Load or Cast
Load or Cast
Novo formato: Frontier
 Novo formato: Frontier
Skky

Esquilo
0 Referências
Posts: 55
Registro: 23/04/14

Postado em: 12/12/16 13:10
Acho boa a ideia, vc monta um formato novo que já vem com um deck combo (4 color Rally) imbatível, com a mira na testa pra tomar um ban com menos de 6 meses de formato. Sabe na boa ... por isso eu jogo legacy e t2 ... Não dou conta de modern, e acho que o modern poderia ser um bom formato, mas eles acabaram com essa possibilidade e sairam banindo tudo que tinha no cominho, até sobrarem só os decks superagro suicida ou um combo que aparece de vez em quando ... Esse formato já se apresenta fadado ao fracasso.
Na real se eu fosse mudar alguma coisa. Eu resetava o modern, desbania tudo deixava o pau quebrar 6 meses, depois tirava 5 ou 6 cards que fossem realmente sem condição, e ai deixa o formato se estabilizar.
 
ProBlue

Esquilo
0 Referências
Posts: 75
Registro: 10/02/12

Postado em: 12/12/16 13:32
alguém sensato finalmente
 
cid085

Esquilo
46 Referências (100.00% positivas)
Posts: 218
Registro: 23/07/11

Postado em: 12/12/16 17:04
Só para complementar qual seria o incentivo dos jogadores em investir em um novo formato ?

Hoje eu tenho confiança em comprar cartas modern por que a Wizards esta comprometida com o formato e ele vai durar, agora se vão criar formato de 5 em 5 anos eu simplismente perco toda a confiança que tinha na wizards e não vou investir nestes novos formatos , já não jogo standart devido a rotação.

Acredito que sancionar um novo formato sem ter uma justificativa que seja muito boa , vide modern reserved list, vai desencorajar muitos jogadores a abandonar o Magic.

O que eu vejo e a volta do Extended pra dar uma sobrevida as cartas standart visto que o mesmo não iria concorrer com outros formatos ja estabelecidos.

Acredito que mais formatos para magic e um erro.
 
paulo4400

Esquilo
0 Referências
Posts: 2
Registro: 14/08/16

Postado em: 12/12/16 17:08
Este usuário esta na lista de Baloeiros, recomendado não negociar com ele.
Clique aqui para ver o motivo dele estar nesta lista.

já existem muitos formatos que foram feito pra baratiar o custo das carta, como o pauper no inicio foi legal , mais agora as cartas para se montar um pauper são uma furtuna , deck de 50 reais custando 500 ou mais . antigamente era legal o extend por que tinha rotação tambem junto com o t2 , os caras fizeram merda em acabar com ele , e voltou com o moderno que so muda com o banimento .
 
KamusSM

Esquilo
0 Referências
Posts: 445
Registro: 01/08/08

Postado em: 12/12/16 18:40
Quanta choradeira!
O formato vai emplacar sim, comprem tango e fastlands enquanto há tempo, porque uma coisa é certeza: vão subir INFINITO
 
Sekker

Zubera
1 Referências (100.00% positivas)
Posts: 958
Registro: 19/04/04

Postado em: 12/12/16 18:51

E aí está o principal motivo das hareyuya ter criado o formato. Desovar o estoque de cartas encalhadas overprintadas. Mera coincidência khans entrar já que tem raras que mal valem 5 reais por causa da quantidade enorme de caixas abertas e ter fetchlands coisa que encarece o formato e deturpa para o lado das cores que tem as fetchs.

Há bem pouco tempo atrás, alguns jogadores criaram o tiny leaders. Fizeram trademark no nome e supostamente estavam acumulando cartas que seria poderosas para vender por muito mais.

Hareyuya está fazendo o mesmo e a galera vai cair como patinhos.

 
Ninetales

Esquilo
0 Referências
Posts: 2
Registro: 28/10/14

Postado em: 12/12/16 19:38
A ideia em si não é de todo ruim, mas ela basicamente tem uma falha essencial. O objetivo do formato, conforme exposto pela própria Hareruya, é fornecer uma opção para que os jogadores, especialmente os novos, usem suas cartas do Standard nesse formato que não rotaciona, além de remover da pool de cartas aquelas mais antigas, com menor tiragem de impressão e com preços altos.

Pois bem. Vamos dividir o objetivo do formato em dois pra ser mais fácil de entender: o uso de cartas do T2 no Frontier e o custo das cartas. No momento, ambos os pontos são verdadeiros, mas isto se deve em muito por causa da pool pequena. Mas vamos pensar daqui dois ou três anos como seria.

Quanto a usar cartas do T2, daqui dois ou três anos é bem provável que com o lançamento contínuo de cartas, haja cartas novas fortes que entrem no formato, da forma como acontece hoje com cartas entrando no Modern, como Nahiri e Grim Flayer. Entretanto, assim como acontece hoje no Modern, não seriam todas as cartas jogáveis (e normalmente caras) do t2 que jogariam no Frontier, assim como ocorre no Modern. Basicamente porque sempre há uma carta "melhor" que outra, seja nova ou antiga, o que torna a competidora direta obsoleta. Pense em Lightning Strike. 1R = 3 de dano. Ia ser um staple do Frontier, como Bolt é hoje no Modern. Provavelmente valeria mais de um dólar, sendo uma comum. Mas aí teríamos a Seraing Spear que é uma cópia funcional e valeria centavos por não estar no Frontier. Já é uma distorção, ainda que isso não influencie praticamente nada. Mas suponhamos que daí Bolt seja reprintado no t2! Lightning Strike não valeria mais nada porque todo mundo trocaria por Bolt. Nem precisa ser Bolt, Incinerate já seria algo que provavelmente diminuiria já ocasionaria esse efeito. E o contrário tbm é verdade! Assim como até agora jamais foi lançado algo melhor que Goyf, há uma grande chance de não lançarem algo melhor que Grim Flayer no Frontier por exemplo. Aí a existência dessas staples do formato, que seriam mais antigas, afetariam negativamente a entrada de novas cartas no formato, de modo a invalidar este objetivo de usar as cartas do t2 num formato não rotativo.

O segundo problema é o preço, e tem ligação direta com o primeiro. Agora as cartas são baratas, exatamente por não ser uma pool extensa com cartas que foram impressas a dois anos no máximo. Mas daqui três anos, cartas como Elvish Mystic, se não forem reprintadas ou não ter uma nova que seja um reprint funcional ou melhor, irão subir de preço, e o problema da oferta da carta tbm começa a aparecer, o que empurra o preço pra cima. Problema maior ainda teria com os flip walkers de Origins, que são cartas mais difíceis de serem reprintadas exatamente por serem flip, e por serem míticas, o preço seria muito alto caso vissem jogo em, decks tier 1 e 2 do formato. Além disso, temos o outro gume desta mesma lâmina: cartas como Grim Flayer já são caras atualmente no t2 por verem jogo tanto no t2 quanto no Modern. Com Frontier isso seria ainda pior, porque a probabilidade da carta ver jogo no Frontier seria maior que no Modern, e além disso, teria mais um formato pra "sugar" staples pra si, o que aumenta a demanda e consequentemente o preço.

Então, os dois pontos principais do Frontier, tanto o uso de cartas do t2 quanto o preço mais acessíveis, são uma falha essencial no objetivo do formato, porque estes fatores só são como são no presente, mas a tendência é que eles não permaneçam assim conforme o formato for envelhecendo. A médio e longo prazo, a perspectiva é que o Frontier padeça dos mesmo problemas que o Modern, embora em escala um pouco menor.

A ideia de um novo formato não é ruim, mas o problema é vender essa ideia como uma solução pros problemas do Modern e Standard (respectivamente preço e uso das cartas por longo tempo), pois isso só funciona agora, no futuro essa conta não fecha e o Frontier se torna mais um Modern.

Claro, se a WotC sancionar o formato e der suporte a ele, o problema do preço talvez não se torne tão grave, mas eu duvido, haja vista o Modern ser suportado e preço ser um belo problema.

Essa é minha visão objetiva do Frontier. Agora minha visão pessoal:

Eu particularmente não gosto da filosofia de design recente da WotC nos últimos anos, qual seja, aumentar o poder das criaturas, especialmente aquelas focadas do meio de jogo (as famosas midrange) enquanto remove partes históricas do jogo, como counterspells, mana dorks, burn flexível e barato, etc. E o Frontier é um recorte do Magic no qual basicamente essa filosofia impera, ou seja, o tipo de carta mais forte é disparado criatura, seguido por planeswalker, e aí beeem depois vem feitiços e instantâneas, basicamente só servindo pra complementar a estratégia principal onde não cabe uma criatura ou planeswalker. E por razões históricas esse formato perderia muita coisa bacana (claro que pode haver reprints no futuro, mas é difícil), e isso não me agrada. Eu gosto de Modern exatamente por haver ainda cartas potentes que você sabe que são fortes e icônicas (Bolt, Path, Birds of Paradise, etc.), e mesmo no Modern já há uma perda de cartas icônicas dos primórdios do Magic, mas como há a reserved list, tudo bem pra mim , é um custo que se paga pra ter os reprints das cartas do formato (que ainda que devagar, acontecem). No Frontier essas cartas icônicas e essa sensação do powerlevel seria muito diferente, seria muito mais parecido com Standard, ao ponto de que seria difícil diferenciar, e alguns jogadores simplesmente não jogariam ambos mesmo querendo por ser praticamente a mesma coisa. Então eu, pessoalmente, acho que jogaria uma ou duas partidas de Frontier, mas não consigo me ver investindo num deck.
 
enc_toledo

Pesadelo
0 Referências
Posts: 1503
Registro: 25/06/04

Postado em: 15/12/16 11:28
A criação de novos formatos sem rotação é, na minha opinião, inevitável.

Vou cometer alguns arredondamentos a seguir e espero que me perdoem. Também quero deixar claro jogo e gosto de todos os formatos:

- Legacy envolvem cards desde 1993;
- Modern envolvem cards desde 2003;

Estamos em 2016. O jogo evolui muito entre os anos, basta ver os tipos de decks que dominam ou jogam competitivamente cada formato. Modern já tem um pool relativamente maior ao do Legacy quando o próprio Modern foi criado.

Pode não ser Frontier o novo formato a ser sancionado? Pode. Mas eu acho muito provável que seja sancionado, pois os critérios de corte estão muito parecidos com os adotados na criação do Modern.

Muitos estão usando argumentos relacionados ao mercado paralelo, tanto para justificar ou recusar a adoção do Frontier. Mas eu acho estes argumentos os mais fracos para a Wizards, pelo menos diretamente. A criação de um novo formato vai criar demandas por novas boxes, e isso o Frontier irá criar com o tempo.
 
Hikawa

Esquilo
0 Referências
Posts: 998
Registro: 19/02/11

Postado em: 15/12/16 12:07
E se o Frontier iniciasse em Magic:Origins,
assim fica com um set com nome de origem, representa o fim dos core sets, um novo marco no storytelling do jogo e fica sem fetches =D.
 
Hollow

Esquilo
0 Referências
Posts: 2132
Registro: 14/01/15

Postado em: 15/12/16 12:23

Primeiramente, gostaria de ressaltar que eu argumentei "contra" o Frontier (não exatamente contra o Frontier em si, mas contra os moldes atuais pensados para esse novo formato) da forma que o fiz, porque o principal argumento que o pessoal apresentou em favor desse formato, neste tópico, até o momento, seria os preços mais amigáveis em relação ao Modern. Pra mim, esse argumento é válido para um curto prazo, porém no médio/longo prazo, o formato provavelmente sofreria com os mesmos problemas do Modern, e na minha opinião, com o agravante de muito possivelmente encarecer o Standard (bem mais do que o Modern faz).

E sobre o mercado paralelo, eu discordo um pouco. Para a Wizards é importante sim o mercado paralelo. Pra eles é conveniente que as cartas tenham um valor de mercado não tão baixo, para que os boosters sejam atrativos. Ninguém vai comprar booster por 18 reais (sei lá quanto tá agora... faz muito tempo que não compro) se a carta mais cara possível que vier dentro custar 10. Por outro lado, se o preço for elevado demais, as pessoas deixam de consumir ou de "entrar" no formato. O Standard recentemente teve uma deserção de jogadores por uma combinação de fatores, dentre eles, os preços elevados. Os decks estavam muito caros, e a Wizards havia mudado a rotação do formato, encurtando o período válido das cartas. Tiveram que voltar atrás na mudança de rotação, para que mais gente jogasse o formato novamente. Os formatos têm que ser ao menos minimamente atrativos, financeiramente.

Pra mim, o Frontier poderia acabar criando o mesmo efeito, além de provavelmente não se manter muito mais barato que o Modern por tanto tempo assim. Como exemplo, cito o Baby Jace. Enquanto era válido do Standard, chegou a valer perto de 250 reais. Agora que caiu, está oscilando aí na casa das 80 patacas, sendo que ele joga bem pouco no Modern (uma ou duas cópias no Grixis Control, e só). No Frontier, eu acredito que ele seria staple e provavelmente jogaria como 4-of em vários decks Tier 1 e 2. Se assim fosse, aposto que ele não ficaria abaixo dos 150 mangos. Se o Frontier já existisse enquanto ele era válido no Standard, então... não duvidaria que passasse dos 300 reais. A Liliana hoje está acima dos 150. Se existisse o Frontier e ela jogasse lá, provavelmente bateria perto dos 250 enquanto fosse válida no Standard.

Sob o ponto de vista da jogabilidade, eu particularmente não gosto da pool disponível de M15 pra cá. Acho que se o Frontier fosse, por exemplo, de Retorno a Ravnica pra cá, seria um formato muito mais interessante, na minha opinião. Theros não foi exatamente um bloco tão bom, mas as mecânicas de Devotion e Constellation geraram decks interessantes. Além disso, RTR tinha muita carta boa, mecânicas bacanas e boas opções para os Aggros (estratégia que eu acho que ficaria meio pra escanteio no Frontier, à exceção dos CoCo decks). Pra fazer de M15 pra frente, eu acho que seria mais conveniente esperar ao menos mais uns 3 ou 4 blocos, pra ter uma pool mais interessante. Mas enfim...

Editada em: 15-12-16 12:27:58 por Hollow.

 
leviziinho

Leviathan
0 Referências
Posts: 443
Registro: 13/01/12

Postado em: 16/12/16 08:30
Ouvi dizer que o formato seria um pós-Modern, já que ele levaria em consideração a atualização do frame das cartas (que agora contam com a borda preta se fechando na parte de baixo da carta, e tem o selo holográfico nas raras, além da mudança de fonte).

Ouvi dizer que seria uma solução mais barata que o Modern, já que os preços dos decks Tier do formato estão tão absurdos quanto os decks de Legacy em 2012.

Entretanto, quando o Modern surgiu, acho que em 2013, Oitava Edição (que era o corte do Modern) já tinha 10 anos, o que dá aos jogadores 10 anos de coleções. E aí a proposta até ficou interessante.

Mas, um Tarmogoyf, que no Legacy custava 170 reais, porque também jogava no Modern passou a custar 300 reais em 2013, 400 em 2014 e hoje temos o bonitão na faixa de 500 Fora Temers. A comunidade junto com a Wizards criou o novo Legacy, só que a diferença era que não tinha old dual (que eram as cartas que mais encareciam o formato). Mas trocamos nossos 100 reais em sets de Brainstorm, Ponder, Plowshares, Daze, Hymn to Tourach por apenas um playset de Serum Visions, quando ela atingiu seu pico.

Acho que o Frontier foi proposto muito cedo. Se ele tivesse esperado até 2025 para nascer, quando Magic 2015 tivesse 10 anos de idade e já soubesse falar, escrever e jogar de azul, talvez a proposta seria interessante.

Mas os jogadores têm que pôr na cabeça: Se tem Pro Tour e Grand Prix, vai ter cartinha cara sim sinhô.
 
BiasedDice

Esquilo
0 Referências
Posts: 247
Registro: 15/11/14

Postado em: 17/12/16 19:49

Ou um formato modern menos todos os core sets hueha.

 
ThorNeira

Esquilo
0 Referências
Posts: 207
Registro: 19/02/16

Postado em: 19/12/16 11:30
Os jogadores de Legacy falavam a mesma coisa do Modern, mas veja só, hoje o modern é o formato mais jogado.

Não subestimem o Frontier.
 
Patro

Esquilo
0 Referências
Posts: 303
Registro: 08/01/16

Postado em: 19/12/16 11:48

Com todo o respeito, não é questão de subestimar, mas o Frontier vai acabar igual o modern. É fácil para entrar agora, mas e os novos jogadores de daqui a 3 anos? Baby Jace la fora voltou a subir e ta quase $30 já. CoCo também subindo aos poucos.

Frontier hoje é barato para quem começou a jogar agora, assim como vintage é barato para quem começou em 1993 e Modern é barato para quem estava jogando por volta dos anos 2000.

Posso estar errado, mas acredito mais em um formato tipo "Legacy com o novo Frame" do que no Frontier.

 
Gannoth

Esquilo
0 Referências
Posts: 6
Registro: 03/09/16

Postado em: 19/12/16 13:49
Honestamente tenho muito interesse em conhecer o formato na mesa. Ao menos para mim é um formato extremamente atrativo, me permitindo uma gama de decks maior que o T2, com (por enquanto) um custo menor que o modern, que, diga-se de passagem, nasceu pelos mesmos motivos do Frontier.
O Modern hoje está dominado pelos mesmos decks, mesmas jogadas, e francamente já está ficando sem graça jogar t2.
Parece que os jogadores se esqueceram que grande parte da diversão do MTG está em montar seu deck, com sua estratégia e se divertir. Vejo por ai vários pseudo pró exibindo seus decks de dois ou três mil reais, e jogando contra ele próprio nas mesas de FNM.
Espero que o Frontier tenha uma boa aceitação e divulgação das lojas, que devem agir como principais divulgadoras do formato, até para resolver o problema que é guardar uma porrada de carta que não entra no modern (pq todos jogam com as mesmas listas) ou no t2, pq saiu em desuso.
 
jonvianna

Esquilo
4 Referências (100.00% positivas)
Posts: 25
Registro: 13/08/15

Postado em: 20/12/16 17:44
Inevitável!
A vinda do frontier é inevitável. Se não for agora, que na minha opinião não é a melhor hora, visto a pequena gama de cartas ainda disponivel, será em 3-4 anos que o formato vai começar a bombar.
E concordo que o argumento de preços mais em conta não é válido para o formato pois assim que ele estourar, os preços vão para as alturas.

O frontier tem dois problemas graves ainda na minha opinião:
Um é o desequilíbrio das lands, pois há fetches e Duals de determinadas cores (a ser corrigido com o tempo, seja com novas lands, seja com banlists).
Outro é a falta de cards de resposta/controle como bloodmoon, ponte traicoeira, etc
São cartas que todos odeiam no modern mas que são fundamentais para que o formato seja jogável.

Os decisão que dominam o frontier até agora se resumem a uma junta das melhores cartas, de várias cores (jeskai black), em um deck só, já que não tem cartas de controle fortes como no modern.

Acho o formato MUITO promissor. Só que ainda não chegou sua hora...
 
Ricardo_R_JR

Esquilo
0 Referências
Posts: 1807
Registro: 10/02/14

Postado em: 21/12/16 09:42
Parece que é um formato para quem não quer perder as cartas com rotação do Standard, ou seja, para quem não quer gastar muita grana. Não sei se vai rolar e se rolar será preciso ficar atento para banimentos (o mais rápido possível). Por enquanto tem poucas possibilidades, parece mais uma volta desesperada do "extended". Além disso, as lojas vão conseguir administrar/organizar mais um formato nas suas agendas?
 
Tharcioliver

Esquilo
0 Referências
Posts: 44
Registro: 21/06/15

Postado em: 21/12/16 18:09
Temos jogado bastante Frontier em Curitiba. Praticamente todo sábado rola um torneio. A variedade de decks é boa e o field é bem equilibrado. Tem 4C, grixis, Rally, UR scissors (meu), WR aggro...enfim. O formato é divertido e justo nas matches e preços. Ainda mais para quem joga T2 e está acostumado a comprar box.

Espero que venha pra ficar.
 
Wasp

Esquilo
0 Referências
Posts: 8
Registro: 09/08/15

Postado em: 23/12/16 00:50
Comecei a jogar na epoca de Dragons of Tarkir e escolhi entrar no T2 competitivo. Nessa epoca conheci muitos players que entraram no t2 recentemente tambem. Fazia o possivel pra participar dos FNMs e PPTQs. Mas com o passar do tempo, a rotina da dobrada trampo/facu foi me distanciando dos champs. Pra piorar tudo veio a Wizards e mudou a forma de rotação. O que eu fiz: vendo que muitas cartas do meu deck cairiam em janeiro (meu deck tinha muita coisa de Origens, Dragons e OATH) vendi ele e gastei num commander. Aí, algumas semanas depois, veio a wizards de novo e voltou atras com a rotacao. Fiquei extremamente frustrado, tanto com a wizards quanto com a bolsa de valores que é o T2, em que pra que eu montasse um deck tier 1 de novo como era o meu ia custar muito caro, e resolvi ficar so no commander mesmo. "Coincidentemente", vi muitos players e aqueles amigos que começaram junto comigo abandonando o T2 pelos mesmos motivos. E ainda hoje tem outros que estao pra desistir em breve, so esperando a rotaçao.

Dito isto, acho que foi bom o frontier ter chegado. Primeiro porque dificilmente eu ou os players citados entrariam no modern ou Duel Commander, por uma questao de preço. E commander mesao é muito chato pro nosso perfil competitivo. "Mas existem decks moderns e duel commanders baratos!". Claro que existe... mas ve se aparece com frequencia nas listas de torneios. O pauper é legal, mas da um vazio nao poder usar planinautas ou aquela rara que faria diferença...

Apesar da premissa de decks baratos, o que mais chama a atençao nesse formato é justamente players competitivos que começaram ha uns 2-3 anos atras e que ja tem um pool de cartas bacana, mas que saiu do t2 por algum motivo e que nao tem dinheiro e/ou nao querem esperar pra fechar um modern. Creio que aqui no Brasil o formato vai se expandir bastante (o black silver e o sacola, apesar de torneios pequenos, tem em varias lojas), mas nao sei se la fora vai se expandir la fora. Espero que sim!
 
Malfensthor

Esquilo
0 Referências
Posts: 351
Registro: 23/04/11

Postado em: 23/12/16 02:25

Onde eu assino?