Como começar a jogar Legacy Competitivo DE GRAÇA?

       

Por: thmduarte em 16/05/13 15:44 | 64 comentários / 6,281 visitas

Como começar a jogar Legacy Competitivo DE GRAÇA?

Esse cara é doido! Isso deve ter sido a primeira coisa que passou pela sua cabeça quando leu o titulo desse artigo. Mas essa é a pergunta que muitos jogadores dessas cartinhas fazem em algum momento de suas vidas, nem que seja por um breve momento, somente pela curiosidade de saber como aquele jogo do amiguinho ao lado, que joga legacy, terminou no turno 1. Turno 1 porra!

Para começar a responder essa pergunta, porem, achei por bem utilizar um método conhecido dos assinantes de TV a cabo e me apropriar da temática sensacional do programa MythBusters!! Por causa disso, vou tentar e apenas tentar (haters don’t hate me plz), jogar por terra o principal obstáculo para muitos começaram no formato Eterno: O PREÇO!!!!

É POSSÍVEL JOGAR LEGACY SEM GASTAR O PREÇO DE UM CARRO OU MESMO SEM VENDER UM DE MEUS RINS PARA O MERCADO NEGRO RUSSO?

A minha resposta, como todo bom advogado, para honrar a classe é: DEPENDE.

Se estiver achando que gastar pouco, para começar o formato, é tirar "500 real" do bolso e sair por aí montando um deck e matando adversários num cenário competitivo a resposta é simples e objetiva: NÃO, NÃO DA PRA JOGAR LEGACY COM 500 CONTO E TER BONS RESULTADOS! Entao parem de postar na liga topicos do tipo: MONTAR DECK LEGACY COM 200 REAIS.

Porém, se vc for um pouco mais esperto e tiver um pouco de curiosidade financeira para avaliar o custo beneficio da compra de cartas no formato eterno, bem como estudar a valorização das cartas no médio prazo vc vai chegar a seguinte conclusão: WTF!! WHY THE HELL I’M STILL PLAYING OTHER FORMATS!!!! E a resposta mudará para SIM, vc pode se surpreender e descobrir que dá para jogar o Legado "de grátis"!!

Mas Thiago, jogar "de grátis"? Como assim? Vc vai sair por aí distribuindo decks legacy para galera?

Quem me dera ter todo esse poder econômico para fazer uma caridade para o mundo "magiqueiro", mas o meu argumento precisa ser um pouco desenvolvido. Quando voltei ao MTG, há um ano mais ou menos, me deparei com esse tal "megique competitivo" claro que não me refiro à GPs, WMCs, UFCs ,PFCs, mas àqueles campeonatinhos semanais na loja mais próxima, à LQs, regionais, e ao Nacional Legacy. Descobri que o jogo era dividido em formatos que limitavam as edições validas em cada um, ou não, e que tinham listas de banidas, restritas, etc.

Ahhh, eu não queria jogar em um formato que limitasse as edições. Afinal como eu iria usar o Anjo Serra e Espadas em Arados que eu utilizava na infância??
Nostálgico ou não, procurei saber sobre os formatos e percebi uma coisa: dois são os formatos principais e mais jogados, os outros são jogados sazonalmente, em alguns eventos somente:

Então, como diria Hamlet, que desde aquela época compreendia as angustias da alma humana como ninguém: Jogar LEGACY ou T2?!? EIS A QUESTÃO.

Primeiramente vamos ao T2: formato dos profissionais.

Aqui descobri que são válidos, em regra, apenas os dois últimos blocos lançados, bem como a edição básica de cada ano. Isso, de cara, já era um problema, já que eu queria jogar com Anjo Serra e bater 4 na cara do oponente.

Brincadeiras à parte, analisemos o seguinte "porém", aquilo que não é dito para vc, jogador de T2, quando se inicia no MTG: o T2 é o formato do dinheiro. É aqui que a Wizards lucra horrores e movimenta milhões, centenas de milhões todos os anos, esse é o formato que alimenta o crescimento do MTG no mundo ,e portanto, à primeira vista deve ser mais barato, para atrair novos jogadores, para comprarem novos boosters, e assim por diante.

O T2 é um formato que rotaciona, evidentemente mais dinâmico que o formato eterno, sofre constantes mudanças nos decks Tier 1, por força das novas edições, que trazem cartas novas a cada 3 meses e que forçam essas mudançascada.
São 4 ediçoes novas por ano acompanhada de pre-releases, game days, Friday’s, etc, que consomem seu dinheiro indiretamente, bem como te incentiva a gastar mais com boosters avulsos ou boxes, entre outros.

Além disso, a rotação de edições validas causa no preço das cartas um efeito inverso do que acontece no legacy, fazendo-as desvalorizarem absurdamente logo após pararem de jogar no T2. Assim aquele jace que vc comprou a 100 reais, que hj vale pouco mais de 60, amanha valerá uns 30 e o seu dinheiro foi pro ralo.
Dessa forma, para garantir pouca perda na revenda das cartas, o jogador de T2 deve ficar sempre atento ao momento certo para revenda. Bem como constantemente antenado no "metagame" para não se surpreender com a desvalorização abrupta da sua galinha de ovos dourados.

Portanto, mesmo que vc gaste algo em torno de 1000 reais para montar um deck T2 competitivo, aproximadamente a quarta parte do que gastaria para um deck Legacy (isso falando dos mais caros) os seus gastos serão constantes e seguirão uma evolução quase linear, desde que mantenha o ritmo de investimento no jogo. A médio e longo prazo, os seus gastos terão atingido patamares de milhares de reais e tudo que vc vai ter será uma coleção respeitável de T2, mas que em um ano valerá metade do que vale agora, ou menos.

Passadas essas considerações, vamos ao que realmente interessa, o formato dos formatos: LEGACY!

O raciocínio aqui é bem simples e é agora que vou falar como jogar "de graça". Importante lembrar que estamos falando de uma boa quantidade de cartas que está presente na famigerada reserved list, ou seja, são cartas que nunca serão reimpressas. Então se vc tem qualquer dual, um moat, um tabernáculo alegre-se, sua carta somente irá ganhar valor, principalmente entre colecionadores.

Vamos logo para o que interessa e para isso vou utilizar como exemplo um deck bem caro do Legacy, talvez, um dos mais caros, o famoso Esper Stoneblade, que eu montei há um tempo.). O mais caro do legacy, como todos devem saber, é a base de mana e essa é de três core, o que nos traz mais problemas. Vou postar o preço das cartas relevantes do MD, excluindo terrenos básicos e outras comuns baratas, conforme os preços pagos na época (01 ano atrás).

4 Flooded Strand - 360
1 Karakas - 180
4 Polluted Delta - 360
1 Scrubland - 120
3 Tundra - 600
3 Underground Sea - 750
1 Academy Ruins - 30
3 Snapcaster Mage - 150
4 Stoneforge Mystic - 80
1 Vendilion Clique - 80
1 Batterskull - 40
4 Brainstorm - 20
4 Force of Will - 480
2 Inquisition of Kozilek - 18
3 Jace, the Mind Sculptor - 450
4 Swords to Plowshares - 30
2 Thoughtseize - 140
1 Umezawa's Jitte - 40
1 Vindicate - 50
1 Engineered Explosives - 30

O valor total dessa lista atingiu os incríveis R$ 4.008,00. Blz Thiago, mas vc só pode ser burro, como gastar 4k é melhor do que gastar 1k no T2 e me divertir do mesmo tanto? Como isso pode ser jogar gratuitamente?

Primeiramente, a diversão no legacy é bem mais garantida (haters segurem-se). Segundo lugar, trata-se de um formato eterno, portanto sem rotação de edições, o que me assegura que essas cartas, além de participarem do MD de outros decks, não vão perder valor tão cedo, desde que não haja um BAN (martelo da WotC). Ok, ok, em um ano de MTG não vi nada ser banido, com exceção do capetão voador (opa, esse não foi banido ainda) e também não vi nada de relevante perder valor de mercado, pelo contrario, só ganhar.

Assim, essa mesma lista hj, vale:

4 Flooded Strand - 640
1 Karakas - 240
4 Polluted Delta - 800
1 Scrubland - 150
3 Tundra - 750
3 Underground Sea - 1200
1 Academy Ruins - 30
3 Snapcaster Mage - 150
4 Stoneforge Mystic - 80
1 Vendilion Clique - 110
1 Batterskull - 40
4 Brainstorm - 20
4 Force of Will - 800
2 Inquisition of Kozilek - 30
3 Jace, the Mind Sculptor - 900
4 Swords to Plowshares - 30
2 Thoughtseize - 240
1 Umezawa's Jitte - 50
1 Vindicate - 50
1 Engineered Explosives - 30

Todos os preços atualizados de acordo com a maior loja de todos os tempos SCG, convertidos para o real (x2), chegamos ao montante de R$ 6.340,00. HOLY SHIT!!! Essa porra valorizou mais do que o salario mínimo????

Pois é, isso quer dizer que se vc quiser vender sua listinha comprada há um ano, hoje, vc teria uma valorização nas cartas de mais de 20% do seu valor original (não quero fazer contas exatas). Ou seja, além de jogar de graça, pq vc recuperou seu dinheiro com correção monetária, vc ainda levou um na brincadeira.

A conclusão, portanto, é que, se vc investir no legacy, no longo prazo vc tb vai ter gastado milhares de reais, e bota milhares nisso, mas no final vc vai ter uma baita coleção, na qual varias cartas não pode ser reprintadas e que só tendem a valorizar. Além de claro, varias delas jogarem em decks diferentes (bug delver e rug delver ou uw miracles, uw stoneblade e esper, reanimator e ant, etc).

Daqui uns anos, quando o legacy acabar, pelo fato de o investimento inicial ficar exageradamente alto, somado ao fato da WotC não estar nem ai pro legacy, pq quem ganha dinheiro com ele são as lojas de singles e todo esse mimimimi que todo mundo já sabe, vc ainda vai ter mercado de colecionadores e jogadores old school que vão querer comprar essas iguarias. Diga-se de passagem, mercado muito maior, pq hj o legacy tem mais jogadores do que o vintage nunca teve (até pq o MTG hj e mais divulgado e atinge um potencial bem maior do que em seus primórdios).

No mínimo vc vai recuperar o valor investido e corrigido. Por isso vai jogar DE GRAÇA.
Agora fala serio, se vc compra um play 3 hj com uns 4 joguinhos e dois controles, ou um computador top de linha pra jogar aquele WoW no talo, vão se embora na lata uns 2k. Amanha seu computador vai estar um lixo, não servindo nem pra escorar a porta do seu quarto a noite, qdo vc fica vendo pornô escondido dos seus pais.
Qual o medo, então, de gastar em cartinhas que tendem sempre a aumentar de valor??? Realmente não entendo.

Para não perder o jargão do programa sensacional da TV a cabo: MITO DETONADO!






Leia também

Nacional legacy 2018!!! vai perder as novid.. 8 comentários / 1,501 visitas
Report - top 4 no nacional legacy - miracles 10 comentários / 2,550 visitas
Os 20 melhores flavor texts do mtg 53 comentários / 21,955 visitas
Gp new jersey – super sunday series – p.. 22 comentários / 4,939 visitas
capitulo i - contos inacabados - mergoth 2 comentários / 1,798 visitas

Comentários

Ops! Você precisa estar logado para postar comentários.
(Quote)
- 17/05/2013 20:24


Entendi :D


(Quote)
- 17/05/2013 16:06

Pois é, qdo afirmo que nao indico como investimento me refiro à significação que o senso comum da à palavra investimento. Ou seja, vou por meu dinheiro ali esperando um retorno financeiro.

Não, não é isso.

O que quis com o texto, e por isso fiz uma comparação com o T2 e com um video-game, foi falar que se vc gosta de magic, tem interesse pelo formato compensa vc entrar nele. Primeiro pq vc vai estar se divertindo, segundo pq vc tem boas chances de recuperar, (qdo desistir de jogar, por exemplo) aquilo que vc gastou no inicio. o que nao acontece no T2, ou qdo vc compra um video-game. Desta feita, não cabia eu entrar no merito da questão de qto foi gasto com torneios, viagens, internet, correios, etc, mas tão somente falar que aquela Usea que vc comprou ali por 150 dolares, amanha vai estar valendo 200 e que se vc enjoar vc pode vender e recuperar a grana.

Todos oss gastos satelites, como torneios, viagens etc, nao sao considerados, pois sao proprios de quem joga o jogo e os gastos existiriam de qualquer forma. Mas até para aqueles que nao saem da mesa da cozinha, comprar um um brinquedo que depois de usado vc pode revender por um preço maior é exxtremamente vantajoso.

Por isso, qdo falo que nao indiquei como investimento, é simplesmente para afastar a ideia que o pessoal tem de investimento e não causar pre-conceitos do tipo, bah isso é so um jogo que faz vc gastar grana. Entendeu?

(Quote)
- 17/05/2013 15:57

Lindo o post!! Parabens, era isso que eu queria dizer. O triste é que mesmo falando que não é um artigo ensinando a ficar rico com o MTG, etc, ainda tem nego batendo nessa tecla. Como no caso abaixo:


Aposto que faz Direito ou é advogado, só pelo "Putativo" ali hehehehehe. Brincadeiras a parte, mano, o artigo é de incentivo a novos players~, então pela ultima vez: NAO QUERO ENSINAR NINGUEM A FICAR RICO, NAO FALEI QUE É INVESTIMENTO, NÃO ESTOU DISCUTINDO QUAL FORMATO É MELHOR.

Quero incentivar novos players que se interessam pelo formato, mas caem no lugar comum do LEGACY É MUITO CARO.

(Quote)
- 17/05/2013 15:56



Entao cara, o ato de você imobilizar capital e a partir dessa imobilização você viabilizar a multiplicação desses ativos empregados é INVESTIMENTO/RETORNO, que é basicamente a ideia central do seu texto, ou seja, Invista hoje, em x tempo tenha retorno sobre a valorização e tenha um deck "custo 0" ( Nao entrando em merito de desvalorização do dinheiro, etc)

Foi o que disse anteriormente, o argumento do seu texto é valido, existe uma dinamica de desvalorização de cards qnd caem, enfim, é totalmente plausivel a unica coisa é que existe muito mais porens no meio desse processo de compra e revenda. Nessa receita do deck 0 tá falando ingredientes rs.

(Quote)
- 17/05/2013 14:23
De fato uma das vantagens do legacy é a questão do menor risco de desvalorização excessiva das cartas. Isso faz com que até em médio prazo seja mais caro jogar T2 do que legacy. Eu mesmo por muito tempo só joguei T2, gastei muito dinheiro e hoje se pegar as minhas cartas e ver o que tem valor mesmo e da pra passar fácil num da nem 20% do que eu gastei. Voltei recentemente ao Magic e vou fazer diferente dessa vez. Estou me aventurando no Legacy, que pra mim está sendo muito mais divertido de jogar.
(Quote)
- 17/05/2013 14:17
Eu só acho que a pessoa achar que ganhar um lucro "Putativo" de 2mil reais em um ano, com magic (sem considerar todos os outros gastos que teve com inscrições, viagens, lanches nos torneios, principalmente pq perdeu muito mais do que ganhou) é pura idiotisse, tem gente que acha que trabalha de magic pq no final do mês tira uns 300 reais de lucro com umas cartinhas e uns boosters ganhados em torneios. Sinceramente? magic é um hobby, se vc quer trabalhar e ganhar dinheiro com isso, abra uma loja e venda centenas de box e materiais. Se quer ganhar dinheiro jogando? Veja quantos ganham uma boa grana jogando (como PV e outros) e veja quantos outros MILHARES de jogadores gastam e torram dinheiro para que PV e cia ganhem dinheiro com o jogo.
Melhor coisa que tem é estudar, passar num concurso e gastar seu dinheirinho com magic sem se preocupar se vai lucrar, se vai precisar vender tal carta pq vai usar o dinheiro ou X, Y ou Z.
(Quote)
- 17/05/2013 14:03
OBS: O montante do item 4 eu consegue com mais revendas do que apenas as que narrei, mas esses são exemplos clássicos de como conseguir dinheiro para gastar com o magic gerado pelo magic. Mas não é o suficiente, mas já é alguma coisa.
(Quote)
- 17/05/2013 13:55
Falou tudo e mais um pouco. Sou player das antigas, desde a época que o Old Extended era a bola da vez e Legacy era piada. Deixei de investir no formato naquela época. De uns anos para cá, voltei a comprar staples legacy e comecei gastando coisa de R$ 500,00 em cards que logo viraram R$ 1.000,00 e daí por diante.

Canso de dar esses exemplos, mas lá vão:

1) Comecei comprando um affinity, um the rock quase casual e um high tide (sem candelabra) que me renderam, em média, de lucro, o valor que eu gastei inicialmente.

2) Vendo que o UW miracles estava em ascensão e que o monoU tinha feito um resultado positivo (vendo no domingo na SCG época do mental misstep) comprei os cards do MonoU e lucrei nas vendilion´s (modern), Energy field, misdirection etc... O mercado brasileiro levou 1 semana para atualizar os preços, lucrei de 30% só naquela semana, corrigindo para hoje só os cards citados praticamente pagaram o investimento inicial.

3) Caleb D. ganhou o SCG com o UB Tezz (cores que eu sempre joguei, mas no legacy a opção era somente o reanimator), curti o deck, montei: Jace TMS, Force of Will, Danação, Karn, Balefull Strix... E só para reativar a mente dos esquecidos, nessa data eu paguei 140 em cada Jace em PT-BR, Karn saiu por 25 reais e danação full art foil por 40, salvo engano nesse último. Na mesma semana, várias altas nos cards do deck subiram coisa de 20 a 30% (e adquiri os underground sea por 200 e pouco cada e comprei as fetchs UB 200~300 o set, dessas últimas não me recordo o valor exato porque comprei alguns cards picados porque já tinha 1x de cada por cauasa do Commander. Veja o preço agora do lucro total.

4) Para não misturar Legacy com Commander: Vendendo os decks adquiridos no item 1, comprei um merfolk na semana que pegou 1st na SCG (usando o dinheiro do lucro dos decks e sempre me desfazendo de uns para comprar outros) e revendi 3 semanas depois por 30% mais caro que comprei (sem as fow que segurei mais umas semanas e tive um lucro de 20% nelas), depois comprei um dredge e revendi logo, tendo quase nenhum lucro e vendendo meu MonoU (durante a era mental misstep) obtive uma quantia entre R$ 2.500,00 e R$ 3.000,00.

Agora parem e reflitam: se você sabe a hora de comprar A e vender na hora certa, você pode sim multiplicar seu dinheiro como mostrei para vocês. Não, não dá para viver disso, porém, na época, eu tinha pouco dinheiro disponível e dinheiro que investia em Magic era somente o do lucro de revendas (tem um amigo meu da cidade que também só multiplicou a grana dessa forma).

Status atual: Com essa pool do item 4, comprei TODOS os terenos possíveis (que listei na área do Commander como possíveis staples para lands), gastando coisa de 800 reais ao todo (1x de cada: shock, pain, tap, fetch, fortaleza de volrath, academy ruins e trocentos outros). Duas semanas depois, vem o modern e hoje, mesmo com o reprint das shocks, o lucro aqui, foi absurdo (não cheguei a calcular hoje, mas as shocks dessa edição, mais as fetchs de zendikar e investida sozinhas pagaram todo o investimento inicial) e os outros lands somam um lucro absurdo. Isso com R$ 800,00 daqueles 2.500 ~3.000. Desses outros, comprei os decks pré-montados de Commander que me custou entre 350 a 380, não me recordo agora. Cada deck hoje custa um rim. Lucro de novo. Com o restante do dinheiro, comprei todas as staples listadas para o formato e montei 3 decks (o Uril sendo um deles que ia muitos cards caros e para minha surpresa, vários enchants do deck subiram absurdamente de preço me dando lucro de novo).

Voltando para o UB Tezz, o deck está fechado e não quero vender pelo histórico do que já citei aqui. Essa é uma breve história de como ganhei dinheiro usando meu tempo livre para revender magic. Hoje eu tenho um pouco mais de dinheiro para gastar com magic e não ligo tanto para revenda, mas o que o autor do artigo se propõe a demonstrar é a mais pura realidade e não, não tem uma loja aqui perto para jogarmos Legacy e ganharmos dinheiro com isso (e sim, dá gerar lucros e investir em magic de novo se tiver uma loja, como tinha aqui na época do Extended e era como eu, muleque de 15 anos na época, tinha dinheiro para viajar para a cidade ao lado e fazer uma boa grana, mas não é mais a realidade daqui).

Não me propus à fazer uma matemática exata das coisas porque já é difícil lembrar do que nós comemos ontem, mas de forma simples, demonstrei minha trajetória lucrando da forma que o autor descreve no artigo.

E por favor, vamos falar de como lucrar com magic e sustentar o gasto no jogo (muitas vezes, como era meu caso, dispondo de pouco dinheiro para isso) e não transformar isso numa discussão Legacy Vs Standard. Os dois tem públicos diferentes e o gasto é alto em ambos, gosto é gosto.

Esse artigo tem muito à acrescentar no quesito: eu tenho pouco dinheiro e tempo disponível, posso lucrar e montar meu deck? Sim! Tenha paciência e conhecimento, é o que basta.
(Quote)
- 17/05/2013 13:26
4 brainstorm sim.. ta certo..
(Quote)
- 17/05/2013 13:00


Foi um exemplo, tem toda carta de Legacy dobra de preço a cada ano ...

Olhando a lista agora, Brainstrom 20R$ ? tá certo isso?

(Quote)
- 17/05/2013 11:57

Meu caro, no mundo de hoje vc tem que pensar tudo financeiramente para que fique viável sua pratica. Lembre-se, no capitalismo tudo custa e monetizar um hobby é super valido, só isso.

(Quote)
- 17/05/2013 11:53

Pois é cara, mas eu nao falo em casar com deck, ou montar para ganhar dinheiro com ele depois, ou montar para guardar ele na pasta. O artigo tem como objetivo somente um estimulo àqueles que simplesmente nao param para pensar e ignoram o legacy por causa da premissa: legacy é caro pra caralho.

Assim, o estimulo é pra começar, depois que começou, vc pode trocar suas cartas de um deck por de outros, transforma-lo em outro: o esper vira um uw ou um bw facilmente, a base azul do legacy é comum em quase todos os outros decks que usam azul, etc.

Nenhuma hora o objetivo de começar a jogar é ter o jogo como investimento, nao falei isso hora alguma, mas simplesmente incentivar o novato, que ta com medo de gastar 5 mil reais e falar pra ele: olha, vc nao vai perder dinheiro, não é dinheiro jogado fora!

Entendeu?

(Quote)
- 17/05/2013 11:33

Curti em demasia, e é fatão, hje quando eu sento para jogar o que eu quero é me divertir, ou seja ter um ambiente agradável, com pessoas que tenham o mesmo propósito, participar de um campeonato e este não precisa ser uma premiação top, mas sim coerente, pontual, um bom local...enfim....para que o dia seja proveitoso.....


Devan, vi o seu post, e kra, como eu queri poder ter tempo novamente para jogar T2 =/, e concordo com o q disse...então ambos tem os seu pontos "bons" e "ruins", mas questão do gasto é proporcional...acho

(Quote)
- 17/05/2013 11:28

That

(Quote)
- 17/05/2013 11:22
Já dizia um grande amigo meu:

"Trabalho é aquilo que eu faço pelo dinheiro que recebo;
Hobby é aquilo em que gasto dinheiro e fico feliz com isso."

Aplicar conceito econômico em Hobby não rola ^^"
(Quote)
- 17/05/2013 11:20


Concordo contigo Brother, mas o sendimento de Perda é bem diferente.
Os kras q vem as cartas valorizando as cartas no legacy pensam: poxa, poderia ter vendido agora e ganharia mais dinheiro, ou então, poxa, vendi a tempos e agora tenho q pagar mais caro...

Ja no T2 é assim: poxa, gastei um monte, agora ão tenho como vender pois a grande maioria jogava só t2, minhas cartas estão encalhadas e não vu vender elas como "bulk";

E isso posso listar muitas:

Murmuring bosk, anjo exaltado, lagoa espelhada, imagem do destino, goblin guide, gideon, espada bg, rw, ug, extração craniana, extirpar, dentre outras...inclusive no mesmo tempo T2 como abrupt decay, lol troll,jace rtr, shocklands, day of judgment, a cruzada(nova)

Mas também tem ao contrário como:
jitte, noble hierarh, mutavault, frasco, feth, jace(que deu a despencada e agora sobe mais que inflação), thoughtseize, dark confidant, tarmogoyf, vendilion, shaman, toliana e por aí vai....


Só que é maior a probabilidade da carta q desvalorize, do que a probabilidade lógica da carta q valorize(com algumas exceções)

Então é a dor da perda, só q diferente, um deixou de ganhar, o outro deixou de vender e o outro pagou mais caro, e outro ainda só perdeu mesmo..euheuheuh

(Quote)
- 17/05/2013 11:15
gostei da sua resposta thmduarte

Não falei que o texto foi mal-escrito ou fracamente embasado, mas sim que o angulo pelo qual você mensura os beneficios do formato é restrito demais.

Sou totalmente a favor de um formato eterno como hobby, em especial no contexto dos comentários levantados ao longo das respostas. Mas nunca usando a desculpa da rentabilidade como o objetivo central do seu gasto na montagem do deck.

Quando falei sobre o gasto se reverter em eventos, eu quero dizer que um deck T2 te permite jogar mais eventos, ou seja, você ainda "perde" o que gastou, mas no mesmo espaço de tempo participa de mais campeonatos, joga mais vezes também, e esse é meu foco no Magic: jogar.

Se serve de exemplo, pense em gasolina. Eu posso comprar uma quantidade suficiente pra encher meu tanque, e quando se esgotar comprar mais, tudo bem, eu USEI o que comprei. Você pode preferir estocar em casa alguns galões, reter aquele dinheiro por um tempo, usar bem menos, mas em compensação vender mais caro quando o produto valorizar.

É uma escolha sua, e isso não faz um formato melhor que outro, é uma rota totalmente válida, mas não invalida o T2, é só a galera parar de achar que Magic competitivo é feito pra se ganhar dinheiro com as cartas.

Falando novamente em Legacy competitivo: você pode até montar um deck que se valoriza com o tempo, mas isso não se traduz em competitividade. Não falo apenas de adaptações, mas também de metacalls. Casar com um só deck não é ser competitivo, mesmo que o deck seja tier 1, eu sei que nem no T2 é possível trocar de deck toda semana, mas é por isso que o conceito de "LEGACY COMPETITIVO DE GRAÇA" não existe no seu texto, o máximo que você pode chegar é num acervo pessoal com boa valorização ou boa competitividade, mas não ambos. Se você joga pra competir seus gastos com o meta sobrepujam a rentabilidade, e se você gasta como hobby, pra desfrutar de um só deck, sua capacidade competitiva é limitada.

É simples meu ponto.

Você fez sim uma excelente apresentação no texto, caso contrário eu nem comentaria, a intenção não foi diminuir seu conteúdo, mas quero aqui deixar claro que COMPETITIVO é algo um pouco diferente do que abraçar um só deck por anos e depois vender mais caro. Se o meta está punindo combo, porém mais aberto para aggro/midrange, você não consegue transformar seu Esper num Goblins ou num Jund, é esse meu ponto, jogar competitivo, seja o formato que for, não envolve montar seu deck em casa aos poucos, o nome disso é hobby.
(Quote)
- 17/05/2013 11:09

Assino em baixo com tudo o que foi dito. Belo artigo.

(Quote)
- 17/05/2013 10:56
Um monte de gente ja disse mais ou menos isso aqui,mas também vou dar minha opinião.
Pensar em magic como investimento é um erro,magic é bobby a menos que você seja lojista ou dealer.
Seu deck legacy pode até valorizar (normalmente vai),mas isso não faz diferença se você não for vender os cards (como a grande maioria das pessoas fazem),se elas ficam no deck jogando ou guardadas o valor delas é oque você pagou por elas.
Além disso,vender os cards sempre deixa o sentimento de perda,no T2 é mais obvio,mas no legacy ele também ocorre,já que os cards sempre tendem a valorizar,você sempre vai olhar 1 ou 2 anos depois que vendeu e pensar "putz,vendi minhas FoW por 80 mangos e hoje ta quase o dobro",ou seja,vender nunca é bom negocio (se você é jogador,se você é dealer são outros 500).
E a parte de que dinheiro do T2 se reverte em eventos é um fato,esse ano mesmo já tivemos um GP no formato no brasil,quem fez top um monte já pegou uma grana boa,PTQs,GPTs e outros eventos de um porte um pouco maior do que campeonatos regulares que garantem uma premiação melhor também acontecem principalmente no formato Standard;eu voltei a jogar magic em zendikar,e todo deck que montei até hoje se pagou ao longo da temporada em forma de premiação em torneios,e olha que eu nem sou jogador comptitivo,só de booster de FNM e torneios menores mesmo.
Resumindo,jogar Legacy é uma Boa pra quem gosta,assim como jogar T2 ou qualquer formato que seja,mas entrar no magic achando que vai ganhar dinheiro é furada.
(Quote)
- 17/05/2013 10:42
Até se alguém quiser me passar o valor de um deck Tier1 T2 com os valores de cards discriminados, eu posso fazer em relação a um Legacy para então fazer o comparativo =D
(Quote)
- 17/05/2013 10:12

Isso aí, esse pegou o espirito da coisa. Obrigado pela mente iluminada hehehehe.

(Quote)
- 17/05/2013 10:06

Eu queria manter o foco do tópico, que ao meu ver foi algo bem humorado falando a respeito de compensar jogar o formato(Ja que muitos falam e todos sabem que o magic é caro(ainda assim vários reclamam por isso))

Então pessoal...eu jogo Magic a muito, mas muito tempo, e a 2 anos estou jogando legacy, e jogo T2 a tanto tempo quanto o legacy....

Falando sobre Legacy:

Existem vários decks que combam turno 0, mas da mesma forma existem decks que conseguem conter esses decks, assim como tem jogos que acabam em menos de 5 minutos(isso em relação a good match, zica, forças do acaso(Como aconteceu comigo no nacional(eu de maverick o kra de omnitell combando(e eu levando de 2x0)))), também temos a defronta de 5 turnos inclusive num mirror de maverick(utilizei os exemplos que ja aconteceu comigo), realizo campeonatos legacy e participo de muito também, e sempre vejo as 3 coisas, jogos rápidos, jogos normais E jogos demorados(inclusive com jogadores em modo automático).

Pq isso é o Legacy, temos vários arquétipos de decks, e neste ambiente encontramos TODOS os tipos de decks, aggro, combo, control e todas as suas variações.

Outro fato é que o Magic é caro, isso é um fato incontestável que vários ja sabem, mas o dono do post quis mostrar que compensa jogar! Existem vários jogadores colecionadores, que podem emprestar decks para uma pessoa que queira jogar o formato possa fazer, eu mesmo empresto decks pq acho muito massa ter jogador a mais, mas também não é de graça, pois o jogador paga a inscrição do torneio.

Outro fator é que na verdade não que o ambiente Legacy não muda! Mas sim os deck se tornam estáveis, criam uma consistencia para poder disputar diversos torneios ao londo do tempo.


Vamos la, gastei meus 2200 para montar o maverick ano de 2011, logo quando teve o boom, joguei com ele, curti demais, deu tempo para pegar a mecânica dele, depois disso o deck "parou de jogar"(sim, la fora) Aqui o deck continua jogando, então foram lançadas novas versões dele, o Dark Maverick e o maverick and Taxes, cujo gastei mais uns 500(no máximo) para adaptar aos novos estilos.

Possuo o deck pra jogar, mas não gastei somente isso, pois eu quis montar outros decks e assim foi....e também não jogo só com o maveco.

Um outro fator pode-se levar em conta, é sobre o tempo dedicado ao legacy, é um formato mais "tranquilo", como estou fazendo faculdade, organizando torneios, namorando, então não costumo dedicar muito tempo, e é legal pois ao ver os decks q estão jogando atualmente, eu acabo fazendo alguma alteração nele, ou adquirindo algum card novo(triste quando esse card é T2 e o valor é exorbitante(pois sabemos q vai cair)). Então por eu jogar apenar 2 vezes por mês e eu conseguir manter minhas outras coisas é um formato extremamente viável e satisfatório para mim.

Para finalizar sobre legacy, os mesmo decks? SEMPRE? posso listar alguns deck que vejo, vi, nos tops da região....
Death and Taxes, Enchantress, Junk, UWr, canadian, TES, maverick e suas variações, nic fit, sneak and show, omnitell, UR delver, elves, goblin, UW ou UWr miracle, stoneblade, BUG e suas variações, aggro loam, enfim..esses só q vieram a cabeça



Vamos ao T2

Jogo T2 desde a um tempão, onde se investia "apenas" R$350,00 num deck tier1 para jogar a temporada(2 anos).

Mas o T2 mudou, as cartas foram ficando aida mais caras(mesmo o valor dos boosters continuar o mesmo e a quantidade de cartas no ambiente ter aumentado, mas não vem ao caso agora) Pouco antes das paradas do T2 os decks ja passavam de seus 1k, e a cada temporada precisa se renovar o estoque, ou sejam, preticamente vender tudo(pois VÃO cair o valor dos cards na rotação)e recomeçar.

Então o T2 é um formato que está em constante mudança, e para tal os jogadores preciam acompanhar isso, ou seja, para eu, para eu voltar a jogar T2 teria q jogar no mínimo 3 vezes ao mês, assim compensa montar o deck, pois normalmente jogador montar deck para poder "brincar" com ele.

Na última vez q joguei T2 montei o BG zombie, logo pós rotação, por ser um deck barato(gastei 450), joguei durante um mes, então o vendi, pois eu não tinha tanto tempo para jogar, nisso ja vi outros decks surgindo e meu deck não era tier1... e sei que se eu continuasse a jogar eu precisaria perder ainda mais dinheiro.

Eu vejo muitos mas MUITOS jogadores T2 que os defino como jogadores de temporada, esses são jogadores que não sobrevivem a rotação, começam a jogar com um ânimo montando um deck massa, mas quando estão terminando de montar o deck a temporada ja está quase acabando, vejo ainda agora algumas pessoas comprando traquepresa, porém não há uma garantia q ele volte, então para mim este seria o tempo de me desfazer dessas coias(para nao perder muito dinheiro). Assim que termina a temporada, esses jogadores não podem continuar investindo, ou simplesmente não aceitam o fato que esse deck que montaram +- a metade dele não serve mais pro formato e não querem se desfazer dos cards pois fica aquele sendimento de perda...desvantagem....

Isso tudo eu digo baseado aqui na região e no ambiente que jogo(não que se aplique a todos, mas com certeza ja viram alguns casos assim)

Então vamos a um comparativo, feito por mim, de minha autoria de minha opinião que aconteceu comigo(uehueheuheuheuhe):

Valor total gasto em legacy(em relação a um deck) foi: 3000;
Ele pode jogar ainda o formato(2011-2013);
Duração: 3 anos;(Estou levando o fato do deck poder jogar o formato ou não, e não se é tier1)

Valor total gasto em temporada T2: +- 1500;
Duração: 2 anos;

Ao meu ver o Legacy é bem mais caro mesmo...orra 2X mais....

Mas, ano que vem....vou continuar no T2....ou continuarei jogando legacy com o mesmo deck...deu um pelo outro...

O que algumas vezes faz um jogador optar por um formato é o tempo aplicado sobre ele, o valor investido inicialmente, a validade das cartas ao longo do tempo.

Mas ambos precisam ter um valor investido(a não ser que jogue sendo "patrocinado" com um deck de um amigo)

Só me atentei a responder mesmo por jogar os 2 formatos, e estabeleci valores que normalmente a grande maioria gasta(claro q não aplicável a todos)...


Muito Obrigado

X



(Quote)
- 17/05/2013 09:56

Mas nao indico como investimento. Indico como hobby e apontei no texto, a possibilidade de nao perder dinheiro. É de nicho, a liquidez porém é variavel, a depender da carta. Mas isso é caracteristica de toda coleção, seja de quadros, livros, moedas, selos, etc.

(Quote)
- 17/05/2013 09:51

O que seria do escritor se nao fosse o interlocutor certo? Mas olha só, primeiramente o artigo não está aí pra convencer ninguém qual formato é melhor, como já falei. Alguns leitores perceberam que a tal rivalidade citada por vc está aí para adicionar humor ao texto, e só. O real objetivo do texto é mostrar que é dificil perder dinheiro num formato eterno, depois do investimento inicial, coisa que é obvia, mas muito nego não percebe a obviedade nas coisas. Agora qual o custo operacional do processo de venda? Guardar as cartas na pasta e anunciar na liga deve ser realmente caro hehehe.

Em segundo lugar, o titulo do texto já diz: Como começar a jogar Legacy COMPETITIVO. Logo, presume-se que o interessado vai ter lugar onde jogar e não mora numa cidade de 1 habitantes onde nem o T2 iria vingar, pq so tem ele e o primo dele jogando. Eu gastei em legacy e tb uso minhas cartas o ano inteiro, mais que um ano até, jogo todas as semanas etc. Agora se vc enfretan centenas de oponentes diferentes em campeonatos toda semana, provavelmente vc tá participando de torneio na SCG.

Em terceiro lugar não falei que vc vai gastar menos montando um legacy, muito pelo contrario. Falei que T2 é mais barato, tá la no texto, só voltar e ler.

Em quarto, queria saber como "seu dinheiro perdido se reverte em dezenas de eventos extras". É tipo: "olha, meu jace caiu 30 reais, vou converter esse prejuizo na inscrinçao do evento"?!?!!?

Em quinto: ninguem falou que o formato nao roda, pelo contrario, está la no texto tb.

Em sexto: cara, seu conceito de patrimonio precisa ser melhorado urgentemente. Artigo de coleção é considerado um ativo no balanço patrimonial de qualquer pessoa (juridica ou fisica). Para citar alguns exemplos: bibliotecas (coleção de livros), carros (olha, coleçao de carros), selos (putz, coleçao de papel picado hein), garrafas de cerveja (caralho) e, advinha....MTG (se uma carta de 1000 reais que nem o tabernaculo, que constantemente é valorizada, não pdoe ser considerado patrimonio, entao meu Deus, o que seria patrimonio).

Por ultimo, mas nao menos importante, na verdade vc nao apontou nenhuma fragilidade no texto, somente deu opinioes pessoais baseadas na sua preferencia por um formato e não pelo outro, o que mostra que vc leu o texto, mas nao o entendeu, coisa perfeitamente normal no Brasil hj em dia, não te culpo. Talvez com as explicações acima, vc pegue o espirito da coisa.



(Quote)
- 17/05/2013 09:41

E eu sinceramente espero que eles reprintem as fetch lands, se é pra ser um formato saudável que tenha preços mais acessíveis, não é um formato pra elite apenas.
Lembro que comprei verdant catacombs em leilão aqui por 18 reais ano passado ainda, claro que estou feliz que hoje eu consiga vender cada uma por 60 reais mas prefiro preços mais acessíveis, jtms por 450 reais é tenso.

E como já foi dito, claro que a quantidade das cartas define o preço mas a edição também, se sairem o reprint das fetchs, elas serão de outra edição, fetch de onslaught é fetch de onslaught, isso nunca vai sair mais e a nível de colecionador essas fetchs serão as mais procuradas, e ainda serão mais caras que as fetchs onslaught 2.0

(Quote)
- 17/05/2013 09:34

Excelente post

(Quote)
- 17/05/2013 09:30
há muitas incertezas em relação aos preços da maioria das cartas cartas ( Pelomenos todas aquelas fora da reseverd). Outro ponto é que você vai imobilizar o capital em um produto de nicho e de baixissima liquidez... Como investimento eu não recomendo, agora analisando pelo aspecto HOBBY sim, porque não gastar? o beneficio principal não é a grana, é a diversão. A questão não é a inviabilidade de "jogar de graça", pois é possivel sim, mas está longe de ser regra e com certeza longe de ser uma receita magica...
(Quote)
- 17/05/2013 09:07
Pulando a balela de "não gaste nada" e a inflação, ainda considere o esforço pessoal em passar pra frente cada uma das cartas. Diga o que quiser sobre "uma fila de gente querendo comprar", o fato de ter que estocar as cartas, repassar as cartas, negociar e etc, também deveria ser incluso no seu custo operacional.

É mais ou menos por isso que muito idiota se fode com Telexfree ou Monavie, pois esquece de considerar os custos indiretos do processo, e acha que ganhar 3k em um ano é negócio da china

Eu prefiro T2 por um motivo óbvio: tem mais eventos e jogadores. Prefiro perder o que gastei nas cartas, mas ter a garantia de que elas vão ser usadas durante todo o tempo em que forem legais no formato, e não estou falando de um evento batido no mês, ou de um campeonato com 30 nego, estou falando de usar até cansar, jogar toda semana, enfrentar centenas de oponentes diferentes, etc, etc.

É que no Brasil essas coisas são caras mesmo, então é natural a galera visualizar cartinha de papelão como "patrimonio", acontece algo similar com automóveis, o que mais se vê é nego tapado comprando Gol pelado porque "a revenda é sensacional"

Pra mim, Magic é um entretenimento, não um investimento. Apesar da comparação com automóveis, sei sim que, em alguns casos, as cartas eternas geram lucro sim, e inclusive o deck postado nesse tópico também tem tudo pra valer cada vez mais.

A diferença sutil é que:
1 - Eu gasto menos até fechar o deck, enquanto um Stoneblade de 6mil reais ainda continua capenga se você tiver apenas 5k em cartas, ou seja, você precisa investir na lista TODA antes de jogar Magic de fato.

2 - Meu dinheiro "perdido" se reverte em dezenas de eventos extras. Da última vez que chequei, o principal motivo para montar um deck era jogar com ele, ou você pode comprar um boneco do Shiryu e deixar ele guardado na caixa 20 anos até valorizar infinito, mas é sua preferência, botar as cartas no shield uma dúzia de vezes por ano não é o que chamo de "aproveitar o deck"


O ponto aonde quero chegar é que não existe mundo mágico, o Legacy realmente vai te dar uma sensação legal de perpetuidade pelo fato do formato rodar menos (ele ainda roda, através de bans, novas coleções e metagame, só pra avisar), mas em contrapartida você vai sacrificar o motivo pelo qual se monta um deck (jogar).

Eu montaria e jogaria um deck Legacy tranquilamente, mas sem deixar de atender aos eventos standard, achei a comparação montada nesse artigo muito incompleta e inocente, a própria competitivdade que se cria entre os formatos é algo que além de infantil é desnecessário, apontei apenas alguns pontos divergentes sobre o argumento postado, e poderia enumerar muitos outros, mas acredito que meu ponto de vista já foi solidificado.

Abraços
(Quote)
- 17/05/2013 00:43
Pra mim que moro em uma cidade que não tem torneios e viajo vez ou outra para jogar aquele champs maneiro o legacy é bem mais interessante, imagina ficar montando deck T2 toda vez que eu for jogar?
(Quote)
- 17/05/2013 00:16

Isso chama titulo de impacto filhão hehehehe. De qualquer forma se vc compra um deck hj e daqui um ano vende e recupera todo seu dinheiro, corrigido, foi ou nao foi de graça?

Claro que nessa vida tudo envolve um investimento inicial hehehehe, até sexo! ou melhor, principalmente sexo.

(Quote)
- 17/05/2013 00:01

Do jeito que a coisa ta indo, acho que staples legacy tão valorizando mais rápido que o ouro hein?

(Quote)
- 16/05/2013 23:58


falou tudo...
até curto legacy em função da grande interação entre cards, mas só de pensar que vou montar um deck bonzão (gastando e até ganhando dinheiro, ou não) e ter que jogar com ele 4783215634156178 milhoes de vezes torna extremamente chato pra mim o formato.
2 meses atras tava jogando de Jund, agora to montando um esper. Mudei totalmente meu estilo de jogo, cartas novas, novas estrategias.

(Quote)
- 16/05/2013 23:54
De graça vc forçou né Thiaguim...
(Quote)
- 16/05/2013 23:52

Isso é jogar legacy de graça!
Investimento por investimento, prefiro comprar ouro e jogar MWS enquanto ele valoriza!

(Quote)
- 16/05/2013 23:44

Justo!

(Quote)
- 16/05/2013 23:38
Como jogar Legacy de graça?

Conheça alguém que joga Legacy competitivo = Peça um deck emprestado = Jogue de graça.
(Quote)
- 16/05/2013 23:33



eu tinha pensado a mesma coisa mais preferi não comentar.. hauuhauhauhauh

pra falar a verdade até fiquei na duvida.. porra achava que saturno era do mesmo sistema que nois.. mas dai lembrei dos new fractius e achei que era coisa da minha cabeça mesmo!

(Quote)
- 16/05/2013 23:32
Parabens pelo artigo, comcordo plenamente contigo.
(Quote)
- 16/05/2013 23:02
/\ LOL kkkk
(Quote)
- 16/05/2013 22:56

E Saturno por acaso fica fora do Sistema Solar ???