A Hora do Pauper: Stompy
05/09/2019 10:05 - 11,444 visualizações - 22 comentários

E aí galera, tudo bem? Aqui quem vos escreve é o Heli e hoje venho trazer mais um deck tech aqui na LigaMagic! O deck escolhido de hoje é o Monogreen Stompy, que vem surpreendendo após as mudanças do formato, se mostrando um deck capaz de resistir a quantidade de remoções dos midranges e agressivar contra os decks control.


Antes de começar a análise, quero agradecer novamente a LigaMagic pela oportunidade de ter uma coluna quinzenal, falando apenas sobre Pauper! A “Hora do Pauper” é um passo gigante na minha vida como produtor de conteúdo e quero agradecer muito a vocês, leitores e jogadores, que deixam seus comentários e discutem diariamente esse formato que tanto têm evoluído e crescido no Brasil. Estou recebendo muitos feedback que têm contribuído enormemente para meu crescimento como produtor, sejam com ideias, temas ou com observações sobre escrita, até porque não tenho formação nenhuma na área, sendo um aprendizado diário sobre como escrever melhor.


Bom, no meu último artigo, que você pode ler aqui, analisei a tríade de decks que têm regulado o formato, se alternando nas primeiras colocações nos campeonatos importantes tanto do MTGO quanto no IRL. Deixei vários números sobre esses decks, mas um deles acabei não comentando e hoje trago essa informação atualizada:
 


 

Nesse quadro vemos os vencedores dos últimos treze Challenge no MTGO (todos após a Blue Monday) e o Stompy têm se mostrado forte o suficiente para voltar a ser um tier 1 e superar todas às remoções e fogs que temos em nosso metagame. Devido a esse crescimento e performance acima do previsto, vamos conversar mais sobre esse deck e suas opções.


Abaixo temos a lista do campeão do Challenge do dia 18/08/19:


Stompy - Challenge 18/08/2019
7687 visualizações
01/09/2019
R$ 159,03
R$ 297,17
R$ 574,41
7687 visualizações
01/09/2019
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (25)
3  Esquiva-Fosso de Skarrgan 0,75
2  Patrulheiro Quirion 16,00
4  Sentinela da Urtica 0,94
4  Emissário da Árvore Flamejante  0,85
3  Eskirge da Câmara  1,49
4  Invasor de Ninho  0,95
3  Jiboia  0,15
2  Silhana Saltador de Peitoril  3,32
Mágicas (11)
4  Fome da Alcateia Uivante 0,25
4  Patada Selvagem 0,14
3  Trepadeira de Matavasta 3,75
Encantamentos (7)
4  Rancor 4,00
3  Elefante Guia  0,32
Terrenos (17)
17  Floresta0,00
60 cards total

Sideboard (15)
3  Aranha Escondida 9,89
2  Arco Longo Viridiano 1,49
2  Golpe Visceral 6,27
1  Confronto Épico  0,09
3  Resistir à Tempestade  0,51
4  Sabotagem Jubilante  6,42


Esse deck sofreu bastante com o crescimento dos Monarca decks, devido ao seu número de remoções e depois contra o UB perdendo turnos iniciais contra Daze e sendo difícil superar um Gurmag Angler ou remoções como Snuff Out e Ghastly Demise. Claro que seu maior trunfo é ter um número substancial de criaturas relevantes em combate, porém mais que quantidade, o Stompy oferece qualidade como um Skarrgan Pit-Skulk ou Burning-Tree Emissary. Temos visto, consistentemente, o deck conseguir vitórias no turno 4 ou 5, superando o Affinity como um dos deck mais explosivos do formato, não de uma forma suicida como o RDW, mas superando às eficientes remoções do formato com proteções e se valendo de criaturas evasivas como a surpreendente River Boa. Vamos entender esse deck melhor, vendo as opções da lista apresentada:


Savage Swipe: preferi começar falando dessa adição de Modern Horizons, pois ela é um dos motivos da ascensão do Stompy. Obviamente, os decks aggro sofrem por não terem remoções, então criaturas como Kor Skyfisher, Augur of Bolas ou mesmo Stonehorn Dignitary atrapalham muito, com isso Savage Swipe se tornou uma peça fundamental na estratégia do deck, tirando bloqueadores iniciais, sem perder agressividade ou gastando muitos recursos. Seu CMC reduzido fez ela ser utilizada no lugar de Epic Confrontation, mesmo com a restrição de ter uma criatura com poder 2, o que não é difícil pois o deck tem quatro criaturas nessa condição, além de poder alcançar isso sem problemas com criaturas com poderes menores, se for preciso. Na minha opinião, é a melhor adição pro deck em anos, talvez sendo melhor individualmente melhor que o downgrade de Burning-Tree Emissary, o que mostra a eficiência dessa mágica, que realmente faltava para dar competitividade ao deck.


Criaturas: usando um playset de Nettle Sentinel, Burning-Tree Emissary e de Nest Invader, o deck possui um um pacote considerável de criaturas com sinergia com Savage Swipe, podendo criar uma sequência de turno 1 e 2 difícil de ser combatida. Além de quantidade de criaturas, Vault Skirge, Silhana Ledgewalker e Skarrgan Pit-Skulk fornecem evasão para deck, diversificando seus ataques, além da River Boa, que têm reinado nessa metagame cheio de Jeskai e suas ilhas, permitindo um caminho tranquilo para que essa cobrinha faça estragos; sem contar sua habilidade de regenerar, que se torna um enorme problema para o oponente já que a maioria das remoções causam dano ou destroem. Por último, temos a eficiente Quirion Ranger, que possibilita manter mãos com apenas um terreno, se valendo de sua habilidade de voltar uma floresta, podendo usar duas manas no turno 2, com apenas um terreno. Nessa questão de manas, ainda temos o token de Eldrazi Scion (gerada pelo Nest Invader) que pode gerar uma mana incolor, que pode ser relevante em algumas situações.


Mágicas: já falamos de Savage Swipe, mas ainda temos duas mágicas instantâneas que são fortíssimas nesse deck: Vines of Vastwood e Hunger of the Howlpack; a primeira é usada basicamente para proteger suas criaturas, porém devido a seu kicker você dar +4/+4 para sua criatura, seja para superar um bloqueador, finalizar uma partida ou mesmo dar mais resistência para sua criatura, como resposta à seu oponente que cometeu o erro de dar um Skred na sua fase combate; a segunda pode ser utilizada para dar um marcador +1/+1, porém seu potencial está em usá-la com a habilidade de Morbid ativada colocando três destes marcadores, tendo uma sinergia absurda com aquele token de Eldrazi Scion do Nest Invader, ou mesmo após um Savage Swipe remover uma criatura do seu oponente. Como se não bastasse o deck ainda possui dois encantamentos muito fortes: Rancor é clássico e fornece a agressividade e evasão necessária para vencer, além da recursividade, podendo retornar para sua mão se a criatura que está encantando morrer; Elephant Guide é um dos finishers do deck, pois quando encanta uma Silhana Ledgewalker derruba a defesa dos seus oponentes, além da possibilidade de estar em um Vault Skirge e virar a corrida contra outros aggro a seu favor. E não podemos esquecer, que Elephant Guide ainda pode deixar um token de elefante 3/3 caso a criatura que esteja encantando morrer….

 

Opções para o main deck: eu acredito que o deck tenha pouco espaço para mudanças, sendo mais comum alterar apenas as quantidades das cartas apresentadas. De qualquer forma, seguem algumas ideias que podem ser relevantes:

 

  • Wild Mongrel - era mais utilizado quando Prismatic Strands era certo em todos os deck com Branco. Ainda pode ser relevante para usar aqueles terrenos comprados a mais;
  • Young Wolf - muito utilizado quando MBC era tier 1 no formato, ainda pode ter seu espaço caso seu metagame possua um grande número de decks com remoções pontuais;
  • Groundswell - mágica que acabou perdendo espaço pela entrada de Savage Swipe e da dependência do Landfall. Sua interação com Quirion Ranger é muito relevante, então pense nela caso use mais do que duas cópias do elfo;
  • Moldervine Cloak - comumente usado no lugar do Elephant Guide, pode ser útil devido a recursão do Dredge em situações que você precisa de mais poder na board;
  • Aspect of Hydra  - uma escolha inusitada, mas considerando que você tende a ter mais criaturas na board, portanto mais devoção, acho uma opção interessante para finalizar jogos.


SIDEBOARD
 

  • Hidden Spider: desculpem o trocadilho, mas esse tesouro escondido se provou muito útil em um metagame cheio de pássaros, como Kor Skyfisher e Glint Hawk. Essa carta de Saga de Urza surgiu como excelente opção, vencendo partidas sozinha, como pode visto na Pauper Premier League que nosso amigo Ricardo Mattana conseguiu deixar a token de Spider 11/11 com atropelar!
  • Gut Shot: sabemos que qualquer free spell é um problema, mas aqui ela é usada para tirar bloqueadores, matar Standard Bearer ou até mesmo finalizar seu oponente;
  • Epic Confrontation: perdeu espaço no main deck após o lançamento de Savage Swipe, porém é mais uma remoção, que pode ser útil por não depender de uma criatura com poder 2;
  • Weather the Storm: eventualmente você precisa apenas de tempo para ganhar partidas e quantidade de pontos de vida ganhos com essa carta podem ser fundamentais;
  • Gleeful Sabotage: a cor verde possui muitos hates de artefatos e encantamentos, mas esse é perfeito num deck com criaturas como este, podendo gerar mais do que uma cópia em várias situações.

 

Outras opções para o sideboard:
 

  • Hates: Relic of Progenitus pode ser utilizado, mas acaba mudando a característica agressiva do deck, então tome cuidado ao optar por ela. Contra encantamentos/artefatos ainda temos Serene Heart (lembre que seus encantamentos serão destruídos também) e Natural State (que pode destruir ambos) como boas opções;


O deck subiu muito no metagame, mas acredito que tenha pouco espaço para alterações, sendo melhor pensar em como utilizar suas ferramentas nos vários cenários. Seguem algumas dicas que podem ajudar a definir suas estratégias:


Mirror: além do óbvio “quem comprar melhor ganha”, Savage Swipe brilha nessa match, além das criaturas com evasão e do uso correto do Hunger of the Howlpack . Outro destaque fica por conta do Vault Skirge, que pode virar totalmente a balança da race para seu lado;


Midranges: é uma partida complicada, que depende muito do número de remoções do deck do seu oponente, principalmente pós side, pois cartas como Swirling Sandstorm e Pestilence são devastadoras nessa match. Saiba usar seus Vines of Vastwood  e procure aumentar o poder da Silhana Ledgewalker, que é bem difícil de ser removida atualmente;


Tron e outros big mana: essa partida é decidida em quanto tempo seu oponente fará o lock com algum fog, como Stonehorn Dignitary ou Moment's Peace . Você terá poucas interações para evitar isso, então agressividade é sua melhor estratégia para lidar com esses decks. Devido às correções de cores de mana, boa parte destes decks usam Prophetic Prism  ou Arcum's Astrolabe, o que te possibilita o uso de Gleeful Sabotage;


Aggros e aggro/combo: contra aggros como RDW, você possui uma qualidade maior de criaturas, que normalmente fica tranquilo lidar com bichos 1/1, porém fique atento pois a board do seu oponente normalmente ser maior que sua e às coisas podem sair de controle, principalmente com o Goblin Bushwhacker. Contra Burn o g1 será definido para seu lado pelo número de ataques que você conseguir fazer com o Vault Skirge e no g2 pelo lifegain do Weather the Storm. Contra Affinity, o grande vilão é o Atog, por isso faça seu oponente perder o maior número de artefatos para salvá-lo, mesmo que você perca alguma criatura no processo. No g2, saiba usar Gleeful Sabotage para zicar seu oponente no early game ou evitar um Fling letal, mas lembre-se que você enfrentará um Krark-Clan Shaman do lado do seu oponente.


Bom galera, vou ficando por aqui e espero que tenham gostado da análise. Um abraço a todos e até mais!


Heli Mateus ( helimateus)
Heli Mateus conheceu o Magic em 1998, mas começou a jogar em 2015 quando conheceu o
formato Pauper. Hoje é entusiasta do formato e produtor de conteúdo, principalmente como
podcaster sendo host do PauperView e cohost do RakdosCast.
Redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter
LigaMagic App



Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

DarthThanathos (20/10/2019 01:48)

Análise muito boa do deck e de seus matches. Esse segundo ponto achei muito importante pois ajuda a estabelecer bem onde está posicionado o deck em meio ao meta.

Nunca fui muito jogador de aggro, mas o Stompy me cativou graças às performances do Mattana. Estou nos primeiros estágios de aprendizado do deck, mas acredito que talvez seja capaz de jogar melhor com ele que me parece mesmo ser um aggro mais robusto que o RDW, Goblins ou qualquer versão de Suicide Black.

Fabinho_Aveiro (14/10/2019 15:17)

Parabéns,tu tens me ajudado muito com estas análises de decks,comecei a pouco no pauper e magic em geral,mas já conhecia desde 2001.Estes conteúdos nos ajuda a nos encontrar e não ficar perdidos na imensidão de cards em que há.Obrigado

MMAMetal (09/09/2019 12:03)

Eu jogo forfun, então enfrento poucos decks do meta porque não jogo campeonatos porque meus horários não batem... mas ainda de vez em quando encaro no forfun Bogles, Delver, MBC (que é o que eu costumo ter mais dificuldade por conta dos sacrifícios), e ainda não enfrentei esses decks pós-Modern Horizons com terrenos nevados.

Eu coloco o side pra tentar terminar a partida mais rápido, se o primeiro round foi vantajoso para o adversário. Se for contra tokens eu deixo com mais criaturas, por exemplo.

helimateus (09/09/2019 09:08)

Opa, q bom q pude te ajudar! Esse é o intuito dos meus artigos! Valeu cara e sucesso com o deck!

helimateus (09/09/2019 08:33)

Gostei das suas listas. No Boros, vc sobe as cartas pretas contra o q? Como tem sido o resultado dos seus decks contra os tier do meta?

RafaelP (08/09/2019 11:30)

Parabéns Heli, me ajudou bastante a entender o deck. Este é um deck que venho montando a um tempo e só agira consegui fechar o deck. Gostei bastante do artigo! Abraço!

Alanzito (07/09/2019 01:39)

Jogando online por enquanto foi os que deum mais trabalho. Foi White heroic e Elfos os demais deu pra ganhar de boa até. Mais no final tudo depende da sorte dos cards que você tira tb rss

MMAMetal (06/09/2019 18:50)

Minhas duas listas principais são essas, a Boros ( https://ligamagic.com.br/?view=dks/deck&id=1313502 ) e a Simic ( https://ligamagic.com.br/?view=dks/deck&id=1313503 ), ambas com o mesmo side. Elas não estão 100% fiéis aos decks atuais porque esqueci de atualizar, mas está bem parecida.

Estudo fazer um heroic de 5 cores, mas os terrenos comuns não ajudam rsssssssssss

helimateus (06/09/2019 18:43)

Opa, mto obrigado pela correção! Ficarei mais atento! Mto obrigado

helimateus (06/09/2019 18:42)

É uma match complicada, pois sai de controle mto fácil...vc tem remoções pontuais e se ficar na defensiva, vai perder a Race...

helimateus (06/09/2019 18:40)

Opa, vou colocar na lista aqui! Valeu!

helimateus (06/09/2019 18:39)

Sério? Manda sua lista ae...valeu!

helimateus (06/09/2019 18:39)

Valeu, obrigado!

helimateus (06/09/2019 18:39)

Fala ae, blz? Listas de Boros heróico eu já vi, mas ainda não vi nenhuma com preto, se puder compartilhar...
Sobre a relação do Heróico com o Stompy...eu acho os dois com algumas semelhanças, mas grandes diferenças em como se ganha com o deck. O Heroic tende a fazer um megazord, dar proteção e matar; o Stompy quer mais criaturas, dar evasão ou buff nas criaturas q não são bloqueadas. O Heroic ganha eventualmente até com uma criatura, pois a protege mto bem...

Purunfii (06/09/2019 15:31)

Eldrazi spawn.... 0/1... Não scion,que é o 1/1...

Alanzito (06/09/2019 00:17)

Deck que eu vi que stompy tem dificuldade e conta Elfos

Rafaelsr1990 (05/09/2019 21:28)

Cara, veja bem a análise do Stompy que o Heli fez, note as características em comum entre heroico e stompy e vá pra o mais importante as diferenças entre ele qnt os respectivos aspectos de resiliência, veja que o o potencial de encher a board, proteger/pumpar as criatura com speel 2x1 e a propria capacidade de remover bloqueadores no Stompy é consideravelmente maior a capacidade do que no heroico. As opções de sideboard dentro do (mono) copie pie verde do deck é maior do que o branco para responder ao meta atual, ou seja, faltam opções viáveis na gama de cartas comuns legais no pauper que possam ter um Power level tal qual é a da Gama de cartas que compõe a pool que forma o deck Stompy.

marcusmacedo87 (05/09/2019 20:09)

Heli, faz um artigo sobre o deck de Elfos!

Fabioliveira (05/09/2019 15:46)

Jogo com uma mistura de Stompy com auras

malditasaranhas (05/09/2019 14:58)

artigo bem interessante.

lucianocavaco (05/09/2019 14:24)

O MonoWhite é o que tem jogado mais pois consegue comprar cartas, focar em encantamentos e proteger as criaturas

MMAMetal (05/09/2019 11:37)

Heli, eu não jogo pauper competitivo por conta de horários (trabalho das 10:00 às 20:00 e a pelo menos 40 minutos de distância da loja mais próxima) mas tenho pauper heroic, consigo fazer em praticamente todas as combinações. O que eu acho melhor pra jogar casual é o Boros com side preto para infect.

Devido às semelhanças entre os dois decks, já que ambos são preocupados em buffar criaturas e bater o mais forte possível, você vê o pauper heroic com mais espaço no meta?