[Primer] - Death and Taxes 2.0
 [Primer] - Death and Taxes 2.0
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 14/09/13 21:01
Death and Taxes – Primer





1.0 – Introdução.
2.0 – História, evolução e sucesso – GP Strasbourg.
3.0 – Card by Card.

3.1 – Terrenos.
3.2 – Criaturas para MD.
3.3 – Outras cartas para MD.
3.4 – Sideboard.
3.5 – Outras cartas relevantes.
4.0 – Exemplo de listas.

4.1 – Listas com melhores resultados nos últimos meses.
4.2 – O "núcleo" do deck.
5.0 – Estratégias.

5.1 – Postura do deck.
5.2 – Tricks do deck – Flickerwisp.
5.3 – Tricks do deck – Outros.
5.4 – Outras dicas durante o jogo.
6.0 – A Bíblia do Revoker.
7.0 – Análise de partidas.
8.0 – Deficiências do deck e como contorná-las.
9.0 – Referências, artigos e vídeos.
10.0 - Créditos.



1 – Introdução.

O Death and Taxes é um deck de controle com características agressivas que na sua origem era considerado uma espécie de spin-off do clássico White Weenie. Mas, enquanto no WW a preocupação era apenas baixar criaturas sem sinergia alguma e com um corpo pequeno, o D&T abusa de criaturas sinérgicas, com evasão e com habilidades que atrapalham o desenvolvimento do jogo do oponente, além de cada criatura ser uma ameaça em potencial por si só. O nome do deck provém de um provérbio que representa bem essa filosofia do deck: "nada é certo na vida, exceto a morte e os impostos." Seus locks são os impostos, que impedem o bom desenvolvimento do jogo de seus oponentes, enquanto suas criaturas trarão a inevitável morte. Esta é a principal característica do D&T, a aliança de conceitos aggros, com criaturas rápidas e baratas com elementos de controle e negação de mana.

Pensando nisso, na composição do deck é dada prioridade para cartas que combinam estes dois lados – controle e agressividade. Para exemplificar, no caso do D&T é preferível uma criatura que, embora menor, possibilite mais elementos de controle, do que uma criatura exclusivamente ofensiva, mas que não acompanhe a estratégia do deck. Quanto mais controle, melhor. E quanto mais controle na forma de criaturas, melhor ainda. Seu objetivo é criar um ambiente difícil e opressivo para o oponente ao mesmo tempo em que pressiona seu total de pontos de vida. Tenha sempre isso em mente, pois esta filosofia definirá quais as cartas que serão usadas ou não.

Uma das principais vantagens do D&T é exatamente sua estrutura de jogo, que permite o uso de diversas alternativas e soluções para uma enormidade de situações. Criaturas com iniciativa, evasão e proteção aliadas a lifegain e remoções são páreo duro para os aggros. Controle de mana e os impostos/taxas, combinados com diversos truques e "efeitos especiais" dificultam a vida de decks de controle e combo. O D&T tem até sua própria ferramenta de softlock, que embora seja bem inferior a decks como White Stax, podem resolver o jogo de uma hora para outra a seu favor (falaremos mais disso mais adiante). Além disso, por ser um deck monocolor, o D&T tem uma das bases de mana mais sólida do formato, e isso possibilita a inclusão de utility lands que produzem efeitos adicionais que o auxiliam ao longo do jogo, sem interferir na sua capacidade de gerar a mana que você precisa na hora que você precisa.

Porém, isso tudo faz do D&T um deck bem difícil de ser pilotado com maestria. Existem muitas interações particulares, e o jogador deve ter um conhecimento profundo das regras para tirar o maior proveito possível do deck. E ao contrário de decks como burn e alguns combos, que não se importam muito com o que o adversário faz ou deixa de fazer, quando estiver jogando de D&T você deve saber exatamente o que o oponente usa, qual a estratégia daquele deck em particular, suas cartas chaves e que tipo de caminho você deverá seguir – se irá tentar ser mais agressivo, atacará a base de mana, partirá para um softlock ou se vai se impor através de suas taxas. Tentaremos com este texto falar um pouco mais sobre o deck, mostrando as principais cartas e interações para que você possa se familiarizar com este estilo diferente de jogo que só o Death & Taxes proporciona.

2 – História, evolução e sucesso – GP Strasbourg.



O Death & Taxes vem sendo desenvolvido como um deck independente basicamente desde o lançamento de Time Spiral, que trouxe uma das estrelas do deck, o Mangara of Corondor. De lá para cá o deck mudou bastante. No inicio era comum ver cartas como True Believer, Glowrider, Samurai of the Pale Curtain, Isamaru, Hound of Konda, Stonecloaker e outras, que hoje em dia consideraríamos opções não tão boas. Aos poucos novas cartas foram sendo incorporadas e, mais recentemente, vimos alguns lançamentos que parece que foram desenhados para este deck, tais como Thalia, Guardian of Thraben, Phyrexian Revoker e o pacote Stoneforge Mystic/equipamentos injustos, que também vem visto jogo em decks como Stoneblade e Deathblade. Apesar disso, o deck passava por um longo período de esquecimento (não entendam mal, o deck era conhecido, mas poucos jogavam ou arriscavam-se com ele, afinal "não se joga Legacy de monocolor"). Até que, na data de 14/04/2013, houve a revolução do deck.

Um jogador, chamado Thomas Enevoldsen (imagem acima), conseguiu a primeira colocação no Grand Prix Strasbourg. A partir de então, diversos jogadores começaram a ver o deck com outros olhos, porque ele tinha um potencial até então adormecido.

Muitos podem falar do fator sorte, mas isso não é verdade, e pode ser comprovado. No mesmo torneio, seu colega de jogos, Michael Bonde, ficou em 4º colocado no torneio, usando a EXATA MESMA LISTA, com exceção de 2 cartas no SIDEBOARD. Os dois jogadores chegaram ao top 8 e se enfrentaram nas semi-finais. Em resumo, o deck perdeu somente para um mirror-match, e Thomas conseguiu chegar às finais, enfrentando um RUG e vencendo de 2x1. Quantos jogadores tinham no torneio? "Somente" 1365.

Pois bem, vamos à lista utilizada: (tudo o que for dito aqui é somente a nível de informação, nada é verdade absoluta, são somente percepções dos decks e notas sobre card-by-card de acordo com as vitórias do deck nos últimos meses).



A nível de informação, como dito, o sideboard de Michael Bonde era diferente só em 2 cards dessa lista. A alteração era que ele não usava 1x Sunlance e 1x Leoninc Relic-Warder, e no lugar uma adicional 1x Oblivion Ring e outra 1x Relic of Progenitus.

3 – Card by Card.

Aqui falaremos das cartas principais do deck, as razões para usá-las e a quantidade ideal dependendo de sua estratégia. Mais abaixo iremos incluir exemplos de listas atuais do deck, para os mais diversos tipos de estratégia e seleção de cartas.

3.1 – Terrenos:



Plains: Uma das grandes vantagens de se ter um deck monocolor é poder ter uma base de mana sólida e resistente a remoções e coisas do gênero. Por isso as planícies são seus grandes aliados, sua base de mana inteira é baseada nelas.
Quantidade: varia dependendo da quantidade de mana branco que você irá precisar e da quantidade de terrenos que você irá usar. O número mínimo aceitável seria em torno de oito planícies, para que você sempre tenha ao menos uma ou duas a disposição, principalmente no inicio do jogo. As listas atuais costumam rodar com oito a nove delas, em alguns casos até mais. Independente da quantidade que você decida usar, aconselhável o uso de, ao menos, 14 fontes de mana branco no total (sendo quinze o número ideal) e algo em torno de 22 a 23 terrenos no deck, dependendo do custo de mana de suas cartas.

Cavern of Souls: O primeiro land não trivial do deck, ele atrapalha um pouco, pois não produz mana branco para todas as suas cartas, e isso deve ser levado em conta quando você fizer a contagem de fontes de mana. Apesar disso, também é uma opção interessante, servindo para contornar um counter inesperado. Na imensa maioria das vezes você irá nomear humanos (Thalia, Mangara, Fiend Hunter, Mirran Crusader, Mother of Runes), mas pode ser necessária para proteger uma carta que você precise desesperadamente que entre em jogo ("Kor" para Stonforge Mystic por exemplo). Para quem usa Aven Mindcensor não se esqueça que tanto ela quanto a Mangara são "Wizards" (isso já me salvou em uma situação específica).
Quantidade: 0 ou 1 no deck.

Eiganjo Castle: Uma cópia somente também. O fato de ser lendária atrapalha caso haja mais de uma no deck. Protege Thalia e o Mangara (principalmente a Thalia, que é o que você, em geral, mais quer proteger). Poder dar blocks sem perder uma criatura, assim como sobreviver àquele maldito Pyroclasm que o deck de combo quer tanto usar para limpar seu campo e poder fazer seu lindo combinho. Entra em pé e não tem drawback, e se alguém falar "ah, mas toma Wasteland", isso não é drawback, é da natureza de CADA TERRENO NÃO-BÁSICO sofrer para Wasteland, por isso é um card ótimo para ter. O Eiganjo também é uma das poucas proteções que você vai ter contra Jund e seus malditos Punishing Fire...
Quantidade: 0 ou 1 no deck.

Horizon Canopy: Existem listas que utilizam uma, outras que utilizam duas. Seja como for, é um card muito útil. À primeira vista parece meio estranho, mas no late game esse card lhe dá um card advantage bom e como é comum o D&T entrar em top deck mode, esse terreno é uma mão na roda. O ponto de vida perdido cada vez que gerar mana em 99% dos casos não será fatal. Estar com nenhum card na mão, e no final do turno do oponente usar esse card, e no seu turno comprar outro, dá um gás enorme para o deck. Card incrível, muito bom mesmo.
Quantidade: 0 a 2 no deck.

Karakas: Um dos melhores terrenos do deck. Protege sua Thalia, faz combo com o Mangara, e se livra de diversas criaturas alheias, sendo que é especialmente poderosa contra Sneak Attack e Reanimator. Pelo fato de ser lendária, a lista utilizou 3, mas existem listas que utilizam 4. Por EXPERIÊNCIA PESSOAL, 3 é um número bom, pois sempre você consegue uma num jogo, e às vezes até fica ruim pois vem mais de uma. Com 4 a chance de ficar com 1 ou 2 na sua mão paradas aumentam muito. Mas cabe a ressalva de que devido à nova regra, Karakas agora também pode ter o efeito de uma Lótus Petal, quando necessário. Se tiver uma em campo e outra na mão, é só gerar a mana com a que está em campo, descer a da mão, estourar a Karakas virada e ficar com a nova Karakas disponível para uso. Muitas pessoas usam a seguinte regra: se o deck contém três ou mais Mangaras, pode-se usar quatro Karakas. Qualquer quantidade menor que isso de Mangaras faz com que três Karakas sejam mais que suficiente.

Rishadan Port: Alguns dizem que este é o melhor terreno do deck. A capacidade de zicar o oponente faz com que seja um card must-have. Entretanto, é um card que deve ser usado com cuidado. Isso porque o Death and Taxes permite diversas interações entre si. Afinal, imagine a situação: Você faz um Aether Vial no turno 1. Seu oponente faz uma mana e passa. No seu turno, você tem as opções: Fazer uma Thalia. Ou fazer uma Stoneforge Mystic. Ou fazer um Rishadan Port e virar o terreno de seu oponente, para fazer uma das outras criaturas no turno seguinte pelo Aether Vial. Se seu oponente não fez nada no turno 1, se no seu próximo turno ele só vai ter disponível um terreno (pois o outro será virado), então talvez seja uma boa ideia virar o terreno. Se for um combo, talvez a melhor opção seja a Thalia. Se for um Goblins, talvez puxar uma Jitte seja a melhor opção. Todas essas jogadas dependem de saber do que o oponente estiver jogando, ou por puro instinto. Outras coisas sobre o terreno: quando usá-lo e em qual mana usar. No final do turno do oponente? Na sua manutenção? E em qual terreno? Diversas são as situações, e uma escolha errada pode te punir severamente. Infelizmente qual a opção correta depende muito de cada caso, e somente a experiência com o deck vai te trazer as respostas. É necessário também um conhecimento geral do ambiente Legacy para verificar a melhor opção.
Quantidade: uma vez que uma das estratégias do deck é a negação de mana, deve-se obrigatoriamente usar quatro portos.

Wasteland: Básico do Legacy, dispensa apresentações, mas algumas pequenas pontuações a respeito de sua utilização devem ser consideradas: contra burns, sempre que possível deve ser deixada desvirada, contra Price of Progress. Você pode estourar sua própria Wasteland, dando alvo nela mesma para se livrar dela. Fazer ela de turno 1 mais um Aether Vial pode deixar na dúvida para seu oponente de qual deck você está jogando, se é um Death and Taxes, Merfolks ou Goblins, pois todos utilizam-se dessa base de cartas. Como regra geral, se você começar com uma boa base de mana em sua mão inicial, e seu oponente começar com "mana (não-básica), vai!", é bom começar já estourando o terreno dele, mesmo que você tenha um Aether Vial para fazer de turno 1.
Quantidade: não utilizar menos de 4 em hipótese alguma.

Flagstones of Trokair: Com a alteração na regra de lendas, muita gente tem testado as Lajes, seja como 1-off ou com quatro cópias. É uma alternativa válida, e as Lajes trabalham muito bem em conjunto com cartas como Dust Bowl e Cataclismo. Só não se esqueça de que seu oponente poderá encaixar uma Wasteland na sua Lajes durante sua manutenção, fazendo com que você atrase um turno inteiro pois a planície buscada entrará virada.
Quantidade: varia muito de deck para deck e se você irá partir para uma estratégia de LD ou não.

Dust Bowl: Se você quiser usar as Flagstones e pensar em uma estratégia mais LD, o Bolsão é uma das melhores alternativas. Mas nesse caso você está mudando sensivelmente seu modo de jogo, lembre-se disso e estude o meta para ver se essa é uma opção viável.
Quantidade: quando usado vem em pouca quantidade, um ou dois no máximo.

Ghost quarter: Por questões financeiras principalmente, muita gente opta por esta carta no lugar de Wasteland ou Rishadan, valendo-se do Leonin Arbiter para ampliar o poder do Quarter. Também é utilizado em alguns casos em conjunto com os outros dois terrenos citados, com ou sem o acompanhamento do Leonino, já que contra muitos decks funciona basicamente como uma Wasteland número cinco (penso principalmente no RUG Delver) e em outros pode ajudar a destruir um dos poucos básicos que o oponente tem a disposição, caso você opte por negar uma cor inteira a ele. Assim como no caso do uso do Dust Bowl, creio que você deve estar bem ciente dos riscos e da alteração na estrutura, estratégia e velocidade do deck, e portanto deverá conhecer bem o meta antes de usar esta carta.
Quantidade: varia muito de deck para deck e se você irá partir para uma estratégia totalmente de LD ou não. Mas em geral aparece em quantidades pequenas, um ou dois, apenas como ferramenta complementar. Na versão do deck completamente LD, utiliza-se 4, em conjunto com o Leonin Arbiter.

Tower of the Magistrate: Se o que você procura é um versão mais budget do deck, ou seja, sem Wasteland, Rishadan Port e Karakas, você precisará de outras utility lands. Além dos citados acima, Ghost Quarter e Dust Bowl, a Tower of the Magistrate é uma ótima utility land. A proteção contra artefatos lhe permite matar qualquer Germ Token que um Batterskull carregue, e qualquer atacante equipado irá deixar "cair" suas armas. Ademais, você poderá passar pelas defesas de um MUD, por exemplo.

3.2 – Criaturas para MD



Mother of Runes: É uma criatura que permite uma proteção perfeita. É um must-kill para praticamente todos os decks. Mesmo que seja removida logo após entrar em campo, já serviu o papel de retirar um removal do oponente, permitindo que posteriormente outra criatura não sofra do mesmo destino. Pode, inclusive, atrasar o oponente, pois se ele tem o plano de jogo "A" para o primeiro turno, e ele não estiver começando, se você a conjurar no seu turno, ele será obrigado a gastar seu primeiro turno somente para removê-la, pois senão dificilmente sairá de campo. Em alguns casos pode ser um bloker "infinito" (bloqueia, vira e dá a proteção. Se não for respondido, o bloqueio será bem sucedido e você não sofrerá danos). É boa contra praticamente tudo. Ruim em casos como Belcher.
Quantidade: devem ir 4 no deck, mas a última versão do deck de Thomas continha somente 3.

Phyrexian Revoker: É uma "criatura-problema". Geralmente será substituída no g2 dependendo do que estiver enfrentando. É uma carta morta contra alguns decks, mas como geralmente seu efeito só é visto em cards de sideboard, pode ser uma grande dor de cabeça para seu oponente. As situações em que ela pode ser útil são tantas quantas o número de cartas com habilidades ativadas não-terrenos existentes, ou seja, milhares. Mas, geralmente é utilizada para parar equipamentos, planeswalkers, elfos e até mesmo Aether Vials do oponente. Só não se esqueça de que, ao contrário do Pithing needle, o Revoker NÃO pode nomear lands, porém ele pode nomear naturalmente outras fontes de mana como Lion's Eye Diamond, o que é importantíssimo em certos matchs.
Quantidade: os decks atualmente têm usado quatro cópias, embora seja aceitável um mínimo de três dependendo da estratégia/meta.

Stoneforge Mystic: Uma das melhores criaturas do deck. Gera card-advantage e permite que seus equipamentos sejam colocados em campo sem chance de serem anulados. Se seu oponente quiser te atrasar, terá que removê-lo, mas ainda assim seus equipamentos já foram tutorados. Em caso de utilizar-se de equipamentos que gerem proteção, tutora a melhor proteção para o caso, gerando problemas para seu oponente.
Bom contra: todos decks relacionados a criaturas, além de Burn.
Ruim contra: combos (mas geralmente pode ser útil contra um Sneak Attack, pois colocar um Batterskull na mesa, se você sofrer um ataque de um Emrakul, o equipamento mais o germe contarão como 2 permanentes para sacrifício.
Quantidade: você quer ter a disposição no mínimo um SFM por jogo, então o ideal é usar quatro deles no deck.

Thalia, Guardian of Thraben: Criatura ótima contra combos, como também contra aggros em geral. Sua iniciativa e o fato de ser lendária a tornam incrivelmente poderosa. Como é lenda, pode ser voltada para a mão com Karakas. Equipada, por exemplo, com uma Jitte, pode causar um chump block, causar o dano da iniciativa, triggar a habilidade, e depois salvar-se com uma Karakas. Pode-se dizer que a Thalia é o espirito do deck, pois representa muito bem os dois lados do D&T.
Comentário de Thomas Enevoldsen (não exatamente nessas palavras):o principal motivo da Thalia é o Brainstorm. Fazer com que esses cards custem 1 a mais atrapalha demais os decks que abusam desses efeitos "cantrip".
Quantidade: 4 cópias pode parecer exagero para uma criatura lendária, entretanto é um card que você QUER que venha, pois gera uma pressão considerável contra diversos decks. Como geralmente a primeira é removida, o fato de ter 4 no deck não atrapalha muito.

Fiend Hunter: Essa carta serve como a "quinta espadas em arados". Ela tem uma função removedora e é basicamente isso. A questão a se levantar é que muitos preferem colocar um terceiro Mangara of Corondor no lugar dele. Entretanto, são necessárias algumas considerações:
1º - Mangara of Corondor precisa de um turno para ser ativado. O Fiend Hunter entra já com seu efeito valendo.
2º - Os dois podem ser combados com Flickerwisp (será dito mais para frente todas as interações possíveis com esse card).
3º - Ele é 1/3. Isso significa que ele pode resistir a diversas cartas que matariam facilmente o Mangara. Pyroclasm assim como uma também uma Elesh Norn, Grande Cenobite, Punishing Fire, além de poder atacar sem maiores medos de morrer num bloqueio, nem que seja equipado numa Umezawa’s Jitte somente para adicionar marcadores.
4º - Este é o principal motivo dele na lista. Se você jogar com 3 Mangaras, quando chegar ao g2, e precisar fazer as trocas dos cards, sempre um Mangara será retirado. Dessa forma, compensaria mais deixar o Fiend Hunter, pois dependendo do match ele poderá continuar no MAINDECK após o g1.
Quantidade: como ele serve como elemento de redundância, o ideal é utilizar apenas uma cópia. Em virtude da necessidade do deck se comportar ao formato, a maioria dos decks deixou de utilizar o Fiend Hunter para dar espaço a cartas mais agressivas, como Serra Avenger ou Espada de Fogo e Gelo.

Banisher Priest: Mesma função que Fiend Hunter, entretanto ele não tem as interações com blink effetcs (efeitos que exilam uma criatura e depois devolvem-a ao campo no mesmo momento ou depois), entretanto o fato de ser 2/2 pode ser melhor em razão do novo tier 1 do formato, os Eldrazis, que utilizam Warping Wail.

Aven Mindcensor: Essa criatura serve como um dos maiores tormentos para diversos decks, ainda mais se protegida com uma Mother of Runes. O fato de não custar duas manas brancas pode facilitar, pois às vezes você não terá duas manas brancas disponíveis no turno 3, e o Aether Vial pode não ter vindo, sendo assim é facilmente castável. Tem fly, o que dificulta um bloqueio, e é lindo carregando uma espada. Fora sua "taxa" que limita a procura no grimório do oponente a somente as 4 primeiras cartas. Por ter flash, é ótimo entrar no jogo em resposta ao uso de fetchs, GSZ, Goblin Matron e Natural Order, entre outras cartas.
Quantidade: caso opte por utilizar o Aven, o ideal seria uma ou duas cópias, para que o mesmo não eleve muito o custo médio das suas cartas. Não se vê mais essa carta nos decks atualmente, pois uma opção mais barata contra determinadas estratégias, o Containment Priest, foi lançado. Mas ainda pode ser considerado.

Mangara of Corondor: Essa criatura tem o propósito de ser um mini-combo, mas também pode funcionar simplesmente como um Vindicate. Tem interações com Flickerswisp e Karakas (que serão posteriormente mencionadas). Por conta dessas interações, se o oponente não remover a Mangara imediatamente, ele poderá acabar em uma situação complicadíssima, muitas vezes irreversível. Contra decks rápidos, é um side-in.
Quantidade: em geral os decks usam de um a dois Mangaras (o que impacta no número de Karakas usados, conforme dito acima). A carta deixou de ser usada no período True-Name Nemesis, mas agora que o formato deu uma estabilizada e não está mais tão aggro, existem listas que voltaram a utilizá-lo.

Flickerwisp: Beater do deck. Tem um corpo forte e evasão. Seu P/T é completamente agroo, mas sua habilidade favorece o control. Falaremos sobre as interações dele com o restante do deck mais para frente.
É bom contra quase todos os tipos de decks, pois é um card que não sai do maindeck quase nunca, pois permite as mais variedades de sair de apertos. Junte com Aether Vial, é uma máquina.
Quantidade: o ideal são três ou quatro.

Mirran Crusader: O beater mais forte do deck. Um BUG, por exemplo, só consegue remover ele de campo com uma Liliana of the Veil. Equipado, pode fechar um jogo em dois ataques. Simplesmente a melhor criatura ofensiva disponível. Como o Mirran já tem duas proteções e, caso você opte por utilizar em seu deck alguma das espadas de Mirrodin (como SoFI ou SoLS), você terá a disposição proteção e evasão contra a maioria das cores dentro do seu deck, o que pode ser relevante em muitos casos.
Quantidade: em fields hoje em dia cheios de Goyfs e Decays, essa carta tem o seu uso obrigatório com pelo menos 2 ou 3 cópias. Em um deck mais ofensivo, pode-se pensar em até um quarto Crusader.

Serra Avenger: Ótimo beater. Voltou ao uso devido ao [card=True-Name Nemesis] como forma de esquivar de sua "proteção perfeita". Foi utilizado na versão de Jonathan Kurpaska que foi vice-campeão da StarCity Open Somerset, assim como na nova versão do deck de Thomas Enevoldsen e de Shahar Senhar, onde conseguirão respectivamente a 4ª e a 2ª posição no GP BoM em Paris. Tem vigilância e evasão que a tornam uma criatura extremamente agressiva. Pode ser jogado no 3º turno através do Vial.
Quantidade: se pretende usá-la, o padrão é um número entre dois e quatro, dependendo do grau de agressividade e se existem outros flyers no deck além da Avenger. Mesmo com a queda de utilização do True-Name Nemesis, a carta surpreendeu e os jogadores continuaram com ela no deck.

Leonin Arbiter: Usado no deck algumas vezes como um efeito complementar ou substituto ao Aven Mindcensor ou em dupla com Ghost quarter. Eu não curto muito, pois pode ser contornado mais facilmente do que o Aviano (basta pagar 2, e em um deck de elfo, por exemplo, é tranquilo gerar essa mana adicional para fazer valer o Natural Order) e também pelo fato de não ter evasão, mas tem quem seja fã.
Quantidade: em geral é pouco usado, mas quando usado, é o set completo, em conjunto do set de Ghost Quarter. Um deck a um tempo atrás usou uma de sideboard, para ser utilizada como a quinta Wasteland.

Spirit of the Labyrinth: É uma ótima opção a ser considerada, pois garante uma taxa não vista em nenhum outro card, e tem um corpo muito forte. Entretanto, ainda sofre para os efeitos -1/-1. O fato de ser encantamento criatura pode ser tanto vantagem quanto desvantagem, mas pode ser tutorada através de Enlightened Tutor. Pode ser escolhido como "encantamento" para efeitos de Cataclysm, e consegue trocar com cards como Nimble Mongoose. Geralmente, as listas que os estão utilizando cortam o Aven Mindcensor, não aparecendo mais que uma ou duas cópias, pois o efeito é redundante. Atualmente algumas listas estão contando com pelo menos uma cópia, e sem bloqueadores, é um clock bem forte.

Brimaz, King of Oreskos: Em muitas listas substituiu o lugar do Mirran Crusader, em outras, é utilizada em conjunto com ele. É a criatura de melhor corpo do deck inteiro, tem vigilância e coloca tokens. Pode bater mesmo com um True-Name Nemesis na mesa. É lendário, o que demonstra sua sinergia com Karakas. Uma Jitte precisa de 4 marcadores para poder derrotá-lo. Entretanto, cuidado com seus tokens, porque ele é obrigado a ser criado quando ataca e também quando bloqueia e, neste último caso, o token bloqueia a mesma criatura que o Brimaz bloquear. No ataque, a ficha e o Brimaz não precisam atacar o mesmo "alvo" (você pode, por exemplo, declarar ataque com o Brimaz num oponente e a ficha, depois de criada, informar que está atacando um Planeswalker). As listas que o vem utilizando, utilizam um máximo de 2, mas geralmente só encontra-se 1 nas listas.

3.3 – Outras cartas para MD:



Swords to Plowshares: A melhor remoção do formato. Não é necessário dizer muitas coisas, exceto que, em momentos de desespero, pode ser utilizada em uma própria criatura para tentar mais uns turnos de vida.
Quantidade: 4 cópias sempre.

Batterskull: Um dos melhores equipamentos para ser tutorados pelo Stoneforge Mystic. No terceiro turno você pode ter uma criatura 4/4 com vigilância e lifelink. A carta é incrivelmente poderosa, pois a remoção vermelha mais eficiente do formato, Lightning Bolt, não consegue derrubá-la. O ganho de vida constante, ainda servindo para block torna essa carta um must-have essencial. Dica: possuindo 5 manas desviradas, um Stoneforge Mystic e um Batterskull, para "resetar" o Batterskull, primeiro utilize a habilidade da Stoneforge e, em resposta, sem passar a prioridade, volte o Batterskull para sua mão. Assim, mesmo que a Stoneforge seja removida, o Batterskull voltará. Caso seja feito uma habilidade de cada vez, o jogador pode responder e você ficará com o Batterskull preso na mão até seu próximo turno.
Quantidade: apenas um, por ser tutorável.

Umezawa’s Jitte: Outra incrível opção de equipamento. Uma batida dessas pode virar uma partida. Mas cuidado, pois isso também aplica-se a você, e esta é uma das cartas que o Death and Taxes mais deve temer. Com a nova regra de lendas, isso torna-se ainda mais perigoso, pois não temos mais como impedir uma delas com a nossa. Entretanto, temos diversas cartas para combatê-la.
Quantidade: apenas um, por ser tutorável. Utilizava-se uma segunda no sideboard alguns anos atrás quando a regra de lenda antiga ainda valia. Hoje em dia não compensa.

Aether Vial: O acelerador do deck. Poder fazer suas criaturas no final do turno do oponente é muito forte e também permite o fator surpresa, principalmente se o oponente não souber o que você tem em mãos. Geralmente dê preferência a fazer suas criaturas no final do turno do oponente, mas em alguns casos compensa fazer no seu próprio turno ou na manutenção do oponente. Uma Thalia, Guardian of Thraben feita no seu turno pode simplesmente ser removida e seu oponente desvirará as manas gastas pela remoção durante o turno dele. Em alguns casos, compensa fazê-la na manutenção do oponente, para força-lo a gastar a remoção no seu turno ou esperar um turno a mais para fazê-lo. O frasco também permite inúmeros truques com Flickerwisp e afins, que serão citados mais a frente.
Quantidade: quatro obrigatórios.

Sword of Fire and Ice: Depois que True-Name Nemesis começo a dominar o formato, essa espada voltou a jogar, e depois que a criatura deixou de ser tão utilizada, a espada não saiu dos decks, pois foi percebido seu enorme poder.
Quantidade: uma, por ser tutorável.

3.4 – Sideboard.



As cartas e quantidades a serem usadas no side dependem de uma série de fatores como a lista de cartas do seu MD e o ambiente. Mas é sempre bom ter em mente respostas para algumas situações padrões, como combos, hard controls, hate de cemitério, remoções etc. Abaixo vamos citar algumas delas.

Cataclysm: Contra hard controls e High Tide. É praticamente um "reset game", e como nosso plano de jogo consiste de Aether Vial, ficamos na vantagem. Outra situação interessante é que podemos manter duas criaturas em campo se uma delas for um Phyrexian Revoker, pois é somente escolhê-la como "artefato". Para quem usa muitas fetchs o Cataclysm é terrível, pois ao filtrar o deck, a possibilidade de vir lands diminui e após um Cataclysm, tanto as fetchs quanto as lands vão para o cemitério, então o jogo do adversário tende a ficar mais lento com menos chances de compra de lands. Recomendo usar Cataclysm em uma partida que esteja em desvantagem e veja o estrago que faz, só usando para realmente conhecer o seu verdadeiro potencial e eu garanto que vai virar muitos jogos a seu favor. Só sugiro não usar contra Elves, que tem condições de se recuperar mais rápido do que nós. Como um efeito bônus ele também tira aquele Planewalker que está nos incomodando. Ele também é usado, em listas muito específicas, no MD em conjunto com o Flagstones of Trokair. É interessante a jogada de fazer um Cataclismo segurando uma Wasteland na mão para usar depois dele, detonando, assim, todos os terrenos de seu oponente (ele vai deixar aquela Dual em campo para não zicar). Deve-se ter o cuidado contra decks com counter do tipo "a menos que pague X" com essa jogada.
Quantidade: uma ou duas.

Ethersworn Canonist: Joga muito bem contra Elves, Enchantress e qualquer outra espécie de combo (High Tide, ANT, TES, Belcher, OminiTell, etc). Indispensável pela abrangência.
QUantidade: 2 a 4.

Oblivion Ring: Geralmente contra decks de Show and Tell. Carta extremamente versátil, é muito comum de entrar no G2 e G3. É flexível, pois pode tirar aquilo que mais esteja incomodando no momento, como criaturas, encantamentos, artefatos e, principalmente, planewalkers. Recomenda-se ter 1 ou 2 cópias no SB, principalmente em ambientes "desconhecidos". Entretanto, foi substituída pelo Council's Judgment, mas em um ambiente de Show and Tell, é melhor.
Quantidade: 1 ou 2.

Pithing needle: O "quinto" Phyrexian Revoker. Necessário para travar peças-chave rapidamente, seja em Elves ou Sneak Attack. Além disso, pode travar habilidades ativadas de lands como Maze of Ith, Wasteland, Inkmoth Nexus, etc. Importante também contra Miracles, nomeando [card=Sensei Diving Top].
Quantidade: 1 ou 2.

Rest in Peace: Função anti-grave permanente, quebra diversos decks. Funciona especialmente contra RUG Delver, pois 99% desses decks não utilizam hate de encantamento (e os que tem, é somente 1x Krosan Grip de side), portanto acaba com 66% das criaturas do oponente, tornando o Tarmogoyf um inofensivo 0/1 e Nible Mongoose somente 1/1. O deck pode anular, mas impedindo um Rest in Peace é permitir outro card entrar. Também é ótimo contra Reanimator e decks do gênero, além de pegar de sobra Relicários e Punishing Fire.
Quantidade: 2 a 3.

Relic of Progenitus: Anti-grave com capacidade de gerar um draw. Seria o "terceiro Rest in Peace", mas com o card advantage que ele gera, tomou o lugar dele. Em geral é mais útil neste deck do que as outras opções disponíveis como Tormod's Crypt, principalmente considerando a necessidade de gerar algum card advantage que o D&T tem.
Quantidade: 1

Sunlance: Funciona como a quinta remoção rápida de uma mana. Foi retirada das listas atuais para dar espaço para remoções melhores contra criatura maiores, visto a nova ameaça do formato os Eldrazi.
Quantidade: 1, quando era utilizada.

Wilt-Leaf Liege: Estratégia anti-hate de descartes e outros cards. Ajuda muito contra Hymm to Tourach, Liliana of the Veil e Engineered Plague. De quebra, não é removida por Lightning Bolt, nem por Abrupt Decay. É uma peça-chave poderosa caso seu oponente não esteja preparado.
Quantidade: máximo de 2.

Enlightened Tutor: Alternativa caso queira utilizar o sideboard como "tutorboard", e nesse caso você irá querer ao menos 2 cópias dessa carta. O side pode ter muitas cartas de encantamento e artefato e o uso de Enlightened Tutor faz com que você aumente a possibilidade de encontrar a carta que você precisa na hora que precisa, mesmo tendo apenas uma cópia no deck. Pesa contra o tutor o fato de que você acabará gastando slots com cartas que não infringem na cobrança de taxas ou hates e a eventual lentidão que o mesmo possa ter quando você precisa de uma resposta rápida e imediata.

Grafdigger's Cage: Brilha contra Elves e Reanimator. Green Sun’s Zenith, Natural Order e reanimações diversas ficam inutilizadas.

Ratchet Bomb: Essa carta surgiu como forma de vencer Deathblades, Delver e Piromante Jovem, entre outros. Entretanto, com a nova regra de CMC de cards dupla-face, um Delver flipado, por exemplo, agora tem CMC 1. Logo, a carta foi deixada de lado por muitos jogadores.

Council's Judgment: Carta lançada recentemente pela edição Conspiracy. Pode-se dizer que é uma, se não a melhor remoção genérica que poderia ter sido adicionada ao deck. Diante do fato de não requerer alvo, ela pode atingir TNNs, Progenitus, Emrakuls, qualquer criatura com manto/hexproof, ou protegida com alguma espada que garanta proteção ao branco. Apesar de ter um custo relativamente alto, e ainda mais se considerado que, com uma Thalia em campo, o custo subiria para 2WW, o card já apareceu em algumas listas. Pela teoria e prática, o ideal seriam de 1 a 2 no sideboard, visto sua versatilidade, em contrapartida com seu custo. É necessário fazer uma pequena menção ao como o card funciona: Primeiro, quando você conjura a mágica e a coloca na pilha, você não designa nenhum alvo, pois a mágica não necessita de alvos. No momento de sua resolução você irá votar (basicamente, nomear) uma permanente não terreno, e que você não controle. Digamos, por exemplo, o próprio TNN do oponente. Depois disso, seu oponente irá fazer a mesma coisa, escolher uma permanente não terreno que você (o controlador da mágica) não controle. Será exilada a permanente com maior número de votos, ou todas as empatadas com maior número de votos. Bem, se o seu oponente sabe minimamente como funciona a carta, ele irá escolher a mesma carta que você votou, caso contrário ele perderá duas permanentes. Lembrando que o card EXILA, e não destrói, o que é mais um bônus.

Containment Priest: Seu efeito impede que criaturas entrem em campo através do Aether Vial, mas em compensação impede Show and Tell, Sneak Attack, Green Sun's Zenith, Natural Order, e qualquer outra forma "trapaceira" de colocar criaturas em campo se não pelo modo usual. Importante destacar que o card também impede Dryad Arbor, pois é um terreno, e portanto ele nunca entrará em campo sendo conjurado, sendo assim você pode pegar algum jogador desatento a esta interação. Outros vêm esta carta com uma ótima sinergia com Flickerwisp, exilando permanentemente criaturas inimigas. Depois de alguns meses no ambiente, percebe-se que ficou praticamente fixo a utilização de 2 cópias no SB, mas em algumas listas apareceu com uma cópia no MD, abusando da sinergia do Flickerwisp, desse modo usando o set completo da criatura. Tem sinergia também com Eldrazi Displacer.

Path to Exile: Voltou a ser utilizada por causa dos Eldrazi. Também é ótimo contra qualquer deck qualquer Delver deck, principalmente contra a versão Grixis, que utiliza Gurmar Angler.

3.5 – Outras cartas relevantes.

Além das listadas, existem diversas outras cartas, que algum dia podem vir a ver jogo, seja em MD ou SB. Algumas delas já foram muito utilizadas.
- Grand Abolisher, Jotun Grunt, Judge's Familiar, Gut Shot, Leonin Relic-Warder, Mindbreak Trap, Disenchant, Manriki-Gusari, Sword of Light and Shadow, Sword of War and Peace, Celestial Flare, Runed Halo, Kor Firewalker, Holy Light, Eldrazi Displacer, Dismember, Restorarion Angel, Mishra's Factory, Spellskite, Surgical Extraction.

4 – Exemplos de listas.

4.1 – Listas com melhores resultados nos últimos tempos:
Lista Control do Thomas Enevoldsen/Michael Bond vencedora do GP:
http://www.tcdecks.net/deck.php?id=10647&iddeck=77692
http://www.tcdecks.net/deck.php?id=10647&iddeck=77687

Demais listas podem ser encontradas nestes links:

http://www.tcdecks.net/tipo.php?archetype=Death%20and%20Taxes&format=Legacy
http://mtgtop8.com/archetype?a=319&meta=39&f=LE

4.2 – O "núcleo" do deck:
Muitas das principais listas rodando por aí tem uma certa quantidade de cartas, representando cerca de 80% do deck, que dificilmente é alterada. Chamamos estas cartas de o "núcleo" do D&T, e é muito mais fácil trabalhar em volta deste núcleo, adaptando o restante das cartas à estratégia que iremos adotar.

Death and Taxes Core
26317 visualizações
01/08/2014
R$ 2.611,21
R$ 4.100,03
R$ 7.504,33
26317 visualizações
01/08/2014
Visualização:
Padrão
Cor
Custo
Raridade
Visual
CMC
Comprar Deck
Criaturas (19)
4  Madre das Runas 8,00
4  Místico Litoforjador  169,00
4  Revogador Phyrexiano 4,69
4  Thalia, Guardiã de Thraben  33,71
3  Asas da Inexistência   0,99
Mágicas (4)
4  Espadas em Arados 3,90
Artefatos (7)
4  Frasco do Éter 94,90
1  Jitte de Umezawa 38,87
1  Espada de Fogo e Gelo 239,90
1  Crânio-Marreta 95,60
Terrenos (20)
3  Karakas83,03
9  Planície0,00
4  Porto de Rishada44,00
4  Terras Ermas116,99
50 cards total

Sideboard (7)
1  Jaula do Escavador de Túmulos 5,80
1  Canonista Etherólatras  19,90
2  Descanse em Paz  14,90
2  Cataclismo   10,76
1  Soberano de Folha Seca    7,00


OBS: Ficou como formato "booster draft" pois o sistema não permite criar um deck tipo constructed (Standard, Legacy, Modern, Vintage) com menos de 60 cards.

O núcleo corresponde, então, a cerca de 50 cartas, dependendo da quantidade de terrenos utilizada. As outras 10 cartas irão compor seu deck para adaptá-lo a seu estilo de jogo e ao metagame.

Algumas ideias:

a) Controle total: utilize cartas Aven Mindcensors (em geral duas cópias), Mangara of Corondor e/ou Spirit of the Labyrinth para estabelecer um maior controle sobre o oponente. Uma Mangara adicional também é viável.

b) Weenie: suba o número de Mirran Crusaders, inclua também Serra Avengers para uma estratégia mais agressiva e com maior evasão e também Brimaz.

c) Lista básica: basicamente o núcleo do D&T com incremento na quantidade de cartas ou na redundância dos efeitos (inclusão de Serra Avengers, Aven Mindcensor, 2 beaters fortes, tendo como opções Mirran Crusader e/ou Brimaz e 3x Flickerwisp).

e) Proteção: 1 Spellskite MD.

f) Land Destruction: esta opção já altera um pouco o núcleo, principalmente nos terrenos. Não há uma receita padrão, mas cartas como Ghost quarter, Flagstones of Trokair, Leonin Arbiter e algumas outras costumam ser usadas.

É importante notar que várias dessas estratégias podem ser usadas ao mesmo tempo. Posso optar por alguns mecanismos de controle (vamos supor 2 Aven Mindcensor) e incluir dois Mirran Crusader ou dois Serra Avenger para balancear a parte aggro do deck e a curva de mana, por exemplo.

5 – Estratégias.

5.1 – Postura do deck:
Por ser um "Vial Deck" cheio de tricks, muitos acham que sem Vial o deck não joga, mas não é bem assim. Antigamente, quando a lista surgiu, era isso que acontecia, as criaturas que o deck usavam não eram perigosas por si só, Isamaru era menor que Kird Ape, Samurai da Cortina Pálida é uma 2/2 sem evasão e sem sinergia alguma com o restante das cartas, e a estratégia era finalizar o jogo com o combo da Mangara. Isso tornava o Aether Vial crucial para a vitória. Ele era um deck Aggro lento, com um combo facilmente contornável.

O que ocorre hoje em dia é que a postura do deck mudou, os drops 1 aumentaram e eles fazem parte da estratégia protegendo os beaters, ajudando assim a controlar a mesa. Vários hatebears e cartas de controle surgiram, e o D&T passou de um aggro puro para um deck de controle.

O combo da Mangara deixou de ser a principal jogada do deck, ele é só mais uma trick interessante e que algumas vezes pode te levar à vitória. Muitas vezes ela é utilizada apenas como removal, sem combar, e mesmo assim ela não deixa de ser uma carta importante. Outro ponto importante é a proteção que deve ser dada às suas criaturas, pois elas são ponto fundamental da sua estratégia. Fixar uma Madre das Runas na mesa é muitas vezes fundamental. O próprio Vial pode ser usado no final do turno do oponente para livrar suas criaturas de counters e algumas remoções, possibilitando que as mesmas entrem em ação já no seu próximo turno.

Outro ponto importante é utilizar seus terrenos com extrema cautela, pois elas são peças chave dentro da sua filosofia de negação de mana. Procure utilizar as Wastelands e os Rishadans nos terrenos corretos e na hora correta (o que em geral coincide com o início ou meio do jogo). Da mesma forma, procure deixar prioritariamente alguns terrenos liberados, principalmente a Karakas, para proteger suas criaturas ou impedir as do oponente. Infelizmente, para dominar algumas dessas interações fundamentais, só com muita experiência e treino com o deck. Contra cada deck do ambiente você precisará adotar uma postura diferente, seja mais aggro ou mais control, e isso fará toda a diferença entre a vitória e a derrota. Mas o fundamental é: jamais se foque em uma única linha durante a partida. Como você não é um hard control, não conseguirá segurar o oponente para sempre, e por isso você deverá atacar para pressioná-lo o quanto antes. Da mesma forma, você não poderá abdicar de controlar o jogo totalmente, pois contra a maioria dos decks suas criaturas são pequenas e facilmente contornáveis, por isso é importante impor suas taxas e impostos, para manter o inimigo afastado. O que torna o D&T forte é a combinação quase perfeita desses dois elementos.

5.2 – Tricks do deck – Flickerwisp:



É de suma importância para um jogador de Death and Taxes saber utilizar-se das diversas possibilidades de jogadas que o deck proporciona. Talvez o Flickerwisp seja uma das cartas em que mais seja necessário pensar direito para não cometer algum erro, pois as possibilidades são grandes.

Antes de falar sobre o Flickerwisp em si, vamos ver como funciona sua habilidade: Ele exila outra permanente quando ele entra em campo. A permanente volta no início da próxima etapa final. Importante destacar que ela NÃO VOLTA no final do turno, ela volta no INÍCIO DA ETAPA FINAL. Isso faz toda a diferença.

Primeiro, um exemplo simples. Você tem 3 lands em pé e um Flickerwisp na mão, além de uma Swords to Plowshares. Seu oponente tem uma criatura que necessita ser removida rapidamente (digamos, um Dark Confidant), mas você também gostaria de aproveitar seu turno para colocar seu Flickwisp em campo. A jogada correta seria:

- Conjurar o Flickerwisp e dar como alvo um land virado seu.

- No início da etapa final, o card volta para você em pé. Você usa ele e solta sua Plowshares no Dark Confidant.

Como o card somente volta no início da etapa final, seu turno ainda não passou e você ainda poderá fazer algumas jogadas. Se voltasse somente ao final do turno, você só poderia remover o Dark Confidant na manutenção do oponente, quando a habilidade dele já tiver ido para a pilha e começar a gerar card advantage.

Isso foi somente para demonstrar como funciona a habilidade dele. Agora sim vamos ver as sinergias com outros cards:

a) Flickerwisp + Land: Permite "desvirar" um terreno. (basicamente, foi o exemplo acima).

b) Flickerwisp + Stoneforge Mystic: Permite tutorar outro equipamento.

c) Flickerwisp + Batterskull: Faz com que o Token de Germe volte.

d) Flickerwisp + Mangara of Corondor: Só funciona se tiver Aether Vial com 3 marcadores. Como fazer: Sem passar a prioridade, dê alvo com seu Mangara of Corondor, e depois use a habilidade do Aether Vial (lembre-se, até aqui você não passou a prioridade em momento nenhum). Se o Frasco não for respondido, o Flickerwisp entra no campo de batalha. Escolha como alvo da habilidade dele o Mangara. A habilidade do Wisp resolve antes e irá exilar o Mangara. Logo em seguida a habilidade do Mangara resolve. Como o Mangara não está mais em campo, a parte da habilidade de exilar ela "pifa", mas o restante continua e a permanente do oponente será exilada. Depois, no inicio da etapa final o Mangara voltará ao campo de batalha como se nada tivesse acontecido (afinal ela foi removida pela habilidade do Wisp, e não por sua própria habilidade. Resumindo, a pilha ficaria assim:
- 1º Habilidade do Mangara na pilha exilando uma permanente.
- 2º Entra a habilidade do Aether Vial. Ela resolve.
- 3º Entra Flickerwisp. A habilidade dele vai para a pilha.
- 4º A habilidade do wisp resolve e exila o Mangara.
- 5º A habilidade da Mangara resolve. Ela não "encontra" o Mangara, mas exila a permanente alvo.

e) Flickerwisp + Aether Vial: Permite resetar os marcadores de um Aether Vial, seja seu ou do oponente (o mesmo vale para outros tipos de permanentes que utilizem marcadores de forma parecida).

f) Flickerwisp + Phyrexian Revoker/Pithing Needle: Permite alterar o card nomeado, pois o Phyrexian Revoker/Pithing Needle irá entrar em campo como um novo objeto, e será necessário nomear outro card.

g) Flickerwisp + Fiend Hunter: Mesmo esquema do Mangara, entretanto o Fiend Hunter deve estar entrando em campo. Antes da habilidade de exilar resolver, use o Aether Vial e exile o Fiend Hunter. A habilidade de voltar uma permanente irá para a pilha sobre a habilidade de exilar. Como nada foi exilado, nada será devolvido. Em seguida a primeira habilidade resolve e irá exilar permanentemente uma criatura. Quando o Fiend Hunter voltar na etapa final, sua habilidade vai novamente para a pilha e você pode exilar outra criatura (mas desta vez se o Fiend Hunter for removido, esta segunda criatura irá voltar). Pode ser utilizado também para simplesmente alterar o alvo, caso o Fiend Hunter já esteja em campo. (simplesmente dar alvo no Fiend Hunter, ele sai de campo, a criatura exilada volta, e quando ele voltar você escolhe outro alvo).

h) Flickerwisp + Aether Vial + Final do Turno: Colocando-o em campo na etapa final, a permanente ficará exilada até o início da etapa final do próximo turno.

i) Flickerwisp + Flickerwisp: Permite fazer o mencionado acima, só que sem o Aether Vial. Quando o primeiro Flickerwisp entra e exila o outro, como o outro só retorna na etapa final, ocorrerá uma situação parecida com a citada anteriormente.

j) Flickerwisp + Qualquer outra criatura virada: na sua segunda fase principal você pode fazer um Flickerwisp, devolvendo sua criatura em pé na etapa final (permitindo, por exemplo, um bloqueio para seu próximo turno).

k) Flickerwisp + Cavern of Souls: Permite renomear o tipo de criatura.

l) Flickerwisp + 4 Lands, sendo uma delas um Rishadan Port: Pagar 3, fazer o Flickerwisp e destapar um Rishadan Port, podendo fazer lock de mana ao mesmo tempo em que coloca uma criatura em campo.

m) Flickerwisp + Oblivion Ring/Leonin Relic-Warder: Mesma coisa que o Fiend Hunter.

n) Flickerwisp + Aether Vial no turno do oponente: Pode retirar uma criatura de combate, ou outra permanente que esteja incomodando.

o) Flickerwisp no seu turno: Pode retirar um bloqueador.

p) Flickerwisp + Token: Remove definitivamente do jogo qualquer token. Legal é fazer isso na Marit Lage.

q) Se você pretende exilar e devolver uma permanente no turno de um oponente, lembre-se que seu último momento para fazer isso é na segunda fase principal, não no final do turno (etapa de final de turno). Se um oponente passar o turno não faça a jogada "no final do turno", mas lembre-se de mencionar que é na segunda fase principal.

r) Flickerwisp + Containment Priest: Com o Priest em campo, utilize o Flickerwisp para exilar uma criatura do oponente e, na etapa final, quando a criatura for voltar, ao invés disso ela será exilada. Perceba que o Priest não precisa estar em campo no momento que o Flickerwisp exilar a criatura, mas ele precisa estar no momento em que iria voltar.

Essas foram algumas jogadas possíveis, dependendo do game será utilizado muito em cards do oponente. Diversas interações são possíveis.

5.3 – Tricks do deck – Outros:



a) Mangara + Vial + Karakas: Pode ser feito sem o Vial também, mas o Vial acelera muito esse mini-combo. Ele é bem simples e óbvio. Ative a habilidade do mangara e, sem passara a prioridade, use o Karakas colocando o próprio Mangara como alvo de sua habilidade. A habilidade do mangara vai resolver e somente a permanente alvo será removida, enquanto o Mangara volta para sua mão. Ative o vial ao final do turno do oponente e baixe a mangara novamente. No seu turno já não haverá mais enjôo de invocação e poderá fazer o mini-combo mangara+karakas novamente. O Mangara também pode ser usado como um "double blocker". Se o oponente atacar com mais de uma criatura, você poderá bloquear uma com o Mangara e usar sua habilidade para exilar a outra. Se tiver Karakas, melhor ainda, pois ele ainda ficará a salvo e removerá uma criatura. A criatura bloqueada não causará dano e a outra foi exilada, portanto, é uma ótima jogada a se fazer.

b) Se você possuir um Aether Vial com 2 marcadores, uma Karakas e uma Thalia, e alguém usar alguma remoção nela e você quer ela em campo antes que seu oponente faça alguma coisa, primeiro use a habilidade do Aether Vial, e depois a da Karakas. Isso impede que seu oponente destrua seu Aether Vial em resposta à Karakas, senão você ficaria com uma Thalia presa em sua mão.

c) Se você possuir um Batterskull (sem germe), uma Stoneforge Mystic, e 5 lands em pé, e seu oponente passar o turno, uma jogada seria voltar o Batterskull para a mão e depois usar a habilidade da Stoneforge para coloca-lo em campo novamente. Só que se alguém destruir sua Stoneforge em resposta, o Batterskull ficará preso na sua mão e você perdera um turno inteiro somente para coloca-lo em campo. Portanto, segue o mesmo esquema da estratégia acima, use a habilidade da Stoneforge para colocar um equipamento da mão em campo (mesmo que não tenha nenhum em sua mão) e em resposta use a habilidade do Batterskull. Mesmo removendo a Stoneforge Mystic, a habilidade ainda está na pilha e irá resolver.

d) Mirran Crusader equipado com algum equipamento (Jitte ou as espadas que garantem 2 proteções) fazem com que as habilidades sejam desencadeadas duas vezes. No caso de uma Jitte, serão colocados 2 marcadores no primeiro golpe e mais 2 no segundo. Entre eles, esses marcadores podem ser retirados para pumpar seu Mirran ou fazer outra ação.
Num exemplo simples, um Mirran Crusader equipado com Jitte com nenhum marcadores causa o primeiro golpe (2 de dano) é adicionado 2 marcadores, estes podem ser removidos (adicionando +4/+4, tornando-o 6/6) e causando mais 6 de dano. Total de dano = 8.
- Com 2 marcadores, é possível causar 16 pontos de dano num golpe.
- Com 4 marcadores, é possível causar 24 pontos de dano num golpe.

e) A Thalia pode causar dano de combate com uma Jitte equipada e ser trazida de volta para a mão com a Karakas. Desse modo, você não perderá uma criatura e ainda colocará marcadores na Jitte.

Editada em: 17-07-16 16:55:25 por Green_Green.

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas
 
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 14/09/13 21:03
5.4 – Outras dicas durante o jogo:
a) Importante também é enganar seu oponente virando seus Aether Vial mesmo não tendo criaturas para colocar em campo (ou, mesmo tendo, se você no momento não tiver interesse em colocar ela em campo), e desse modo seu oponente pode responder de algum modo, ou, principalmente, anular a habilidade com um [card=Stifle] e variantes. É um "puxa-stifle" e, contra decks estilo RUG Delver, o Aether Vial deve (quase) ser usado ao final do turno do seu oponente ou em resposta a um ataque, etc. Ele pode acabar desperdiçando um card à toa.

b) Demore um pouco. Não mantenha aquela mão maravilhosa e já faça aquele sorriso de "esse match é meu". Espera um pouco, pense, nem que seja por uns 10 segundos para tentar fazer seu oponente perder o foco. Outro exemplo disso, ao tutorar um equipamento pela Stoneforge Mystic, pegue o tal equipamento e depois espere, demore um pouco para revelá-lo (tudo isso é questão de 5~15 segundos para não caracterizar slow play), finja que pegue outro, e depois pegue o definitivo. Isso pode atrapalhar seu oponente, caso você tenha, por exemplo, uma Jitte em sua mão e depois tutore um Batterskull. Dessa forma, seu oponente pensará que você só terá um em sua mão, o arrecém tutorado, quando na verdade já tem o outro também. Um exemplo bom: você tem um Batterskull em sua mão. Você usa STM e tutora, demora um pouco, e pega uma Jitte. Seu oponente, acreditando que você não tutorou o Batterskull pensa "melhor não usar removal na SFM e segurar para algo maior, já que não puxou Batterskull e a Jitte pode simplesmente ser conjurada da mão." Entretanto, no turno seguinte, você faz o Batterskull pela habilidade e surpreende o oponente. Lembre-se também de, se você estiver no draw (não começando), você pode(e deve) esperar seu oponente decidir se vai mulligar ou não antes de você dar sua decisão. Muitas vezes oponentes mulligan baseados nas decisões do outro jogador.

c) Pense. E pense de novo. Não arrisque perder o jogo e depois lembrar "ah, eu tinha aquela jogada para fazer...". É uma dica simples, mas nunca pode-se perder o foco com esse deck, ele te pune demais por escolhas erradas. Se seu oponente fez uma jogada e você, teoricamente, não tem jogada em resposta, dê novamente uma olhada para o campo, sua mão, etc. Às vezes pode ter alguma criatura para fazer por Aether Vial, ou aquela Relic of Progenitus que estava o jogo inteiro em campo talvez deva ser estourada para comprar um card e revelar alguma outra opção. O D&T tem muitas e muitas interações diferentes, e pode ser que alguma coisa tenha escapado em uma primeira análise rápida do field, então vá com calma e procure todas as possibilidades possíveis.

6 – A Bíblia do Revoker.



É de importância vital saber o que nomear com o Revoker em cada match, e aqui vai uma pequena lista para se ter uma ideia das possibilidades (lista fornecida pelo Finn da Salvation com algumas adaptações). Falaremos mais sobre sua postura diante de cada match mais abaixo, mas para um guia de referência rápida é bom ter esta lista em mente na hora de colocar o Revoker no campo de batalha.

Os decks não listados em geral não tem forte presença no formato ou então não tem nenhum alvo fenomenal para o Revoker, que deverá ser sideado no G2 (como o Rug Delver por exemplo). Vale apontar também que contra qualquer deck que use Deathrite Shaman este muitas vezes será um alvo preferencial, para fazer sua estratégia de negação de mana funcionar. Outras cartas que devem ser travadas assim que possível incluem Grim Lavamancer, LED (em decks combo), Umewaza's Jitte e praticamente qualquer planeswalker que ameace entrar em jogo.

- Maverick: Qasali Pridemage, Knight of the Reliquary, Noble Hierarch, Scryb Ranger, Umezawa's Jitte, Mother of Runes, Sylvan Safekeeper, Birds of Paradise, Scavenging Ooze.

-UWx Stoneblade: Stoneforge Mystic, Engineered Explosives (se houver), Batterskull, Umezawa's Jitte, Jace the Mind Sculptor, Deathrite Shaman.

- Affinity: Cranial Plating, Tezzerret, Agent of Bolas, Arcbound Ravager.

- Elves: Heritage Druid (fundamental), Priest of Titania (se houver), Quirion Ranger, Wirewood Symbiote.

- Belcher: Belcher e LED são os focos. Em algus casos, Chrome Mox, Tinder Wall ou Lotus Petal podem ser opções, caso o combo tenha "pifado", ou sido mal sucedido, e o oponente esteja tentando juntar manas novamente para combar. Nesses casos, nomeie só se esses cards estiverem em campo. Boa sorte, você vai precisar...

- Goblins: Krenko, Mob Boss, Gempalm Incinerator (impede o Reciclar), Goblin Sharpshooter, Siege-Gang Commander, Skirk Prospector, Aether Vial.

- Merfolk: Coralhelm Commander, Aether Vial (são poucas as opções mesmo).

- Nic Fit: Pernicious Deed, Liliana of the Veil, Sensei's Diving Top, Qasali Pridemage/Wickerbough Elder, Recurring Nightmare.

- Miracle: parar o Sensei's Diving Top é fundamental para dificultar a estratégia do miracle. Depois parta para Jace the Mind Sculptor.

- Sneak Show: Griselbrand, Sneak Attack.

- Dredge: LED ou Putrid Imp.

- Qualquer storm based deck: LED principalmente. Outras opções são Petal e Chrome Mox.

- MUD: são infinitas possibilidades, mas tente focar no Metalworker a principio, e depois parta para as outras fontes de mana (Grim Monolith, Voltaic Key, Thran Dynamo). Se necessário, foque no Kuldotha Forgemaster, Karn Liberated ou Lightning Greaves.

- Sam's Black Zombie / Zombardment: Goblin Bombardment.

- Painter Stone: Grindstone (se tiver mais de um Revoker, nomeie grindstone para todos eles).

- Deadguy: Liliana of the Veil, Stoneforge Mystic, Sensei's Diving Top, Umewaza's Jitte, Sword of Light and Shadow, Batterskull.

- Burn: não tem muita opção aqui, tente Grim Lavamancer. (e se você por exemplo estiver no g1 contra um RUG Delver e vier Revoker e não tiver outra opção para jogar, nomeie também Grim Lavamancer, alguns pouquíssimos os utilizam. Em casos EXTREMOS, Scavenging Ooze também pode ser uma nomeação contra o RUG).

- Jund: Deathrite Shaman e Liliana of the Veil (você pode optar por deixar a Liliana em paz, caso esteja com Wilt-Leaf Liege na mão).

- BUG/Team America: Deathrite Shaman Jace, the Mind Sculptor e Liliana of the Veil. Você pode nomear Pernicious Deed (se o oponente usar). Nomeie o Shaman só se ele estiver em campo, caso contrário, Liliana é melhor opção.

- Mirror: o Revoker é muito bom no mirror, mas o que ele irá nomeará depende MUITO do que tem na mesa e de quem está na frente no jogo. Caso o adversário coloque um Aether Vial no jogo e você não, nomear o frasco é sempre uma boa. Outras opções são a Stoneforge Mystic (caso você não tenha na mão ou já tenha usado a habilidade da sua), Umewaza's Jitte (se você não tem como remover a Jitte adversária ou colocar a sua própria no jogo, você TEM que nomear esta carta), Batterskull... Enfim, você sabe quais são já. O ideal é pensar o jogo como seu oponente e imaginar onde o Revoker seria mais prejudicial naquele momento do jogo.

- Eldrazi: Umezawa's Jitte, Endbringer, Ratchet Bomb.

7. Análise de partidas.



Podemos dizer que o principal é saber qual será sua forma de encarar o jogo. Você poderá ser mais control em algumas partidas, e partir para algo mais agressivo em outras. Tudo depende muito do deck que você irá enfrentar, se é o primeiro jogo ou se o sideboard já foi usado, qual a mão que você comprou, qual a velocidade que seu oponente está imprimindo etc. Não há uma receita pronta. Pode-se dizer que, em geral, o D&T procura ser mais control, exceto em alguns matchs específicos quando o deck do seu oponente é claramente mais voltado para o controle que o seu, mas é somente a experiência que vai indicar quando uma ou outra postura é a melhor saída.

Goblins
Jogo levemente favorável a nós. Jitte/Batterskull devem entrar em ação o mais rápido possível, eles ganham esse jogo. A prioridade é tirar de jogo os Goblins que dão haste aos demais (Warchief e Chieftain), pois isso acelera muito o jogo deles. Goblin Sharpshooter e Krenko, Mob Boss são as nomeações do Revoker. Aether Vial também pode ser nomeado se atrapalhar mais a ele do que nós. Ter uma Mother of Runes rapidamente é essencial, pois atualmente os Goblins estão usando muitas remoções, principalmente Pyrokinesis, e ao menos uma criatura deve sobreviver a isso.
Pós-side, é muito importante travar o Vial deles, pois o deck perde muita velocidade e fica bem mais fácil ganhar.

Merfolks
Favorável. Batterskull causa muita pressão e geralmente eles não tem removals, e quando tem são 1 ou 2 só. Eles não podem blockar nossos voadores, e sua travessia de ilha é inefetiva contra nós. Nossos Revokers podem travar seus Vials caso compense, e geralmente os Lordes Merfolks tem UU em seu custo, e somente 12 ilhas no deck, podemos travar a cor azul desse modo, além dos Rishadan Port. Não pode deixar eles se estabelecerem na mesa, pois as criaturas se bombam muito rapidamente. É outro jogo que Jitte/Batterskull ganham para nós. Usar a habilidade da Stoneforge Mystic é essencial para evitar as anulações dos equipamentos. Se o Vial entrar, nossa vida fica facilitada. É meio óbvio, mas sempre que possível remova os merfolks que bombam os demais.

Dredge
O deck deu uma sumida, razões pela qual antigamente eram dedicados 4 slots para hate grave, e atualmente são geralmente 3. Mas mesmo se encontrado algum perdido por aí, temos chances. Rest in Peace é vitória 99,99% certa. Thalia atrapalha demais as diversas mágicas que são feitas por turno, Canonista também. Stoneforge pode segurar o rush de criaturas com Batterskull.

Enchantres
Jogo favorável, contanto que faça as jogadas certas. G1 pode ser complicado, mas a partir do G2 novos hates entram, e Cataclismo torna-se uma arma muito perigosa para eles. Mangara of Corondor é muito forte e Revoker deve nomear Sterling Grove. Thalia, Canonista, e se ele tiver Moat, nossos voadores são eficazes. Temos Council's Judgment para nos livrarmos de Argothian Enchantres ou qualquer outro encantamento, mesmo com Sterling Grove em campo. Oblivion Ring e Leonin Relic-Warder/Disenchant são ótimos. Swords to Plowshares são side in obrigatórios, pois não fazem nada contra eles. Mother of Runes devem continuar contra possíveis Oblivion Rings inimigos.

RUG
Favorável. Eles tem de anular tudo que colocamos em campo, pois cada carta é uma ameça por si só. Se Vial entrar, todas as outras criaturas entram. Se não entrar, um counter se foi. Nossos voadores barram seus Delvers, nossos Mirrans impedem seus atacantes terrestres. Stoneforge Mystic para Batterskull, sem resposta, pode ganhar o jogo por si só. Rest in Peace, se não anulada, torna mais da metade de suas criaturas ineficazes.

Belcher
Match muito desfavorável. Se ele não combar no turno 1 ou 2, Thalia pode fazer a diferença a nosso favor. Revoker também ajuda muito se conseguir invocá-lo. Goblin Charbelcher e Lion's Eye Diamond são os principais alvos, mas tem outros alvos, descritos na seção acima. Uma resposta com Mindcensor ao Infernal Tutor é lindo. Do side tem que vir algo como Ethersworn Canonist e Ratchet Bomb.

ANT/TES
Desfavorável, mas vencível, contanto que você sobreviva até o turno 2, que é quando ou uma Thalia ou uma Canonist deve entrar em campo. A partir daí, deve-se tentar proteger esses cards e prosseguir para a estratégia mais favorável possível, seja mana denial, ou colocar outras criaturas (Mindcensor para impedir tutores, ou Revoker para impedir Petals ou LEDs).

Elves
Jogo complicado, mas vencível. Aqui o ideal é matar o 1º elfo a entrar. Revoker joga demais. Heritage Druid é a principal nomeação. Não importa se ele tem outra coisa na mesa, sempre nomeie Heritage, pois normalmente ele vai descer da mão no turno seguinte a alguma nomeação e daí a roubalheira (geração de manas infinitas) começa, ainda mais se vir junto o Glimpse. Só em casos extremos para nomear outra carta. Mindcensor/Containment Priest em resposta à GSZ e Natural Order é excelente, pois se deixar o Craterhoof Behemoth entrar é praticamente GG para eles. Além de minar os recursos do oponente, deve equipar Jitte o mais rápido possível para tirar as criaturas e o gás do adversário. Canonist é side-out obrigatório, pois deixa o Glimpse sem efeito. Sunlance, Pithing Needle e Ratchet Bomb também ajudam.

Jund
Desfavorável. Eles tem disrupts demais, e Punishing Fire é muito forte contra nosso deck inteiro. Para piorar, suas Lilianas ultrapassam a proteção de nossas Mothers, além de poderem retirar nosso hate com descartes. De quebra, alguns usam Golgari Charm de side, além de que seus Deathrite Shaman estragam nossa estratégia de mana denial. Entretanto, temos algumas armas. Rest in Peace enfraquece demais o Shaman e o Tarmogoyf. Tirando eles, só há Bloodbraid Elf para causar pressão, mas pode ser parada facilmente por uma Thalia. Surgical Extraction pode fazer milagres nesse jogo, além de que, na minha opinião, sidear cataclismos pode ajudar neste jogo, pois destruirá as Lilianas, sobrando somente uma criatura e também acabando com outros recursos, como destruir as Grove of the Burnwillows. Wilt-Leaf Liege é "imortal" contra os removals do deck e pode ser a peça-chave para a vitória.

Miracle
É neste match que sua capacidade de pilotar o deck será testada. O principal é fazer o Vial entrar sem tomar anulação, pois vai evitar ser severamente punido pelo combo Sensei’s Diving Top + Counterbalance. Thalia ajuda muito nesse match. Revoker tem o Jace e Sensei’s Diving Top para nomear. StPs e Terminus nos prejudicam, mas com Vial na mesa ainda temos como voltar ao jogo. Deve-se tentar ficar sempre causando dano no oponente para não dar tempo do Entreat the Angels resolver. É um deck que tem muitos terrenos, mas muitas vezes o lock inicial Rishadan + Thalia funciona e ganhamos um tempo precioso para causar dano. Cataclismo é essencial contra este match, impedindo drasticamente o clock/controle gerado pelo Miracle. Qualquer criatura lendária protegida com Karakas é muito forte.

Mirror
Depende muito do fator sorte e da player skill. Gut Shot brilha nesse match, e geralmente é definido com quem consegue encaixar marcadores em uma Umezawa’s Jitte primeiro. As escolhas do Revoker podem determinar a vitória. Muitas vezes a escolha entre travar um Vial, Jitte, Stoneforge ou Mother são determinantes para a vitória. Uma StP bem encaixada também pode definir os rumos da partida.

Sneak Attack
Favorável. Nosso maindeck é totalmente forte contra suas principais armas, Show and Tell e Sneak Attack. Show and Tell, para eles, é um tiro no escuro, pois temos no mínimo 3 Karakas, 2 Mangaras, e depois do side, Oblivion Ring e, se for fazer Show and Tell para Sneak Attack, temos o Leonin. Nossas Mothers protegem contra danos em áreas e os Revokers travam os Sneaks. Nossas Stoneforges Mystics não tem muito efeito contra esse deck, mas às vezes um batterskull pode te salvar o jogo, pois pode contar como 2 permanentes (artefato + token) para sacrificar caso o Emrakul consiga atacar.

Infinite Omnitell
Um match bem mais complicado que o anterior, pois nossas principais armas (revoker, mangara etc) não fazem nada contra eles. Temos que focar nossas forças em algumas alternativas, principalmente a canonista. Se conseguir proteger uma canonista com pro-blue de backup o jogo muda totalmente e você volta ao comando da partida (não se esqueça, dê pro-blue com a mother em resposta ao Cunning wish, porque ele vai atras do Wipe away, e quando o conseguir não há mais nada que você possa fazer. Se for possível proteja a canonista com SoFI, é uma solução bem melhor nesse caso). Não se esqueça também de deixar seu frasco sempre com dois marcadores, seu oponente ficará pensando que você pode colocar a canonista em jogo a qualquer momento em resposta a uma ação dele. Outra opção é tentar partir para a negação de mana e ao mesmo tempo pressionar o oponente. Thalia e Porto são seus grandes aliados aqui.

Maverick
Match justo para ambos os lados, entretanto temos um lock mais eficiente. Eles não conseguirão causar muita pressão sem uma Jitte, então este é um dos principais problemas a se enfrentar. Rest in Peace deve entrar no g2, pois o Knight of the Relicary ficará somente como 2/2 e nenhum outro card poderá se beneficiar do grave (Scavenging Ooze). Já mencionado, Revokers geralmente devem nomear Qasalis e a Mother of Runes DEVE ser removida o quanto antes. Dependendo da situação, sidear Cataclysm pode ser uma boa ideia. Gut Shot também é ótimo neste match.

Reanimator
Favorável. Karakas impede todas as criaturas lendárias do deck, sobrando algumas poucas. Entomb é basicamente obrigatório para eles terem, senão terão de jogar com a criatura que vier na mão. Mindcensor é monstro contra esse deck, Thalia e Rest in Peace também. Oblivion Ring também deve ser sideado, por ser muito abrangente. Grafdigger's Cage brilha nesse jogo.

Burn
Considero favorável. Se o Burn desviar o foco e começar a matar nossas criaturas, que vão lhe impor taxas, a tendência é muito grande de vitória para nós, pois vai lhe faltar fôlego para nos matar. Tem que ficar muito atento quando ficar com 7 ou 8 de vida, pois pode vir Fireblast e Price of Progress. Thalia joga demais nesse jogo, pois desce com um alvo na testa, quase que obrigando o adversário a removê-la. Rishadan também ajuda a atrasar o oponente até que você use Jitte ou Batterskull para ganhar. Lembre-se que, em último caso, pode usar uma StP na sua criatura para se salvar e ganhar uma sobrevida. Para G2 e G3, Spellskite na mesa e é praticamente GG para nós.

MUD
Situacional. Se começarmos com Vial, seus Chalices para 1 terão seus efeitos drasticamente reduzidos. Temos Mangara para lidar com tudo o que for colocado, e nossos Revokers travam suas melhores armas, Metalworker, Lightning Greaves e Kuldotha Forgemaster. Deve haver cuidado para não haver surpresas do Blightsteel Colossus não entrar atacando no próximo turno, pois caso contrário geralmente mais de uma criatura precisará bloqueá-lo. Rishadan Port e Wasteland jogam muito neste match. Tem que impor taxas logo no início para que ele não baixe uma criatura forte e equipe os Greaves, que daí fica mais difícil contornar. Mana-denial, Thalia e Revoker são os grandes trunfos para impor pressão e vencer. O Chalice of the Void dele pra 1 e 2 atrapalha, mas é contornável com Vial e também pode ter os marcadores zerados com o Flickerwisp.

Affinity
Match favorável. Revoker em Cranial Plating/Tezzeret, Agent of Bolas é meio caminho andado para a vitória. Você deve tomar cuidado com a evasão e proteção do Etched Champion pois é muito dificil de pará-lo. Uma idéia é bater mais do que eles até a vitória caso pinte a oportunidade e ele vier lento, pois isoladamente suas criaturas são melhores. Você também pode optar por ser mais control, segurar a pressão inicial e impedir os Tezzerets, pois ai fica muito mais fácil no mid/late game. Infelizmente, a Madre das Runas é praticamente sem efeito contra esse tipo de deck (se necessário você pode deixar uma ou duas para facilitar o block contra o Master of Etherium e evitar Dispatchs). Para G2 e G3, deve sair abrindo espaço espaço para Sunlance, Leonin Relic-Warder, Disenchant, Oblivion Ring. Apesar de ser um match relativamente tranquilo, caso você tenha algum tipo de dificuldade contra esse deck e o mesmo predomine em sua região, existem alguns hates específicos como Serenity que resolvem o jogo para você.
Por último, uma abordagem interessante é focar na sua frágil base de mana. Parta para cima dos terrenos dele com Wasteland e porto, e das outras fontes de mana com Mangara, Revoker e use a Thalia para taxações extras. A primeira cor que você terá que negar é a azul, para impedi-lo de ganhar cartas com Thoughtcast e de colocar o Tezzeret em jogo. Se for possível, destrua todos os artefatos dele para tirar o glimmervoid do jogo também, isso é particularmente comum no segundo turno, quando você pode destruir um terreno-artefato com wasteland e tirar uma criatura que ele tenha colocado na mesa com StP.

Infect
Pode ser um inferno ou pode ser normal, mas geralmente é favorável. Thalias e Canonistas atrapalham seus pumps e nossos 4 removals maindeck + 1 ou 2 pós side fazem estrago. Quem já jogou com o deck sabe que ele keepa muitas vezes mãos com muitos pumps e somente 1 criatura, e é disso que deve-se aproveitar, sempre fazer de tudo para remover essa primeira criatura que entrar. Jitte faz muito estrago contra eles. Rishadan e Wasteland nos Inkmoths para não deixar se criar. Tem que ter muito cuidado com o Blighted Agent, que não pode ser bloqueado. As demais criaturas são mais fáceis de contornar. Thalia brilha nessa jogo, assim como Ethersworn Canonist.

Tin Fins
Match mediano (pode vir a ser favorável a partir do G2, dependendo do que você tiver a disposição), a principal dificuldade é sobreviver ao primeiro turno. As duas principais fraquezas dele são o uso indiscriminado do cemitério e a necessidade de se jogar várias cartas em sequencia, caso queira combar rápido. Você será control aqui, e sua principal arma é o Revoker para Griselbrand (apesar de ser uma opção, não adianta tanto usar Karakas nele, uma vez que seu principal utilidade é o draw 7). No primeiro jogo você tem poucas opções no início, tente começar com um Judge's Familiar. A partir do segundo turno, caso você sobreviva até lá, o jogo muda bastante e você já pode partir para Revoker, Canonista, Thalia etc. Do segundo jogo em diante tire suas StP do deck e coloque tudo que tiver de bom: Mindbreak Trap, Canonista, Leyline of the Void, Relic, Rest in Peace, Tormod (muito mais útil nesse match que a Relic e o RiP) etc.
Obs: a trap funciona para impedir vitorias de primeiro/segundo turno, que normalmente vem na forma de Ritual = Entomb = Shallow Grave/Goryo's Vengeance.

High Tide
Não é favorável, mas é vencível. Thalia, Ethersworn Canonist e Aven Mindcensor são as estrelas desse jogo. Tem que cuidar para essas cartas não serem devolvidas para a mão e o combo ser executado nesse momento. Mother of Runes ajuda para protegê-las. A ideia é colocar essas cartas para taxar o adversário e ir batendo. Não dá para dar tempo a ele. Mana-denial ajuda um pouco, mas apenas com Rishadan. Cuidado que também utiliza anulações, então tem que ficar muito esperto para não perder uma Thalia ou Canonist e deixar o campo livre para o combo. Aven, preferencialmente, deve ser usado em resposta à Merchant Scroll, que terá a intenção de buscar a carta específica para a execução do combo.

Patriot
Não é favorável, nem desfavorável, é justo. Eles tem geralmente 8 remoções (4 Bolts e 4 Plowshares), nós temos geralmente 5 (4 Plowshares e 1 Fiend Hunter/Mangara). Entretanto, temos Mother, que é um must kill para eles. Temos blokers para seus Delvers e Revokers para seus Lavamancers. A maior chance deles é colocar marcadores em uma Jitte, isso deve ser impedido a qualquer custo. Com a adição de True-Name Nemesis ao deck, vencer este match geralmente resolve-se por alguma criatura com voar e/ou com uma Espada de Fogo e Gelo. G2 deve ser sideado diversos hates genéricos, Council's Judgment, Pithing Neddle (equipamentos e Grim Lavamancer) e mais remoções. Conseguir controlar as criaturas do oponente fazendo com que elas não possam/queiram atacar é o jeito de vencer esse match.

8 – Deficiências do deck e como contorná-las.



Após todo esse tutorial, análise de cards e de partidas, é importantíssimo destacar as cartas que mais atrapalham o nosso andamento do jogo, e como tentar contornar isso. Como o deck está ficando cada vez mais presente, muitos estão dedicante 2~4 slots para enfrentar nosso deck, e às vezes somente um desse cards pode fazer a diferença. São eles:

Sulfur Elemental: Infelizmente esta carta é complicada de se vencer. Algumas criaturas com certeza serão removidas, e o pior, não temos como responder. Nos matchs em que esse card é usado, não sideamos Wilt-Leaf Liege, portanto não é uma opção. Deve ser removida o quanto antes.

Dread of Night: Mais difícil de ser removida que a acima, mas pode ser respondida. Geralmente é usada em sides de decks com base RUB, portanto Wilt-Leaf Liege pode ser uma mão na massa.

Punishing Fire: Com uma Mother of Runes, temos como nos proteger, até certo momento. Portanto, anti-grave hate é a melhor maneira de enfrentar esse card.

Massacre: Outra carta que voltou a aparecer em muitos sides. Praticamente "limpa" nosso campo. Por isso, contra essas estratégias alguns jogadores começaram a usar Flagstones of Trokair para impedir/dificultar a conjuração deste card. Geralmente é usada em ANT/TES e alguns poucos Deathblades e BUG. Contra isso deve-se jogar com cautela, colocando poucas criaturas para tentar causar alguma pressão e obrigar a conjuração do card.

Jitte de Umezawa: Esta carta, assim como é uma de nossas melhores armas, também é nossa pior inimiga. Os meios para combatê-la, na teoria, são simples: não deixe sua habilidade triggar. Bloquear com criaturas com iniciativa, usar Revoker para travar, Flickerwisp pelo Aether Vial ou não, retirando a criatura ou a Jitte (se a Jitte for retirada, se ela tiver marcadores eles serão removidos), chumps blocks (Thalia + Karakas), Oblivion Ring, etc. As opções são diversas, mas esta ainda é, infelizmente, o modo mais comum de se perder um jogo pelo Death and Taxes. Deve ser evitada a qualquer custo.

True-Name Nemesis: Esta carta surgiu no deck Commander de 2013, e logo viu sua vida longe do commander, no legacy. O fato de ser azul, extremamente agressiva, com capacidade para gerar um clock considerável, acabou colocando-a no ambiente, principalmente em blade.decks. O D&T não tem muitas maneiras de lidar com ela, nossas Swords to Plowshares não a alcançam, nossas Jittes não a afetam e nossas criaturas não a blockam. A edição Conspiracy nos mostrou uma ótima solução, Council's Judgment. Diante dessa nova ameaça, foi alterado um pouco do core do deck para poder enfrentá-lo. 1) Aumento do número de flyers no deck. Com isso, podemos continuar gerando pressão e clock no oponente sem chance de sermos bloqueados por uma criatura "imorrível". 2) Espada de Fogo e Gelo de Maindeck, novamente para impor clock ao oponente, entretanto, qualquer criatura equipada ficará imbloqueável contra o TNN, além de nos garantir draws extras. 3) Cartas para impedir/destruir o TNN: Council's Judgment é a mais utilizada atualmente, sendo uma opção extremamente forte, mas existem outras como Holy Light, Celestial Flare. Opções atípicas são Ensnaring Bridge, Runed Halo, Humility e Moat. 4) Adicionar destruição de equipamentos ao sideboard. Essa opção é viável, pois um TNN equipado é seu pior inimigo, entretanto um não equipado pode ser facilmente rushado e não garante uma ameaça constante. Geralmente Disenchant e, principalmente, Manriki-Gusari fazem este serviço.

9 – Referências, artigos e vídeos.
Tópico anterior na Liga:
 http://www.ligamagic.com.br/?view=forum/mensagem&id=73457

Fórum da Salvation (com agradecimentos ao usuário Finn pela liberação do conteúdo). Existem diversos reports espalhados pelo tópico, só procurar bem. De preferência comece pela última página e vá voltando.
 http://forums.mtgsalvation.com/showthread.php?t=306633.

Fórum da The Source:
 http://www.mtgthesource.com/forums/showthread.php?6775-DTB-Death-and-Taxes

Artigo na Starcity sobre o deck:
 http://www.starcitygames.com/article/26659_The-Legacy-Of-emNotem-White-Weenie.html

Artigo de Craig Wescoe, 5º colocado no GP Washington de 1.698 jogadores. Dá dicas essenciais exatas de como sidear contra 12 arquétipos do formato:
http://magic.tcgplayer.com/db/article.asp?ID=11516

Artigo do Clark Nichols:
 http://tinyurl.com/l4yeat5

Novo site dedicado ao deck, contendo dicas, interações e vídeos:
 http://www.thrabenuniversity.com/

Artigo do deck em sua versão Modern:
 http://tinyurl.com/mxeqmez

Artigo das mudanças do deck diante do True-Name Nemesis:
 http://www.starcitygames.com/article/27952_Death-Taxes-vs-True-Name-Nemesis.html

Artigo sobre o Leonin Arbiter e suas funcionalidades:
 http://southfloridamagic.com/leonin-arbiter-a-gentleman-and-a-scholar/

Vídeos:

 Inside the Deck: Death and Taxes
- https://www.youtube.com/watch?v=Xcz3F-yP6b8

 Final do GP 2013.
- http://www.youtube.com/watch?v=6flkb-W5u6Y

 Death and Taxes X Deathblade/Esperblade:
- http://www.youtube.com/watch?v=2-7mUTMkf40
- https://www.youtube.com/watch?v=WxKJnYW7wiA
- https://www.youtube.com/watch?v=G_c-0v_3_Ps&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=7
- https://www.youtube.com/watch?v=3TkdZZO_TWw&index=12&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x
- https://www.youtube.com/watch?v=iyV8ZO5Bmxk&index=40&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

 Death and Taxes X Shardless BUG/BUG Control:
- http://www.youtube.com/watch?v=BEKDAHHJ7OE
- https://www.youtube.com/watch?v=COPWNloXFtk
- https://www.youtube.com/watch?v=3qmFvOLeZVo
- https://www.youtube.com/watch?v=pKRYmCHErY4&index=16&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

 Death and Taxes X Jund:
- https://www.youtube.com/watch?v=GLBOmNLd_oc
- https://www.youtube.com/watch?v=qJBkdwtrB2s

 Death and Taxes X BUG Delver:
- https://www.youtube.com/watch?v=ZUtxobR1StQ
- https://www.youtube.com/watch?v=leQWbeCAXxE
- https://www.youtube.com/watch?v=_daRYExC1jo
- https://www.youtube.com/watch?v=jTK3AviKfO0
- https://www.youtube.com/watch?v=NzgdcEc7D3M&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g

 Death and Taxes X Elves:
- https://www.youtube.com/watch?v=Bq2ou1JQ1NA
- https://www.youtube.com/watch?v=Wd0bV83KR7E
- https://www.youtube.com/watch?v=NjJ1tbcELtc&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=13
- https://www.youtube.com/watch?v=9sRMlpxbnaI&index=26&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x
- https://www.youtube.com/watch?v=bJ6M4CEQZao&index=42&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

 Death and Taxes X UWR Miracles:
- https://www.youtube.com/watch?v=Ubm20wJvFYQ
- https://www.youtube.com/watch?v=s85A2AqCL8U (Visão do jogador de Miracles)
- https://www.youtube.com/watch?v=1OdHE4MWxaA&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g
- https://www.youtube.com/watch?v=3Pg8WYG486Y&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=4

 Death and Taxes X 12-Post/UG Cloudpost:
- https://www.youtube.com/watch?v=9yO-uOKfQLA
- https://www.youtube.com/watch?v=XvwmCmozDZA

Death and Taxes X Imperial Painter:
- https://www.youtube.com/watch?v=7zIVDRuS9l8
- https://www.youtube.com/watch?v=PqQHEyYCsv0

 Death and Taxes X RUG Delver:
- https://www.youtube.com/watch?v=8qBzanhKNgs
- https://www.youtube.com/watch?v=Xsc5HWmYJkQ&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g
- https://www.youtube.com/watch?v=58RYqJq7c8Q&index=49&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

 Death and Taxes X Lands:
- https://www.youtube.com/watch?v=GKvNjORcpqE
- https://www.youtube.com/watch?v=x9hvO4VqhOg
- https://www.youtube.com/watch?v=rAu8xuryzfU&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g
- https://www.youtube.com/watch?v=anuSJ9Jzzbs&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g
- https://www.youtube.com/watch?v=aea0D-rhuuc&index=28&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

Death and Taxes X UWR Delver/Jeskai Stoneblade:
- https://www.youtube.com/watch?v=kshMA87eryY
- https://www.youtube.com/watch?v=axUbHhjCRCU
- https://www.youtube.com/watch?v=OYwAgYdAK84&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=5 - 19:17
- https://www.youtube.com/watch?v=TJ1JvgDzs34&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=19
- https://www.youtube.com/watch?v=5S45LeRQ4CE&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=50
- https://www.youtube.com/watch?v=a0R46w9_hQ8&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=51

Death and Taxes X Sneak & Show:
- https://www.youtube.com/watch?v=rYynRi3GRMs
- http://www.youtube.com/watch?v=5CAsfpO6qso
- https://www.youtube.com/watch?v=OkqZDDTZWcQ
- https://www.youtube.com/watch?v=kvrc-Vwhahg&index=35&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x
- https://www.youtube.com/watch?v=OHKgJpPIdwI

Death and Taxes X Imperial Painter:
- https://www.youtube.com/watch?v=7zIVDRuS9l8&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=39
- https://www.youtube.com/watch?v=52Kevl10ZnA&index=46&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

Death and Taxes X Burn:
- https://www.youtube.com/watch?v=ntGC2QLK6Yk
- https://www.youtube.com/watch?v=MqtmXVkAqiM

Death and Taxes X Eldrazi:
- https://www.youtube.com/watch?v=pnBZLUbu8L4
- https://www.youtube.com/watch?v=X-p4W2P6Ox4

 Matchs Online:
- http://www.starcitygames.com/article/26666_Video-Death-And-Taxes-In-Legacy.html
- https://www.youtube.com/watch?v=aLkdPdCFZdo
- https://www.youtube.com/watch?v=XuNAw2Y_mNc
- https://www.twitch.tv/bahra_/profile

 Death and Taxes X Outros:
- https://www.youtube.com/watch?v=vvBuGXGcMw4 (Veteran Planeswalkers)
- https://www.youtube.com/watch?v=854bvW6HGGg&index=21&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x (Young Frankenstein)
- https://www.youtube.com/watch?v=NK0y18t-Lhc&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=22 (Punishing Temur)
- https://www.youtube.com/watch?v=vEW0M-PrOLQ&index=33&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x (Leylines)
- https://www.youtube.com/watch?v=eRS4pc6_qz0&index=36&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x (Jund Dephts)
- https://www.youtube.com/watch?v=umF3cvtZmxg&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=37 (High Tide)
- https://www.youtube.com/watch?v=Je3WbllqDo4&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=38 (NO BUG)
- https://www.youtube.com/watch?v=3JijYOZxDUE&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=54 (Mirror)
- https://www.youtube.com/watch?v=YNQxA_sh3Cs&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=55 (Merfolks)
- https://www.youtube.com/watch?v=v6HOWEyHHXQ (4-Color Delver)
- https://www.youtube.com/watch?v=Za_8ZkadHCw&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x&index=3 (Bant)
- http://www.youtube.com/watch?v=7dFewgMRPPA&list=PL5d1KNNFArSOEV4Ts8gygdDBQtL5xFItB (Enchantress)
- https://www.youtube.com/watch?v=XtFd-a3yiLM&list=PLXvWVmmqyaqhlHBCEC8MX6mD0hTLm6b-l (UR Delver)
- https://www.youtube.com/watch?v=CQ8LcB5HuIc (4-Color POD - Affinity - Eldrazi - Grixis Delver)
- https://www.youtube.com/watch?v=sj1yxR3mcow (Infect)
- https://www.youtube.com/watch?v=ydNsiReVTwg (4-Color Company)

Deck Interviews:
- https://www.youtube.com/watch?v=sJPFe-lWn1I
- https://www.youtube.com/watch?v=SqIhDASKKoU&index=15&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x
- https://www.youtube.com/watch?v=JC1CupvLKHU&index=17&list=PL3D0S0Z3P3dA6192WPYsxCDHf-1NQ2G7x

Resumo de como o deck funciona:
- https://www.youtube.com/watch?v=192nvp-_fcU&list=UUmX7sQ4uz_Jx45ztKGrWT-g


10 – Artigo criado e atualizado por:

Green_Green
Kami
Semi-Deus




Editada em: 17-07-16 19:09:09 por Green_Green.

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas
 
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 14/09/13 21:04
Outros matchs e outras atualizações serão postadas aos poucos.
Erros de gramática e, inclusive sobre algum card e/ou outra coisa, favor me enviar via pmsg para ajeitar.

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas
 
Kami

Fênix
8 Referências (100.00% positivas)
Posts: 5882
Registro: 17/03/06
São Paulo - SP

Postado em: 14/09/13 21:09
Espero que vcs curtam, deu muito trabalho fazer o primer =)

Faltam alguns matchs (em especial deathblade/esperblade), mas será atualizado em breve com novas informações.

TERCEITRA TERRA - o melhor portal de podcasts sobre RPG e games deste lado da galaxia

Aproveite e dê uma passada no GODMODE e no GAMEBANG, dois podcast fodásticos sobre o mundo dos games

 
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 14/09/13 21:10

Muito trabalho mesmo hehe, desde o início do projeto foi mais de um mês... =)

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas

 
FilipeCon

Esquilo
3 Referências (100.00% positivas)
Posts: 126
Registro: 24/05/12
Caxias do Sul - RS

Postado em: 14/09/13 21:32
Muito bom!

Ainda não li tudo mas já parabenizo os envolvidos pelo primer :)
Jogo de Death and Taxes e é um dos meus decks favoritos do formato.
 
Semi-Deus

Esquilo
0 Referências
Posts: 203
Registro: 25/04/12
Porto Alegre - RS

Postado em: 14/09/13 22:33
Muito trabalhoso, mas gratificante ao ver pronto. Ficou muito bom mesmo!
Parabéns ao green pela iniciativa.
E agora é ir afinando e aperfeiçoando cada vez mais ele.
 
Presuntinho

Avatar
0 Referências
Posts: 466
Registro: 11/12/03
Itabira - MG

Postado em: 14/09/13 23:08
Parabéns!
Excelente artigo, muito bom msm! Digno do the source!
Estou tentando montar o deck, mas tá difícil conseguir os porto de rishada pra fechar!
 
Hubner

Dragão
133 Referências (100.00% positivas)
Posts: 731
Registro: 11/05/09
Ituporanga - SC

Postado em: 14/09/13 23:09
Muito bom, parabens.

Ajuda a jogar com o deck e tambem contra o deck - TOP.
 
ITI

Lenda
8 Referências (87.50% positivas)
Posts: 1312
Registro: 24/09/01
São José dos Campos - SP

Postado em: 14/09/13 23:50
Ótimo artigo, ainda nao terminei de ler...farei isso amanha

Já tinha visto o primer do salvation...mas está excelente esse

Comecei a jogar com esse deck agora, e estou montando

cansei de jogar com Brainstorm, Ponder, FoW

e sempre fui fã do WW...apesar desse ser mais control

Quando eu tiver jogado mais com ele, posto alguns comentários

vamos tentar manter esse tópico vivo!

abraços
 
chiconeto13

Esquilo
23 Referências (95.65% positivas)
Posts: 144
Registro: 05/06/09
Salvador - BA

Postado em: 15/09/13 01:05
Meus parabéns, ficou muito legal.
Alguém saberia me dizer onde encontrar 2x Rishadan Port pra comprar?
 
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 15/09/13 03:43
Porto de Rishada está sendo um inferno de encontrar, eu consegui fechar meu set hoje mesmo. (faltava só 1x).
Para encontrar não tem mto segredo: todos os dias pesquisando se tem o card em leilão, e enviando PMSGs para usuários que apareçam que tenham o card no bazar de bagda (mandar mensagem só para os que estiverem entrando na liga nos últimos meses). Se não der, tem os dealers, mas estão pedindo um preço bem salgado.
Outra opção é pegar de fora.
Infelizmente são os meios, mto complicado de achar esse card.

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas
 
Roland_Deschain

Orc
1 Referências (100.00% positivas)
Posts: 693
Registro: 04/07/07
Varginha - MG

Postado em: 15/09/13 03:49
Ai que saudades...
Uma pena que por questões financeiras tive de me desfazer dos meus portos e de minhas Karakas...
 
6argamel

Nomad
0 Referências
Posts: 1588
Registro: 16/07/09
Passo Fundo - RS

Postado em: 15/09/13 10:03
muito bom artigo Eduardo, salvei aqui para continuar lendo depois
 
guipissolatto

Samurai
0 Referências
Posts: 56
Registro: 02/10/07
Marau - RS

Postado em: 15/09/13 11:08
Grande Artigo Eduardo. Estão todos de parabéns.

 
ModusPwnens

Esquilo
0 Referências
Posts: 1019
Registro: 23/11/10
São Paulo - SP

Postado em: 15/09/13 11:42
Tá bem completo mesmo, tão de parabéns!


Pra ficar perfeito, só falta terminarem a análise de partidas, algumas importantes sendo: Shardless BUG, e o próprio Deathblade que citaram.

Editada em: 15-09-13 11:43:35 por ModusPwnens.
 
lordlazaros

Ancião
18 Referências (100.00% positivas)
Posts: 5264
Registro: 17/11/03
Montes Claros - MG

Postado em: 15/09/13 11:42
Minha pergunta é a seguinte, por que isto não foi postado na seção de artigos ao invés de posta-lo no forum.

Ficou ótimo.

Dr. Marco Aurélio - Médico especialista em Terapia Intensiva e Medicina do Trabalho.
Juiz Level 1

 
anddre7

Esquilo
0 Referências
Posts: 75
Registro: 24/12/09
São Paulo - SP

Postado em: 15/09/13 12:25
Excelente artigo.
Uma das melhores análises (se não a melhor) que eu já li sobre um deck.
Parabéns aos envolvidos nesse trabalho.
Demorei umas duas horas para ler, e valeu cada minuto.
Mais uma vez, parabéns pela iniciativa.
 
karhaix

Dragão
0 Referências
Posts: 752
Registro: 17/01/05
São Paulo - SP

Postado em: 15/09/13 13:30
Simplesmente sensacional!

Achei muito bom, PROFISSIONAL na verdade.

Não tenho o deck, mas tenhos as Stone, Mirran, Mother of Runes e Wastelands. O seu texto foi tão bom que eu vou dar um jeitode adquirir o restante e montar o deck.

Poxa, façam um Primer do Deathblade também!

Ps.: Li inteiro! Maior número dois que já fiz na vida! Ahahaha
 
Green_Green

Pesadelo
0 Referências
Posts: 5618
Registro: 19/04/07
Niterói - RJ

Postado em: 15/09/13 14:17

Por mais que seja um artigo, ficaria melhor na seção própria dele, ou seja, a do Legacy, além de que qualquer um que entrar na seção encontraria mais facilmente o tópico do que na seção de artigos.

Juiz Nível 1
Moderador da Seção de Dúvidas