Load or Cast
Hora do Pauper - Será que o inverno está de volta?
Analisando como a temática e mecânicas de Kaldheim podem afetar o formato.
21/01/2021 10:05 - 7.490 visualizações - 12 comentários
Load or Cast
E aí pessoal, tudo bem? Aqui quem vos escreve é o Heli e hoje venho fazer uma análise de como Kaldheim poderá mexer com o formato, já que teremos algumas habilidades que podem ser úteis e a volta da temática nevada. Quando falo de alguma coleção nova, tenho dito que a porcentagem de cartas jogáveis tem aumentado significativamente, mesmo que isso não se traduza na criação de novos decks ou alterações drásticas do metagame. Para mim, é clara a mudança de postura em relação ao desenvolvimento das cartas comuns, mesmo não sendo na velocidade, quantidade e qualidade que a comunidade almeja. 
 
Kaldheim traz seis mecânicas, sendo quatro retornos (cartas dupla face, morfolóide, sagas e neve) e duas novas (profetizar e vanglória). No período que estou escrevendo esse artigo, ainda faltam aparecer uns 30% das cartas, que representa uma grande parte das comuns. Sendo assim, imagino que apenas três das mecânicas devem adicionar algo interessante ao formato:
 
 
Vanglória: sendo uma mecânica concebida para agressividade, não vejo tanto espaço para brilhar, pois o exige algo mais impactante. No Pauper, os decks voltados para criaturas apresentam uma sinergia muito forte (como Fractius e Elfos), são explosivos (como Stompy ou Auras) ou possuem algum combo (como Affinity ou Tireless Out). Com isso, a possível vantagem da habilidade acaba sendo minimizada pela distribuição dos decks, entretanto vejo algumas possíveis vantagens já que teremos que usar essas criaturas em decks menos rápidos. Tuskeri Firewalker pode ser interessante se considerarmos que o vermelho oferece poucas formas de compras de cartas no formato (menos ainda em forma de criatura), seu CMC não é restritivo e seu custo de ativação só necessita de mana genérica.
 
 
Profetizar: essa sim me parece uma habilidade nova com potencial para uso. Profetizar traz uma forma de parcelamento ao pagar um custo, uma parte nesse turno e outra quando lhe for conveniente. Sabemos que os quatro primeiros turnos do Pauper são fundamentais para o desenvolvimento do jogo, porém temos um grande número de decks mais lentos, que sempre passam com suas manas abertas, visando responder às ameaças de seu oponente. Considerando que podemos fazer mágicas com CMC mais alto pagando menos manas, teremos um cenário onde é possível fazer mais com menos. Não imagino que nenhuma carta com essa habilidade impacte o formato, mas Contemplar o Multiverso  já mostra que é possível encontrar um espaço para a mecânica de Profetizar.
 
 
Neve: agora sim! Além de permanentes, Kaldheim irá trazer mágicas nevadas! Primeiramente, não imagino que essas mágicas devam adicionar muito ao formato, pois não vejo interação das coleções posteriores com esse tipo de carta, sendo que Mordida Gelida foi a mais relevante até o momento. Bom, chegou a hora de falar sobre as cartas que mais surpreenderam e prometem alterar de forma significativa o formato: Habemus duals! Enfim, temos terrenos de dois tipos no formato, o que reforça a mudança na postura de R&D da WotC em relação ao formato. “Mas Heli, essas duals não saíram por causa do Pauper!” E você tem razão! Entretanto, ainda vejo o quanto a avaliação do formato foi levada em consideração ao conceber esses terrenos. Entrando virados, eles acabam por não mudar muito a velocidade do formato, mas traz uma certa quantidade de possibilidades, já que temos cartas que podem buscar ou simplesmente se beneficiar por termos mais de um tipo de terreno em campo. Nos próximos parágrafos, vou comentar sobre os terrenos em si e alguns decks que podem se beneficiar ou surgir, mas preciso agradecer a imensa ajuda de algumas pessoas que conversei para melhor apresentar as ideias deste texto: Tábata Marques, Kaji Pato, Ricardo Mattana, Diego carvs, Eduardo Bassoli e o italiano Alessandro Moretti. Muito obrigado a todos vocês
 
 
Inicialmente, esses terrenos são úteis pela inclusão dos subtipos duplos (Ilha e Montanha por exemplo), mas ter o supertipo “da neve” favorece algumas mecânicas existentes, além de possibilitar novas interações. Cartas como Busca Longinqua e Ao Norte (que teve buyout essa semana, elevando seu preço em incríveis 2000%) se tornam jogáveis, aumentando a variedade e possibilidades disponíveis. O formato não conta com formas muito efetivas (ainda?) para buscar esses terrenos, já que Terras em Desenvolvimento e Desolacao Fumegante só busca terrenos básicos, limitando a formação de listas que aceleram a disponibilidade de manas. Bom, vamos falar sobre alguns decks?
 
 
- Base Ux
 
 
Acho que unanimidade que os primeiros decks que devem se beneficiar desses terrenos é o UR Skred e o UB Delver/Fadas. No caso do Skred, temos uma vantagem clara que é o aumento das permanentes nevadas, com aumento na distribuição das cores de mana disponível. Porém, será necessário adaptar as quantidades distribuídas, pois vejo um playset de Fjord Volatil sendo testado e as fetches não seriam úteis nesse caso. Penso que um terreno nevado de cada seja retirado mais uma de cada fetch, considerando que não teremos mudanças nas quantidades de terrenos.
 
Temos que ser mais conservadores no caso do UB, pois as fetches alimentam o cemitério para o Pescador Grumag, o que deve impactar e trazer diferenças nas quantidades de lands duplas utilizadas entre as listas. Inicialmente devemos ver apenas duas cópias, saindo uma fetch e um pântano ou uma ilha, já que temos uma remoção que irá brilhar com esses terrenos, que é o Liquidar. Ter acesso a essa remoção e ainda ter uma mana azul é algo tão magnífico, que irá ser uma aposta segura no começo dessa nova fase do formato. 
 
Eventualmente, algumas listas de ambas as builds utilizavam lifegain / bounce lands, o que facilita a substituição. As cantrips continuaram sendo estrelas nesses decks, pois a seleção de cartas que elas geram, será ainda mais vital com a possível diminuição das fetches.
 
 
- Bases que usam a cor preta
 
 
Obviamente, o MBC não precisa de nenhum desses terrenos, mas claramente ele poderá fazer splash específicos (para sideboard inclusive), sem que suas cartas principais sejam comprometidas. Entretanto, o BW Pestilência pode se aproveitar muito, já que ele terá acesso a Liquidar sem perdas, já que é um deck que ganha muita vida. Não podemos nos esquecer de Macular, que se tornou necessário no MBC e agora não menos eficiente em decks com splash. Sua base de mana acaba sendo complicada, já que depende da compra de cartas que a cor preta oferece mais as fetches, o que deixa seu jogo lento e com poucas opções por turno. As versões de Rakdos Monarca poderão ser mais presentes, até porque Liquidar e Miniavalanche poderão jogar juntas nessas listas.
 
 
- Elfos
 
 
Uma carta que poderá voltar também é a Concessao de Terreno, pois ela terá mais quatro possibilidades para buscar agora, já que seu texto diz que você pode procurar uma floresta. Sendo assim, o Elfos pode aposentar a sua cópia de Ilha e usar a Cachoeira do Bosque Gelido sem perdas, mesmo tendo o Patrulheiro Quirion é possível abrir espaço até para uma ou duas cópias de Elfo do Arvoredo.
 
 
- Possibilidades
 
 
Vou citar algumas apostas, que podem ser relevantes e aparecer com frequência após o lançamento de Kaldheim:
 
 
Auras: o deck pode tirar as lifegain lands e usar as duals, já que Propagacao da Utopia terá mais alvos válidos, facilitando enormemente a base de mana;
Naya Zoo: Nacatl Selvagem sempre quis arrumar seu espaço e agora pode ser momento de brilhar, pois um 3/3 batendo no turno dois não pode ser menosprezado em nenhum formato. Além disso, Simio Kird pode ser um belo companheiro, ainda mais contando com a versátil Emissario da Arvore Flamejante.
Dominar: essa habilidade tão pouco vista pode começar a ser testada, já que vai ficar muito mais fácil fazer um Chamas Tribais para cinco agora ou ter um 5/5 no turno três com os Desordeiros de Matca.
Decks com três ou quatro cores: tendo a temática da neve, podemos voltar a ter listas full controle, similiar as que surgiram na época do Astrolabio de Arcum
 
 
- Banimento de Cair em Desgraça
 
 
Durante o desenvolvimento desse artigo, Cair em Desgraca foi banida do formato. Acredito que já era esperada, mesmo que o timing tenha parecido deslocado em relação a todos os problemas e comentários acerca dessa carta de Commander Legends. Acredito que a base Ux seja afetada, mas ainda será muito forte e continuará como uma aposta segura até que Kaldheim seja lançada. A carta era problemática de tantas maneiras, que fica difícil encontrar argumentos para sua manutenção dentro do formato. Ainda acredito que o Tron precise ser observado, mas vejo com bons olhos essa atitude da WotC, mesmo que tardia.
 
 
Acredito que esses terrenos serão testados amplamente, mas ainda não são unanimidade, pois precisam de certas adaptações e/ou ferramentas que o formato não possui ou não são óbvias. Mas me agrada muito ter acesso a esse tipo de carta pelos benefícios e inovações que poderemos ter, mesmo considerando que o formato vá se alinhar mais ainda para o lado midrange. Enfim, o formato terá mais espaço para inovações e muita coisa poderá aparecer ou ressurgir nas semanas após o lançamento de Kaldheim.
 
 
E o que você achou da vinda dessas duals para o Pauper? Acham que veremos novos decks surgindo ou não? O que mais você acha que pode mudar? Deixem seus comentários sobre o que acham que pode aparecer no formato. Espero que tenham gostado da análise! Um abraço a todos e até mais!
Heli Mateus ( helimateus)
Heli Mateus conheceu o Magic em 1998, mas começou a jogar em 2015 quando conheceu o
formato Pauper. Hoje é entusiasta do formato e produtor de conteúdo, principalmente como
podcaster sendo host do PauperView e cohost do RakdosCast.
Redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter
Comentários
Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 03/02/2021 00:05

opa! valeu pelo comentário! obrigado, mas pq não gostou do land grant? em qual deck vc testou? valeu

(Quote)
- 03/02/2021 00:04

opa! obrigado pelo comentário. eu acho q ambas mecânicas são boas, mas acho dificil fazer wincon desse tipo no formato...eu ainda acho que outros problemas fundamentais deveriam ser resolvidos, antes de aplicar outras mecânicas interessantes como essas. Mas concordo mto com vc que o formato precisa de novos decks sempre surgindo..valeu

(Quote)
- 03/02/2021 00:01

espero q sim!

(Quote)
- 03/02/2021 00:01

Fala amigo! primeiramente, obrigado pelo comentário! em segundo, concordo com vc sobre o Tron...ele não é imbatível, mas no meu ponto de vista precisa sim de algo nerf efetivo, mas não o banimento do deck em si...Realmente, ser piloto de Tron não é fácil e, como já disse aqui algumas vezes, possui diferenças sensíveis entre o MTGO e o tabletop. valeu mano!

(Quote)
- 29/01/2021 11:10
Belo artigo como sempre Heli.
Últimos artigos de Heli Mateus
Hora do Pauper - BG Rock
Avaliando como esse clássico deck do Modern pode se sair no Pauper.
7.406 views
Hora do Pauper - BG Rock
Avaliando como esse clássico deck do Modern pode se sair no Pauper.
7.406 views
Há 17 dias — Por Heli Mateus
Hora do Pauper - Top 10 cartas de Kaldheim para o Pauper
Avaliando as opções que Kaldheim trouxe para o formato, além da neve.
5.379 views
Hora do Pauper - Top 10 cartas de Kaldheim para o Pauper
Avaliando as opções que Kaldheim trouxe para o formato, além da neve.
5.379 views
Há 26 dias — Por Heli Mateus
Hora do Pauper - Retrospectiva 2020
Venha comigo relembrar os fatos marcantes desse atípico ano de 2020 para o Pauper.
5.458 views
Hora do Pauper - Retrospectiva 2020
Venha comigo relembrar os fatos marcantes desse atípico ano de 2020 para o Pauper.
5.458 views
06/01/2021 10:09 — Por Heli Mateus
Hora do Pauper - Temur Ponza
Será que destruir terrenos é uma saída para lidar com o metagame atual?
8.082 views
Hora do Pauper - Temur Ponza
Será que destruir terrenos é uma saída para lidar com o metagame atual?
8.082 views
16/12/2020 10:05 — Por Heli Mateus
Hora do Pauper - UB Monarca
Ser midrange é tendência no formato e o UB mostra que ainda sabe fazer isso muito bem.
6.138 views
Hora do Pauper - UB Monarca
Ser midrange é tendência no formato e o UB mostra que ainda sabe fazer isso muito bem.
6.138 views
03/12/2020 10:05 — Por Heli Mateus