e nas viagens (racha, mais gente para dirigir, etc)

Sibin (29/11/2017 11:04:42)

Team Rabo de Ribeirão Preto ganhou tanta final de PPTQ em cima que até virou artigo na Liga rsrs

#vilelamito
#palaretimito

edutsubaza (29/11/2017 10:47:07)

mimimi, jogador fraco, aceita que doi menos, vai jogar yugi-oh, magic é para aos fortes, você é meu freguês, [TROLL OFF]

Talvez não apareça aqui, contudo no ambiente tóxico das lojas e do "médgic" competitivo é quase que natural ouvir essas asneiras.

Eu já experimentei essa sensação da "Lei de Murphy" e do "loop da Derrota" e cheguei a seguinte conclusão: Magic é um jogo em que ganha quem erra menos, mas a aleatoriadade
também conta.
Comecei a investigar em que eu estava errando e encontrei, corrigi e comecei a vencer, contudo tem hora que coisas estranhas acontecem (parear a final sempre com um bad match ou enfrentar mirror várias vezes seguidas por exemplo)
Um dia até me aconteceu de enfrentar Monowhites com Firewalker de maindeck e Leyline em tempos de Zendikar, eu estando com Monored campeão de GP.

Então a melhor coisa é desencanar, pedir para gravar as finais, ver em que está tiltando, se desfazer das certezas de que está fazendo tudo certo, e preparar side contra essas matchs, mesmo se elas não vierem, e jogar muito, principalmente melhor de 3 e 5 sem preguiça de sidear.

De resto a vitória vem, cedo ou tarde, perder faz parte e é nela que aprendemos mais.