Espalhando a palavra e pisando em espinhos
Produzir conteúdo de Magic com certeza já foi uma tarefa muito mais árdua e complicada há alguns anos, mas com o advento da internet, isso melhorou muito. No entanto, ainda são muitos os desafios por trás dessa aventura que é criar conteúdo de MTG, embora eles sejam desconhecidos pela maiori..
03/10/2019 18:05 - 5.254 visualizações - 17 comentários
Primeiro, antes de tudo, queria agradecer pelo engajamento imenso que foi no meu último artigo! Nove mil e Quatrocentos views! Esse é meu artigo mais visto desde que comecei a escrever. E lendo a caixa de comentários de vocês, me parece que vocês realmente ou não leram todo o artigo, ou não fizeram uma boa leitura do mesmo, então vamos a alguns pontos que preciso ressaltar.
 
 
1- Não sou o maior fã da política de reimpressão da Wizards, mas mudando muito o modo como ela funciona hoje daria um grande prejuízo para os maiores clientes dela.
 
 
2- Não sou absolutamente contra o uso de proxyies e de programas piratas para jogar Magic, eu (e meu playgroup todo) faço uso de ambos em algumas situações, mas acredito que essas ferramentas só deveriam ser usadas por quem não tem condições de ter acesso ao jogo original. É como procurar DVD pirata de um filme que você tem condição de achar na Netflix, que você também tem condição de pagar.
 
 
Com as devidas observações aplicadas vamos ao artigo. Hoje venho falar da importância que a produção de conteúdo tem para manter o Magic vivo e saudável. Eu sei que tem gente aqui que não liga muito pra isso, mas acredite ou não é fundamental para o funcionamento do jogo que existam pessoas dispostas a gastar seu tempo a criar entretenimento para o público que consome o jogo, e independe da mídia, seja no YouTube, seja na Twitch, seja um podcast, seja escrevendo artigos, seja publicando no Instagram ou qualquer outro.
 
 
Primeiro, vamos tentar aplicar esse cenário, onde criadores não existem para outros jogos mais “populares” que o Magic. Onde estariam hoje LoL, Minecraft, PUBG, Undertale se não fossem a quantidade absurda de pessoas que começaram a fazer vídeos dos jogos e a stremá-los quando começaram as primeiras plataformas de transmissão? Imagine agora isso com o Magic. 
 
 
E, com a idade do MTG, precisamos lembrar que a produção de conteúdo sobre ele não começou no digital : onde estaria o nosso cenário nacional se não fossem revistas como a Dragão Brasil publicando artigos e mais artigos sobre o joguinho? Falando sobre os campeonatos mais importantes, destacando os primeiros eventos do país, e nos mostrando os primeiros decks “meta”. 
 
 
 
 
Quantas pessoas vocês já ouviram ter conhecido e começado a jogar Magic: The Gathering por causa dessas revistas lá pelo fim da década de 90? Eu sei que no meu círculo pelo menos umas 15 ou 16, e pense o quanto o alcance de uma revista é limitado, você tinha que sair de casa, ir numa banca, e entre um monte de revistas, gastar seus suados trocadinhos em uma única. Um único vídeo recente  do André Manenti, disponível a cerca de alguns cliques em qualquer celular, tem cerca de onze mil visualizações, imagine a quantidade de gente nova que pode conhecer o jogo dessa maneira?
 
 
Mas claro que nem tudo são flores, e na verdade, é mais pra falar dos desafios de criar conteúdo que eu vim aqui. Pra quem não sabe, além de colunista, eu sou podcaster de Magic, e recentemente conversei com três amigos meus sobre esse assunto no meu programa. O episódio você pode ouvir clicando aqui e eu altamente recomendo que você o faça antes de prosseguir a leitura deste artigo…
 
 
Ouviu? Se não ouviu e continuar a ler abaixo desse parágrafo você nunca mais vai jogar com uma mão melhor que um mulligan para 5, é arriscado heim? Ok? Então vamos continuar.
 
 
A inspiração para esse artigo veio alguns dias depois de postar esse episódio do podcast, e ele é basicamente um resumo do que eu tirei após ouvir meus colegas , Thiago, Lygia e MP falarem sobre o sentimento deles a respeito do mesmo tema. E a principal conclusão que eu tive após isso tudo é que no fim das contas SER PRODUTOR DE CONTEÚDO PODE SER UM TRABALHO INGRATO. Calma, tem algumas explicações a serem dadas. No último artigo que postei, sobre Pirataria, me deparei com um comentário que me deixou deveras intrigado :
 

 
 
O primeiro comentário é claramente uma sugestão de um tema de um artigo, aliás uma ótima sugestão (fica na minha gaveta de ideias), e sabe esse é o tipo de comentário que todo mundo que escreve aqui gosta de receber, já o segundo...ah… o segundo… A primeira coisa que me deixou triste ao ler o comentário é ver alguém dizendo que não exista um colunista que tenha perfil para criar um artigo completo que gaste tempo, pesquisa e estudo. Sabe… é claro que um artigo completo desse não sai da noite para o dia, e nós aqui somos cobrados escrever com uma certa frequência, mas o que impede que alguém faça algo maior em segundo plano enquanto vai escrevendo os artigos menores? Por exemplo esse excelente artigo da Carol Anet sobre relatos de assédio contra mulheres no Magic, que ela levou MESES escrevendo e é o artigo mais visto do site até hoje. 
 
 
A segunda coisa que me entristeceu é que o dito cujo disse que quem escreve na Liga não é pago o suficiente para isso. Tá aí uma visão do criador de conteúdo que realmente me entristece, a de que a gente só faz as coisas se estiver sendo pago para isso. A verdade é que muito do pessoal que recebe alguma coisa pra criar conteúdo, recebe alguns poucos trocados, não dá pra pagar as contas com Magic e muito porque se um streamer, youtuber, podcaster, pede uma doação ou um apoio mensal, para poder investir na qualidade do conteúdo, muito do que ele recebe de volta são mensagens como “mercenário”, “nunca que vou pagar pra ter conteúdo que vejo de graça”, e quando são mulheres ainda ganham xingamentos que não cabem ser mencionados aqui, além de gente que faz isso na esperança de conseguir encontros amorosos ou fotos íntimas e que quando (obviamente) não conseguem ainda entram no grupo dos que xingam.
 
 
Muitas vezes tudo o que um criador de conteúdo quer é uma demonstração de que seu público interessado no que ele está produzindo, seja ela um comentário construtivo, um sorriso, um pedido de autógrafo numa land básica, uma foto, ou qualquer coisa do tipo. Normalmente não ganhando nada e TIRANDO DO PRÓPRIO BOLSO pra isso, só por amor ao jogo, só por querer trazer novos jogadores, e muitas vezes ter como recompensa a recepção de um público incrível como pode ser o do Magic, mas que às vezes esquece que nosso trabalho SÓ EXISTE POR CAUSA DELE.
Miguel Augusto Camarano ( MCamarano)
Miguel Augusto Camarano de Oliveira, ou somente Camarano, nasceu e mora em Goiânia-GO, é estudante de Publicidade e Propaganda na Universidade Federal de Goiás começou a jogar Magic em 2017. Jogador de praticamente todos os formatos, é um apaixonado pela groselha, gosta do aspecto competitivo do jogo. Podcaster e Youtuber busca mostrar como o Magic pode ser impactante na vida das pessoas
Redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 07/10/2019 13:30

kkkkkkkkkkkkk

(Quote)
- 06/10/2019 23:29
E eu tinha achado que o artigo das proxies era o mais "White People Problems" da Liga...
(Quote)
- 06/10/2019 17:55

Iria metralhar o botão de like no comentário se houvesse um aqui na liga.

(Quote)
- 06/10/2019 17:51
Concordo!! Isso mesmo, mas com isso ninguém diz que é fácil, que não seja trabalho ou algo do tipo. Só que ser bem sucedido e ter sucesso em algo exige muito. Isso inclui estudo (não só do jogo), organização e frequência.
(Quote)
- 06/10/2019 16:47
O que ocorre na maioria das vezes é o sonho de querer transformar um hobby no seu ganha pão. O que começa de maneira informal é até descompromissada, acaba de repente ganhando um estato de profissionalismo, porém alguns ao se depararem com a saturação do mercado, diversidade do público, a não manutenção de uma excelência e até uma auto crítica em observar a relevância do conteúdo produzido,preferem externalizar as suas frustrações no público consumidor, por não se sentirem retribuídos por seu aparente esforço. Um pequeno relato do que observei nas mídias que consumo, ouvia Podcast com falta de pauta para não perder o foco do assunto, além do áudio ruim, em vídeo assistia canais de lore onde apenas eram regurgitados a lore sem nem um compromisso com o que estava sendo dito ali. Em vídeo de decktech sem imagem das cartas apresentadas e quando tinham apareciam em resolução inferior e tamanho reduzido, além da falta um roteiro pra embasar o vídeo, em gameplay uma ausência de explicação em jogadas, em site de notícias sobre Magic encontro vários artigos que apenas preenchem lacunas. Em resumo a produção de Magic BR é grande, porém de baixa qualidade
Últimos artigos de Miguel Augusto Camarano
O que é uma carta de Magic?
Aparentemente a resposta parece simples, mas se olharmos a fundo veremos que as coisas podem ser bem complicadas de se entender.
4.592 views
O que é uma carta de Magic?
Aparentemente a resposta parece simples, mas se olharmos a fundo veremos que as coisas podem ser bem complicadas de se entender.
4.592 views
Há 28 dias — Por Miguel Augusto Camarano
RETROSPECTIVA MAGIQUEIRA 2019
Como foi o ano de 2019 para a comunidade de Magic: The Gathering ( em especial no Brasil ) de notícias sérias a alces verdes 3/3 sem habilidades
2.854 views
RETROSPECTIVA MAGIQUEIRA 2019
Como foi o ano de 2019 para a comunidade de Magic: The Gathering ( em especial no Brasil ) de notícias sérias a alces verdes 3/3 sem habilidades
2.854 views
18/12/2019 10:05 — Por Miguel Augusto Camarano
QUEBRANDO FORMATOS...ou talvez não
Jogar propositalmente com um deck ruim, muitas vezes pode ser uma experiência muito mais divertida e agradável que jogar com uma lista competitiva fechada.
18.739 views
QUEBRANDO FORMATOS...ou talvez não
Jogar propositalmente com um deck ruim, muitas vezes pode ser uma experiência muito mais divertida e agradável que jogar com uma lista competitiva fechada.
18.739 views
17/10/2019 10:05 — Por Miguel Augusto Camarano
Pirataria. Por quê?
Uma pequena discussão sobre pirataria no Magic, seja físico seja virtual, porque ela acontece, porque é errado, e porque não devemos julgar quem faz, só quando a pessoa m..
10.109 views
Pirataria. Por quê?
Uma pequena discussão sobre pirataria no Magic, seja físico seja virtual, porque ela acontece, porque é errado, e porque não devemos julgar quem faz, só quando a pessoa m..
10.109 views
19/09/2019 10:05 — Por Miguel Augusto Camarano