Narrativa - Aventura escrita por mim
 Narrativa - Aventura escrita por mim
Black_Lotus

Ancião
0 Referências
Posts: 2898
Registro: 04/01/04
Casa Branca - SP

Postado em: 05/06/05 15:29
Eu tava atoa ontem, e resolvi escrever, eu sei q provavelmente ouvirei muitas críticas, mas eh isso q eu quero, passei a limpo ontem de madrugada essa história, pode conter erros mas blz, eh a 1ª vez q escrevo algo assim, então quero q me ajudem dizendo onde está bom e onde posso melhorar.
Nao estou preucupado com a história em si, mas sim em saber se a narrativa consegue prender a atenção, prova disso eh q nao me empenhei em criar nomes novos, alguns leitores reconhecerão os nomes dos personagens de alguns livros q talvez jah tenham lido.
Lah vai:

O dia está calmo em La Roche-Derrien, pessoas cuidam de seus afazeres sem se preocupar com o dia de amanhã. Um jovem passa imprudente com seu cavalo, quase derrubando um velho vagabundo, e ouve belos insultos.
O jovem Eduardo está em seus aposentos, quieto, admirando um cálice de prata que mantém em suas mãos, sua fisionomia é preocupada. De repente três fortes batidas na porta, Eduardo, que não aparentava ter mais que vinte e cinco anos, olha para a esquerda para ver a porta se abrir, e um velho padre em vestes dominicanas entra esbaforido.
__ Que diabos Hobe! O que foi? Pergunta o jovem nobre
__ Lady Jeannet! Lady Jeannet foi capturada!
Um barulho de metal chocando-se com pedra é ouvido quando Eduardo deixa cair o cálice, boquiaberto. Ele parece não acreditar; depois de um tempo pergunta:
__ Como?
__ Ela vinha para cá, para vê-lo, mas sua comitiva foi capturada e morta, com exceção da condessa e de um jovem criado que fugiu a cavalo e acaba de me contar.
Eduardo corre para onde está sua espada, veste a cota de malha e um elmo sem viseira, e grita para dois soldados:
__ Douglas! Bruce! Se aprontem e tragam três cavalos! Eles obedecem de pronto.
O pobre padre Hobe tenta em vão convence-lo a se acalmar e negociar com os bandidos. Eduardo não da ouvidos.
__ Onde está o sobrevivente?
__ Na cocheira.
Eles correm até o local.
__ É ele? Pergunta Eduardo apontando para um homem que dava água a um cavalo.
__ Não senhor, é aquele ali.
__ Deve ter uns quinze anos! Não importa, hei, garoto, venha cá! Ande logo!
O jovem se aproxima correndo .
__ Sim alteza.
__ Você é o criado de Lady Jeannet?
__ Um deles senhor
__ Onde ela está?
__ Bem, nós estávamos... foi interrompido.
__ Vá direto ao assunto droga! Tenho pressa.
__ Eles estavam perto do bosque, os homens de Skeat, disseram que iriam mata-la pelo que o senhor fez.
__ Já sei aonde vão – Disse isso e foi de encontro aos dois soldados que já estavam montados
No caminho pegou uma longa capa preta que um criada lhe trouxera, vestiu, e montou o cavalo com pressa. Saíram como três loucos, Eduardo no centro, a longa capa agitando-se ao vento. Na saída passaram por um mosteiro, e quase acabaram com o jogo de xadrez que dois monges acabavam de começar, no lado de fora
Eduardo explicou que havia frustrado os planos de Skeat, e que o bandido havia jurado vingança, e ele sabia que sua amada seria morta. Não haveria negociação, por isso a pressa em partir.
Eles avistaram o acampamento não muito longe do bosque. O céu cinza e triste anunciava uma tragédia.
Dois homens ao avistarem os cavalarianos, correram em direção a eles, espadas em punho, um terceiro ia na direção oposta, com o único cavalo do pequeno grupo.
__ São homens de Skeat, temos que alcançar o fujão! Gritou Eduardo.
__ Como esses bastardos são leais! Vão morrer por nada. Retorquiu Bruce
"E nós não?" Pensou Douglas.
O primeiro atacante tentou acertar Eduardo com um golpe de cima pra baixo, o nobre simplesmente aparou a passou a galope, Bruce que vinha um pouco atrás a sua esquerda teve apenas o trabalho de mirar bem em cima do pomo de Adão do soldado, quase o degolando. O outro homem tentou acertar Douglas, mas se atrapalhou e teve o peito trespassado pela espada do cavaleiro, que ficou presa, e este deixou que ela ficasse lá.
__ Merda! Bravejou ele enquanto sacava uma massa estrela, uma haste de metal com a ponta cravejada com espinhos de aço, que levava à cintura.
Tudo isso aconteceu em uma fração de segundo.
O cavaleiro que fugiu entrou desesperado no acampamento __ Soldados! Soldados!.
Não muito longe vinham os três cavalarianos numa carga frenética.
__ É Eduardo, permitam que cheguem até aqui vivos... – Disse Skeat
Vários arqueiros aguardavam com os arcos preparados.
__ Esta distancia está boa. A ordem foi dada com serenidade, quando os cavaleiros estavam a uns quinze passos dos inimigos. Os arqueiros dispararam em uníssono.
As flechas voaram em linha reta, e penetraram fundo no pescoço e no peito dos cavalos , cerca de quatro flechas para cada um; os cavalos relincharam e caíram. Eduardo saltou desengonçado, correu três passos e caiu. Seus companheiros foram ao chão, mas rapidamente se recompuseram, auxiliaram seu líder a se levantar, e correram de encontro à morte.
A bela Jeannet estava semi-nua, com as roupas rasgadas, era óbvio que antes de mata-la os homens iriam se divertir com ela, mas tiveram seus planos frustrados pela rapidez do resgate.
Eduardo entrou na luta gritando, golpeou o primeiro inimigo na barriga, virou-se para aparar um golpe, deu uma estocada em um soldado do lado oposto, e se voltou para matar o homem que teve o golpe bloqueado, mas esse jazia no chão com o crânio amassado pela arma de Douglas
Bruce aparou um golpe em cima, outro embaixo, e golpeou da direita para a esquerda, a ponta de sua espada passou pelo ventre de um soldado sem cota de malha, e foi parar entre as costelas de um companheiro que estava ao lado que grunhiu e caiu. O primeiro homem a ser atingido saiu da luta tentando manter seus órgãos dentro do corpo.
Skeat viu que a situação havia saído de controle, e chutou Jeannet na altura dos calcanhares com tamanha força, que ela desmaiou ao bater a cabeça no chão. Seus belos cabelos negros lhe cobriam a face macia como a mais cara das sedas.
__ Acabou Eduardo! Gritou Skeat, e em seguida deu o golpe de misericórdia.
__ Não! O som ecoou profundo, como um lamento repleto de dor. Espada no chão, Eduardo estava de joelhos chorando. Seus guarda costas tomaram uma posição para defende-lo, mas um zunido foi ouvido, seguido de um som de aço perfurando carne.
Bruce caiu de costas com três flechas cravadas em seu peito, Douglas foi atingido no estomago e no pescoço, cambaleou, soltou um miado, e tombou.
Eduardo sentiu as frias laminas inimigas atingirem-no por todos os lados com indiferença.
Trovejou e começou a chover
Na frente do mosteiro onde os monges jogavam xadrez, um dos frades tombava seu rei, simbolizando que se rendia após ter a dama capturada, e se preparava para entrar e escapar da fria chuva que já tocava a terra.



Editada em: 05/06/05 23:28:59 por lordlazaros.
(filtro)
 
uricher

Goblin
0 Referências
Posts: 97
Registro: 05/06/05
São Paulo - SP

Postado em: 05/06/05 15:47
eh daorinha essa aventura!
 
Fireball

Orc
0 Referências
Posts: 434
Registro: 23/01/04
São Paulo - SP

Postado em: 05/06/05 22:25
Naum passei da 10ª linha e ja reconheci todos os nomes, vc acabou de ler a trilogia em busca do graal, só faltou o personagem principal chamar thomas.... snif o wiliam eh mal...


Agora sobre o texto em si, a historia ta bem frakinhaaaa tudo muito facil, dava p/ desenvolver melhor as batalhas e o enredo em si. Bom acho que eh soh isso



PS: Vc jah terminou os livros?
 
Black_Lotus

Ancião
0 Referências
Posts: 2898
Registro: 04/01/04
Casa Branca - SP

Postado em: 05/06/05 22:53

Eu disse q nao me preucupei nem um pouco com a história ou originalidade, eu quero saber apenas sobre a narrativa.

Edit: To lendo O Andarilho


Editada em: 05/06/05 22:54:39 por Black_Lotus.

 
Fireball

Orc
0 Referências
Posts: 434
Registro: 23/01/04
São Paulo - SP

Postado em: 05/06/05 23:00
Por ser um texto meio curto fica fode de dize, mais a narrativa ta boa, eh q vc espera algo melhorzinho no final ai meio q desaponta.Tb axo q podia ser + detalhado.
 
Black_Lotus

Ancião
0 Referências
Posts: 2898
Registro: 04/01/04
Casa Branca - SP

Postado em: 05/06/05 23:04
Eu tbém acho q podia ser mais detalhado, mas eu queria escrever algo curto, e qdo vi tinha 5 paginas de caderno...
 
tiu_sam

Lenda
0 Referências
Posts: 1008
Registro: 12/12/02
Florianópolis - SC

Postado em: 05/06/05 23:05

tb to lendo o andarilho

quanto ao texto, eu diria que a narrativa tah boa, mas falta contudo, falta detalhe e falta uma historia que preste ^^
mas a narrativa tah aceitavel ^^

 
Black_Lotus

Ancião
0 Referências
Posts: 2898
Registro: 04/01/04
Casa Branca - SP

Postado em: 05/06/05 23:11

Eu sei q a história eh tosca!!!! XD
Eu num costumo escrever nada, eu soh quero saber se to conseguindo narrar de forma não massante. De uma forma q consigo prender a atenção.
Depois q alguém lê Bernard Cornwell qualquer outra narrativa jamais será grande coisa

 
Fireball

Orc
0 Referências
Posts: 434
Registro: 23/01/04
São Paulo - SP

Postado em: 05/06/05 23:24


Leia qualquer narrativa menos Tolkien!

PS: huahauhauhuha eu sei o final!!!!!!!!