Faraway - Jogos e Desafios
Load or Cast
Jund Corner - Meus dois centavos sobre Ragavan, Afanador Ágil
 Jund Corner - Meus dois centavos sobre Ragavan, Afanador Ágil
edrd

Esquilo
57 Referências (100.00% positivas)
Posts: 24
Registro: 19/11/15

Postado em: 05/06/21 16:32
Bem-vindos ao Jund Corner. Espero que esse seja um espaço pra gente, que joga de BGR, trocar ideias. Nesse texto eu falo sobre Ragavan, Afanador Ágil, de MH2. Caso você curta, deixe um comentário aqui embaixo. Quem sabe a LigaMagic não decide patrocinar artigos como esse?

A onipresença do Ragavan, Afanador Ágil nas listas de compras pode ser questionável, mas o mesmo não podemos dizer dos grupos de WhatsApp. Desde o spike que essa carta sofreu, dobrando de preço em uma semana, só se fala nela. Muitos comparando-a ao Deathrite Shaman, alguns dizendo que isso é exagero, mas todos tento algo pra falar dela. E aqui estão os meus dois centavos.

https://www.ligamagic.com.br/?view=cards/card&card=Ragavan,%20Nimble%20Pilferer&aux=Ragavan,%20Afanador%20Ágil

Ragavan, Afanador Ágil é uma 2/1 que faz bastante coisa por R. Quando ele causa dano de combate a um oponente você deve criar uma ficha de tesouro e exilar a carta do topo do grimório dele. Até o final do turno você pode jogar aquela carta. Você ainda pode usar a habilidade de dash, fazendo ele com ímpeto por 1R e voltando para a mão no início da etapa final.

Dash é uma habilidade relevante para Ragavan, pois compensa o seu corpo pequeno, que dificilmente passaria por outras criaturas. Dado que ele precisa causar dano de combate para gerar valor, me agrada que possamos surpreender o oponente ao jogá-lo com ímpeto.

Fazia tempo que não víamos uma carta com um design tão bem feito, de forma que a relação custo e habilidade não pudesse ser criticada. Apesar de forte, o corpo pequeno torna Ragavan relativamente fácil de lidar. Em contrapartida, se permanecer na mesa, a soma das suas habilidades farão com que as decisões do oponente sejam tomadas em torno dele.

Justamente por ser tão frágil, Evart Moughon, do canal aspiringspike, pontuou em um artigo recente para a ChannelFireball, que a disrupção seria imprescindível para que Ragavan, Afanador Ágil sobrevivesse ao meta. Em um formato sem Pasmar para proteger criaturas, Capturar Pensamento e Inquisição de Kozilek poderiam abrir caminho para Ragavan entrar por 1R no turno 2, a salvo de alguma remoção.

Evart põe ainda na lista a Hierarca Ignóbil, sobre a qual podemos falar num outro momento. De acordo com Evart, Ragavan poderia permanecer na mesa, desde que o oponente utilizasse sua remoção na Hierarca. Num outro cenário, poderíamos usar a mana gerada pela Hierarca para fazer o oponente descartar uma remoção, jogando Ragavan em seguida.

No melhor dos casos, você termina o turno 2 com duas criaturas, duas manas a mais, da ficha e da Hierarca, além de uma carta extra. Ragavan, Afanador Ágil se torna uma recorrência coberta por três manas. Enquanto isso, o oponente toma 3 de dano e perde uma carta do grimório para o exílio.

Justamente aqui os problemas começam a aparecer. Exilar e jogar uma carta do grimório do oponente não foi por si só uma habilidade relevante até agora. Ashiok, Tecedor de Pesadelos, Robber of the Rich e Thief of Sanity tiveram pouco ou nenhum impacto no formato, fazendo algo semelhante.

Jim Davis em um artigo recente considerou que essa habilidade causa a falsa sensação de que o grimório do seu oponente tem cartas que te colocam em vantagem sobre ele. Na verdade, isso pode acontecer no melhor cenário possível, mas não sempre e há uma enorme diferença entre esses casos.

Além disso, Ragavan não permite conjurar a mágica usando qualquer cor de mana para isso, diferentemente de outras cartas semelhantes. É preciso atenção quanto a isso, pois a ficha de tesouro pode causar a impressão contrária. Por isso, Ragavan tende a ser melhor em partidas em que o valor de mana médio seja mais baixo. Nesses casos, a uma mana gerada pela ficha será útil no mesmo turno em que a carta for exilada.

Na maioria das vezes esse será o caso no Modern, mas nem sempre. Além disso, caso a carta exilada tenha valor de mana superior a 1 ela ainda deverá ter G, B, R ou incolor em seu custo ou Ragavan terá que ter criado mais fichas anteriormente para que você possa jogá-la. Essa limitação faz com que as vezes em que a carta poderá ser conjurada diminuam bastante.

Quando ignoramos essa habilidade, a ficha de tesouro criada por Ragavan ainda pode ser relevante. Um dos problemas do Jund é responder às ameaças em um formato agressivo, sofrendo o mínimo de dano ao buscar os terrenos necessários para isso. Wrenn e Seis, cumpre bem esse papel atualmente, sendo mais difícil de lidar quando comparado ao Ragavan e encaixa melhor na curva 2, ajudando no plano defensivo ao responder pequenas ameaças.

Outra coisa que me incomoda sobre Ragavan ou mesmo Hieraca é que ambos têm valor de mana 1 e competem pelo descarte no turno 1. Iniciar o jogo prevendo as primeiras jogadas do oponente é uma parte importante do plano de jogo do Jund. Para que uma carta mova esse plano um turno para frente, nos obrigando a fazer descarte na 2, ela deve acrescentar muito valor, o que não sei se é o caso aqui.

Definitivamente Ragavan não é o tipo de carta que passa despercebida. Possivelmente seu impacto no meta será notado daqui pra frente, mas acredito que não no Jund. Ao que parece, teremos que nos preocupar mais com ele do outro lado da mesa. Será que é a hora de subir o Wrenn e Seis de 2 ou 3 para 4?

Obviamente eu não cobri todas as possibilidades nesse texto, mas iniciei o debate sobre Ragavan no Jund. Se quiser se juntar a ele de forma organizada e educada é só comentar aqui embaixo. Fica a vontade. Até outro dia aqui no Jund Corner, quem sabe.

Editada em: 05-06-21 16:38:07 por edrd.

Editada em: 05-06-21 16:40:19 por edrd.