As Recentes Grandes cartas do Modern
26/01/2016 12:00 / 14,619 visualizações / 27 comentários

 

Os jogadores de Modern vivem semanas agitadas. No dia 18 a Wizards of The Coast anunciou o banimento das cartas Splinter Twin e Summer Bloom, notícia que gerou todos os tipos de reações possíveis na comunidade do Magic.

 

Os donos dos decks acharam um absurdo, os haters de combo soltaram fogos de artifício e, entre os neutros, as opiniões se dividiram. Dentre tantos comentários, uma das reclamações mais comuns que se ouviu foi a de que a WoTC “machuca” demais o formato, seja reduzindo seu power level ou maltratando os players (os que tanto sofreram para montar um Twin, por exemplo). É daí que veio a ideia desse texto.

 

Não vou debater os banimentos, nem as decisões da Wizards e muito menos o quão bacanas decks de combo são ou deixam de ser. Estou aqui apenas para lembrar que, entre erros e acertos, o Magic também nos deu muitas ferramentas interessantes e até mesmos surpreendentes nos últimos tempos.

Convido você, caro leitor, a parar, pensar, exercitar a memória e encontrar as mais recentes grandes cartas que foram dadas aos decks Modern. E não estou falando de qualquer cartinha que jogue ou de qualquer spoiler que, apesar de muito falado, caiu em esquecimento. Não, esse espaço é para aquelas cartas que encontraram seu espaço e, de alguma forma, impactaram o formato. Esse é o Top 5 das mais recentes grandes cartas do Modern.

 

A INCOMUM

 

A mais antiga das cartas que incluí no Top ainda é uma daquelas surpresas. Nada mais agradável do que descobrir que uma carta incomum da edição tem potencial para jogar competitivo e, mais do que isso, figurar em decks campeões.

 

Monastery Swiftspear, ou Mulan para os íntimos, é uma dessas deliciosas e inesperadas protagonistas que vêm disfarçadas de coadjuvante nos boosters de Khans of Tarkir.

 

O drop um ímpeto é por natureza algo que pode interessar para decks aggros. A resistência 2 torna tudo ainda mais interessante. Gut Shot nenhum tira a Monastery do campo e parece demais gastar um Pyroclasm ou um Electrolyze inteiro, até porque, isso pode não bastar. Pode não bastar por causa do toque final, aquele que torna a Mulan tão poderosa. Destreza é uma das minhas habilidades preferidas dentre as mais recentemente criadas. Cartas como Seeker of the Way e Monastery Mentor me chamaram muito a atenção, mas a ideia de colocar a Lanca Veloz do Monasterio em um deck Burn é, sem dúvidas, a mais sedutora (ainda bem que baniram DTT e TC, né?).

 

Presença constante nos poderosos Naya Burn, com quatro cópias, a Mulan tomou conta dos primeiros turnos, só ficando atrás do Goblin Guide.

 

CRIATURA NO PASSE?

 

- Minha vez? Bom, no passe, eu faço um Knight of the Reliquary e um Scavenging Ooze.

- OI????”

 

Pois é. Podem ser dois slivers daqules mais fortes também. Ou um Kitchen Finks e uma Anafenza, Kin-Tree Spirit. Ou, se você tiver bastante sorte ao contrário, dois Shaman of the Pack (acontece!).

 

Em 2015, a Collected Company arruinou a nossa certeza de que, no passe, o pior que poderia acontecer era um draw ou um removal. A carta foi lançada em Dragons of Tarkir e deu vida nova para vários decks. Elves, Slivers, Zoo, alguns até se chamam “blabla Collected”, tamanha a importância do instant.

 

Uma carta que vale por duas já costuma ser algo bem forte em decks tribais ou simplesmente de criaturas, mas fazer disso uma resposta foi mais do que se esperava. No deck de Allies, por exemplo, a Collected pode ser jogada no meio do combate, gerando vários triggers diferentes.

 

Não impacto maior no formato do que reviver decks ou ter seu nome em um, acho que Collected cabe nessa lista sem fazer força né?

 

CHOOSE TWO

 

Eu sei que isso devia ser um Top 5, mas me permiti ampliá-lo ligeiramente. Ok, pode chamar de Top 7. O importante é falar sobre o quão forte é uma carta que diz “escolha dois”.

 

Cartas que dão opções costumam ter potencial de jogo, mas quando podemos escolher duas delas parece que o custo de mana está sempre muito abaixo do esperado. Kolaghan's Command, Atarka's Command e Dromoka's Command são máquinas no metagame competitivo. Assim como a Collected Company , estas são pérolas da edição Dragons of Tarkir.

 

O Atarka’s é o sonho de muitos aggros pelo mundo. Ela pode causar cinco, seis ou até mais dano em um movimento final. Ou impedir seu oponente de ganhar tempo através de vida e acelerar seu jogo, descendo um terreno. Seja como for, duas manas é quase de graça por tanto benefício.

 

Se seu deck for GW, as duas manas podem ter uma função mais estratégica. Proteger uma criatura de um raio; destruir uma Blood Moon, Daybreak Coronet ou outro encantamento; matar uma criatura de suporte do oponente; salvar seu Knight of the Reliquary de uma morte por burn. Escolha dois por duas manas. Dá pro gasto?

 

O terceiro comando custa mais caro: três manas. Mas, se custasse duas, podiam fechar o departamento de criação, né? Um burn de dois de dano contra os muitos aggros do formato; a chance de destruir um Inkmoth Nexus ou um Arcbound Ravager que podem ser mortais no Affinity; a segunda chance de jogar seu Tarmogoyf que foi destruído; ou um descarte naquele momento em que você sabe a mão do oponente. Os benefícios do Kolaghan's Command são gigantescos. A terceira mana quase não importa.

 

Dizem que a vida é feita de escolhas... Sempre melhor poder escolher dois.

 

MENINO PRODÍGIO

 

Seria ele o queridinho da Wizards? Há vários Jace’s poderosos espalhados por várias edições, um tão poderosos que é até banido, mas o primeiro pela cronologia da Lore, o que acendeu a centelha em Origins é o que mais mexeu com o Modern.

 

Ele começa inofensivo, como um pequeno filtro para sua mão, mas em um deck de controle num mundo repleto de fetch lands não demora para que o Prodígio de Vryn se torne um Telepata Ilimitado. O Jace chegou.

 

Ele não tem flash como o Snapcaster Mage, mas pode facilmente dar flashback para pelo menos duas mágicas. No Grixis, isso pode significar refazer um Mana Leak, um Lightning Bolt, ou até mesmo um Kolaghan's Command. Chato?

 

Pensando bem, eu nem preciso argumentar muito. Carta nenhuma custa mais de R$200,00 sem causar impacto.

 

A WIN CONDITION

 

O cenário do Modern vai mudar muito. A queda do Twin e o enfraquecimento do Bloom vão ressuscitar alguns decks, talvez até criar outros, e é muito difícil dizer quais serão os grandes arquétipos daqui pra frente. Se eu tivesse que apostar, no entanto, diria que o Tron fará muitos resultados e que o Eldrazi control vem para ficar.

 

Como vocês sabem, todo deck de controle precisa de boas win conditions, ou seja, métodos contundentes para que o jogo controlado se transforme em um triunfo. Pois bem, recentemente fomos brindados com uma belíssima win condition para esses dois controles com um “Q” de ramp incolor.

 

Se seu deck é capaz de gerar dez manas (e com Eldrazi Temple, Eye of Ugin e Urza lands, ele será), você vai querer algumas cópias de Ulamog, the Ceaseless Hunger nele. Não tão ignorante quanto era Emrakul, the Aeons Torn , mas com um hard cast muito mais plausível, o Eldrazi de Battle for Zendikar já entra em campo exilando duas permanentes. Se ele atacar então, boa sorte para proteger sua vida e seu baralho. Aliás, boa sorte também para evitar que uma criatura indestrutível ataque. É bom o Path to Exile estar na mão...

 

Muitos podem discordar da lista, muitos podem se irritar com o fato de ela ser um top 7 ao invés de cinco. Essa é uma das grandes graças do Magic. Alguém pode falar em Siege Rhino, Scavenging Ooze (um pouco mais pra trás), cartas de Oath of The Gatewatch, etc. Pois é exatamente essa a intenção!

 

Monte seu top, critique o meu, coloque suas sugestões, discutam e argumentem nos comentários. Vamos tentar nos lembrar dos últimos grandes “lançamentos”, só não se esqueçam do critério: tem que ser Modern e tem que ser impactante.

 

TAGS: 

LigaMagic (VIP STAFF LigaMagic)
Maior site especializado em Magic: The Gathering.
Nossa meta é trazer o máximo de conteúdo para todos os jogadores e aumentar cada vez mais a comunidade de jogadores apaixonados por este jogo.
Redes Sociais: Facebook, Instagram, Twitter
LigaMagic App

ARTIGOS RELACIONADOS

Na Grande Final do CLM11: Counter Company

Modern: Counter Company, de Bruno Rodrigues.


É bom não poder responder tudo no Modern

Entendendo as características do formato.


Use Blood Moon

Os motivos da carta ser um dos pilares do Modern.


Resposta para Tudo do Modern

Battle of Wits Modern Deck Tech





Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.

max_goblin (29/01/2016 13:29:46)

Aí me desculpa, mas sou mais feliz sem isso uahsuhaushuahsuahs
Quem quando começou não tinha o amigo do deck azul de 24 anulas umas cantrips e UM BICHO que ganhava o jogo.. #ÓDIO hehehehe

Braddock_AP (29/01/2016 11:53:24)

Quando os caras falam de control, eles só estão falando de "Deck com azul que anula, anula, anula, anula e anula". Por isso tanta discussão desnecessária =/

max_goblin (29/01/2016 11:42:30)

Só um pensamento.
Talvez controls tenham tanta dificuldade pela selva aggro e combo que o modern. Num ambiente menos variado, é mais fácil um hard control se estabelecer. É por isso que em modern vemos menos Lantern Control e 8rack, hard controls na minha opinião. E mais UWx, Grixis e por aí vai. Pois são intermédios e se adaptam mais fáceis.

MetalFcker (29/01/2016 00:27:56)

É muito bom jogar de aggro nos torneios.. nunca passei fome kkkkkkkkkkkkkkkkk

Braddock_AP (28/01/2016 10:15:41)

Não é hater, eu gosto de control, joguei muito com vários decks controls. Mas o legal do modern justamente é a velocidade, é como aquele jogo de xadrez onde nas primeiras peças vc já define o vencedor. Enquanto que o control deixa o jogo mais parecido com Resta 1.
Infelizmente é isso.

VIP OURO Derkarus (28/01/2016 06:36:37)

Insisto: Uma coisa é controle ser dominante. Ou aggro, ou combo, ou qualquer coisa. Isso é ruim. E hoje modern é corrida de aggro.

Outra coisa é o controle ser viável, figurar em top 8, como figura em todos os ambientes. Mas pelo visto, a torcida do aggro aqui é forte então não vou me manifestar muito.

Forte abraço aos control haters, vocês vivem no meu coração! Hahahaha

VIP STAFF joaojacetti (27/01/2016 22:35:10)

Essa discussão sobre os controles está bem bacana!! Vou ver se faço um artigo sobre isso assim que tiver a chance. É uma questão bem importante mesmo...
Pelo menos no Jace deu um Help. Mais umas duas cartas do nível dele e o deck pode voltar a trabalhar bem!

MetalFcker (27/01/2016 13:43:56)

A wizards quer interatividade nos jogos, e ja acabou com estrategias hard control (com counters ou land destructions de early game / globais) e aos poucos esta acabando com os combos. Gosto é gosto, cada um tem o seu, mas que é chato é voce ficar assistindo seu oponente jogar e voce nao. Tb sou a favor da wizards destravar um pouco os jogos banindo certas cartas e/ou nao lançando mais cartas como (Counterspell, stone rain, force of will, armagedon e afins..)

Braddock_AP (27/01/2016 11:38:21)

Eu não gosto de jogar de combo, mas no modern jogo de combo. Eu gosto de jogar magic, jogo de hard control, tempo, aggro, control, combo, o que for. Problema é que tem uma reclamação sobre o cenário COMPETITIVO de gente que quer que o seu baralho preferido jogue.
Hoje o modern não tem espaço pra hard control. No legacy já tivemos períodos assim também. O t2 mesmo não tem espaço pra control, que só comem pelas beiradas e apanham feio em resultados dos midranges (Abzan, mardu e cia) e combo (4c rally).
Ok. A wizard vai lançar contramágica no modern, e vai banir umas cartinhas e hard control vai jogar legal. O que vai acontecer? Vai ser um monte de hard control jogando. Partidas demoradas terminando em 1x0, 1x1, cansativas e que não agregam em nada pro cenário competitivo.
O máximo que a wizard podia fazer pelos controls hoje, na minha opinião, dentro do modern, era desbanir ancestral vision, e, talvez, banir nacalt ou lança veloz (o que acho bem improvável).

VIP OURO Derkarus (27/01/2016 11:24:23)

Gostaria de discordar, se me permitir.

Se você reparar, hard control joga em todos os formatos. Legacy (Miracles), Standard (Esper e Dark Jeskai), Commander (Narset e Tasigur)... Até o pauper com monoblack control.

Tem gente que gosta. Tem gente que não. Questão de gosto que é respeitada em todos os formatos, mas no Modern não. Então Joãozinho gosta de uma estratégia reativa, mas porque Huguinho e Luizinho não gostam e só jogam de aggro Joãozinho tá proibido de jogar de control no Modern.

Equilíbrio? Não sei... para mim equilíbrio é dar todas as opções e você poder escolher a sua, sabendo que todas elas tem desvantagens. Agora quando uma estratégia só é dominante (seja ela qual for, inclusive o Hard Control, que foi chato no T2 de ravnica + theros), aí sim acredito que perde o brilho.

Todos os formatos jogam com anulação. Modern não. Raramente um mana leak no Grixis e olhe lá.

Todos os formatos jogam com Sweepers. Modern não. Simplesmente não dá tempo, você não junta 4 manas, quando junta, já tá morto.

Todos os formatos contam com card advantage. Modern tá tentando encaixar Painful Truths, mas os 3 de dano que dá num formato Turn 3 aggro kill é suicídio.

Todos os formatos contam com uma kill condition que é uma bomba, baixou ganhou. A bomba dos controles acabou de ser banida. Vai ter que ganhar de Tasigur, que não tem evasão, não se protege, uma ficha de espírito segura o jogo.

Enquanto isso, do outro lado da mesa...
Ugin
Karn
Chapeamento
Goyfs
Rhinos
Swiftspears.

É só mana -> bomba.

Algo a se pensar. :D

Abraços e bom magic!

Braddock_AP (27/01/2016 10:44:00)

Negócio que o pessoal do COntrol quer que o HARD CONTROL volte a jogar e não vai. A Wizard tá fazendo de tudo pra que Hard Control não seja um deck competitivo pq simplesmente é um deck que tira o encanto do jogo. Fazer aqueles UB's da época de JTMS que era só anulação e remoção.
Hoje os "controls" são forçados a serem mais rápidos pra sobreviver, gerando assim UWR, que abusa de hélice de raios, path, raio pra se manter vivo e algumas anulações pontuais, ou como no caso do primeiro torneio Modern SCG depois do banimento, que um Delver Temur ganhou. Decks assim são o mais próximo do control que vamos ver, e acho ótimo assim.
Decks que abusem de delver, ou geist, que usem snapcaster, que usem anulações pontuais para atrapalhar o oponente e ajudar a construir o jogo e não aquela briga de anulações ridícula que já foi em outros tempos.
Decks hard control tiram a competitividade do jogo, fica só um jogo de quem tem mais anulação e consegue encaixar a bomba.
Adoro ver as partidas da UW control do meu amigo com o Grixis do meu outro, cada um com 16 terrenos em jogo, 0x0 faltando 10 minutos pra acabar a rodada. Super legal.

VIP OURO Derkarus (27/01/2016 09:44:39)

Concordo com vc nessa!

A melhor carta pra control foi banida. Justamente, mas foi banida. Dig ajudou demais os controles e combos. Mas é forte demais pro formato lento que é modern, afinal, como pode um deck de controle responder criaturas no turno 2/3, que normalmente te matam só no turno 10... (sim, estou sendo irônico).

Como ler esse artigo da perspectiva de um jogador de controle:

- Monastery Swiftspear: vai punir demais os controles, jogue todos seus burns na cabeça dele e mesmo que o oponente anule, sue bicho ainda cresce. E dificilmente vai morrer para um raio

- Comando de Dromoka: Previne teu raio (meu bicho vive), mata teu jace
Comando de Kolaghan: Perde teu jace e uma carta da mão
Comando de Atarka: CHUPA, CONTROLE! T3 WIN e vc só com 2 lands em jogo!!

- Jace: Ok controles, podem brincar de snapcaster um pouco. Mas sem recaptular contra mágica, AHUAHAUHAUAH! E paguem $$$$$ caro por isso.

- Ulamog: REMAND NELE, SEU TROUXA! Ih, mas perdi duas lands mesmo assim, e no próximo turno perco outras duas. WTF?!

Cadê a grande bomba para os decks de controle/combo voltarem ao TOP? Cadê a grande wincondition? Cadê uma remoção/anulação eficiente para o cenário, sem drawbacks?

Jogar de Eldrazi pra jogar de controle é F***

:(

Maclaine (26/01/2016 22:05:01)

Cara eidolon of the gret revel tornou o mono red tier 1, ashiok trouxe sultai pro jogo, Rhino quando foi lançado teve quase uma temporada de abzan t2 e modern ganhando(claro que a maior parte era pq tinha muito abzan. Tem outras que fizeram seu papel Mandris Estridente e Stubborn denial foram aquisiçoes fundamentais. Açho que mentor of monastery ainda vai aparecer com um deck dele e abbot of kheral keep tb!
Harbinger of the tides foi a minha preferida, o tritão novo tomou lugares importantes do deck como thassa e fantasmal image.
Tem mt coisa boa Shaman of the pack deu um aspecto meio combo pra elves tb.

ArmySpy (26/01/2016 20:54:45)

Não concordo com a história de Jace ai na lista. O card é bom, mas ele está este preço devido ao T2... No modern ele pouco viu jogo e nem de perto ele deu ~impacto~ no formato... Neste link da pra ter uma noção do quanto ele joga no T2, e em outros formatos...
http://magic.tcgplayer.com/db/deck_search_result.asp?CardName=Jace,%20Vryn%27s%20Prodigy&partner=MAGCINFO

batatamagic (26/01/2016 18:50:42)

Azul so se ferra mesmo hahaha.

Leozoppado (26/01/2016 18:45:37)

Enquanto isso a Wizards mata todos os blue controls do formato...

eduwizz (26/01/2016 18:42:50)

Gurmag Angler, o famoso"peixe", além de ser sucesso no Modern, está imperando no pauper.
O "peixe" está se tornando o goyf do pauper.

biruleiby (26/01/2016 16:34:42)

Rhino, Tasigur e Ugin são cartas tbm que ganharam destaque no modern

VIP STAFF joaojacetti (26/01/2016 16:31:19)

Acabei deixando as fetches de fora porque senão faria o top 5 só com elas hahahahahha
Mas, com certeza, elas mudam o formato.

jefperito (26/01/2016 16:04:49)

e a comunzeira do urmag? famoso bocão? xD

Hollow (26/01/2016 15:30:53)

Essas fetchs são excelentes adições. Ficou bem mais fácil fazer decks nas combinações "Shards" (Jund, Grixis, Esper, Bant e Naya), bem como aumentou a qualidade da mana base até de decks de 2 cores aliadas (Azorius, Dimir, Rakdos, Gruul, Selesnya).

No meu top 5 eu incluiria o Eidolon of the Great Revel (sério, esse bicho é o capiroto) e o Tasigur que juntamente com o Kolaghan's Command e o Jace resgatou o Grixis do fundo do poço.

rapha_seraph (26/01/2016 15:28:44)

4 cartas do top 7 são de DTK, e há quem dizia que a coleção era fraca... acho que não enxergavam bem embaixo das sobras do Treasure Cruise.

Mop_Coldheart (26/01/2016 14:58:18)

E as fetches aliadas cara?
O interessante é que quase tudo da lista é de KoT, melhor edição em anos!

Sardonis (26/01/2016 14:54:13)

Na verdade acho que dá pra fazer um deck good stuff quase só jogando todas essas cartas e uma manabase forte. XD

Sardonis (26/01/2016 14:53:06)

Na verdade acho que dá pra fazer um deck good stuff quase só jogando todas essas cartas e uma manabase forte. XD

Sonyote (26/01/2016 14:27:51)

Ahh se dig não fosse banido :'/

robzera (26/01/2016 14:11:13)

faltou só o rino e o ooze msm